História Meu Chefe - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Tags Drama
Exibições 181
Palavras 2.074
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente mil desculpas pela demora :(

Espero que estejam bem, e boa leitura *-*

NÃO ESQUEÇAM DE LER AS NOTAS FINAIS! :}

Capítulo 48 - Capitulo 48



 

  Ouvi ele se mexer levemente e grunhir baixo, provavelmente por eu estar o sufocando. Afrouxei o meu abraço e o fitei, sorrindo amarelo por ter o apertado.

- Desculpe. Mas é que eu estava muito preocupada, estou muito feliz por você ter despertado.

Disse pegando em sua mão e dando um leve aperto, meus olhos lagrimaram, finalmente ele acordou.

- Tudo bem.

Ele olhou ao redor, franzindo o cenho, com certeza não estava entendendo nada, talvez nem se lembre do ocorrido.

- Você deu entrada no hospital há dois dias, sofreu um acidente em uma rodovia próxima daqui durante o caminho do meu apartamento. Dom! Nunca mais faça isso, você quase perdeu sua vida, tanto você quanto o Nicholas, eu fiquei muito assustada.

Disse já lagrimando.

- Não chore amor, me desculpe. Mas quando eu soube da bomba eu não pensei direito, eu só queria proteger você e te tirar daquele apartamento. Pelo visto a bomba era falsa não é?

Dom diz tentando ficar sentado na cama, mas eu o impeço.

- Sim, era falsa. Malditos adolescentes...eu te desculpo. Mas agora ao se esforce, você acabou de despertar, preciso chamar o médico para lhe examinar.

Digo já me levantando, e ele apenas me acompanha com os olhos.

- Já volto.

Ele assentiu e eu saí do quarto a procura do médico. Assim que cheguei em sua sala, bati na porta e logo foi autorizada a minha entrada. Entrei e vi o médico anotando algo em sua caderneta.

- Olá, desculpe incomodar, mas eu vim avisar que o Dom acordou.

Sorri ao dizer, eu estava muito feliz por isso, é não via a hora dele sair desse hospital.

- Acordou? Que maravilha. Vamos lá então, vou examina-lo.

O doutor diz e nós saímos seguindo para o quarto. Ele entra no quarto, e sorri para o Dom.

- Vejo que acordou. Sente alguma dor?

O médico indaga e o Dom nega.

- Bom aparentemente está tudo ok, mas irei solicitar alguns exames, mas se tudo ocorrer bem, acredito que em alguns dias você terá alta.

O médico diz e se retira do quarto. E o Dom sorri com o que o médico diz.

- Viu? Espero que esteja tudo ótimo com você, pois não vejo a hora de sair daqui.

Digo sentando na beirada da cama o fitando, mordendo o lábio inferior.

- Você é muito ansiosa, mas eu também quero sair, o cheiro de hospital não me agrada. Mas Mary, me diga, o que te incomoda?

Dom pergunta direto como sempre, será que não dá para esconder nada dele?

- Está tão na cara assim?

Indago.

- Sim, eu já memorizei todos os seus tiques nervosos. Diga!

Inquiriu, sem chances de que eu pudesse me desvencilhar disso, eu não estava querendo contar agora sobre George e Samanta, mas pelo visto ao tinha jeito. Suspirei e voltei para olhá-lo, mas logo olhei para o chão, pois não queria olhá-lo enquanto dizia.

- Durante o tempo que você ficou em coma, eu tive alguns encontros inesperados com George e Samanta. No primeiro encontro, eu me descuidei quando eu fui marcar o pré-natal e George acabou ouvindo e descobrindo sobre a minha gravidez e me acusou do golpe da barriga, no segundo, não foi totalmente um encontro, eu vi George com Samanta e me escondi para ouvir a conversa deles, e na conversa George contou a ela sobre a minha gravidez, e ela disse que iria fazer de tudo para tirar o bebê de dentro de mim.

Disse de cabeça baixa, mas logo levantei quando senti a mão do Dom tocar o meu queixo e levantar. Eu estava com um enorme medo do Dom não acreditar em mim, mas ao vê-lo com a cara fechada e maxilar trincado e ao mesmo tempo com um olhar carinhoso para mim, eu vi que ele não desconfiaria de mim.

