História Meu Doce Desejo - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~protectiffany

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Jessica, Seohyun, Sooyoung, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Drama, Incesto, Snsd, Taeny
Exibições 640
Palavras 3.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


gostaria de pedir desculpas pela demora porque aconteceu uns bag ai e eu meio que não to podendo postar. Se alguém aqui lê Beautiful Suicidal saibam que vai ser atualizada o quanto antes, jamais vou deixar meu xodó de lado hehe

Capítulo 3 - Acquainted


Fanfic / Fanfiction Meu Doce Desejo - Capítulo 3 - Acquainted

Eu havia me esquecido como as reuniões de família deixavam meus pais felizes. Já fazia muito tempo desde a última vez que eu participei de uma, acho que na época eu deveria ter pelo menos uns dez anos, depois disso a família da minha prima se mudou para a Califórnia e eu fui para a reabilitação. Ainda era um pouco difícil ter que encarar de frente essa minha nova transição, onde eu finalmente vou poder aproveitar o restante da minha vida livre e solta por aí, perto da minha família novamente e consciente de que tudo o que aconteceu no passado não vai passar de uma triste lembrança daqui há alguns anos.

Estávamos todos almoçando felizes e conversando naquela mesa, exceto claro, eu.

Não, eu não estava triste ou sentindo qualquer sentimento que seja negativo á felicidade de estar com as pessoas que eu amo mas... O choque ainda estava percorrendo por mim. Nunca pensei em toda a minha vida que um dia eu veria a minha irmã casada, sei que isso pode parecer muita ingenuidade da minha parte afinal Tiffany já é uma mulher crescida, formada e adulta, óbvio que ela não ficaria solteira para sempre mas um casamento foi algo que realmente me pegou de surpresa. Deve ser porque eu e ela nunca chegamos a conversar sobre essas coisas, quando eu era criança a única preocupação de Tiffany era cuidar de mim e me fazer feliz, apesar de ela ser alguns anos mais velha e ter entrado na pré-adolescência mais rápido, tenho certeza que ela não falava comigo sobre garotos e namoros de propósito. Meus pais sempre a ensinaram que uma criança, deve ser criança até que o tempo não permita mais porém, se for olhar a minha situação anos atrás de um outro ângulo, eu fui obrigada a largar a infância para viver a base de remédios controlados e consultas psiquiátricas.

Conversa vinha e conversa ía, meus pais e meus tios estavam muito animados falando de faculdade, no meio daquele assunto todo eu acabei por descobrir que Jessica não foi para a faculdade logo depois de se formar no ensino médio porque optou por me esperar para que fossemos juntas. Aquilo não poderia ter me deixado mais feliz, tanto que abri um sorriso de ponta á ponta para minha prima que devolvia o sorriso igualmente. Vai ser ótimo tê-la ao meu lado na faculdade, uma vez que eu já me esqueci completamente como funcionam essas coisas de sala de aula e tudo mais, passei sete anos frequentando apenas quartos brancos e fechados como se eu fosse uma pessoa com algum tipo de doença rara e malignamente infecciosa, que estava em quarentena.

— Nós vimos a data certinha de quando começam as provas de admissão para a faculdade querida. Você quer tentar? — Minha mãe perguntou, fazendo a atenção de todos se dirigir á mim.

— Claro, se eu tentar eu acho que consigo! — Respondo casualmente e volto a saborear minha salada de legumes refogados.

— Você era uma das alunas mais inteligentes da sala Taeyeon, claro que vai conseguir e se duvidar ainda vai passar cola para mim. — Jessica comentou fazendos os demais darem risada. Se seus pais não soubessem que ela é o tipo de garota que é boa em absolutamente tudo o que faz, obviamente teriam a repreendido, mas meus tios sabem o potencial da filha e se deixaram ela me esperar para começarmos á estudar juntas, é porque sabem que ela tem grandes chances de passar nas provas sem problema nenhum.

