História Meu Enteado Quase Inocente - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Lu678

Postado
Categorias Justin Bieber, One Direction, Selena Gomez
Personagens Harry Styles, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Kendall Jenner, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Selena Gomez, Taylor Swift, Zayn Malik
Tags Brigas, Ciumes, One Direction, Perseguição, Revelaçoes, Romance & Suspense, Selena Gomez
Exibições 280
Palavras 4.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Droubble, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mais um capítulo êêêê, podem comemorar espero que gostem, apesar de ele não ter ficado tão bom assim, e eu realmente peço desculpas por isso. Mais você que é leitor(as) e você que é escritor(as) sabe que nas melhores fics sempre tem aqueles capítulos chatos, não é mesmo? Gente, então é isso, se gostarem comentem e favoritem "please", isso é muito importante, para que eu continue... Boa leitura e boa noite My Loves...

Capítulo 2 - Enfim sós!


Fanfic / Fanfiction Meu Enteado Quase Inocente - Capítulo 2 - Enfim sós!

Selena P.o.v.s

Acordei com o Jeremy gritando ao celular, pelo o que eu entendi, parecia muito estressado e nem parecia aquele homem carinhoso que me dava amor e prazer. Eu odiava quando ele ficava estressado, por que sempre sobrava para mim, quer dizer, a minha intimidade sempre sofria,  quando ele estava zangado, sempre era bruto na hora do sexo e como o membro dele não chegava nem perto de ser pequeno, eu ficava dolorida por dias.
— O Henrique é um incompetente, como ele foi perder um contrato daqueles? você sabe o quanto eu batalhei para ganha-lo?— Perguntou ele dando um murro na minha penteadeira, fazendo a minha escova de cabelos cair no chão, demonstrando a sua de irritação.— Eu sei Liam, mais ele devia apenas ter levado as papelada e uma simples caneta, não ir fala uma coisa que desagradasse o Sr. Raul.— Falou.—  Liam, quem você pensa que é para está me questionando? você é o meu braço direito, não o meu dono. O que está acontecendo com você? ultimamente  você anda me questionando, recusando as minhas ordens e falando o que eu tenho ou não tenho que fazer...— Falou Jeremy com a voz calma  e com um sorriso sarcástico no rosto. Eu só sei de uma coisa: Ele não estava nada bem.— Liam, você está me tirando do sério, ninguém jamais fez algo parecida comigo e eu deixei barato. Você pode até ser o meu melhor amigo fora da empresa, mais dentro da empresa, somos apenas patrão e funcionário. Eu quero que saiba de uma coisa: você está pelo fio, mais uma coisa e eu te coloco no olho da rua, sem nem pestanejar.— Falou dando mais um soco, só que agora, no espelho da minha penteadeira.— Claro idiota, eu posso até demorar um pouco, mais eu te garanto que encontro uma pessoa melhor que você.—  Falou ele.—  Tudo bem Liam, eu chego ai em.—  Pausou encarando o seu relógio de pulso.—  Em três horas, tente remarcar a reunião, quero falar com o Sr. Raul.— Exigi.— Eu não sei Liam, der um jeito.—  Falou ele.— Cara, desculpa por falar desse jeito com você, é que esse contrato era muito importante para a empresa.— pediu cabisbaixo.— Então, nos vemos lá.— Falou  finalizando a conversa e desligando o celular.
—  Tudo bem, amor?—  Perguntei me cobrindo com o fino lenço.
—  Não!— Respondeu se virando para me encarar.
—  O que aconteceu?—  Perguntei e ele respirou.
—  O Henrique fez uma burrada e perdeu um grande contrato, por que falou uma besteira.—  Falou ele.
—  O que ele falou que afetou tanto esse senhor?—  Perguntei curiosa.
—  Ele falou que a careca do senhor Raul parecia um espelho.— Falou tentando segurar o riso e eu gargalhei.— Para de rir.— Ordenou e eu o obedeci.
— Quanto tempo vai ficar fora dessa vez?— Perguntei tentando controlar o meu riso, que ainda é notável.
— Não sei, como Liam mesmo disse, o velho é muito difícil de convencer, acho que no mínimo uma semana.— Falou caminhando até o seu closet. Me levantei ainda enrolada ao lenço.
— Mais eu achei que as viajes tinham acabado, e que agora poderíamos relaxar e aproveitar mais tempo juntos.—  Gritei do quarto.
— Eu sei e sinto muito, mais eu não posso perder esse contrato é muito importante para a empresa, prometo recompensar, quando eu voltar.— Gritou de volta.
—  É, claro.— Sibilei. Decidi tomar um banho rápido, queria que desse tempo de me despedir dele e foi com esse pensamento que tirei o lenço e o arremessei em direção a cama, onde o mesmo caiu. Entrei no banheiro deixando a porta aberta, já que só o Jeremy estava no quarto e não tinha risco que ninguém entrasse no nosso quarto, quando a gente estava no cômodo.
Depois de alguns minutos debaixo d água, ouvi passos vindo em direção ao banheiro.
— Amor, leva o Justin na escola enquanto eu estiver fora? ele ainda não tem carteira de motorista.— Falou Jeremy da porta do banheiro.
— Tudo bem, pode deixar, eu levo sim.— Falei com um grande sorriso. Ouvi os passos se distanciando e ouvir a porta ser aberta e logo o barulho da mesma sendo fechada.

