História Meu cadente - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Comedia, Drama, Romance
Exibições 18
Palavras 1.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


isso ai segundo capitulo
quero todo mundo dizendo "karlen + lucas" nos comentarios
obg...

Capítulo 2 - Briga


Fanfic / Fanfiction Meu cadente - Capítulo 2 - Briga

No dia seguinte tudo pareceu um flashback, o dia pareceu se repetir por inteiro. Eu e Kellino corredor da escola durante o intervalo quando ouvi uma discussão vindo de um canto, olhei e vi Moly e Anthony brigando.

-Por que fez isso?!- Moly disse quase gritando para Anthony, enquanto Jason(seu namorado) estava caído no chão com seu nariz sangrando.

-Ele que me provocou!- Disse Anthony. –Ninguém mandou ele me chamar de cuzão. –Realmente Anthony parecia uma criança briguenta. Moly ajudou seu namorado a se levantar e logo em seguida deu um tapa no rosto de Anthony. Eu e Kelli fomos até o grupo que se reuniu em torno da briga e começamos a afastar os curiosos. Quando todos foram em bora, inclusive Moly, Jason e Kelli, fui em direção a Anthony e dei um murro na cara dele deixando para trás um belo olho roxo.

-Acho que você entendeu o recado. - Falei e dei meia volta indo em direção aos meus amigos. O sinal da escola tocou, e um professor veio até nos.

- Ficamos sabendo o ocorrido durante o intervalo. E vocês terão de me seguir até a sala da diretoria. - O professor fez um gesto com a mão mostrando que era para nos o seguirmos. A sala da diretora tinha grandes estantes de madeira e livros de variados tamanhos gêneros e cores preenchendo as. Na sala também tinha um enorme sofá em uma poltrona, fomos até lá e eu vi o diretor sentado na poltrona e Anthony quase que jogado no sofá. Ao nos ver Anthony endireitou-se e segurou melhor o saco de gelo que estava contra seu olho esquerdo. Sentamos todos no sofá, e eu olhei torto para Anthony com um sorriso de canto de boca.

-Acho que oque ocorreu hoje foi totalmente imaturo, e acho que vocês têm de pensar melhor antes de fazerem tais ações. Não irei castiga-los com algo severo, mas acho que terão de andar na linha de hoje em diante. –A diretora foi direto ao ponto sem enrolações. –Ficarão hoje depois do horário escolar. Mas na próxima vez que algo do tipo acontecer será mais severa. Podem ir para as suas aulas agora. –Uma hora a mais na escola não me preocupou nem um pouco, mas fiquei totalmente abalada quando a diretora chamou pelo meu nome e me fez sentar no sofá novamente. Meus amigos estavam saindo da sala quando eu vi Anthony me olhar retribuindo um sorriso. Jason tem razão... Anthony é um cuzão.

-Carey... Suas notas escolares estão decaindo de uma forma impressionante. Falamos com sua técnica e teremos que cancelar suas atividades referentes ao time. Sinto muito. –Nenhuma noticia poderia ter me deixado pior. Há dois anos eu entrei na depressão, mais graças ao futebol eu consegui me recuperar.

-Mais... Se minhas notas melhorarem eu poderei voltar ao time?- Eu pergunto a ela mesmo sabendo a respostas.

- Sem duvida. -Ela fala animada tentando melhorar meu o meu humor. Saí do recinto e fui para a sala de aula com a cabeça baixa. Bati na porta e entrei os olhares logo foram direcionados para mim. Nem olhei muito para eles apenas fechei a porta, fui até a minha classe e abri meu livro de literatura na página que estava escrita no quadro, à professora nem reparou na minha presença. Todas as aulas tinham se acabado e eu estava indo em direção á biblioteca. Ao entrar na sala vi apenas Anthony, então tratei de sentar-me em uma mesa o mais longe possível. Eu estava totalmente enganada, passaram-se cinco minutos e eu já estava tendo um surto psicótico. Sem pensar e querendo acabar com aquele silencio perguntei para Anthony.

- Por que Jason chamou você de cuzão? – Ele virou para mim e disse.

- Apenas por que chamei a namorada dele de gostosa. – Eu estava tentando processar a resposta quando eu abri a boca e falei o que veio em minha mente.

- E ele está com toda razão. Não sei se da onde você vem as pessoas fazem isso, mas aqui se você falar, pensar ou respirar o mesmo ar que a namorada de algum cara, ele te mete a porrada. –Anthony começou a dar risadas e eu segui seu ritmo. Paramos quando a porta abriu e meus amigos entraram. Eles vieram até mim com um olhar que parecia querer me matar. No meu lado sentou Kelli e na nossa frente Moly e Jason.

-Oque está fazendo? Não nos misturamos ao inimigo! –Kelli falou sussurrando, mas não deu muito certo.

-Foi apenas uma briguinha idiota Kelli. Não podemos julgar ele por um erro. – A cada palavra que eu falo os rostos de preocupação começam a sair de seus rostos.

