História Meu CEO *Jikook* - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags 2jae
Visualizações 288
Palavras 3.836
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Acompanhante


Estava jogado em meu sofá. Era maravilhosa a sensação de poder ficar deitado, sem ouvir os gritos histéricos de Jeon. 

Falando em Jeon...

Minha mente trabalhava sem parar, pensando em seu comportamento de hoje. Ao mesmo tempo que era surreal, e maravilhoso, era medonho e me causava um medo terrível.

Eu não queria me iludir com toda a situação, porém era difícil ver alguém como Jeon Jungkook, e não sentir absolutamente nada.

Fechei os olhos cochilando por alguns minutos, antes de acordar com o celular tocando sem parar.

- Alô - Falei ainda sonolento, atendendo o aparelho.

- Espero que você já esteja arrumado, lindo, e gostoso como sempre - Jin murmurou assim que eu atendi o telefone.

- Oi hyung, estou muito bem sim, e você como está? - Falei irônico me sentando no sofá, enquanto ainda falava com Seokjin.

- Eu estou falando sério, Park Jimin - Bufou do outro lado da linha - Jeon disse que ele deu o recado sobre o jantar, nós teríamos te convidado pessoalmente, se você não tivesse fugido da sala igual um doido. Se arruma, o Nam vai buscar você.

- Sério mesmo? Não posso ficar em casa? Dormindo e...

- Namjoon vai estar ai em 40 minutos, seja rápido, Park.

Ele desligou. Bufei me levantando, e fui em direção ao banheiro. Tomei um banho longo, e relaxante. Voltei para meu quarto, pus minha calça preta jeans justa, minha amada blusa listrada de mangas compridas, e meu tênis/bota preto.

Arrumei meus cabelos cinzas rapidamente, passando perfume, e descendo logo depois.

- Boa noite, Jiminnie - Ouvi uma voz atrás de mim. Era meu vizinho, não conhecia muito bem, porém sempre o dia pelo corredor. 

- Boa noite - Sorri amigavelmente, enquanto continuava andando.

- É, está ocupado? - Perguntou. Parei me virando, e vendo seu sorriso, que de algum modo era bem estranho.

- Hm... Não, porque? - Encarei o mesmo que ainda permanecia com o mesmo sorriso no rosto.

- Sabe - Murmurou caminhando em minha direção - Eu queria lhe convidar pra jantar, e...

- Desculpe - Ouvi a voz de Namjoon atrás de mim - Mas ele está ocupado, não é Chim Chim?

- Sim - Sorri para meu vizinho, que eu nem sabia o nome, mas também não fazia questão de saber.

- Então vamos? - Nam me encarou - Jeon está te esperando.

- O qu...

- Quem é Jeon? - Perguntou meu vizinho. Ok, isso agora está estranho.

- O namorado dele - Namjoon sorriu me puxando para fora do hotel.

- Que história é essa de namorado? - Perguntei encarando o mesmo, que apenas revirou os olhos entrando no carro.

- Aquele cara tava me irritando - Murmurou ligando o carro quando me sentei à seu lado, e pus o sinto de segurança. 

O caminho foi rápido, tranquilo, em meio a conversas, e risadas. Eu realmente gostava de Namjoon, ele era um irmão mais velho praticamente. Eu geralmente, o defendia quando Jin queria matá-lo por quebrar algo, Nam apesar de ser incrível, é um desastrado, e vivia quebrando as coisas do namorado, que volta e meia queria o matar, mas se amavam e todos viam isso.

Finalmente chegamos à mansão dos Jeon's. Eu sempre me encantava quando via aquela casa, era tudo tão perfeitamente detalhado, e bem posicionados. Paredes claras, e moveis escuros, o que deixava um ar moderno, e aconchegante.

Namjoon me abraçou pelos ombros, me conduzindo à entrada da mansão enquanto o mesmo falava dos planos de pedir Jin em casamento.

- Finalmente vocês chegaram - Jin murmurou enquanto me puxava para um abraço - Yang Mi não parava de falar em você.