***
Cheguei na cozinha encontrando Justin e o Jeremy tomando café na mesa.
—  Bom dia!— Falei cumprimentando não só o Justin e o Jeremy, como  também a empregada, Liza.
—  Bom dia meu amor.—  Falou e eu lhe dei um selinho, me juntando a eles na mesa e vi quando Justin me olhou desconcertado e em seguida   abaixar a cabeça.
— Bom dia Senhora.— Falou Liza, e eu sorri.
— Filho, não vai cumprimentar a Selena?— Perguntou Jeremy o olhando. Justin levantou a cabeça e nos olhando.
— Oi.— Falou parecendo irritado.
—  Oi— Falei sorrindo da sua expressão. Alguma coisa me diz que ele não gostou nada, nada do selinho que dei no Jeremy. Não liguei, quer dizer, ainda estava se entender, já que na noite anterior ele não havia caído em minhas tentações.
—  Justin, hoje a Selena vai te levar para o colégio, alias, enquanto eu estiver fora, que é por tempo indeterminado, no mínimo uma semana.
— Tudo bem, pai.—Foi a única coisa que ele falou dando um sorriso sem dente para o seu pai.
— E como anda a escola, Justin? já tem amigos?— Perguntei tentando puxar assunto.
— Sim, um amigo e uma amiga. Eu não sei se eu e a garota somos só  amigos, quer dizer, ela parece está na minha.— Provocou com um sorriso sacana no rosto, enquanto me encarava, eu quase engasguei com o café, quando ouvi a sua resposta, sem o seu pai perceber ele soltou uma piscadela para mim e voltou a tomar o seu café.
— Amor, você está bem?— Perguntou Jeremy parecendo preocupado ainda me vendo torci.
— Ah...é.. é eu estou bem.— Respondi sorrindo e ele retribui.

— Que bom Justin que você arranjou uma namorada,meu filho. Já estava na hora, não é mesmo Selena?— perguntou Jeremy e eu o encarei.
— Ah...é...claro que sim.— Respondi com um sorriso fraco.
— Desculpem mais eu preciso ir, o meu jatinho já deve está me esperando.— Falou Jeremy.— Tchau meu amor, tchau filho. — se despediu me beijando e saindo.
— Tchau Jer, faça uma boa viajem.— Falei sorrindo.
— Obrigado linda.— Agradeceu saindo da cozinha. Vi Justin me encarar e desviar os olhos para a sua comida. Liza também saiu da cozinha, dizendo que iria arrumar os quartos. Sorri ao lembrar de que eu poderia provoca-lo. Como eu estava de do meu lado, passei uma das minhas mãos por o seu peitoral ele, fazendo movimentos de cima para baixo, por cima da camisa e ouvir ele respirar fundo. Desci a minha mão para a sua coxa, passando vez ou outra pelo seu pau, que já estava ereto, apertando com força e vi ele gemer alto.
— Vam...vamos... já está na hora de ir para o colégio, não quero chegar atrasado.— Falou ele levantando da mesa.
— É, tem razão, também tenho que ir para a clínica.— Falei dando o último gole no meu café.  Saímos da cozinha e  caminhamos pela sala, então, vi ele parar no sofá para ajeitar a sua mochila, mais continuei andando em direção a garagem. Entrei no carro e sai da garagem, estacionei enfrente a casa e minutos depois vi Justin sair dela e caminhar na minha direção. Ele entrou no carro e  olhou para frente, eu apenas comecei a dirigir.
 — Essa história de uma garota gostar de você é verdade mesmo?— Perguntei, mais ele não respondeu. Em segundos de silêncio, ouvir uma música tocar baixo e então eu vi que ele não havia respondido por que estava ouvindo uma música alta em seu celular. Justin estava querendo me evitar, mais  ele não me conhece e por isso não sabe o quanto eu sou persistente. Passei a mão novamente pela sua coxa e subi para o peitoral, mais é claro que dessa vez por baixo da camisa.  Quando toquei em sua barriga, vi ele arquear as costas com o toque e eu apenas sorri, quando o mesmo me encarou. Mais ele logo voltou a olhar fixamente para a frente. Puxei um dos fones de seu ouvido e vi ele soltar um gemido, pois tinha puxado o fone com um pouco de força e vi Justin me encarar incrédulo.
 — Por que fez isso?—
Perguntou ainda incrédulo.
— Eu te fiz uma pergunta, mais você não estava escutando, por isso que eu puxei o fone de seu ouvido.
— O que é de tão importante assim?— Perguntou ele parecendo irritada.
— Não é tão importante assim. E eu nem fiz questão de dizer que era.— Falei desabotoando o  botão da sua calça e baixando o zíper.— Eu eu só perguntei se Essa história da garota gostar de você é verdade.— Falei enfiando a mão na sua boxe e começando a masturba-lo devagar. A toda hora, eu olhava para sua expressão de prazer e para a frente, pois não queria me acidentar.
— Claro... claro que sim.— Respondeu tirando a minha mão do seu membro ereto.
 
