História Meu Dragão de olhos verdes. - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Diane, Elaine, Elizabeth Liones, Gilthunder, Gowther, Guila, Jericho, King, Liz, Margaret, Meliodas, Merlin, Personagens Originais, Veronica, Zaratras
Tags Nanatsu No Taizai
Visualizações 364
Palavras 546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


São poucas palavras eu sei! Mas esse final de semana eu vou passa ( Mais ou menos) o dia escrevendo!
Tenho uma noticia!
Mas, não sei se é boa ou má!
Vocês é que vão ter que decidir, chorar ou sorrir...

Capítulo 27 - É você!


Fanfic / Fanfiction Meu Dragão de olhos verdes. - Capítulo 27 - É você!

Pov Meliodas.

***********************************************************************************************

É aí que ouço um barulho estranho. Vejo uma exclamação do instrutor e vejo que cordas não estavam no lugar certo, para piorar o vento não estava ao nosso favor e nos assopra bruscamente. Percebi que se fizéssemos movimentos bruscos as cordas iriam ficar mais fodidas que estavam. Começamos a descer bruscamente.

E o que eu pensava enquanto o vento batia em nós, que estávamos desgovernados...

Lizzy...

***********************************************************************************************

O vento nos soprava forte. As cordas estavam se embolando e se agarrando, elas mesmo se confundindo, parece bizarro mas é a verdade! O instrutor olha para os lados procurando “uma porta de saída”.

- EI!  Já pulei antes e sei que devemos verificar as cordas antes do salto, você verificou? – Perguntei.

-Sim... Ou não. Mais ou menos. Antes d’eu falar com você e sua namorada eu verifiquei as cordas, estava tudo bem, quando fomos saltar eu pensei que estaria do mesmo jeito. Que droga! – Ele fala enquando puxa umas cordas aqui e ali e

Ele fala e sei que ele tem parcialidade de culpa, meu coração doeu ao pensar que no meu lugar estaria minha Lizzy.

LIZZY!

Tento virar meu rosto, vejo que ele, o instrutor, mexe em algumas cordas e duas delas se rasgam. O paraquedas se inclina para um lado e desce com mais rapidez. Mesmo assim estamos muito alto ainda.

- Caralho! ...

Me concentro em Lizzy, já que ela deve ter percebido, olho para lá. Ela é um pontinho, e de longe vejo bastante pessoas se amontoando e vejo uma pessoa se aproximando dela, um homem, Alec.

Caralho! Nem eu perto de levar um acidente deixam de querer paquerarem Lizzy.

Olho para os lados e me lembro de algo.

- Ei você não tem um rádio de comunicação, não?

- Sim! – Ele pega uma caixinha preta e aperta um botão. Ouço um chiado e ele começa a falar. – Sim, D-3... Estou com problemas, as cordas se estalaram... Ok... Eu verifiquei, mas elas apareceram cortadas... Sim, vou tentar.

Ele desliga e me dá vários comandos que eu rapidamente afaço.

- Já que o lado direito é o que está mais arrebentado nós temos que... – E me deu instruções de como me sentar, a força que eu coloco no meu corpo e nós descemos com mais leveza que antes, mesmo assim parece que vamos bater nas arvores.

Lizzy, tenho que voltar para Lizzy vivo!

O vento nos balança e somos meio que jogados para o lado. Calma! Calma!

Desça vez a sorte nos deixou, rodamos e estamos meio que nos encaminhamos em morte certa.

Ouço a voz ansiosa do instrutor:

- Desculpa...

E sinto um golpe na têmpora.

Preto, escuridão.

                                                                                                  *

Tudo está embaçado. Mas sinto um cheiro familiar, um doce cheiro de...

- Meliodas... Meu amor... – É ela é...

- Lizzy... – Minha cabeça dói, tento me levantar, parece que estou num gramado? O quê?

Minha cabeça dá volta, mas vejo um traço de um rosto familiar. É...

- Sou eu. Sua...

Meus olhos se adaptam a claridade, quando o sol foi tão intenso e o dia tão frio?

Balanço a cabeça para clarear as ideias, olho para frente pronto para dar um abraço em Elizabeth. Sorrio e...

Paro e olho para seu rosto.

O quê?

- Sou eu meu amor, sua...


Notas Finais


Por favor, eu estou meio que desesperada!
Eu quero falar, mas eu tenho que esperar e pensar...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...