História Meu coração é mais puro que meu passado. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Makai Ouji: Devils and Realist
Personagens Personagens Originais
Exibições 2
Palavras 1.644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me desculpem a demora anjinhos...
Tive bloqueio de criatividade... Depois a escola e os problemas pessoais também não.facilitam
Mas agora estou de volta
Espero aí é gostem
Boa.leitura anjinhos
Bisous

Capítulo 2 - Nossa noite de Tanabata


Fanfic / Fanfiction Meu coração é mais puro que meu passado. - Capítulo 2 - Nossa noite de Tanabata

Aim POV'S On

Acordei numa cama de uma casa. Reparei que Uriel estava com a cabeça em cima de minha barriga e comecei a acariciar o cabelo dele.
Ele acordou é me encarou.

-Bom dia. -digo sorrindo.

-Você está melhor? -disse me abraçando.

-Sim.

-Ainda bem... Aquele idiota...

-Não faz mal. -digo sorrindo.

Nós nos levantamos e saímos para fora. Fomos em direção ao Colégio. Sitri veio ter connosco.  Sitri estava apaixonado por mim. Na verdade confesso que tinha o coração dividido porém o meu coração bate mais por Uriel. E se eu tiver que fazer a escolha, saberei a resposta.
Sitri também era um anjo, porém perdeu suas asas e se tornou anjo caído.
Ele é gentil e muito delicado. Tal como eu, ele não gosta de magoar as pessoas.

-Você vai ver o fogo de artifício desta noite? -disse Sitri.

-Fogo de artifício? Estão festejando o que? -perguntei confusa.

-Você esqueceu? É dia 7 de Junho. -disse Uriel me encarando sorrindo.

-Em sério? Adoro esse dia... Sim Nos estaremos lá. -digo sorrindo.

Sitri sorriu e se foi embora deixando um leve beijo na face o que deixou Uriel um pouco enciumado.

-Não fique assim... Só tenho olhos para você. -digo o beijando.

O mesmo cede ao beijou, me abraçando com tudo.

-Kevin... Finalmente achei você... -disse o descendente de Salomão vindo ter conosco, o que fez parar nosso beijo . - O que se passou? Você não foi dormir ao dormitório.

-Eu dormir com a Aim... -disse Uriel.

-Ainda não posso acreditar que vocês estão juntos... -disse colocando a mão em sua testa.

-Salomão... Você vê uma barreira entre raças, né? Fique sabendo que quando alguém ama, não ama pela raça... Mas sim pelo o que a pessoa é... -digo me abraçando ao Uriel, fazendo o mesmo esboçar um grande sorriso.

-Muito lindo isso tudo... Mas eu já disse que não sou o Salomão... Meu nome é William Twining... -disse o mesmo.

-Sim... Me desculpe... -digo.

-WILLIAM!!!! -disse um menino de cabelos vermelhos vindo ter conosco.

-Oh... Isaac?

-William... Olhe o livro que encontrei... -disse mostrando um livro. -Um livro sobre criaturas mágicas... Tem sobre tudo... Sobre fadas, elfos, duendes, anjos, demônios...

-Anjos e demônios? -perguntei.

Isaac acenou a cabeça.

-Posso ver uma coisa no livro? -perguntei.

-Claro, tome. -disse me dando.

Eu fui na secção dos Anjos e procurei o meu amado. Tinha muito pouca informação sobre ele, mas era suficiente para me fazer sorrir. Eu mostrei essa página para ele é o mesmo sorriu.

-Você gosta de anjos? -perguntou Isaac.

-Claro... E demônios também...

-Demônio são muito legais... -disse Isaac. -Seu anjo favorito é o Uriel?

-Claro que sim. -digo sorrindo. -Eu amo ele demais.

-Você é muito legal... Você sabe muito sobre anjos e demônios... O William não acredita nisso... -disse Isaac um pouco triste.

-Sei disso... Dantalion me contou. -digo olhando para William.

Sinto uma mão pousando levemente em meu ombro. Me viro e vejo Uriel.

-Aim... Você pode vir comigo a um lugar? -perguntou.

-Claro que sim... Você sabe que eu nunca digo não para você... -digo sorrindo.

Ele começou a andar para dentro do Colégio e eu o segui até uma sala. Quando ambos entramos, Uriel fechou a porta e trancou a mesma. Ele caminhou até mim, me encostando a parede.

-Aim... Não quero ver você falando com outros meninos... -disse enciumado.

-Uriel... Eu já disse que só tenho olhos para você... -digo beijando ele.

O mesmo cede ao beijo intensificando o à medida que os segundos passavam. Tivemos que parar o beijo por falta dar, mas o desejo que ambos tínhamos dentro de nos era tanto que fez celar nossos lábios outra vez. Uriel passou a mão por meus cabelos e descendo até meu ombro. Uriel, apertou o mesmo e separou nossos lábios.

-Não posso... Se eu continuar, não vou ser capaz de parar... -disse Uriel com uma expressão triste em seu olhar.

-É porque você é um anjo e eu um demônio, né? Me desculpe... -disse cabisbaixa.

-Não é sua culpa. -disse colocando.sua mão em.minha cara. -Você estava cega pelo amor...

-Sim... Ainda agora estou... Mas agora não consigo enxergar mesmo nada, para além de você... -digo sorrindo.

Uriel esboça de novo aquele precioso sorriso que eu tanto amo. Aquele sorriso perfeito que ele tem, que demonstra toda a gentileza e simpatia de seu puro coração.

-Você também é a única que eu enxergo, e sempre será... -disse Uriel passando seus dedos entre meu cabelo.

O sino toca e Uriel solta um suspiro profundo.

-Infelizmente, terei de ir. Tenho a missa agora. -disse.