— E você gosta dela?— Perguntei me concentrando na estrada e voltando a colocar a mão em seu pau, continuando trabalho.

— Eu...eu...não sei, é muito cedo para...ah...para...oh... falar alguma coisa, a gente ainda está se conhece...hum...conhecendo, mais depois daquele...HA...— Gemeu alto, quando eu apertei a cabeça do seu membro.— Daquele beijo que ela me deu, eu percebi que...oow.— Gemeu novamente, agora mordendo o lábio e eu sorri vendo as sensações que eu causava nele.—   vamos ter algo sério.— Falou tirando minha minha mão e ageitando a sua calça.  

— O QUE?  COMO ASSIM ELA TE BEIJOU?— Perguntei gritando incrédula, e vi ele arregalar os olhos, pois teve um grande susto, parecia não esperar aquela atitude de mim.— Quer dizer, que bom que você está conhecendo uma garota da sua idade. Mais você está consciente que não pode fazer laço por aqui, pois falta apenas um mês para ir embora.— Falei para que ele desistisse desse caso de adolescente, por que se ele começasse a namorar ia ficar tudo mais complicado para mim, por que além de não querer trair o pai, também não trairia a sua namorada.
— O incrível nisso tudo, é que os pais dela também mora em Los Angeles, mais ela mora aqui com os padrinhos dela, e que ela vai para a mesma faculdade que eu mandei o currículo, é solteira, da minha idade, bonita, de boa família e virgem, assim como eu.— Falou a última frase enquanto me encarava.
— É, mais você tem que ficar com uma pessoa experiente, antes de ficar com uma pessoa inexperiente é mais que necessário.— Joguei a indireta no ar, enquanto estacionava enfrente ao colégio, vi ele sair do carro, fechar a porta e se debruçar sobre a janela.
 — Quando a pessoa é experiente tudo bem, mais quando a pessoa é experiente e mulher do seu pai, não dá né? — Falou dando um sorriso e caminhando em direção ao colégio. Deixei que um sorriso bobo aparecesse em meu rosto, enquanto via ele ainda caminhando em direção a porta, quando chegou na mesma apenas deu um aceno de cabeça e adentrou. Fiquei alguns segundos parada e o meu sorriso se alargou ao perceber que o meu plano de provoca-lo estava dando certo e que se continuasse assim, não demoraria muito para que eu conseguisse corrompe-lo.
Sair com carro e dirigir até a minha clínica, chegando, vi que a minha recepcionista me esperava enfrente a mesma.
— Bom dia Letícia, desculpe pela demora é que o meu marido viajou e eu tive que levar o meu enteado no colégio.— Expliquei vendo a mesma sorrir.
— Bom dia. Não precisa explicar nada senhora Selena, afinal a senhora é a patroa e eu sou uma funcionária.— Falou me vendo abrir a porta da clínica. Sorri e adentrei a clínica, sendo acompanhada pela Leti. Não demorou muito para eu começasse a atender.