- Querido, que bom que veio - A senhora Jeon surgiu do longo corredor, e veio em minha direção, me dando um de seus calorosos abraços. Ela era como uma segunda mãe, era ótimo se sentir amado, inclusive pelo senhor Jeon, que alem de muito gentil e responsável era educado, e extremamente humilde.

- Boa noite senhor Park - O senhor Jeon Chung-hee sorriu se pondo ao lado da esposa. Nós conversamos por longos minutos antes de sermos chamados para o jantar.

- Vá chamar meu filho por favor - A senhora Yang pediu para a empregada que permanecia à seu lado.

- Não precisa mãe, já estou aqui - A voz de Jeon foi ouvida, e segundos depois o mesmo entrou, com seu tipico jeito de pessoa importante, e CEO que era - Desculpe-me pela demora, estava vendo alguns contratos, e acabei perdendo a noção do tempo. Boa noite Jiminnie.

- Boa noite Sr. Jeon - Murmurei em meu tipico tom profissional.

- Senhor, somente na empresa, Park - Indagou sentando-se ao meu lado - Alias... - Sussurrou em meu ouvido - Está lindo.

Senti minhas bochechas esquentarem instantaneamente. Ouvi a risada de Jeon, seguindo de sua mão em minha coxa.

- Não constranja seu secretario, Jeon  - A voz do senhor Chung-hee foi ouvida, e o mesmo sorriu olhando para o filho, que deu de ombros tirando sua mão, porem por algum motivo, eu queria que ela continuasse ali, mas de forma alguma eu pediria, ou diria aquilo para ele. 

Não! Definitivamente não, e em hipótese alguma eu faria isso! 

O jantar seguiu-se tranquilo, e por incrível que pareça, ficar na companhia dos Jeon's foi incrivelmente agradável.

Nós estávamos na sala, a senhora Yang Mi disse que Jeon iria dar uma noticia, e por algum motivo eu me sentia estranhamente nervoso. 

A campainha foi ouvida, e segundos depois podemos ver Jisoo, a prima de Jeon entrar. Bom, ela basicamente fazia com que eu levasse algumas boas broncas no passado, por invadir a sala de Jeon, alegando ser a "noiva" dele, quando o mesmo dizia milhares de vezes para mim não deixar ninguém entrar em sua sala. 

- Olá a todos - Falou a demonia sorrindo para todos presentes na sala, até que seu olhar pousou sobre mim - Olha se não é o pequeno Park, a muito tempo não vejo você.

- Graças a Deus - Murmurei baixo.

- O que disse? - Perguntou me fuzilando com o olhar.

- Ele não disse nada - Jeon indagou sentando ao meu lado, e pousando sua mão novamente em minha coxa, porém, dessa vez, além da demonia estar vendo, todos ali estavam, dês de nossos amigos, até seus pais, e eu sentia minhas bochechas queimarem - O que faz aqui?

- Eu sou da família, tenho tanto direito quanto o resto - Falou se sentando - Certo?

- Claro - A senhora Jeon murmurou encarando a sobrinha - Dês de que fique de boca calada, e respeite meus convidados, principalmente Jiminnie.

Jisoo revirou os olhos me lançando um olhar matador. Eu sabia que não era pelo que a tia havia falado, e sim, porque Jeon tinha sua mão posicionada em minha coxa.

- Nos traga alguns chás, por favor - Yang pediu para a empregada, que a mesma havia acabado de chamar.

- Jeon não gosta de chá - Murmurei sentindo os olhares sobre mim. Jeon olhou para mim sorrindo, e instantaneamente abaixei minha cabeça sentindo a possibilidade de minha bochechas explodirem a qualquer momento. Aquela, sem duvidas era uma das noites mais vergonhosas da minha vida.

- Jiminnie está certo, parece que meu secretario me conhece melhor que você omma - Jeon murmurou sorrindo divertido - Traga dois cafés.

- Apenas me esqueci meu filho, você passa tanto tempo sem vir nos ver que eu até me esqueci desse pequeno detalhe, só vive enfornado naquele apartamento - Encarou o filho que deu de ombros.

- Parece que o empregado é mais da família do que eu - Jisoo murmurou tendo toda atenção para si - Não é por nada, mas quem é esse empregadinho perto de mim?

