História Meu doce ômega - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Abo, Hopega, J-hope, Lemon, Romance, Short Fic, Suga, Yoonseok
Exibições 115
Palavras 2.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiie!
Gente, queria agradecer pelos comentários e pelos favoritos! Pra ser sincera, eu não esperava que alguém fosse realmente gostar da fic e ver as pessoas comentando e favoritando me deixa muito feliz, sério ^^
Enfim, boa leitura e desculpa qualquer erro

Capítulo 4 - Maça verde


Fanfic / Fanfiction Meu doce ômega - Capítulo 4 - Maça verde

Depois de mais algumas rodadas de jogo, os garotos deixaram a garrafa vazia de lado e passaram a esvaziar algumas garrafas.

Yoongi era o que mais bebia, acabando com toda a razão e sanidade que tinha. Enchia seu corpo de bebidas amargas para aquecer seu interior e afugentar todas as memórias que tinha de Hoseok. Queria esquecer toda a vergonha, decepção e dor que o mais novo o fez passar e jogava tequila barata em cima de seu ego abatido sem nem ver.

Sua visão logo começou a ficar turva e sua mente enevoada. Os pés caminhavam leves sobre o carpete acinzentado do porão e um sorriso bobo não deixava o rosto do platinado.

Por que ele estava triste mesmo? Ele nem se lembrava mais.

Os garotos ao seu redor dançavam que nem loucos, e Yoongi logo se juntou a eles. Ele pulava e sorria como se tivesse ganhado na loteria.

De repente, avistou Kookie dançando sozinho em um canto e foi em sua direção.

- Ei, Kook! – O platinado colocou o braço ao redor dos ombros do garoto, se aproximando. Já quase não tinha controle sobre seus atos. – Cadê o Jimin?

- Foi ao banheiro – respondeu o alfa, tentando segurar Yoongi, que cambaleava.

- Viu, quando é que vocês vão finalmente se pegar? - perguntou. 

O mais alto pareceu chocado com o comentário do ômega, mas logo disse que não sabia do que o menor estava falando.

- Ah, sabe sim! – Yoongi insistiu, querendo botar logo as cartas na mesa. – Todo mundo sabe, aliás. Ninguém aqui é cego. É obvio que a tensão sexual está rondando vocês que nem moscas, mas o que eu não entendi foi porque você ainda não ficou com ele.

Ele olhou para baixo, desanimado.

- Tenho medo de não ser isso que ele quer - admitiu. 

- Ah, não tenha! O Park está louco por você – Yoongi falou, sem medir palavras, um claro efeito do álcool. – Só vai, sem medo de ser feliz. Não deixe que o medo te impeça de fazer as coisas que você quer ou de correr atrás de quem você gosta. Vai por mim, eu aprendi isso da pior maneira.

Nesse momento, Jimin retornou a sala e olhou na direção dos dois garotos. Jungkook retribuiu o olhar. Ficou óbvio que Kookie também era louco por Jimin. 

- Certo – Jungkook balançou a cabeça, sem tirar os olhos do Park. Retirou o braço de Yoongi cuidadosamente de seus ombros. – Vou fazer isso. Vou lá. Obrigado, Yoongi. – E se afastou, andando até Jimin em passos rápidos e decididos. Chegando lá, prensou o mais baixo na parede e o beijou sem mais nem menos, visivelmente cheio de paixão. Jimin, apesar do choque inicial, retribuiu ao beijo na mesma intensidade, se agarrando a Jungkook e se deixando levar pelos lábios do alfa.

Com um sorriso de contentamento, Yoongi se afastou, deixando os dois à vontade.

Olhou ao redor. Namjoon e Jin dançavam agarrados um ao outro no meio da sala, Jimin e Kookie se pegavam no canto e Taehyung e Hoseok conversavam animadamente sentados no sofá cor de caramelo.

Eles formam um belo casal, pensou Yoongi, magoado. Por mais que fosse difícil admitir, o ômega não podia negar que eles combinavam. Ambos eram seres amáveis e alegres, sem dúvida Taehyung era uma melhor companhia para Hoseok.

Cansado de tudo, Yoongi pegou uma garrafa de vodka, com o líquido transparente até a metade, e se retirou do porão sem que os outros garotos o vissem, tropeçando nos degraus da escada.

***

Em determinado ponto da festa, Hoseok se deu conta da falta de algo; ou melhor, de alguém.

Pediu licença para Taehyung e subiu as escadas até o primeiro andar da casa para procurar Yoongi. Olhou em todos os quartos e banheiros, mas o platinado não se encontrava em nenhum deles.

Foi até a cozinha e viu pela porta de tela a silhueta magra de Yoongi; ele estava parado no quintal da casa dos Kim, de costas para o alfa, a cabeça erguida olhando fixamente para alguma coisa no céu.

