História Meu brinquedo - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yuma Mukami
Tags Diabolik Lovers, Kanatoxazusa, Lemon, Sadomasoquismo, Yaoi
Visualizações 97
Palavras 1.035
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Escolar, Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 24 - Cuide bem dele!


Fanfic / Fanfiction Meu brinquedo - Capítulo 24 - Cuide bem dele!

"Eu era uma criança.. Apenas uma criança de 8 anos de idade... Mas apesar de minha idade.. sabia muito bem o que é o amor.. Amor é quando você se preocupa com a pessoa... Protege.. Mima...Cuida... Dá presentes... Mas esse é o amor convencional... Agora eu sou uma adolescente... E contínuo sabendo o que é amor... Porém o amor que eu sei.... É o doloroso... O que me foi ensinado... Pelo meu querido Psicopata."

"Conheci ele numa noite chuvosa, Eu tinha por volta de meus 8 a 10 anos de idade, Eu lembro muito bem da chuva caindo, Trovões e relâmpagos, As árvores batiam violentamente na minh janela. Eu estava com medo, Estava sozinha em casa, Minha casa não era pequena, Tinha 4 quartos, 3 banheiros, cozinha, sala de jogos, Área de serviço e Biblioteca. Meu quarto ficava no segundo andar da casa, Ele era simples, Uma cama de casal, Um banheiro, Um guarda-Roupa com portas deslizantes, Um criado mudo e uma janela. Lembro de ter levantado da minha cama com muito medo e ido ao banheiro segurando uma lanterna com minhas mãos trêmulas, Meu cabelo estava desorganizado e meus lábios cortados de tanto morder. Joguei um pouco de água fria no rosto sentando próxima a janela, Não sabia o que fazer para me acalmar. A única solução seria esperar a chuva parar. Agarrei-me na minha coberta de pano simples e me enrolei encostando a cabeça na dobradiça da janela fechando um pouco meus olhos. E então ouço um barulho de toque na porta... Toc.. toc...toc.. era o barulho que fazia, Quem bateria em minha porta no meio da noite chuvosa?... Olhei pela janela com o intuito de ver que estava batendo em minha janela mas não consegui ver por conta da chuva. Peguei minha faca de dentro da cômoda e seguirei no cabo com força descendo as escadas lentamente atrás da Batida.... Um minuto depois a batida parou... Ouviu-Se um Baque de algo caindo bem alto, Lembro-me muito bem que eu me assustei e deixei cair a lanterna no chão vendo tudo escuro. Com muito medo eu achei a lanterna e seguirei a mesma com força se apoiando nas paredes cor de nude da casa. Eu pensei assim: "Não custa nada ver o que aconteceu..." Errado, Nessa decisão eu Havia assinado um contrato  para acabar com minha inocência e sanidade. Abri a porta e vi um garoto caído no chão ele estava ensopado, Tinha cabelos Lilás e segurava um ursinho... Não poderia ter deixado ele lá fora... Então o peguei com cuidado e o trouxe para minha casa. Fechei a porta e passei o trinco com mãos trêmulas e desesperada, O que faria com esse garoto?. Peguei uma toalha do banheiro e algumas roupas antigas de meu falecido irmão... ele morreu por ataque fulminante.... Fui até aonde tinha deixado ele e o despi... Tirei o casaco, Às meias, a bermuda, A camiseta e coloquei seu ursinho próximo a lareira para secar, Lembro-Me de ter sentado no sofá próximo a ele o cobrindo com a toalha e colocando uma muda de roupa ao lado dele. Em suas mãos havia cortes, Pulsos e pernas manchadas de sangue.... o que ele haveria de ter feito?... Eu era apenas uma criança mas sabia o que deveria fazer... Peguei o Telefone e liguei Para minha governanta Alexandra, Ela havia tirado uma Folga depois de muitos anos. Ela me atendeu na hora perguntando se precisava de algo... contei a história para ela e ela foi me dizendo o que fazer, Só conseguiria chegar no outro dia.. Fiz tudo o que ela mandou e desliguei o celular... Meu estômago roncou avisando que precisava de comida, fui até a cozinha e subi em um banco pegando Um copo e o Leite. Preparei um leite quente e bebi... Logo depois motivada pela culpa eu fiz outro para meu convidado ou intruso como queira chamar... Fui a sala e Sentei no chão olhando aquele menino que dormia tão tranquilamente como se nunca tivesse dormido daquele jeito... Uma hora depois ele acordou e o que eu fiz? Sentei e o encarei... ele estava com um olhar confuso e olhava para laleira e para o ursinho. Perguntei a ele se ele queria que eu pegasse e ele disse que sim e lentamente fui me apaixonado aos poucos... Mal sabia eu que ao conhecer ele eu havia assinado minha carta de suicídio... No momento em que me toquei que estava apaixonada, ah como eu entrei em desespero! Eu ficava murmurando "Não pode" "não é possível". Papai nunca aceitaria a gente, de algum modo ele era meio que rival da mãe do menino que eu ajudei. Voltando a narrar, Depois do dia seguinte com ele curado eu perguntei o motivo de ter encontrado ele naquele dia naquele estado lamentável, ele apenas me disse: "Mamãe esqueceu de me colocar para dentro de casa". Logo depois o mesmo entrou em um mundo só dele, apenas o encarava com curiosidade, afinal qual mãe desnaturada faria isso com seu filho?, passou alguns dias e eu sempre me encontrava com ele, o menino era um tanto psicopata e ficava dizendo "Algum dia quero leva-la para ver minhas bonecas", ah se eu soubesse que eram humanos empalhados, mas sabe nem tudo foi ruim enquanto eu estive com ele, ele me chamava de "Bonequinha", era possessivo e matava quem dava em cima de mim. Mas mesmo brigando e ficando horrorizada com o que ele fazia, tenho que admitir que eu gostava da atenção que recebia. Posso ter ficado louca, na verdade não s loucura se não te pegarem né?, ah mais isso não e tudo, desde que eu estava morta e revivi não lembrei de nada mesmo da minha morte, mas aquelas lembranças me assolavam todos os dias que iria dormir, isso é, se fantasmas dormem. Ok eu sei que está confuso, mas irei explicar melhor, depois que eu morri e fui revivida sabe-se lá por quem, eu me reencarnei nesse corpo e o desejo de saber sobre minha morte foi maior que qualquer coisa, mas não e como eu fosse ruim, apenas pessoas boas se cansam de ser machucadas e se tornam frias! Está na hora de ir,até mais Azusa-Kun, cuide do meu brinquedo bem!"


Notas Finais


Perdoem qualquer erro por que não revisei, infelizmente alguém aqui está se matando para estudar para o simulado dia 9 @_@ bem comentem para saber o que acharam da fanfic ^ - ^

Boa noite/Bom dia/Boa tarde


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...