- Quer mesmo que eu responda? - Jeon suspendeu uma sobrancelha enquanto entrelaçava nossos dedos. Aquela era definitivamente a noite mais vergonhosa, e confusa da minha vida - Porque se você quiser, eu posso ficar aqui até amanhã.

- Você por acaso está namorando seu secretario? - Jisoo encarou Jungkook, que parecia não se importar com nada que vinha da prima.

- Isso não é da sua cont... - Jeon foi interrompido pela empregada que trazia os chás, e seu café.

- Não se anime muito Jeon, ele pode estar com você simplismente, porque você tem dinheiro - Sorriu me encarando.

- Me desculpe Jisoo, mas eu não me igualo a você, eu não ficaria com Jeon por simplismente querer o dinheiro dele, ou porque ele poderia me dar condições, já você, não se pode dizer o mesmo não é?! Já que mesmo sendo prima dele, já insinuou milhares de vezes, que é noiva de Jeon - Encarei a mesma, que parecia querer me matar com um simples olhar.

- Olha aqui seu anão de jardim - Levantou a voz me desafiando.

- Não se esqueça de gostoso - Jeon se intrometeu me dando uma xícara de café, pelo jeito ele também me conhecia, já que eu tinha repulsa à chás - E que tem uma bunda maravilhosa, e...

- Acho que já está bom, Jeon - Murmurei sentindo minhas bochechas esquentarem.

- Bom - A senhora Jeon murmurou tendo toda a atenção para sí - O que você queria anunciar filho?

- Bom - Jeon sorriu, se ajeitando em seu lugar - Primeiro, que graças ao Park, temos uma nova coleção para o desfile de inverno, e...

- Calma - Chung-hee interrompeu o filho, o encarando - Porque Jimin teve a idéia? E sua equipe?

- Aqueles incompetente vieram com uma idéia ridícula, e ainda nem tinham um plano B, então demiti todos - Explicou por fim, bebericando seu café - Aliás Jin, você pode trabalhar lá, já que você trabalha com moda, acho que você se adequaria à fazer modelo de roupas e jóias para a empresa da família.

- Seria maravilhoso, Jeon - Jin sorriu sendo abraçado pelo namorado.

- Certo - A senhora Jeon se pronunciou - Prossiga filho.

- Continuando. Nós vamos fazer uma coleção de ouro branco com diamantes cor gelo, já que é mais delicado, e discreto para o desfile de inverno - Indagou - E vamos fazer parceria com a Puma, Nike e Gucci.

- Isso me parece ser uma ótima idéia filho - O senhor Chung-hee, sorriu olhando para o filho.

- Sim, e agora a melhor parte - Sorriu se olhando para mim, e me encarando. Senti uma corrente elétrica atravessar meu corpo. Eu sabia que vinha merda - Jiminnie, meu pequeno e lindo secretário - Sorriu beijando minha mão - Você quer ser nosso modelo?

- QUE? - Falei alto entrando em uma crise de tosse. Eu havia me engasgado com o café, era realmente constrangedor, mas nada comparado ao convite que eu havia acabado de receber.

- Você está bem querido? - A senhora Jeon me olhou preocupada.

- Tenta respirar, Jiminnie - Jin falava enquanto dava leves tapas em minhas costas.

- Eu já estou bem, obrigado - Suspirei por fim, me sentindo melhor - Que história é esse de modelo? Eu nunca fiz isso, e...

- Você seria perfeito - Jeon sorriu - Você é bonito, tem uma pele perfeita, sorriso perfeito, olhos bonitos, lábios chamativos, corpo na medida certa para modelo, só devia engordar um pouquinho, mas ok - Revirou os olhos - Mas você seria perfeito para a nossa nova coleção.

- Jeon - Respirei fundo, antes de continuar - Eu nunca fiz isso, entende? Eu nunca pousei nem para fotografía de família, eu não gosto de me sentir exposto, não gosto de chamar atenção.

- Sinto lhe informar, que você chama atenção por simplesmente respirar - Sorriu - Por favor, Park. Eu não vou deixá-lo muito exposto, eu chamarei os que eu confio, os que nós confiamos, e eu estarei lá, pra te auxiliar, e te ajudar, mas por favor, diz que você aceita!?