— Do que você quer fazer faculdade, Taeyeon? — A pergunta dessa vez, veio diretamente do Seungri que até então estava apenas prestando atenção. Eu confesso que não sei como me portar diante desse cara, posso apenas ser educada e trata-lo bem por ser meu cunhado e marido da minha irmã mais velha, mas não posso simplesmente me sentir confortável com ele sendo que nem o conheço ainda. Sei que estou tomando uma atitude um tanto precipitada mas sou assim, preciso conhecer bem as pessoas antes de me considerar íntima delas. Com ele não vai ser diferente, é uma questão pessoal minha mesmo.

— Artes visuais.

— Oh, você gosta de pintura? — Ele parece ficar animado com a minha resposta. Acho que posso dar uma chance pra esse rapaz, sei que Tiffany não vai ficar feliz se eu, em algum futuro distante, não me dê bem com ele.

— Bastante, e você?

— Seungri é arquiteto Taetae, ele se formou em arquitetura mas depois fez o curso de artes visuais para expandir a experiência dele no ramo dos desenhos. — Escutar a voz de Tiffany me fez sorrir de canto, ela estava um pouco mais grave mas continuava com a mesma tonalidade suavez de sempre. Preciso me acostumar com ela.

— Arquitetura e artes visuais não são só desenhos Fany-ah... — Respondi fazendo bico. Artes é uma das matérias mais graciosas do mundo e deveria ser apreciada por todos, mas Tiffany claro, por não saber desenhar, sempre fez pouco caso da matéria. Tudo só porque ela é do tipo que prefere livros sem nenhuma gravura e escrever textos gigantescos.

— Vivo falando isso para essa cabeça dura, mas ela sempre age como se fosse a dona da verdade absoluta! — Seungri brincou com a esposa, óbvio que minha irmã não gostou pois ela odiava ser contrariada. Tá aí um dos grandes defeitos de Tiffany: achar que está certa o tempo inteiro.

— Mais uma gracinha e você dorme no sofá. — Todos riram claro, já o pobre Seungri ficou um tanto constrangido e só voltou ao seu estado divertido quando Tiffany lhe deu um selinho rápido antes de voltar á rir com todos na mesa. Papai precisava fazer um daqueles seu comentários “Essa dai puxou a mãe” e em troca, teve como resposta um belo “Com muito orgulho, eduquei minha filha direito. Ainda posso fazer as mesmas coisas que ela, viu?”

Pronto, todo o meu clima de tensão e choque pós descoberta que minha irmã mais velha já está casada, foram embora com o vento. Depois daquele almoço gratificante eu, mamãe, Tiffany e Jessica limpamos a cozinha enquanto meus tios foram dar atenção para a pequena Soojung que estava ameaçando de pegar no sono a qualquer instante. Papai e Seungri haviam saído para comprarem as sobremesas, comentei com eles que seria bom se trouxessem sorvete de maracujá pois era o meu favorito e meu cunhado logo se prontificou de que iria achar o meu sabor predileto nem que tivesse que dirigir pela cidade toda. Acho que minha primeira impressão do Seungri está se dissolvendo aos poucos, no começo fiquei tão surpresa com a notícia de que ele era o marido da minha irmã que meu cérebro automaticamente me fez pensar que ele não era uma pessoa legal, mas por que diabos eu pensei nisso? Até agora ele tem se mostrado ser muito gente boa, talvez seja apenas coisa da minha cabeça.

Certo?

 

-oo0oo-

 

Após terminarmos de limpar as coisas do almoço, fomos todas para o sofá da sala colocar algumas conversas de mulheres em dia, coisa que eu estava totalmente por fora só pelo simples fato de que: passei anos e anos tendo contato limitado com pessoas do mesmo sexo que eu, apenas Yoona era a única mulher quem convivia comigo naquele lugar então tudo o que me resta aqui é prestar atenção e torcer para entender alguma coisa.

— Sente aqui comigo Taeyeon. — Mal tive tempo de responder ou se quer olhar na direção da qual aquela voz havia me chamado, mesmo sabendo de quem era. Quando dei por mim, Jessica já tinha me puxado para o seu colo no qual eu cai sentada de lado para si, podendo observar de perto os traços belos de seu rosto. Eu ainda estou em completo choque com o modo de como Jessica havia crescido, o tempo só favoreceu ela, se antes quando minha prima era apenas uma criança birrenta e chorona, ela já tinha uma beleza inacreditável, imagina agora então que ela já está quase uma mulher em seus dezenove anos de idade.

