História Meu coração escolheu você - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Vhope
Visualizações 24
Palavras 827
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie!! Bom, parece que a ser aqui tá com fogo na raba e não conseguiu aguentar a pressão e resolveu iniciar outra fanfic... Pois é.

Sim, eu sei que devo atualização da minha outra fic e podem esperar que o capítulo já está terminado, só falta mesmo corrigir qualquer erro e amanhã mesmo eu já atualizo!!

Fiquem aí com o prólogo que nas notas finais eu explico melhor isso.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Meu coração escolheu você - Capítulo 1 - Prólogo

 

O Kim arrumou-se novamente na cadeira ainda fitando a mulher que o encarava em desaprovação clara. Não sabia se ela estava achando que ele estava brincando consigo, ou se ela realmente não concordava com o que ele acabara de falar.

 

— Sr. Kim, por favor, eu não estou aqui para brincadeiras, o que está me dizendo não tem cabimento.

 

— Desculpe, Sra. Min, mas eu não estou brincando, é exatamente isso que ouviu.

 

Min He o analisou minuciosamente com os olhos semi cerrados. Queria encontrar um traço de insegurança nos olhos do outro, mas não encontrou.

 

— Tem noção da gravidade do que o Sr. quer? É uma responsabilidade imensa e, com todo o respeito, é apenas o Sr. para cuidar de dois adolescentes. Não duvido da sua capacidade, mas é necessário que esteja completamente seguro do que deseja.

 

O homem a encarou nos olhos. Seus olhos, por si só, já expressavam o que ele desejava. Estava ciente da responsabilidade. Estava ciente de que teria gastos a mais. Estava ciente que teria outras pessoas com quem ele deveria se preocupar. Mas isso não o abalou. Sua decisão estava tomada.

 

— Eu estou ciente de tudo e a minha decisão continua a mesma.

 

— Certo. Só me responda uma questão: acha mesmo que ambos os garotos te tratarão com pai? Como eu já disse, essa é uma decisão irremediável para ambos, se der errado irá ficar salvo na memória dos três envolvidos, o incluindo nisso.

 

Retirou os óculos de armação moderna que usava e os pôs sobre a mesa, ao lado de alguns papeis irrelevantes no momento. Quanto mais ela olhava nos olhos alheios, sentia como se ele não fosse mudar de ideia e isso a preocupava.

 

— Escute, o Sr. tem apenas trinta e dois anos, tão jovem, como acha que pode cuidar de um pré-adolescente de treze anos junto ao irmão de dezesseis? Não espera que eles lhe considerem como um pai, certo? É algo surreal. Pense no que os outros irão pensar. É estranho. Compreende?

 

Na mente de Min He aquilo não era algo que seria aceito em sociedade. Apesar de que em lei aquilo era válido, já que era necessário no mínimo dezesseis anos de diferença entre adotante e adotando, mas não era como se fosse comum de acontecer. Não era algo natural. Era completamente fora do padrão. Mal sabe ela que o Kim nunca gostou de estar dentro dos padrões.

 

— Sra. Min, eu só direi uma única vez. — Usou um tom rijo e seguro. Nada, nem ninguém, o faria mudar de ideia. — O que importa não é a idade e sim o sentimento. Se eu senti essa ligação com ambos os irmãos eu vou adotá-los, independente de tudo. Não me importo se eles irão me enxergar como pai, na verdade, eu pretendo ser como o irmão mais velho de ambos. A única coisa que me importa no momento é poder levá-los para o meu apartamento e cuidar deles da maneira que deve ser feita. Quero que juntos nós possamos formar a família Kim.

 

Aproximou-se — ainda sentado — da mulher, inclinando-se um pouco sobre a mesa de madeira. Fitou os olhos negros de Min He intensamente como se quisesse passar, de uma vez por todas, a mensagem de que nada o faria mudar de ideia. E finalizou convicto.

 

— Eu quero e vou adotar ambos os irmãos, nem que eu tenha de abrir um processo contra si por me impedir de adotar os meninos mesmo estando apto para tal feito.

 

Não estava blefando. Ele, como um dos melhores advogados de toda a Seul, sabia muito bem que impedir alguém apto o suficiente de adotar uma criança não tinha cabimento algum, e enfrentaria tudo para ter os dois garotos aos seus cuidados.

Min He não tinha outra escolha. Sabia que não o podia impedir, mas ainda achava aquilo tudo um equívoco por parte do outro. Mas também não facilitaria a vida do Kim. Ele teria de enfrentar uma das mais exigentes assistentes sociais de toda a Coréia do Sul.

 

— Pois bem, já que o Sr. tem certeza do que quer, só me resta iniciar o processo de adoção. Mas tenho que deixar claro que o processo não será rápido, como qualquer outro, demorará cerca de seis meses a dois anos, dependendo do decorrer de tudo. Bom, e nisso sabe que os garotos já estarão mais velhos quando finalmente forem morar consigo, certo?

 

— Eu estou ciente disso também, Sra. Min, e estou disposto a esperar o tempo que for preciso.

 

— Também está ciente que após esse período receberá a visita de uma assistente social escolhida por mim para acompanhar a adaptação dos garotos?

 

— Sim, e isso não me preocupa.

 

— Certo, a partir de hoje iniciaremos o processo de adoção de ambos os irmãos. — Informou. — Só espero que não se arrependa. Adoção é algo irrevogável.

 

— Saiba que estou fazendo isso justamente para não me arrepender.


Notas Finais


Bom, só pra deixar claro, não é algo como incesto, já que não são de linhagem sanguínea familiar, apenas adotados, e vocês vão saber quem adotou quem no próximo capítulo.

Os dois próximos capítulos vão ser como uma introdução ao relacionamento do Kim com os dois adolescentes. Vai contar mais como ele se afeiçoou aos outros.

Ah, e não é algo como pedofilia também não!! Não apoio pedofilia e isso ainda é crime! A idade dos garotos vai crescer rapidamente, eu diria.

Como se trata de uma short fic, vai ter algumas quebras bruscas de tempo, mas nada que prejudique a história, então, por favor, não desistam de mim!! <3

Foi isso, se eu lembrar de algo mais falo nas notas do próximo capítulo... Annyeong! :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...