Suspirei, pensando na possibilidade. Eu poderia me dar bem, certo? Não seria tão difícil ficar fazendo poses para uma câmera, certo? Eu podia fazer isso, certo?

Não, eu não podia. Eu era extremamente tímido, sempre fui muito reservado, e ter essa exposição toda, de uma hora para a outra, sobre mim, era definitivamente complicado. Eu poderia ter muita atenção em volta de mim, meus pais sempre foram muito conhecidos na nossa cidade natal, adoravam fazer festas, sair com os amigos, e eu sempre preferi minha casa, minha cama, minha TV. Muita gente me dava atenção, puxava assunto, mas nunca foi recíproco. Respirei fundo novamente, por fim, olhando para Jeon, que me olhava atentamente.

- Ok - Soltei o ar, que ao menos havia percebido que segurava - Mas se eu me sentir desconfortável, eu paro, então tenha modelos em segundo plano.

- Claro - Sorriu, com seus dentinhos de coelho, o que fazia meu estômago revirar - Bom, agora a melhor pergunta - Sorriu acariciando a palma de minha mão esquerda com o  polegar - Quer ser meu acompanhante para o desfile?

- S-Seu a-acompanhante? - Arregalei os olhos encarando meu chefe, que tinha uma expressão risonha.

- É Park, você! - Sorriu - Você quer ser meu par?

- Ele quer - Seokjin murmurou, aceitando por mim.

Sorri minimamente para, Jeon, concordando com Jin, e aceitando a proposta.

- E quem sera o par da, Lisa primo? - Jisoo me encarou, em seguida, olhando para Jeon que suspendeu a sombrancelha esquerda.

Lalisa, ou Lisa, como era conhecida, era a ex namorada de Jeon, bom, eles terminaram porque houve boatos de que, Jeon, havia à traído, o que não passavam de mentiras, porém, a garota não pensou duas vezes antes de pegar suas coisas e sair da Coréia, deixando um Jeon, desiludido para trás.

- O que eu tenho a ver com ela? - Jungkook encarou a prima que tinha um sorriso cínico no rosto.

- Você não soube? - Sorriu maldosa - Ela irá voltar. Lalisa, a sua ex namorada, voltará, e estará presente nesse desfile, Jeon Jungkook. 

[…]

Eu estava cansado, meu corpo pedia descanço. Sentia as gotas de água quente cair, por sobre minhas costas, enquanto ambas faziam um tipo de "massagem" no lugar.

Depois do episódio com Jisoo, e saber que Lisa voltaria, eu disse que estava cansado, e precisava voltar.

Na verdade, por algum motivo, eu realmente havia me incomodado com a notícia de que a ex de Jeon voltaria. Falei que voltaria de taxi, Namjoon queria me trazer, ou mandar algum dos motoristas da mansão, até mesmo Jeon se manifestou, querendo pagar de bom samaritano, e querendo me trazer, mas neguei, por fim voltei de taxi, sem nenhum deles.

Terminei meu banho, indo em direção ao meu quarto. Pus apenas uma cueca, e uma calça de moleton, me deitando em seguida. Suspirei fechando os olhos, enquanto tentava não pensar em Jeon.

Meu celular vibrou no criado-mudo, estiquei minha mão até o objeto, pegando o aparelho em seguida.

Espero que tenha chegado bem.

Tenha uma boa noite, Park.

Jeon Jungkook.

Bloqueei o celular, fechando os olhos, e pegando no sono alguns minutos depois, ou talvez, horas.

Já era segunda-feira, novamente. Estava em minha mesa, Jeon estava em sua sala. Não havia conversado muito com o mesmo, depois do episódio na mansão dos Jeon's.

- Jimin - Fui tirado de meus devaneios, quando Jeon me chamou - Pode vir aqui?

Me levantei, indo para sua sala. Entrei vendo-o encostado em sua mesa, com os braços cruzados.

- Precisa de algo, senhor? - Perguntei pegando meu tablet para anotar o que precisasse. Vi Jeon se aproximar, e senti meu corpo se arrepiar por inteiro.

- Não sei - Puxou o tablet de minha mão, colocando em sua mesa - Parece que você ficou diferente comigo, depois daquele dia na casa dos meus pais.