***
Já era hora de almoço e eu não tinha planos de sair da clínica, pois estava cheio, já que hoje era segunda e toda segunda eu chegava  em casa de 6:00,  não ia para casa nem para almoçar. Lembrei que hoje eu teria que ir buscar o Justin, mais felizmente eu tinha o número do Ben o motorista, e eu pediria para que ele fosse buscar o Justin. Procurei o número dele e coloquei para chamar.   
— Alô senhora.— Falou Ben assim que atendeu.
— Oi Ben, você pode me fazer um favor?—  Perguntei.
— Claro, pode sim, eu estou aqui para servir.— Falou ele.
—  Será que você pode ir buscar o Justin na escola?— Perguntei.
— Claro, pode deixar, eu vou agora mesmo.—  Falou se despedindo.
— Ok, tchau.— Falei me despedindo.
—  Tchau.—  Falou desligando.
Assim que Ben desligou, eu resolvi ligar para casa, pois hoje pediria que a Liz  fizesse um jantar romântico para mim e para o Justin, por que hoje mesmo cansada, eu faria tudo para seduzi-lo.
—  Casa dos Bieber, bom dia.—  Ouvi a voz da Liz.
— Liz, oi aqui é a Selena, eu quero que você organize um jantar romântico simples, com a comida preferida do Justin, ou seja lasanha com suco de laranja e quero também que você coloque um vinho branco no gelo. Pois hoje o Justin vai trazer a sua namorada por isso que quando você terminar de preparar tudo quero que tire a noite de folga, assim como todos os outros funcionários, menos os seguranças. Hoje ele vai querer privacidade.—  Menti.
— Senhora, amanhã eu vou sair depois do café para fazer um exame de rotina, mais eu vou voltar antes do almoço.—  Falou ela.
— Tudo bem.—  Falei.— Tchau.— Me despedi.
— Tchau.—  Respondeu ela desligando.

***
Chegava em casa depois de mais um dia cansativo de trabalho. Se eu não estivesse que   jantar com o Justin, eu subiria para o quarto, tomaria banho, deitaria na cama e acordaria apenas amanhã.
Mais valeria a pena, eu queria saber até onde essas nossas provocações dariam. Eu já tinha tudo esquematizado em minha cabeça do que aconteceria essa noite. Caminhei pela sala e  ainda vi que a casa estava muito silenciosa.  Fui até a cozinha e vi  que Liza terminava de arrumar a mesa.

Narrador:

— Boa noite senhora.— Saudou Liza, assim que percebeu a presença de Selena na cozinha.
  — Boa noite Liza, está tudo muito lindo, parabéns.—  Selena elogiou  sorrindo.
— Obrigada senhora.— Agradeceu Liz. Lisa estava um pouco desconfiada de tudo, por que Selena pediu que ela organizasse um jantar romântico, para que Justin apresentasse  uma namorada para a mesma, mais hoje mesmo Justin avisou que não precisava fazer o jantar para ele, por que passaria a noite na casa de um novo amigo.
— Liz, o Justin está no quarto?— Perguntou Selena e Liza se virou para encara-la.
—  Não, ele disse que passaria a noite na casa de um amigo.— Falou  Liza e Selena congelou na mesma hora.
 —  Como assim? pensei que ele fosse jantar com a Hayley.—  Selena mentiu o nome da tal garota.
— Precisa continuar arrumando?— Perguntou Liz apontando para a mesa.
— Sim, eu vou ligar para ele e perguntar. Quando você terminar, pode ir embora.— Falou Selena e Liz assentiu.

Justin P.o.v.s

Agora eu jogava vídeo game no quarto de Harry. Nós somos amigos  que eu comecei a frequentar o colégio, ou seja, dois dias depois de chegar na cidade. Nos conhecemos no banheiro da escola.

Flach Black On.