— Não me lembro de vocês duas serem assim tão grudadas. — Minha mãe comentou em meio á um sorriso enquanto se sentava no sofá com o restante de nós.

— Oras, elas sempre foram próximas desse jeito. Não se lembra das vezes em que tive que te ligar porque Jessica estava chorando só porque queria dormir com a Taeyeon sempre que chovia forte? — Minha tia e minha mãe estavam prestes á iniciar um complô contra minha prima e eu, coisa que estava funcionando perfeitamente bem já que tanto eu quanto Jessica, estávamos vermelhas de vergonha. Mas nem por isso ela me soltou, só me fez se aconchegar mais ainda no seu colo.

— Ah bons tempos, devo ter muitas fotos de vocês duas dormindo juntas no tapete da sala! — É...

— Tá ok vocês duas já podem parar de fazer a gente passar vergonha. O que aconteceu no passado fica por lá. — Conhecendo bem Jessica Jung, creio que essa frase estava cheia de significados, talvez ela também esteja se referindo á mim ou talvez não, mas de todas as formas eu não me senti desconfortável diante daquilo nem nada do tipo. Obrigado Jessie!

— Até parece que você não vai mais correr pra minha cama com a primeira trovoada que der. — Provoquei e Jessica cerrou os olhos para mim, dando um forte tapa na minha coxa que me fez rir da sua braveza.

No meio daquela risada toda, notei que estava faltando a voz de alguém muito importante para mim. Apesar de ela estar ali conosco na sala, sentada em um dos sofás, nenhuma palavra de sua parte foi dita desde que saímos da cozinha. Tiffany estava quieta demais para o meu gosto, não escutei nem um sussurro se quer dela e acabei por me preocupar então, procurei seus olhos com os meus e quando os encontrei me encarando quase levei um susto. Ela olhava diretamente para mim, não soube dizer se estava séria ou irritada, qualquer coisa, mas seu olhar para mim era muito profundo e mesmo comigo olhando de volta, Tiffany não desviou seus olhos dos meus em momento algum. De repente, ela passou a olhar para os braços de Jessica circulando minha cintura, o que estava acontecendo com ela afinal? Parecia perdida, deslocada... Em algum lugar bem distante daqui. Será que minha irmã estava bem?

— Taeyeon, vá um pouco com a Tiffany ou daqui a pouco nós iremos nos queimar vivas com esse olhar dela. — Jessica, abusada como sempre, maldita mania que ela não perdeu pelo visto. Desde criança a Jung sempre foi debochada e cheia de querer intimidar os outros com suas investidas, pelo visto a nova Jessica ainda tinha fortes traços da antiga. Reclamei baixinho quando ela me empurrou de seu colo e eu saí cambaleando até chegar no sofá onde minha irmã estava, a mesma só acordou daquele transe esquisito quando me sentei ao seu lado.

— Está tudo bem Fany-ah? — Falei de forma que só ela escutasse. Sempre que Tiffany exibia aquele sorriso maravilhoso que só ela tinha, eu me derretia por dentro. Talvez seu sorriso, seja a coisa que eu mais amo na minha irmã no meio de várias. Sua mão procurou a minha e a segurou fazendo um carinho com o polegar, sempre que ela fazia isso era com a intenção de me acalmar ou de me distrair.

— Está sim, meu anjo. Por quê?

— Você me parecia um pouco perdida...

— Só estava pensando, nada demais.

— Pensando em mim? — Respondi brincando, me referindo ao fato de ela estar olhando feito um predador á dois minutos atrás.

— Sim, eu estava pensando em você Taetae. — Claro que eu não esperava que essa fosse a resposta mas né? Me ajeitei no sofá e por sorte, minha mãe, minha tia e Jessica estavam muito entretidas conversando sobre a Krystal para escutarem minha conversa com Tiffany.

— E no que você estava pensando?

— Em como você cresceu, está tão linda... — Ela colocou uma mecha do meu cabelo para trás da minha orelha e desceu sua mão pelo meu rosto. — Sempre soube que você ficaria maravilhosamente bonita quando crescesse Taeyeon, eu só não imaginava que seria tanto assim. Veja só, seu rostinho de bebê continha intacto mas por outro lado...