- Olhe para mim. Não tenha medo, você sabe que eu confio em você de olhos fechados e eu sei o irmão que eu tenho, George sempre foi assim ambicioso e ganancioso e sempre teve repulsa com pessoas de classes inferiores, e eu odeio isso nele. Mas não se preocupe, eu não vou deixá-lo nem ele e nem aquela mulher encostar um dedo em você.

Ele se ajeitou e se sentou, me olhando fixamente. Seus olhos transmitiam segurança, e eu estava quase me agarrando em suas palavras e me entregando a isso.

- Eu confio em você. Obrigada, mas ainda estou com muito medo, Alicia até me convidou para dormir na casa dela enquanto você estiver aqui, pois tenho receio que eles possam ir até a minha casa.

Digo segurando em suas mãos.

- Vá com ela, será melhor. Enquanto eu estiver aqui não poderei lhe proteger, mas não se preocupe, irei ligar para o Mike e ordenarei que ele fique como seu segurança até eu sair daqui. Ninguém, Mary olhe pra mim, ninguém irá tocar no que é meu.

Sua voz soou firme, grave e extremamente rouca, parecia que ele estava contendo a raiva no seu interior. Eu assenti sorrindo levemente agradecida.

- Obrigada, me sinto mais segura, e ficarei mais ainda quando você sair daqui.

Digo e ele sorri logo me puxando para mais um abraço apertado.

(...)

Já havia se passado quatro dias desde que o Dom acordou, e depois que saí de lá tinha decidido que iria ficar dormindo na casa de Alicia, na maior parte do tempo eu ficava com ela na casa conversando, saia apenas quando achava necessário, para visitar o Dom e para ir para a minha consulta - essa que descobri que a minha gestação está saudável e o bebê está muito bem -, o médico do Dom também me disse que segunda ele já estará tendo alta, e quando ouvi isso meu coração se aliviou do aperto. Desde então, eu não havia mais cruzado com o George ou Samanta. De vez em quando eu via o Mike do outro lado da rua de vigia na casa, com ele ali eu me sentia um pouco mais segura, mas o medo não tinha se dissipado de mim.

Nesse mesmo instante eu tomei um susto pelo toque do meu celular, esses dias eu estava tão aérea que qualquer coisinha eu me assustava. Peguei o celular rapidamente sem checar quem era e atendi.

- Alô?

Indaguei.

- Você não pode ficar se escondendo para sempre, uma hora você estará só, e será nesse momento que você se encontrará sem saída.

A voz do outro lado disse e logo desligou. Meu coração quase saiu pela boca, minha respiração começou a ficar ofegante, e minhas mãos trêmulas. Fui até a janela e não vi o Mike do outro lado da rua, Alicia tinha saído para fazer compras, e eu estava sozinha em casa. Peguei meu celular de novo e liguei para o Mike, mas só dava caixa postal.

Isso não é normal, Mike não sairia assim sem me avisar, será que aconteceu algo? Não! Droga, será que ligo para a polícia? Acho melhor esperar mais um pouco, talvez ele tenha ido comprar algo e já deve estar voltando.

Fiquei um pouco apreensiva, mas decidir esperar. Como já estava tarde fui me deitar.

(...)

No dia seguinte eu acordei com um pouco de dor de cabeça, talvez por não ter conseguido dormir direito, levantei e fiz as minhas higienes matinais. Fui até a cozinha e a Alicia já estava acordada preparando o café da manhã.

- Bom dia.

Disse.

- Bom dia Mary, dormiu bem?

Indagou.

- Não muito, mas me diz, você sabe se o Mike voltou a ficar de vigia ontem à noite?

Perguntei, estava ansiosa.

- Bom, quando eu voltei ele não estava lá.

- Que horas você chegou?

Perguntei.

- Por volta das 22h, por que?

- Estranho, umas 18h eu recebi uma ligação muito estranha e fui verificar se ele estava lá, e vi que também não estava, será que aconteceu algo?

- Espera, que ligação?

- Me disseram que não posso me esconder para sempre, que uma hora ou outra eu vou está sozinha e não poderei fazer nada.

Suspirei, essa ligação não tinha saído da minha cabeça.

- Que merda! Olha temos que levar isso a polícia e eles podem rastrear para saber quem fez essa ligação, e também para darmos queixa do sumiço do Mike, pois hoje de manhã ele também não está aí.

Alicia diz parando de fazer o que estava fazendo e me olhando apreensiva.