- Impressão sua - Respondi firme, encarando suas órbitas negras.

- Tem certeza, Park? - Chegou mais perto de mim, me puxando pela cintura, enquanto encarava meus lábios.

- Sim - Sussurrei, sentindo sua respiração bater em meu rosto.

- Sabe - Mordeu os lábios, me puxando mais para sí, se isso fosse realmente possível - Eu queria muito fazer uma coisa - Passou seus lábios sobre os meus, lentamente, me causando arrepios, e fazendo com que eu instantaneamente soltasse um suspiro sofrego.

- Simplismente... - Coloquei minhas mãos em seu pescoço, puxando seu cabelo em seguida - Faça - Sorri mordendo o lábio inferior, antes dos mesmos serem atacados por Jeon.

Suas mãos grandes, e ágeis, me puxaram mais para sí, enquanto sua boca, e língua dominavam-me de uma forma intensa. Sua boca, tinha um leve gosto de menta com chocolate, o que me fazia não querer parar de prová-la.

Seus lábios eram tão macios, e pareciam se encaixar perfeitamente aos meus. Senti minha coxa esquerda levar um leve aperto, antes do mesmo, me dar um leve impulso, para que passasse minhas pernas por sua cintura.

Jeon, seguiu em direção à sua mesa, e me pôs sentado, enquanto ainda atacava meus lábios. Eu estava realmente amando aquilo, mas o ar estava nos fazendo falta, e mesmo contra minha vontade, tive que parar, antes que eu ficasse sufocado naqueles lábios incrivelmente deliciosos.

- Isso... foi... maravilhoso - Jungkook sussurrou, com a testa colada à minha, em seguida dando um sorriso sincero, que fez meu estômago encher-se de borboletas - Você é incrível, Park - Me puxou para um abraço apertado. Por algum motivo, parecia que algo, ali, bem ali dentro do meu peito, havia acabado de ser colado, e encontrado sua última peça, como se fosse um quebra-cabeça, de cinco mil peças. A última, e mais importante, havia sido colocada no lugar correto.

Ouvimos batidas na porta, e nos afastamos.

- Entre - Jeon murmurou, assim que eu desci de sua mesa, e arrumei minha roupa.

- Licença - Jackson, nosso fotógrafo e melhor amigo, entrou na sala, com seu típico sorriso contagiante - Não queria atrapalhar a pegação, nem nada, mas eu preciso de um certo alguém para minhas fotos.

Senti minhas bochechas esquentarem, e instantaneamente, fui para o lado de Jackson, puxando-o para fora. Eu sabia, que meu amigo podia ser bem inconveniente as vezes.

Fomos para o estúdio, e me troquei para dar início as primeiras fotos do dia.

As próximas duas horas, foram seguidas de troca de roupa, maquiagem, e fotos. Diversar poses, para em seguida, mais roupa, mais maquiagem, e mais poses. Foram somente 10 looks, mas o suficiente, para me deixar cansado.

Quando finalmente tivemos um descanço, eu agradeci mentalmente aos deuses.

- Estão ficando ótimas - Wang murmurou enquanto sentava-se ao meu lado, e olhava as fotos em sua câmera - Você leva jeito.

- Obrigado - Murmurei envergonhado - Onde está Bambam? Não ô vi ainda - Murmurei querendo mudar de assunto, o que pareceu funcionar, porém sua expressão triste, me incomodou.

- Não faço idéia - Suspirou se jogando na poltrona ao meu lado - Nós discutirmos ontem, e ele não me atende dês de então, eu sei que fiz merda, que falei demais, mas eu to arrependido.

- O que houve entre vocês? - Perguntei encarando o mesmo, que parecia magoado - Vocês estavam tão bem, parecia tão felizes.

