História Meu Enteado Quase Inocente - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Lu678

Postado
Categorias Justin Bieber, One Direction, Selena Gomez
Personagens Harry Styles, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Kendall Jenner, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Selena Gomez, Taylor Swift, Zayn Malik
Tags Brigas, Ciumes, One Direction, Perseguição, Revelaçoes, Romance & Suspense, Selena Gomez
Exibições 147
Palavras 3.419
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Droubble, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Justin...onde está você? Onde está o doce e gentil Justin? que rebeldia, nossa, eu não te entendo, caro Justin, mais eu vou maneirar, já que você está confuso. Justin, você realmente pegou pesado quando chamou a Selena de vadia, não acha? e a sua briga com o Harry? realmente a loucura está a solta na casa dos Bieber, rsrsrsrs.
Boa madrugada, Mys Loves... Por favor, comente e favoritem ai para me ajudar com essa fic. Eu vou adorar muito. Aproveitem a leitura meus leitores maravilhosos e espero que esse capítulo esteja ao gosto de vocês... Tchauzinho.

Capítulo 4 - Surpresa


Fanfic / Fanfiction Meu Enteado Quase Inocente - Capítulo 4 - Surpresa

Liza P.o.v.s.

 Cheguei as 5:00 em ponto e fui direto para a cozinha fazer o café da manhã, já que hoje eu iria sair mais cedo para fazer o meu exame de rotina, mais  tinha algo que estava me incomodando, eu não parava de pensar no jantar que a senhora Selena havia pedido para eu prepara para o Justin, mais o estranho que o mesmo, não havia comentado nada, nem que iria trazer uma garota para jantar aqui, seja lá o que aconteceu ontem eu não tenho nada a ver com isso, eu tenho que deixar isso para lá e tentar esquecer, além do mais eu sou só uma empregada, e não devo me meter em assunto de patroa. Só espero que não seja o que eu estou imaginando, isso seria pecado além de ser bastante errado, o senhor Jeremy não merece nada disso.
Tratei de afastar esses pensamentos e focar no café da manhã queria terminar logo,  ir fazer os meus exames. E foi com esse pensamento que comecei a preparar o café.
Depois de preparar o café, fui colocar a mesma  e vi que minha afilhada estava lavando a louça.
— Bom dia Madrinha.— Saudou vindo em minha direção e dando um beijo em minha bochecha.
— Boa dia Marta.— Respondi.
— Nossa Madrinha, você não acha estranho esse tanto de louça que tem para lavar, logo nos dias que o Jeremy foi embora?— Perguntou Marta parando vez ou outra, para me encarar.
— Filha pare de reclamar do serviço e volte a trabalhar.— Falei um pouco irritada.
— Não estou falando disso madrinha, eu estou falando que é estranho o jeito que a Selena fala, olha e toca o Justin, ela não parece tratar ele como enteado ou como filho e sim como se ele fosse namorado. Mais tudo começou a ficar mais estranho a três meses atrás e a cada dia, só fica mais estranho.— Falou ela enquanto eu  terminando de colocar a mesa.
— De onde você tirou isso menina?— Perguntei e ela me olhou.
— Desde que o patrão viajou, ela vive nos dispensando para passar a noite a sós com ele, você acha que ela faz o que nessa casa tão grande e com aquele gostoso do Justin?— Perguntou ela me olhando.
— É melhor você parar de falar besteira, senão você vai ser demitida.— Falei séria.
— Mas madrinha é a pura verdade, mesmo que o Justin seja gostoso, se fosse eu, nunca trocaria o Jeremy pelo filho dele, tem gente que não sabe dar valor as coisas boas que tem, além do mais ele é um empresario, milionário.— Falou. Os  seus olhos sempre brilhavam quando ela falava em dinheiro.
— Basta Marta, pra mim já deu dessa história, é melhor você ir embora fazer suas coisas, você ainda tem que me acompanhar no médico para eu fazer os meus exames.— Falei querendo colocar um ponto final na conversa.
— Eu vou mostrar a senhora como eu estou falando a verdade, a senhora vai ver.— Falou tirando o avental e jogando em cima da bancada, e  saindo, eu apenas a acompanhei, saindo em seguida.