- Verdade, vamos a polícia e depois iremos ao hospital, Dom terá alta hoje, e com ele por perto teremos mais ideias. 

Alicia assentiu, e nos sentamos para comer. Depois disso nos arrumamos e fomos para a delegacia mais próxima. Quando chegamos, o delegado não estava ocupado, então não tivemos que esperar.

Dissemos tudo o que havia ocorrido, e entreguei meu celular para ele, o delegado disse que em breve ele ligará para o celular da Alicia para avisar quem estava por trás dessa ligação, então essa dois nossa deixa para sairmos de lá e irmos para o hospital, em questão de minutos nós chegamos, e entramos no hospital.

Alicia tinha dito que ia passar no Nick primeiro, pois ele iria receber alta também, então eu fui logo com o médico.

- Olá doutor.

Cumprimentei.

- Olá Mary, vamos lá, Dom já está pronto para ir. Vamos primeiro na recepção para você assinar a saída dele, e depois vamos ao quarto.

Assenti, e fomos na recepção, assinei todos os papéis, e logo voltamos para o quarto, Dom já estava pronto e assim que o vi sorrir.

- Bom dia meu amor.

Disse indo a seu encontro e dando um abraço.

- Bom dia.

Ele disse retribuindo o meu abraço e se levantou comigo ainda nos seus braços. Me soltei e peguei em sua mão.

- Sr. Solter, só quero lhe passar algumas recomendações, não se esforce muito nesses primeiros dias, e se caso você vier sentir qualquer coisa, venha direto para cá, ok?

- Sim doutor, obrigado por tudo.

- Disponha. Agora podem ir. Até.

O doutor se despediu, e nós acenamos de longe. Caminhamos juntos até a entrada e de lá vimos Kate, Nick e Alicia na entrada, provavelmente esperando por um táxi.

Nos aproximamos deles e só assim eles notaram a nossa presença.

- Hey cara, tá tudo bem? Oi pequena.

Nick falou com o Dom, e logo olhou para mim mais carinhoso, ato que não passou despercebido pelo Dom que logo fechou a cara. E eu sorri para o Nick.

- Estou bem.

Dom disse seco.

- Calminha Dom, só tenho olhos para Kate.

Dom bufou.

- Oi Kate. Oi Nick.

Disse para dispersar a tensão entre eles. Mas estava achando tudo aquilo divertido.

- Oi Mary.

Nick e Kate disseram em uníssono.

- Vamos, quero ir para casa.

Dom pegou nas minhas mãos me puxando para fora do lugar, e eu apenas me virei dando um rápido aceno para eles.

Dom assim que viu um táxi chamou, e entrou me puxando em seguida.

- Ei se acalme, foi só um gesto carinhoso da parte dele, não precisa ficar assim.

Disse tentando acalmar ele, que estava um pouco irritado.

- Eu estou calmo.

- Não parece.

- Eu só não gosto que ninguém fique de gracinhas com o que é meu.

E por um momento eu fico em silêncio absorvendo suas palavras. E logo sorri.

- Sou sua, sabes disso.

- Eu sei, mas mesmo assim não gosto disso. Mas mudando de assunto, você veio com o Mike?

Indaga. E eu o olho.

- Ele está sumido desde ontem à noite. Ontem recebi uma ligação anônima, que eles diziam que não dar para eu me esconder para sempre e que uma hora estarei só, então hoje eu e a Alicia fomos na delegacia já pedimos para rastrear e demos queixa no sumiço do Mike. Eu estou com medo, eu desconfio que George ou Samanta estão por trás disso.

Digo olhando para ele que estava de perfil, seus olhos estavam comprimido, sua mandíbula estava trincada.

- Rota 42, casa dos Solter. Vá mais rápido.

Dom mandou ao taxista mudar o trajeto, sua voz soou grossa e autoritária e esse lugar eu não conhecia, talvez fosse a casa do senhor David.

- Está na hora de tomar medidas, independente do George ser meu irmão ou não, ele irá pagar por tudo que ele está fazendo. Principalmente por tudo o que ele fez a você.


Notas Finais


Gente estou com uma fic nova; LOST, ela aborda assuntos sobrenaturais como bruxas, lobos etc. Se alguém estiver interessado visitem lá, e obrigada!

Link: https://spiritfanfics.com/historia/lost-7188591


Beijos gente, e prometo que volto antes do natal hahah <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...