História Meu doce veneno - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Exibições 49
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


✗Olá Sweets! Cá estou novamente ♡

✗Rework da minha primeira versão, que no momento esta na minha conta secundaria ( Soapgirl ).

✗Nessa nova história eu misturei um pouco de cada coisa, portanto eu espero que vocês gostem também da minha visão.

✗Aceito criticas construtivas, gostaria muito que vocês me ajudassem a melhorar mais e mais!

✗Se quiser me acompanhar, aperte no coraçãozinho!

✗Estarei sempre lendo os comentários e respondendo com toda atenção do mundo!

✗Postarei uma vez por semana.

✗Não seja uma leitora fantasma! Interaja comigo.

✗Desculpem por qualquer erro ortográfico!

✗Boa leitura a todos! Beijinhos Sweets ♡

Capítulo 1 - Capítulo I - A Graciosa Ambrosia.


Fanfic / Fanfiction Meu doce veneno - Capítulo 1 - Capítulo I - A Graciosa Ambrosia.

                                                                                                                                   Vilarejo de Rodorio, século XVIII.

 

Prossegui até a janela de meu quarto e reparei na neblina provocante que cobria o vilarejo, não era anormal para mim.

Eu sou simplesmente dona de um grande sorriso provocante e olhos avelã que brilham mais que a lua em sua fase cheia, meu cabelo loiro beira minha cintura e se molda em meu corpo médio.

 

— Ambrosia? Não consegue dormir? — Ecoou lentamente em meus ouvidos a voz de Shion, perguntando o motivo da minha inquietação.

 

Respirei lentamente fechando a janela e virei-me para encara-lo.

 

— Não, não é isso. — Menti tentando não fazer com que ele me interrogasse.

 

Com grandes olhos verdes e pele pálida ele me olhava acariciando seus grandes cabelos que atingiram a coloração verde lodo.

 

O cavaleiro de ouro de aries tentava a todo custo proteger a mim, mas por egoísmo eu não conseguia corresponder ao que ele realmente gostaria.

 

— Então, o que poderia te deixar assim?

 

— Eu não deveria ter aceitado morar aqui na sua casa. — Murmurei fazendo com que ele chegasse mais perto de mim. — Isso é loucura Shion, eu simplesmente não entendo. — Conclui tentando não olhar diretamente para o mesmo.

 

— Eu não podia deixar você lá — Retrucou ele acariciando as maças de meu rosto com o polegar — Não com ela, que se dizia sua amiga. — Concluiu nauseado.

 

Referindo-se a Mai, Shion expressou nojo e pena. Ela realmente não merecia mais que isso.

A mesma cuidou de mim e me acolhera em sua casa por alguns meses, porém sua ganancia foi tão grande que ela tentou vender-me a um rico senhor de Rodorio apenas visando o dinheiro que iria trazer a sua casa.

 

— Eu sei, mas... — Tentei continuar, porém fui parada por ele que me acalentou até o quarto. 

 

— Durma graciosa Ambrosia. — Sussurrou o cavaleiro fitando os meus grandes olhos que o seguiam até a porta.  — Eu preciso voltar à casa de aries, mas eu estarei com você a todo o momento. — Concluiu ele fechando a porta lentamente.

 

Não demorou muito para meus olhos ficarem pesados e meu corpo ceder àquela cama que eu nunca havia tido antes.

 

                                                              ....

 

— Ambrosia! Ambrosia! — Gritava a voz que vinha do lado de fora da aconchegante casa.

 

Suspirei levemente e levante-me seguindo até a porta principal.

 

— Graças a Atena você apareceu. — Disse a voz feminina e histérica de Mai, que me olhava admirada e “aliviada”.

 

Dei pequenos passos em sua direção e liberei o ar que prendia em meus pulmões. — O que quer?

 

A alta morena novamente me olhou e disse com a voz calma tudo que eu não deveria voltar escutar em minha vida.

 

— Você precisa voltar para casa. — Murmurou levemente arrependida. — Eu preciso de você, realmente preciso.

— Precisa? Para que? Para tentar me vender novamente enquanto durmo? — Sussurrei sarcasticamente enquanto notava que ela tentava me tocar, sem sucesso.

 

— Por favor. — Implorou como uma criança mimada fazendo birra. — Eu cometi um erro, mas eu posso melhorar. — Concluiu.

 

— Eu perdoo você, mas não posso voltar. Desculpe. — Conclui a deixando falar sozinha frente à casa que Shion me dera.

 

Prossegui engolindo em seco tudo que havia acontecido naquele momento, tudo que eu gostaria de apagar da minha cabeça — Ambrosia, você não pode se culpar. — Sussurrei a mim mesma sem olhar para trás.