-Mas tenho uma boa notícia para você... Ontem o professor disse que a hora de nossa missa iria mudar para de manhã... Por isso eu vou ver você. -digo sorrindo.

-Isso é bom, mas... Você não pode entrar na igreja, você lembra... -disse um pouco triste.

-Uriel... Eu vou até ao fim do mundo por você... É só uma hora... Tenho certeza que não me fará efeito nenhum.

Ambos sorrimos e fomos juntos para a Igreja. Uriel entrou primeiro, e eu fiquei esperando a turma. Quando todos estavam a porta da igreja, entramos pouco a pouco e nos sentamos nos bancos de trás.

-Me desculpe... Não posso ir sentar nos bancos da frente? -perguntei a meu professor.

-Não... Os bancos da frente são apenas para pessoas especiais. Só por você ser a filha do diretor, não implica poder fazer tudo o que quer... -disse um pouco zangado.

-Mas eu quero estar perto do altar...

-Para que? Você é alguma santa? Não me parece. -disse rindo.

Toda a turma riu. Eu bati o pé fazendo a madeira ranger. Uriel veio ao pé de nos.

-O que se passa senhor? -perguntou para o professor.

-Padre Kevin... Me desculpe pelo barulho... Minha aluna insiste em se sentar nos bancos da frente... -disse como se Uriel fosse concordar.

-Compreendo... Mas não vejo o porquê de ela não poder... -disse Kevin esticando a mão para mim.

Eu coloquei a minha mão sobre a sua e ele me acompanhou até ao primeiro banco. Eu me sentei e lhe dei um selinho, deixando o meu professor e a minha turma boquiabertos.
A missa começou e eu estive sempre atenta ao que Uriel dizia. Tinha passado 20 minutos e já me sentia estranha mas não liguei. Faltavam 20 minutos para a missa acabar e mal conseguia me manter acordada, já estava demasiado fraca, porém aguentei mais um pouco. No final da missa Uriel iria salpicar as pessoas com água benta, claro que ele não me iria molhar. Quando ele estava pegando a cruz para molhar na água benta, um rapaz de minha turma vem a correr e choca contra Uriel fazendo ele deixar cair a vasilha de água benta em cima de meu braço. Meu braço começou a queimar, me deixando ainda mais fraca. Uriel entrou em pânico e colocou logo um pano em meu braço.
Os outros acharam estranho o que aconteceu.

-Ela é o diabo... Vocês viram? Ela se queimou com a água benta. -disse um rapaz de minha classe.

-Claro que ela se queimou... Esta água está quente. -disse Uriel fazendo magia discretamente para me curar. -Olhe. -disse tirando o pano.

Não tinha o braço queimado, apenas estava um pouco vermelho. Isso fez todos se calarem e sentarem.

-Meu desculpe... Devia ter sido mais cuidadoso... -disse Uriel triste.

-Não se preocupe com isso... Estou bem. -disse lhe dando um beijo.

Ele cedeu por segundos e depois se separou aos poucos. Ele sorriu e continuou a dar o pouco que faltava da missa. Quando o sino tocou, todos se levantaram e fizeram um vênia a Deus e outra a Uriel. Todos menos eu. Eu fiquei sentada. Quando todos estavam indo embora, me levantei, porém me senti tonta e acabei caindo ao chão.

-Aim... -disse Uriel me apanhando a tempo.

Eu estava consciente porém não tinha forças para nada. A última.coisa que vi, foi Uriel me pegando ao colo, depois disso eu fechei os olhos e desmaiei.
Acordei num banco e já estava de noite. Uriel estava sentado a meu lado acariciando meu cabelo.

-Você já acordou... Você está bem? -perguntou.

-Sim... -digo me levantando devagar.

-Eu avisei que você iria ficar fraca... -disse.

-Sei... Me desculpe por não ter ouvido... Eu só queria estar perto de você...

-Não faz mal... -disse me beijando na testa. -Vamos para a frente da escola? Estão preparando tudo para a festa.

-Ah verdade... Me esqueci de novo que é noite de Tanabata... -disse. -Sou eu e você... Eu sou Orihime e você é Hikoboshi. -digo.

Ele sorriu e acariciado me cabelo. Uriel pegou minha mão e me puxou delicadamente para a parte da frente do Colégio. A decoração estava muito linda. As luzes iluminavam as árvores e as barracas que estavam em frente ao portão do Colégio. Havia muita felicidade e alegria e isso fazia com que houvesse uma espécie de magia no ar, o que fazia com que tudo parecesse saído de um sonho. Estavam oferecendo Kimonos para os alunos. Eu e Uriel pegamos um, cada um, e fomos nos vestir. Meu Kimono era rosa e preto com algumas flores vermelhas. Tinha feito o.penteado tradicional, porém o meu cabelo ainda ficava caindo, por causa do comprimento.
Uriel, chega ao pé de mim. Ele estava vestindo um Kimono azul e roxo listrado branco. Não era costume ver ele de Kimono, porém ele ficava muito elegante. Ele apanha meu cabelo e prende ele com um clip de cabelo em forma de pluma.

-Assim está melhor. -disse sorrindo.

Eu agradeci o presente e o beijei, o mesmo cedeu. Fomos juntos para a festa, e na Cultura do fogo-de-artificio, eu e Uriel dê mós às mãos e pedimos nosso desejo, pois nos tínhamos o mesmo, "Ficarmos juntos para sempre". Estávamos longe de saber que ele seria escutado pelo poder divino e concretizado pelo mesmo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado

O que será que vai acontecer a eles para que o desejo se torne realidade?

Descubram no próximo Cap.

Bisou anjinhos
E obrigado por acompanhar
Comentem por favor sua opinião


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...