- A culpa é toda minha - Suspirou - Nós nunca entramos definitivamente em uma relação, entende? - Confirmei - Nós ficávamos sério, mas nunca foi de fato, um namoro, o Bam sempre foi muito amoroso comigo, dês de que nos conhecemos, e quando ele disse que gostava de mim, eu mandei a real pra ele, eu disse que eu gostava dele, mas não nesse sentido, que ele era um puta irmão, e ele entendeu, eu até propus, que nós ficássemos mas sem namoro, que com o tempo, talvez, eu pudesse começar a gostar dele, e ele aceitou. O problema, foi que eu sempre gostei de sexo sabe? Com o Bam, nunca foi problema, ele sempre foi muito "disponível" quando eu queria, ele sempre me apoiou e tals, e quando eu propus sexo a 3, ele mesmo retulante, aceitou, e foi quando eu conheci o Mark, ele mesmo não gostando muito da idéia, aceitou e até curtiu, mas ele estava se sentindo inseguro, ta compreendendo? - Balancei a cabeça, concordando, enquanto comia uma uva, entre as diversas que haviam no cacho em que segurava - Ele veio falar isso comigo, me explicou que ele não estava gostando dessa aproximação minha com o Tuan, mas eu afirmei que não tinha problema nem nada, e mesmo assim, continuei saindo com o Mark, sem ele saber, claro, mas ele descobriu, e veio tirar satisfação, e eu acabei falando, que ele não podia reclamar, porque ele não era nada meu, era só mais um ficante, e ele saiu da minha casa chorando. Chorando Minnie. Tem noção disso? Sabe como eu me senti quando eu vi ele chorar? Eu fiquei puto comigo mesmo, quando o babaca do ex dele traiu ele, que ele quase entrou em depressão, eu disse, que se algum filho da puta fizesse ele chorar, eu ia socar a cara do desgraçado, e o que eu fiz? Eu fui um filho da puta, Minnie.

Eu queria muito dizer que não foi culpa dele, e tudo mais, mas eu sabia que não ia adiantar, e o Jackson nunca foi o tipo de pessoa, que precisa, ou pede conselhos amorosos, ele só gosta de desabafar, e ver o ponto de vista das pessoas. Eu imaginava onde Bambam poderia estar, eu só esperava que ele não estivesse lá, era difícil ver a situação do garoto à minha frente, ele que sempre foi tão animado, alegre, divertido, e espontâneo, estava prestes a chorar, por ter feito seu ex-quase namorado chorar.

- E agora, ele se quer me atende - Falou por fim fechando os olhos enquanto colocava sua cabeça em meu colo - Ele me odeia, Minnie?

- Não, ele não te odeia - Murmurei mexendo em seu cabelo - Ele te ama, e não te odiaria do dia pra noite, ele deve estar triste, magoado, ferido, mas não com ódio. Dê um tempo pra ele, eu sei que ele precisa pensar, e nada que você fizer agora, vai adiantar. Eu vou ligar pra ele, ver como ele está, e te dou notícias, mas agora, o que você pode fazer, é esperar ele te perdoar.

- E se ele não me perdoar? - Se sentou me encarando - E se ele decidir ficar onde ele está pra sempre, e nunca mais olhar na minha cara?

- Você ama ele, Jackson? - Encarei suas órbitas negras, que pareciam apagadas.

- Eu gosto dele, Minnie - Deu de ombros.

- Então não se preocupe - Indaguei - Ele vai voltar, mesmo que seja pra ficar com outro, mas ele vai te perdoar, e vocês voltarão a ser melhores amigos.

- Que outro o que caralho - Me encarou já se levantando - Você sabe de alguma coisa? Ele ta ficando com outro enquanto fica comigo?

Sorri vendo seu ciúmes. Jackson o amava, mesmo não admitindo. Ele era um apaixonado, que prefere não se entregar, o mesmo já foi apaixonado por Namjoon, e mesmo assim, preferiu não se pronunciar, e ajudou o mesmo, com Jin, e mesmo amando Nam, ele nunca influenciou, ou falou mal de Jin para se dar bem, ele simplismente quis ver a felicidade do ex amado.

- Você ama ele Jack - Sorri segurando o mesmo pelos ombros - Você apenas não assume isso para sí mesmo, talvez, quando você olhar para essa situação toda, e assumir que ama o Bambam, assim como ele te ama, isso fique bem mais fácil. Mas vamos voltar logo, eu só quero terminar essas fotos, e ir pra casa dormir. Esse dia ta corrido demais pro meu gosto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...