— Por outro lado...? — Incentivei que ela continuasse de onde parou, estou interessada para saber o que exatamente ela esta pensando de mim.

— Chegamos!

Escutei a voz de Seungri ecoar pela sala, isso fez com que eu me afastasse de Tiffany um pouco e nós duas encarássemos sua figura adentrando a sala junto com o meu pai. Os dois carregavam algumas sacolas de mercado e meu cunhado parecia estar animado, ele olhava para mim com um sorriso e tanto, fiquei me perguntando o que poderia ter deixado ele tão feliz assim?

 — Querida, Seungri achou o sorvete que você queria e lhe comprou um pote. Venha comer! — Papai disse.

Estranhamente, precisei fingir uma animação para isso sendo que assim que os dois saíram eu já estava me imaginando provando meu sorvete favorito e me deliciando dele. Agradeci ao Seungri por ter comprado o sabor que eu queria, ele me disse que precisou rodar por alguns bairros até achar uma sorveteria que vendia em pote. Todos nós voltamos para a cozinha para nos servirmos das sobremesas que eles haviam comprado, tinha pudim, sorvete, tortas e caldos, Jessica só faltou chorar de emoção ao ver que tinha bolo de brigadeiro que por acaso, era o seu favorito. Certa vez, minha mãe a chamou para dormir comigo num final de semana chuvoso, ela não queria sair do quarto por nada, estava morrendo de medo dos trovões então precisou eu descer até a cozinha e pedir para mamãe preparar o bolo que ela gostava, foi questão de dois segundos para ela descer até a cozinha e só sair de lá depois de devorar quatro pedaços de bolo.

Eu pretendia voltar para a sala com todos os outros ou ficar ali na cozinha assim que enchi minha tigela de sorvete, mas acabei sendo puxada por Jessica que gritou para os nossos parentes um “nós vamos lá para cima” e me levou pela mão escadaria á cima até chegar ao meu quarto. Ela fechou a porta quando eu já estava sentada na cama com cara de Nada e sem saber o que foi aquilo. Talvez o tempo tenha deixado Jessica mais desajustada das ideias do que ela já é.

— Taeyeon, queria conversar com você um assunto que não passou despercebido por mim. — Ela disse ao se sentar ao meu lado na cama.

— Oh claro, o que seria?

— Durante o almoço, até tocarem no assunto da faculdade você ficou muito quieta. Tinha alguma coisa te incomodando? — Jessica era inacreditável, em muitos sentidos. Não tinha nada de suspeito que pudesse passar pelos olhos dela sem ser notado, ela percebia tudo e sempre tirava satisfação se fosse do seu interesse. Comigo não seria diferente, principalemente comigo.

— Bem... — Olhei para o lado, já pensando em tentar desviar o assunto ou simplesmente dizer que não tinha nada. Mas quem disse que eu conseguiria?

— Taeyeon, não adianta tentar esconder as coisas de mim. Você sabe que tenho meios dolorosos de te fazer dizer á verdade. — É, eu perdi.

— Não era nada demais Sica, é só que eu... Fiquei um pouco surpresa com a Tiffany sabe? Não imaginava que eu chegaria aqui e a encontraria casada.

— Ah, então é isso? — Jessica soltou um risinho descontraído, parecia ter relaxado visivelmente. — Não gostou do Seungri?

— Não, não é isso. Eu só fiquei um pouco surpresa demais. O Seungri parece ser um cara legal. — Fiquei pensativa por alguns instantes, mas logo fiz a pergunta que estava martelando na cabeça. — Quando eles se casaram?

— Pouco depois do meu aniversário de dezessete anos, decidiram se casar depois porque eles iriam entrar em lua de mel e perder minha festa. — Ela respondeu, parecia tranquila com o assunto todo.

— Hum, Tiffany deveria ter ficado linda em um vestido de noiva. — Sorri ao imaginar minha irmã se casando, em um vestido branco e comprido, com véu e tudo mais.