Era mais um horário vago na minha sala, eu estava achando o ritmo dessa escola tão chata, era muito diferente da minha antiga, lá eu tinha amigos, paqueras e todos me conheciam, mais aqui não, aqui são todos desconhecidos, alguns fizeram questão de deixarem claro que não gostam de mim, algumas garotas me cumprimentavam com um sorriso, eu tinha certeza que aquilo era apenas um sorriso de deboche. Tinha os garotos populares que só vivia cercados de garotas, e tinha aqueles que resolviam não demonstrar nada, apenas ficava no seu lugar. Eu era o tipo de nerd, não nerd em si, mais aquele nerd que fazia todas as atividade.
Me levantei da minha cadeira,  decidi que iria ao banheiro. Sai da sala e comecei a caminhar pelos corredores vazio. Enquanto passava pelas salas via os professores explicando algo que tinham escrito nos quadros, outros reclamando com os alunos por não estarem prestando atenção. De acordo com as salas que eu passava, era algo diferente que acontecia, até chegar o fim do corredor e ouvi gritos,  a bagunça da sala considerada a mais bagunceira de toda a escola.
Abri a porta do banheiro caso a descrição que havia  na placa anunciava que era masculino e eu adentrei o mesmo.
Caminhei pelo banheiro, vendo as mesmas coisas que todos , frases como:
" Quero fuder sua bocetinha"
" Vadias vão ser sempre vadias, não adianta tentar a mudança".
Também tinha desenhos pornográficos, mulheres nuas com uma mão em um dos seios fartos e a outra na intimidade, enquanto ela se mentiam de pernas abertas e se masturbava e de homens também se masturbando, desenhado nas paredes. " Que depravação, nossa, essa nem parece ser a melhor escola particular da cidade"- Pensou eu caminhando em direção a o espelho.  Chegando enfrente a o mesmo, olhei a minha expressão no espelho e fiquei olhando minha reflexão no espelho e gostando do que via. Comecei a ajeitar o meu cabelo. Resolvi que iria em um dos banheiros que havia vaso.  Quando entrei e fechei a porta, foi quando ouviu vozes e passos se aproximando do banheiro.
— Vocês viram a cara dele, quando viu a sua namorada beijando o irmão?— Uma voz grossa tomou conta do local, assim que ouvi a porta sendo aberta.   
— Ele quase chorou, mais que pena que ele se segurou, o choro dele tinha mais um charme ao vídeo.— Outra voz, só que dessa vez mais aguda, debochou da situação.
— Ele parecia aquelas menininhas  fresquinhas quando veem seus namorados as  traindo.— Riu o terceiro garoto da voz mais fina. Os garotos
continuaram conversando por mais ou menos 2 minutos, até resolveram ir embora.
 Quando resolvi sair do banheiro, ouvi a mesma ser aberta rapidamente e bater brutalmente na parede, então
desisti de sair.
— VADIA...VADIA INTERESSEIRA.— Ouvi os gritos  e logo depois a porta do banheiro onde eu começar a ser esmurrada. Abri a porta afim de ver quem fazia aquilo, quase fui acertado por um soco de Harry, um dos garotos mais populares da escola.  e eu não tivesse se esquivado para o lado esquerdo, o punho dele tinha acertado o meu olho. Harry virou para a parede e começou a soca-la.
— PARA COM ISSO.—  Gritei o vendo esmurra mais rápido.—
— PARA COM ISSO.— Gritei novamente tentando segurar o seu braço.
— ME DEIXA EM PAZ.—  Gritou ele dando um soco no espelho e eu vi os cacos se espalharem pelo chão. Olhei para as suas mãos e vi que estava machucadas,  e o sangue dos seus dedos desciam pelas suas mãos. Ele socou a torneira e eu vi a rajada de água acertar o Harry.— EU A ODEIO,EU ODEIO AQUELA VADIA.— Gritou se encostando na parede e deslizando com facilidade, já que estava molhado, até o chão e começou a se desesperar.
— O que aconteceu?— Perguntei preocupado.
— Por que você está preocupado comigo?— Perguntou me encarando com os olhos vermelhos.
— Eu não sei.— Respondi desligando o registro que permitia a entrada da água no banheiro e vi a mesma parar de derramar, então, eu sentei ao  seu lado.— Você quer falar sobre o que te deixou assim?— Perguntei vendo ele tirar a cabeça dentre os joelhos e me encarar.
— Eu vi a minha namorada beijando o meu ir... inimigo.—
— Nossa!—
— Eu vou matar o meu irmão.—
— Quem é o seu irmão.—
— Zayn.—
— Zayn Styles?—
— É ele mesmo.—
— Vocês estão mais para inimigos do que para irmãos, vocês se tratam de um jeito estranho, como se quisesse matar um ao outro.— Falei.— Vocês se tratam desse jeito em casa?—
— Somos piores,  a nossa mãe já saiu muitas vezes de casa por que não aguentava mais as nossas brigas.— Respondeu sorrindo com os olhos lacrimejando.
— Ela ainda sai de casa quando vocês brigam?— Perguntei e vi uma lágrima escorreu pelo seu olhar perdido. Droga! Perguntei demais.
— Ela morreu de um infarto, quando Zayn apontou uma arma para mim e atirou na parede, por que não sabia usar, então a minha mãe caiu no chão e não deu tempo dela chegar ao hospital, e morreu, mais antes, disso ela tentou nos fazer prometer ela nunca mais brigaríamos, mais Zayn era tão cabeça dura que não aceitou, então, por ser o último pedido da minha mãe, eu prometi que tentaria evitar as brigas, por isso vim para o banheiro, para não socar a cara dele e quebrar a promessa que eu fiz a minha mãe.— Falou ele limpando as lágrimas.
—  Eu sinto muito.— Lamentei. — Vocês ainda moram juntos?— Perguntei me emocionando.
— Infelizmente sim. Ainda bem que o nosso pai mora com a gente, senão eu já tinha perdido minha paciência—  Respondeu cabisbaixo.
— Bem, agora vamos levar uma bronca do diretor ou até mesmo sermos expulsos.— Falei levantando e o ajudando também a levantar.
— Não, não vamos ser expulsos, o diretor é corrupto, dando uma quantidade a mais pelo estrago que causou, ele esconde tudo dos seus pais, o que você quiser. Até mesmo que você foi pego com drogas na escola.— Falou sorrindo.
— Você já foi pego com drogas na escola e ainda subornou o diretor para que ele não contasse para...?— Perguntei.

