História Meu anjo negro - VKook - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Drama, Fantasia, Romance, Vkook
Visualizações 280
Palavras 1.197
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Um estranho?


Meus olhos começam a se abrir de forma lenta. Sinto minhas pálpebras mais pesadas que chumbo. Minha visão vai para a esquerda e para a direita.

Vejo um teto sobre mim. Olho para baixo, na direção de meu peito, e percebo que estou coberto por um cobertor azul bem quente. Minha cabeça está sobre um travesseiro de penas. Estou em uma cama.

Me sento sobre a cama. Minhas costas ainda estão ardendo e doendo. Olho ao meu redor. Vejo uma janela bem grande, há um pequeno sofá preto no local e pinturas na parede. Um armário de madeira está de frente para a cama. É um quarto, mas tem - no mínimo- milhares de coisas que eu não faço idéia do que são.

Uma porta se abre. Um humano, o mesmo humano que eu me lembro de ter visto antes de apagar, entra no quarto com uma bandeja na mão.

- Ah! Você acordou- ele diz fechando a porta atrás de si.

Eu olho para o humano de forma desconfiada. Onde estou? Quem é ele?

- Não precisa ter medo- ele diz, sorrindo gentilmente para mim- Trouxe um pouco de comida. Você está muito pálido.

O humano se senta na beirada da cama e coloca a bandeja sobre os cobertores. Vejo um copo com suco de laranja e um prato com uma maçã picada e algo que parece até ser um pão queimado com geléia em cima.

- Você...sabe falar?- pergunta o humano.

- Sei...- eu digo em um tom baixo.

- Bem, ainda não nos conhecemos. Meu nome é Jeon Jungkook, prazer- o humano estendeu sua mão na minha direção, sorrindo e mostrando os dentes brancos.

Eu, lentamente e timidamente, estendo minha mão de volta, apertando a mão de Jungkook.

- Sou Kim Taehyung, prazer. É...por que você me salvou?- eu pergunto.

- Eu achei que tinha te atropelado com meu carro- Jungkook responde, dando um sorriso sem graça.

- Ca...ca...carro? O que é "carro"?- eu pergunto, inocentemente.

- É...você não sabe o que é um carro?- Jungkook me olha de forma estranha.

Eu mordo os lábios. Quero fazer milhares de perguntas, mas também não posso expor muito sobre minha origem.

- D-Desculpa...eu...tô meio atordoado.

- Fica de boa!- ele diz, sorrindo- Eu não consegui te deixar sozinho naquela rodovia.

Ah, então é assim que se chama. "Rodovia". Segunda coisa humana que aprendi em um minuto só. Novo recorde!

- Obrigado por me salvar- eu agradeço.

- De nada. Aliás, o que você estava fazendo lá?- ele pergunta.

Abro minha boca para responder, mas uma dor me pinica nas costas, me lembrando de Arquemis. 

- É...uma longa história- eu responde de forma sem graça.

- Ai, meu Deus! Desculpe, eu não devia ficar te enchendo de perguntas- Jungkook cora e coloca a palma da mão na testa.

- T-Tudo bem! 

- Eu percebi que você tá cheio de machucados. Quer que eu passe um pouco de remédio?- ele pergunta.

- Pode ser, obrigado.

Jungkook se levanta da cama e vai até o armário. Ele fica de costas para mim. Jungkook abre as portas e começa a vasculhar o móvel.

Olho para a bandeja e pego o negócio que parece um pão. Os farelos da comida sujam a ponta de meus dedos.

- O que é isso?- eu penso em voz alta.

- É uma torrada. Pode comer! Tudo aí é para você- diz Jungkook, levando seu olhar para mim.

Torrada? O que é isso? Um pão duro? Coloco a tal torrada entre meus dentes e mordo. Começo a mastigar. O gosto da geléia de morango e da torrada se misturam na minha boca.

Minha nossa. É muito bom! Em Arquemis, todos os nossos pães são...moles. Nem sabia que dava pra deixar um pão duro desse jeito e ainda ficar gostoso.

- Muito bom!- eu elogio, dando mais uma mordida.

- Eu não sou o melhor cozinheiro do mundo, mas eu tento- Jungkook ri de si mesmo.

Jungkook caminha de volta para a cama com uma malinha branca na mão. Ele abre a malinha e pega um algodão. Jungkook molha o algodão em um líquido que tem um cheiro estranho.

- Pronto. Olha para mim- ele pede.

Eu olho para Jungkook. Ele tira alguns fios de cabelo da minha testa e passa o algodão molhado sobre meus machucados de forma cuidadosa. Enquanto ele passa o algodão sobre meu rosto, eu analiso cada detalhe de sua face. Os humanos são praticamente iguais aos Auruns. Achei que eles fossem mais estranhos fisicamente, ou sei lá. Mas Jungkook tem um rosto fino e delicado. Seus olhos castanhos estão focados em meus machucados. Ele realmente parece estar preocupado comigo.

- Quer que eu passe nas suas costas também?- ele pergunta.

Eu engulo um seco. Sinto falta das minhas asas. Minhas costas pertencem por inteiro à elas. Porém, os machucados estão aí, e precisam cicatrizar. Eu balanço a cabeça para cima e para baixo, concordando.

Ele se levanta da cama e anda até ficar atrás de mim. Sinto o algodão deslizar suavemente sobre o local onde minhas asas estavam. Mordo o lábio inferior, com dor, e fecho meus olhos sentindo algumas lágrimas virem. 

A sensação de não ter mais algo que você sempre teve na sua vida, é realmente muito ruim. 

- Tá tudo bem, Taehyung?- pergunta Jungkook.

- S-Sim!- eu gaguejo- É só esse machucado nas costas que me incomoda.

- Já está praticamente cicatrizado, fica tranquilo!- consola Jungkook.

Eu termino de comer a torrada. Jungkook se senta na beirada da cama novamente, tirando a malinha branca de onde ele tirou o remédio de cima das cobertas.

- Você é de onde?- ele pergunta.

- Sou de Arquemis!- respondo. Sobre meu lugar de origem, imagino que não tenha problema dizer.

- Eu...nunca ouvi falar. Onde fica?

- Fica na...- Meus neurônios estão a mil por hora. Tento me lembrar de qualquer continente ou país da Terra que eu lembro de ter pesquisado em Arquemis- Na...Europa!

- Que legal! 

- É...em que lugar da Terra nós estamos?- eu pergunto.

- Busan, Coréia do Sul! E esta é a minha casa. Mais especificamente, estamos no meu quarto- Jungkook sorri para mim.

- É muito bonito- eu elogio- Gostei das pinturas na parede!- eu só dei uma olhada rápida para as pinturas, mas, mesmo com uma análise rápida, consegui perceber que eles são muito lindos.

Jungkook cora e sorri de forma envergonhada. Ele cobre o rosto com uma das mãos.

- Eu que pintei...- ele diz em um tom baixo.

- Sério?!!!- eu quase exclamo- Você e muito talentoso!

- Obrigado- Jungkook ri baixinho de si mesmo- Mais tarde, podemos das uma passeada pela cidade. Posso te mostrar o lugar e podemos nos conhecer melhor.

- Gostei da idéia!!! Vamos sim!!!- eu me controlo para não pular de alegria como uma criancinha. 

Eu estou com um humano!! E, ainda por cima, é um humano que parece ser muito legal!! Quero perguntar tudo e mais um pouco sobre a Terra.

- Vou trazer umas roupas para você e aí saímos. Já volto!- Jungkook sai do quarto.

Eu coro intensamente ao perceber que, nesse tempo inteiro em que conversamos, eu estava com o peitoral completamente nu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...