— Ela ficou maravilhosa, quando Tiffany entrou na igreja eu não sabia se chorava de emoção por ela ou por causa do vestido, era coisa mais linda de todas.

— Ela ainda estudava quando eles começaram a namorar? — Jessica começou a pensar, parecia estar tentando se lembrar para poder me responder.

— Hum, sim! Me lembro bem que ela estava no primeiro ano na faculdade quando apresentou o Seungri para nós no jantar de natal. — Ela parou por um minuto apenas para comer um pedaço de bolo e depois continuou. — Tiffany começou a faculdade no ano seguinte depois que terminou o colegial, por ela ter escolhido cursar direito, foi rápido para terminar. Ela estava com vinte e quatro anos quando Seungri á pediu em casamento no primeiro dia do ano, os dois se casaram em Las Vegas alguns meses depois como te falei.

— Uau... — Com base no que Jessica está me falando, acredito que Tiffany pode ter mudado um pouco seus gostos e tudo mais. Um casamento em Las Vegas seria uma coisa um tanto... Extravagante? Exótica talvez, mas achei bem diferente. No entanto, eu ainda tinha algumas dúvidas sobre o Seungri, mesmo ele se mostrando uma ótima pessoa. Sempre fui do tipo que confia desconfiando então não é nada pessoa com ele. — Ele é uma boa pessoa, certo?

— Acho que não sou a pessoa certa para te dizer isso com certeza porque foram poucas ás vezes que eu o vi, claro que nos conhecemos mas não convivo com ele da mesma forma que seus pais por exemplo, convivem. Afinal sou apenas a prima de vocês duas.

— Pra mim, você é como minha segunda irmã. — Jessica sorriu e encostou sua cabeça no meu ombro, nos ajeitamos na cama e ficamos ali juntinhas observando o céu ficar cinzento, indicando que uma chuva estava prestes á vir.

— Se chover forte hoje, vou dormir aqui. Não quero nem saber. — Seu comentário quase me fez engasgar com o sorvete de tanto que eu dei risada, eu sabia que final das contas minha prima continuava medrosa quando se tratava de trovões em dias de chuva, Jessica nunca iria mudar esse medo bobo. Quando nós duas éramos crianças, esse medo dela era pior ainda, acredito que ela possa ter tido algum acompanhamento psicológico para cudiar disso porque minha tia já chegou a madrugar acordada com minha prima, porque ela não conseguia dormir de jeito nenhum e aquilo estava afetando sua saúde drasticamente.

— E a Krystal?

— Eu poderia tentar convencer a mamãe de deixar ela aqui comigo mas dúvido que eu consiga. Nós duas competimos demais para ficar com ela.

— É engraçado te imaginar assim sabia? — Acariciei o topo de sua cabeça.

— Aish por quê?

— Quem não te conhece até pensa que você      é essa doçura toda.

Foi então, que Jessica pegou o meu pote de sorvete e colocou junto ao dela no criado do mudo. Ela me olhou e segundos depois me atacou, com direito á subir em cima de mim e tudo mais, me fazendo cócegas e me mordendo. Essa era a minha prima, a que eu conhecia tão bem quanto ela me conhecia, a que eu amava muito!

— OMO, PARE COM ISSO! — Gritei em meio á várias risadas, minhas e dela mas parecia não adiantar nada. Quanto mais eu protestava, mais aquela praga me atacava.

A porta do meu quarto abriu com um pouco de força, revelando uma Tiffany surpresa com uma expressão levemente assustada. Isso não fez Jessica sair de cima de mim em momento algum, na verdade, ela até se ajeitou na minha cintura para arrumar seu cabelo.

— Jessica, seus pais estão lhe chamando lá embaixo. Você também Taeyeon, venham. — Tiffany sorriu e saiu do quarto logo em seguida. Estranho esse comportamento recatado dela.

— Vamos logo, ou ela volta aqui e nos puxa pelos cabelos!

Saímos do meu quarto e descemos para sala onde todos estavam reunidos. Tiffany estava sentada ao lado de Seungri e parecia estar forçando uma expressão feliz, o que aconteceu com toda a empolgação dela quando me viu?

Eu fiz alguma coisa errada?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...