Hoseok empurrou a porta de tela que levava até o quintal, sendo rapidamente recebido por uma corrente gélida de vento noturno, fazendo com que seus olhos lacrimejassem e suas bochechas doessem. Andou em direção a Yoongi, os pés pisando suavemente na grama recém-cortada, fazendo com que o cheirinho leve e refrescante se elevasse em meio ao ar frio.

Parou logo atrás dele, ao lado da estufa de rosas da mãe de Taehyung. O platinado não se moveu.

- Yoongi? – Hoseok chamou finalmente.

O mais velho endireitou a cabeça, parecendo se dar conta da presença de Hoseok somente agora. Virou-se e pousou seu olhar no alfa, abrindo um sorriso largo e fácil.

- Hobiiii – o ômega prolongou a última vogal, o que deixou claro a quantidade de álcool que ele havia ingerido. As pernas o sustentavam sem muita firmeza, meio bambas, e suas bochechas estavam coradas, mas isso Hoseok não soube dizer se era por causa do frio ou por causa do álcool.

- Yoongi, vamos entrar – disse o mais alto, tremendo. – Aqui tá um gelo.

- Então vem aqui me esquentar. – Yoongi abriu os braços, claramente fazendo a ele um convite e Hobi sorriu, o abraçando pela cintura sem hesitar, se aconchegando em seus braços. Yoongi afundou o rosto no ombro de Hoseok e o mesmo fez o mesmo no ombro alheio. O alfa agora percebeu como tinha sentido falta do contato com seu melhor amigo, o toque natural e íntimo que tinham um com o outro desde que eram pequenos. Com Taehyung sempre do seu lado nessas últimas semanas, nem havia tido tempo de dar atenção ao ômega, agora enroscado em seus braços. Hoseok apertou mais forte sua cintura, colando os corpos por completo.

O frio já não era mais tão importante assim, pois eles agora tinham o calor e a companhia um do outro. E isso bastava.

Yoongi levantou a cabeça, sem se soltar de Hoseok e encarou o céu. Ele respirou fundo e uma fina camada de vapor deixou sua boca.

- Olha a lua – anunciou, sem tirar os olhos da mesma.

Hoseok acompanhou seu olhar.

- Ela está linda hoje – comentou o alfa, olhando para a esfera prateada e brilhante.

- Igual você. – Hoseok voltou-se para Yoongi, pego de surpresa pelo repentino comentário do ômega. – A diferença é que você é lindo todos os dias.

- Que é isso, Yoongi... – O mais velho murmurou, sentindo as bochechas esquentarem.

- É só a verdade. – O ômega deu de ombros, fitando intensamente os olhos escuros de Hoseok, deixando o mesmo sem graça. – Tudo em você é bonito. Seus olhos, seu nariz, seu maxilar, as covinhas nos cantos da sua boca quando você sorri... – Enquanto falava, Yoongi tocava com a ponta dos dedos as coisas que ele nomeava, olhando o caminho que seus dedos traçavam pelo rosto de Hoseok, que permanecia imóvel, sem reação. Os dedos pararam delicadamente sobre os lábios bem desenhados do alfa. – Sua boca...

- Yoongi... – Aquela altura Hoseok respirava com dificuldade, confuso e atônito com as estranhas sensações que o dominavam.

Ele ainda se lembrava claramente de ter beijado Yoongi mais cedo, no jogo de verdade e desafio. Havia sido rápido e de uma hora para outra. Mas, apesar de ter sido apenas um selinho, foi bem mais do que pensou que poderia ter com Yoongi.

E agora, com o rosto sendo acariciado pelo menor, Hoseok teve um pressentimento de que haveria muito mais.

O vento soprou contra seu rosto, trazendo até ele o cheiro doce do ômega a sua frente. O alfa fechou os olhos por um momento, sentindo o aroma delicioso e quase entorpecente do menor.

Yoongi, vendo a reação do maior aos seus toques e ao seu cheiro, chegou mais perto, ficando a centímetros do seu rosto e fazendo o mais novo engolir em seco. Porém, ele mesmo não estava com medo ou receoso. Naquele momento, só o que o dominava era o amor que sentia pelo alfa e a fome de seus lábios.

Hoseok, vendo a proximidade de Yoongi, hesitou.

- O que está fazendo? – perguntou, sussurrando.

No entanto, Yoongi não vacilou.

- O que eu já deveria ter feito há muito tempo – respondeu firme, olhando-o diretamente naqueles olhinhos brilhantes que tanto o encantavam. De repente, os olhos de Hoseok desceram, focando nos lábios finos e provocantes de Yoongi.

Hoseok mordeu o inferior com força e foi tudo o que Yoongi precisou para puxá-lo pelos ombros e colar seus lábios contra os de Hobi com paixão.

Hoseok, apesar da surpresa do ato, retribuiu ao beijo, iniciando um roçar lento e delicado nos lábios do mais velho. Yoongi logo sentiu a língua do moreno pedindo passagem e o mais velho prontamente concedeu, embaralhando sua língua na dele.