 

Você não pode simplesmente se culpar por algo que não fez.

 

Brevemente irritada continuei andando e finalmente cheguei aos limites do vilarejo, atravessando o pequeno rio e avistando o grande jardim de rosas diabólicas reais, as mais venenosas de todo o santuário.

Mas que por algum motivo não surtiam efeito algum em mim.

 

— Lar doce lar. — Sussurrei inalando a fragrância forte e mortal das rosas — Eu nunca deixaria de vir até aqui, mesmo que isso significasse minha morte. — Conclui fixando uma ao meu cabelo rebelde.

 

— Eu não poderia te prender lá nem se quisesse. — Ecoou a voz do jovem cavaleiro de aries a uma distancia considerável.

 

— Não conseguiria. — Cochichei com um pequeno sorriso.  — Nem se quisesse.

 

— Eu sei que a graciosa Ambrosia pertence ao jardim de rosas diabólicas. — Shion lapidou seu sorriso olhando diretamente ao meu rosto, pálido e sereno sobre a sombra da arvore próxima à rocha.

— Agora me diga, por que as rosas não tem efeito sobre mim? Responda-me Shion, por que elas não me fazem mal? — Perguntei inclinando-me ao chão sobre todas as rosas que ali estavam.

 

Shion paralisou e intacto continuou a observar a toda movimentação que fazia — Eu realmente não sei minha querida. — Cochichou para si mesmo, aflito com tudo que via.

 

— Eu não sei. — Disse deixando escapar sorrateiramente de sua boca.

 

Levantei-me rapidamente e segui até onde ele estava parado, agora com os olhos fixos em minha boca. — Você está sempre aqui mesmo quando eu não mereço. — Retruquei com algumas pétalas presas em meu vestido. — Sabe exatamente como me sinto. — Conclui agora o abraçando pela cintura.

 

Sem hesitar ele me aconchegou em seu abraço, fechando seus olhos e apertando levemente meu pequeno corpo junto ao seu.

 

— Querendo ou não você será sempre a minha menina.

 

Melancólico, mas sei que ele me tem como sua irmã.

 

— Você sempre será o irmão que eu não tive. — Sussurrei com um sorriso entre aberto, notando o qual angustiado ele se sentia por não ser correspondido.

 

“— Oh céus, me perdoe. Eu não conseguiria beijar você e sentir seus abraços de cavaleiro apaixonado durante a noite. — Pensei enquanto ainda me aconchegava nele — Eu realmente sinto muito por não atender as suas chances de amor.”

 

— Ambrosia, eu preciso falar uma coisa. — Ele disse agora com as mãos apoiadas em meus ombros nus.

 

Eu sabia exatamente o que ele queria me falar, mas também sabia que não podia deixar que ele falasse agora, não agora.

 

— Shion você precisa retornar ao santuário, precisa retornar a casa de aries. — Indaguei antes que ele pudesse continuar com o que queria, atrapalhando seu raciocínio.

 

Tornava-se tudo confuso, contudo ele apenas assentiu positivamente — Você tem razão, onde estou com a cabeça. — Cochichou dando meia volta.

 

Sorri vitoriosamente e voltei a sentar-me ao jardim, enquanto Shion prosseguia para a casa de aries acenando e sumindo com as ruinas que ali estavam.

 

— Ele não pode, ele simplesmente não pode. — Negativei colocando as mãos no dourado de meus cabelos — Ambrosia, você também não pode. — Ressaltei culpando-me pelo acontecido. Realmente a culpa é minha.

 

Levante-me cabisbaixa e fechei meus olhos para o horizonte, sendo castigada pelo sol que batia em minha pele. — Não acontecerá. 

 

Os passos pesados sobre as minhas costas eram inevitáveis de serem captados pela minha audição.

Ele sem duvidas havia voltado para novamente continuar a conversa interminável entre nós dois.

 

— Shion... Eu não. — Antes que meus lábios continuassem aquela frase eu paralisava no lugar em que estava.

 

— Quem é você? — Ecoou a voz desconhecida em meus ouvidos.

 

O jovem de pele clara me olhava perplexo enquanto seus cabelos azuis sobressaiam sua cintura, seus olhos da mesma cor me atraiam e me seguiam em qualquer movimento que meu corpo fazia.

 

— Eu não vou perguntar novamente, quem é você e o quer no jardim de rosas diabólicas? — Perguntou ele mais uma vez franzindo sua sobrancelha para mim. 


Notas Finais


Beijinhos Sweets ♡

Contem-me o que acharam ♡

Amo vocês! Kissus ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...