Flash Back OFF.

Essa já era a décima quinta partida e Harry havia ganhado mais da metade delas.
— Ah, não vale, você sempre faz alguma coisa para eu perder.— Falei mexendo no seu controle.
— Você sempre dizendo a mesma coisa de sempre né amigo?— Falou me olhando.
— Ah, para de ser chato, você sempre  faz algo para que eu perca.— Falei sorrindo.
— Justin...— Me chamou e eu o encarei.— Por que ao invés de você está com a sua madrasta, na sua casa, você prefere passar a noite junto comigo, jogando videogame jogando também conversa fora?— Perguntou e eu levei os olhos a TV que estava em pause.
— Sei lá, eu estava cansado de ficar em casa.— Falei dando de ombro e tirando o jogo de pause.
— Quem em sã consciência deixa de ficar em casa com uma mulher gostosa como aquela sua madrasta e vem jogar videogame com o amigo?— Perguntou me olhando.
— Você já sentiu atração por alguém que não podia ter?— Perguntei me concentrando no jogo.
— Claro!— Foi direto.
— E o que aconteceu?— Perguntei curioso.
— Eu fiquei com ela.— Respondeu.
— Mesmo sabendo que era errado e que você corre risco de magoar as pessoas que você ama?— Perguntei voltando a dar pause no jogo e voltando a encara-lo.
— Você tem que aprender uma coisa Justin, nessa sociedade em que vivemos hoje,  as pessoas, não se importam se vão ou não magoar pessoas queridas, elas só fazem aquilo que as dar prazer e que tragam benefícios para ela.— Falou.— Olha,  eu quero que você fique com esses filmes pornô e esse lubrificar dor, para você aprender mais ou menos como é, e quero também que você pesquise coisas na internet, tudo que você acha  que precisa saber sobre sexo.— Falou me entregando vários filmes.
— Por que você está me dando isso?— Perguntei sem entender.
— Eu quero que quando você for ficar pela primeira vez com uma garota, você saber alguma coisa pelo menos.— Explicou.
— Tudo bem.— Respondi e eu ouvi meu celular tocar em cima do outro sofá. Fui até lá e o peguei, vendo que quem me ligava era a Selena. Fiquei incerto, se atendia ou não, mais quando lembrei que Harry havia me falado, então  resolvi atender.
— Oi Selena.— Falei assim que atendi, e vi um sorriso malicioso brotar no rosto de Harry.
— Oi Justin, eu só liguei para perguntar se você vai jantar em casa.—
— Não, eu vou dormir aqui na Harry.—
— Mais Justin, eu fiz sua comida preferida.—
— Mais não vai dar para eu ir, eu... vamos passar a noite toda jogando videogame.—
— Mais você tem aula amanhã.—
— Eu sei mais eu vou ficar bem...— Ouvi ela suspirar pesado.— A menos que...— dei uma pausa.
— A menos que o que?—
— A menos que o Harry vá também.— Ouvi ela bufar e alguns segundos ou até minutos para responder.
— Pode ser, contanto que você venha jantar é o bastante.— Falou ela desligando.

Continua...
 


Notas Finais


COMENTEM E FAVORITEM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...