Ele tinha gosto de maçã verde, notou Yoongi, enquanto se deliciava com a intensidade que o beijo estava tomando. As línguas quentes batalhavam por espaço na boca um do outro e os lábios desconcertantemente macios e cheinhos de Hoseok faziam a cabeça de Yoongi girar.

As mãos do ômega rapidamente agarraram os cabelos castanhos do outro, sentindo a maciez dos fios, enquanto o outro apertava sua cintura de maneira nada gentil, quase possessivo. No entanto, o menor não se afastou, nem muito menos parou o beijo.

Yoongi sentiu as costas baterem na parede de vidro da estufa e o corpo alheio se colar ao seu ainda mais, uma das pernas do alfa se enfiando no meio das suas. As batidas do coração de Hoseok podiam ser facilmente sentidas por Yoongi através do tecido fino da camiseta e o platinado tinha certeza que o outro podia sentir o mesmo vindo de seu peito.

Hoseok friccionou bem de leve o quadril contra o do mais velho, mas foi o suficiente para que um tremor se alastrasse entre as pernas de Yoongi e um gemido baixo escapasse de seus lábios, ainda cobertos pelos do moreno. O outro, gostando do som que o mais baixo proferiu, mordeu o inferior de Yoongi, puxando-o lentamente até soltar, fazendo-o gemer mais uma vez. Voltou a enfiar a língua na boca do outro e o mesmo puxou os cabelos alheios com força, tentando extravasar o desejo que sentia. 

No entanto, tiveram que se separar por causa da necessidade primitiva de ar. Quando se entreolharam, viram a excitação e surpresa estampadas nos olhos um do outro, provocadas pelo beijo de tirar o fôlego. Hoseok, ignorando a bagunça de sentimentos que desordenava sua mente naquele momento, afastou uma mecha de cabelo descolorido da testa do ômega e em seguida fez um carinho em sua bochecha.

Yoongi sorriu, satisfeito. Seu peito parecia que ia explodir e suas pernas estavam moles. A espera tinha valido a pena.

De repente, a visão do ômega embaçou e suas pernas ficaram ainda mais fracas. Se segurou mais forte nos ombros do alfa, se escorando.

Hoseok logo percebeu.

- Yoongi, tudo bem? – Ele o encarava preocupado.

- Acho que eu vou... – Yoongi não teve tempo de terminar a frase.

A escuridão dominou sua visão e ele desabou nos braços do alfa.

***

Yoongi acordou com a cabeça latejando insuportavelmente. O corpo parecia que havia sido atropelado por um caminhão e os olhos estavam pesados.

Com muito custo, levantou a cabeça, olhando ao redor. Reconheceu as paredes claras de seu quarto e o piano ao lado da escrivaninha. Se sentou, tonto e com dificuldade, ainda meio grogue.

Na mesinha de cabeceira ao seu lado, havia um copo cheio com água e um pacotinho de analgésicos. E uma folha de papel com alguma coisa escrita.

Yoongi pegou a folha e leu. Era de Hoseok.

 

Tome dois analgésicos e se hidrate. É melhor você não ir à escola hoje.

Quando te trouxe em casa, falei aos seus pais que você tinha caído no sono e não desmaiado de tanto beber, então não se preocupe, você não está encrencado.

PS: se você beber daquele jeito de novo, eu te esgano.

Bjss, Hobi.

 

Yoongi deixou o bilhete sobre o colchão. Engoliu dois analgésicos com a água e tentou se lembrar do que havia acontecido na noite passada.

Só recordava de terem ido à casa de Tae jogar video game. Kookie havia comprado bebidas, eles dançaram, jogaram o jogo de verdade e desafio...

Ai, merda, o jogo!, Yoongi se lembrou, em desespero. O desafio. Hoseok havia o beijado...

E depois virou a cara, como se nada tivesse acontecido.  

Yoongi amassou o bilhete de Hoseok, raiva e mágoa dominando seus atos. Arremessou o bilhete longe no quarto, tentando segurar as lágrimas que ameaçavam transbordar de seus olhos.

Eu não vou chorar, eu não vou chorar...

Respirou fundo e tomou o restante de água que havia no copo.

Se levantou da cama, ignorando a dor de cabeça que o incomodava. Foi ao banheiro e tomou um banho demorado, depois escovou os dentes – precisava tirar o gosto ruim de álcool da boca; não queria que houvesse mais qualquer resquício daquela noite em si.

Vestiu uma calça preta rasgada nos joelhos e a primeira camiseta que encontrou, do Rolling Stones. Completou com uma touca e uma jaqueta jeans. Calçou os tênis e pegou sua mochila.

Yoongi não pôde evitar que seu lado revoltado saísse diante daquele momento de puro ódio e ressentimento. Se Hoseok queria que ele ficasse em casa, era exatamente o contrário que ele faria, indo encarar o alfa de frente.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até o próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...