-Tudo bem. Mas se ele fizer isto de novo não iremos perdoar. – Jason fala bagunçando ainda mais os cabelos loiros. Levanto-me e vou em direção á cadeira que está do lado de Anthony. Sento-me e olho seu rosto com as sobrancelhas arqueadas.

-Não precisa ficar tão impressionado. Apenas disse para eles te derem uma segunda chance.

-Você me deu um soco e agora esta tentando ser amigável. –Interrompo-o e falo.

-Não estou tentando estou realmente sendo legal, você deveria me agradecer.

-Claro! Sempre agradeço quando alguém me presenteia com um olho roxo.

-É... Me desculpa agi sem pensar, só quis defender meus amigos. –Anthony realmente tem uma personalidade parecida com a do meu irmão, mas ele é legal (não que o meu irmão não sege legal, mais Anthony não fica fazendo piadinhas sobre mim o tempo todo). Durante há uma hora conversei com Anthony, e fiquei sabendo que ele mora somente com seu pai, pois sua mãe morreu no nascimento dele, ele e o pai vieram da Flórida. Apesar das desavenças Anthony não é uma má pessoa. Eu e o resto do pessoal saímos da escola e percebi que meus irmãos não tinham me esperado (não fiquei irritada, pois eu não teria feito diferente). Cheguei a casa e o flashback voltou, contei para os meus pais sobre oque a diretora me disse e abracei fortemente minha mãe. Eu sofreria muito se não tivesse uma.

Fui dormir e um sonho começou. Uma mulher que parecia ter nada mais que vinte anos, vestia um longo vestido branco, com cabelos da mesma cor do vestido, estava do lado de uma arvore.

-Finalmente você chegou. –Ela disse sorrindo para mim, – Venha até mim. – ela me chamou e eu fui, parei um passo em sua frente. – Provavelmente você deve estar achando estranho este sonho. Mais ele é preciso para que as coisas não se repitam.

-O que não pode se repetir? –Perguntei ansiosa. Ela sorriu novamente.

-No século XVII (século dezesseis) uma princesa apaixonou-se por um homem da mesma idade dela, mais ele não correspondeu do mesmo jeito que ela. Ela era totalmente louca por ele. Então em uma noite onde eles se encontraram as escuras, ela levou com sigo um punhal. Matou seu amado, não aguentou a dor de ter matado a pessoa que mais amava e suicidou-se. –Ela contou para mim de uma forma tão triste que comoveu meu coração.

-Qual era o nome do casal?- Perguntei para talvez entender melhor a historia.

-Se chamavam Romeu e Julieta. –Assustei-me um pouco mais continuei.

-Mais Romeu e Julieta não são uma obra criada por William Shakespeare, inspirada em um poema? –As aulas de historia finalmente serviram para algo (N/A eu também sou cultura kk).

- Você disse bem... Foi inspirada.

- Uma pergunta rápida... O que eu tenho a ver com essa historia?

-Você é a reencarnação de Julieta neste corpo. –A mulher aponta para mim.

-Mesmo se isso fores verdade, por que esta me dizendo tudo isso.

-Anthony foi Romeu. - Não pude evitar deixar meu queixo cair ao ouvir tais palavras.

-QUE MERDA VOCE ESTÁ FALANDO?! –Perguntei a ela gritando, mais ela continuou.

-Quando alguém morre por amor vai para um lugar que não é o céu, muito menos o inferno. Lá a pessoa pode ter chances de voltar para a terra quando quem a matou reencarnar.

-E esta é a minha primeira reencarnação?

-Sinto dizer que não. Durante os séculos você reencarnou muitas vezes, mas Anthony nunca conseguiu conquista-la. Você o amava tanto que até em reencarnações não conseguiu perdoa-lo.

-Isso foi uma piada? – Perguntei indignada.

-Não. Nas reencarnações vocês viravam amigos, inimigos, mas nunca amantes.

-E você sempre vem me avisar?

-Novamente a resposta é não. Ficamos sabendo pelos pergaminhos que esta será sua ultima reencarnação. Significando que Anthony não terá mais chances.

- E oque acontece se ele não tiver mais chances?

-Ele ira para um lugar que chamamos de theshadow (no inglês as sombras) onde não terá nada mais que a solidão eterna.

-Como posso saber que isso é verdade?

-Isso é por sua conta. Mas amanha irei aparecer aqui novamente.

-Anthony sabe que tem de me conquistar?

-Sim. Eu sou a mentora dele. – Ao terminar a frase ela começou a desaparecer.

-O que esta acontecendo?

-O nosso tempo acabou Julieta... E o de vocês se apaixonarem também esta. Tens apenas três meses querida. –Ela sorriu novamente para mim.

-Não vá! Tenho mais perguntas! –Ela desapareceu por inteiro me deixando sozinha, mas não durou muito tempo, pois eu comecei a desaparecer também.

Sentei na cama e um pulo, e percebi que foi tudo um sonho. Será?

 

♥♥♥Continua♥♥♥


Notas Finais


bjus da lobi =3...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...