História Meu chefe - Yaoi - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Beleza, Comedia, Empresário, Engraçado, Gay, Hentai, Homossexualidade, Yaoi
Exibições 39
Palavras 1.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Propostas de emprego


Nos capítulos anteriores...

"Ryan fica bravo ao perceber que Richard estava tendo relações com uma mulher e resolve fazer parte de uma festa para esquecer seus problemas, porém, ao chegar lá, ele é barrado por um segurança que tenta o expulsar e Richard impede falando que a festa era sua."

- Ryan? - A voz de Richard sussurrou surpresa.

- Ri-Richard? - Gaguejo.

- O que está fazendo na minha festa? - O empresário pergunta, surpreso.

- E-essa festa... É tua? - Respondo-o com uma pergunta.

- Sabe, se eu faço a pergunta, você tem que me responder e não revidar com outra. - Ele fala incomodado.

- Ah, des-desculpe. - Eu tento fazê-lo me perdoar. - Eu só queria me divertir um pouco. - Olho para ele, corado. - E você parecia estar bem satisfeito.

- Uh? Satisfeito? Com o quê? - Ele parecia estar surpreso. Mas que cara-de-pau!

- VOCÊ ESTAVA TRANSANDO, NÃO ESTAVA? SUPONHO QUE SEJA UMA PUTA! - Gritei, eu já estava exaltado.

- Ah, a Nicolly? Provavelmente. Foi só uma rapidinha. E, aliás, por que está tão incomodado?

- E-eu? Não estou incomodado. - Olhei para o chão e disse baixinho.

- Não é o que parece. Se não estivesse incomodado, por que gritaria comigo? Não compreendo. - Ele falou numa calma inimaginável.

- Foda-se. Você não precisa entender. - Tentei disfarçar o choro que estava por vir.

- Ei... Você tá... Chorando? - Ele me olhou com pena.

- Não! Foi só um cisco. - Soltei umas das minhas últimas palavras antes de sair daquele estabelecimento. - Passar bem, Sr. Richard. Com licença. - Saí do local, chorando.

Eu estava com uma tristeza imensurável e estava muito frágil também. A maneira como ele me tratou apenas me ajudou a me apaixonar ainda mais por aquele homem. Talvez se ele tivesse sido um babaca ou houvesse me tratado de maneira diferente, eu esqueceria dele. E... Me "desapaixonaria" dele... Se é que isso é possível.

Cheguei em casa e capotei em minha cama.

[...]

Esfrego levemente os olhos com o lado oposto à palma de minha mão e dou lento bocejo. Me espreguiço e dou uma olhada em meu celular. Como não havia nada demais, eu rapidamente fui até meu computador checar alguns e-mails. E para minha surpresa, eu havia recebido e-mails de 4 empresas. É, parece que eu tenho um perfil aceitável.

"G-Ray games"... Hm, interessante. Mas vou descartar, até porque eu não sou muito de trabalhar com jogos, prefiro jogá-los apenas.

"Runy Shoes" Legal, até. Entretanto, não pretendo trabalhar com sapatos. Vou deixar como segunda opção.

"Star Shirt" Uma loja de roupas parece uma opção bem interessante! Acho que será aqui que irei trabalhar. Mas antes, vou checar o último e-mail que eu recebi.

"Pepper" C-A-R-A-L-E-O! É a empresa de preservativos e brinquedos eróticos onde o Richard trabalha! Eu deveria trabalhar aqui... Mas eu estou puto de raiva com este retardado de olhos esverdeados.

Depois de checar todos os e-mails que eu recebi, resolvi tomar algo. Ainda era cedo, mas uma breja sempre vai bem, não é? Fui em direção à geladeira e peguei minha cerveja. Abri aquela latinha com água na boca e me deliciei aos poucos. É incrível... No começo eu odiava a cerveja, achava que tinha um gosto péssimo, mas agora... Não vivo sem. Será que a mesma coisa se aplica aos humanos? Esquece. Eu odeio Richard e sempre vou odiar! Não posso compará-lo com uma cerveja! Aliás, a cerveja é bem melhor que ele. ( Tem hora que até eu sinto raiva desse retardado ).

[Richard]

Mandei um e-mail para o tal Ryan. O perfil dele é ótimo, afinal! Tem boas experiências com outras empresas e é novinho, além de ser solteiro. Suponho que ele possa ser o garota propaganda da empresa. E, quem sabe, posso fazer umas brincadeirinhas com ele. Podemos ser bons amigos, entretanto, ele... Sentiu ciúmes de mim? Porque quando ele veio falar comigo em minha própria festa, ele falou de uma mulher. Deve ser aquela garota que estava dando em cima de mim na festa.

Bem, fazer o que se todas as mulheres me desejam?!

Abro o Notebook na esperança de ter recebido uma confirmação de e-mail que Ryan irá trabalhar comigo. Porém, não vejo nada. Enfim, logo, logo ele confirmará, talvez ele só não tenha acordado ainda, o que eu acho muito difícil, pois já vão dar 10h da manhã. Hoje é meu dia de folga, portanto, vou aproveitar.

Algo me chamou atenção neste tal de Ryan... Talvez eu tenha achado ele legal e nada mais. Ou quem sabe eu tenha achado ele bonit... Quer dizer, elegante. Não! Isso está fora de cogitação. Aquele garotinho esnobe se acha. E ainda por cima pensa que eu pertenço à ele! Vou mostrar quem pertence à quem para esse mimadinho de merda.

[...]

Bom, de acordo com o currículo dele, é aqui que ele mora. É uma casa bonita, até. Quase tão bela quanto meu apartamento de vista para o mar. Olho para o portão e vejo que está aberto. Que cara descuidado! Certamente ele pode ser roubado. Se bem que... Estamos num país calmo, quase não acontece roubos ou furtos por aqui, aliás, quase crime nenhum! De qualquer forma, deixar o portão aberto não deixa de ser perigoso!

Entro devagar e chego até a porta. Do jeito que ele é descuidado, a chave deve estar embaixo do tapete ou perto da planta. É, mais uma vez eu adivinhei! Levanto o tapete e pego a chave da porta, que por um milagre, estava trancada. Destranco e já vou entrando no lugar, sem mais, nem menos!

Vou andando pela casa de Ryan e, ao mesmo tempo, vejo os objetos que ele tem e como é a casa. Era realmente um lugar muito bonito, não posso negar. Eu estava com uma sede imensurável, por isso decidi dar uma olhada em sua geladeira. Abri e visualizei várias latinhas de cerveja. Pelo menos uma coisa em comum, além dos olhos. Ele também gosta de cerveja!

Enquanto eu abro a latinha, já vou agilizando o trabalho e continuo procurando-o. Até que cheguei num local onde havia duas salas, divididas por uma parede de vidro nem tão espessa. Olhei para um lado da sala e vi que haviam vários aparelhos para exercício e do outro lado tinha uma espécie de "local dos descanso" com um sofá e uma TV bem grande, por sinal. Aquela era uma das partes laterais da casa, pois havia outra parede de vidro, que dava vista para o jardim dele.

Termino minha breja e continuo a vasculhar. Estava achando tudo aquilo lindo! Como ele pode ter uma casa tão bonita? Finalmente eu o encontro e... Ele está...

[Continua...]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...