Justin P.o.v.s

Acordei com uma baita dor de cabeça. Sentei na cama e levei a mão a testa, na intenção de fazer com que aquela dor infernal e absurda, que eu nunca tinha sentido, parasse naquela hora, mais não foi o que aconteceu, quer dizer, aconteceu totalmente ao contrário, com o toque a minha cabeça só piorou.
Olhei para o despertador ao meu lado e vi que era 7:59, me senti ser acertado por flechas da noite passada, não acredito que eu rasguei a roupa da Selena e tentei abusa dela. Mordi o lábio inferior ao lembrar dos seus seios perfeitamente redondos e fartos, Nossa como aquela mulher me tirava do sério, não sei até onde resistiria as suas tentações e nem muito menos sabia se queria mesmo resistir. Sim, eu estava disposto a ceder as suas tentações e ela não precisaria de muito para  conseguir.    
 Percebi que estava apenas coberto por um roupão, então Levantei da cama e sentir uma tontura, então cabaliei para o lado. Esfreguei os olhos para que aquela tontura passasse, mais foi em vão, pois não parou. Caminhei em direção ao meu closet e procurei uma camisa, optei pela uma branca. Sai do mesmo e caminhei até a gaveta de boxe, peguei uma preta e  fui para banheiro. Minutos  depois eu sai do banheiro e caminhei pelo quarto, já saindo do mesmo. Caminhei pelo corredor e desci as escadas, indo em direção a cozinha. Quando cheguei, percebi que o café  já estava na mesa, mais com certeza não estava com vontade de comer, olhei em direção a geladeira e vi que havia um bilhetinho.
" fui ao médico, volto assim que puder. De Lize"

Mais não dei importância, pois não era um aviso para mim. Fui até as gavetas do armário onde a Liz guardava os remédios. Abri a mesma e procurei uma aspirina, mais não encontrei, então comecei a abrir as outras gavetas, na esperança de que encontrasse, mais não, não encontrei nada. Senti a raiva percorrer as minhas veias e comecei a abrir as portas do mesmo, as fechando com brutalidade, fazendo com que fizesse um barulho alto, se espalhasse por toda a casa, a cada vez que não encontrava os comprimidos.
—  Bom dia, Justin.— Ouvi a voz de Selena  e fechei as mãos em punhos, e segundos depois eu me virei, com calma  para encara-la. Tive uma grande surpresa, quando a olhei de cima a baixo e vi que ela estava com a camisa do Harry. Se eu já estava com raiva, aquilo me deixou mais ainda. Senti o meu sangue subi por todo o meu corpo até a minha cabeça, se ela estava com a camisa do Harry isso queria dizer que eles fizeram amor,  então comecei a caminhar lentamente em passos largos em sua direção, afim de arrancar aquilo dela.

Selena P.o.v.s
 
Acordei mais mantive os meus olhos fechados enquanto ouvia barulhos vindo do andar de baixo, rolei os olhos para o despertador e vi que era mais de 8:09 horas. Levantei da cama muito cansada e me arrastei até o banheiro. Algum tempo depois, eu sai do mesmo e acompanhei o barulho, que vinha da cozinha, quando entrei no mesma, vi Justin quase quebrando as portas do armários.
   — Bom dia, Justin.— Falei o vendo de costas. Vi que ele não virou imediatamente, mais não demorou muito para que ele virasse. Sua expressão passou de espanto para completa raiva assim que ele me olhou de cima a baixo. Vi ele caminhar em passos lentos em minha direção e eu apenas andava de costas. Logo sentir as parede em minhas costas, mais Justin não parou, continuou vindo em direção.    
— Por que você está com a camisa do Harry?— Perguntou ele chegando ainda mais perto de mim.— Vocês não...?— Deu uma pausa engolindo em seco e quando eu abri a boca para responder, Justin resolveu continuar.—  Vocês fizeram amor? é isso?— Perguntou apertando os meus punhos. Os seus olhos estavam marejados, só de cogitar a possibilidade de que Harry e eu termos transado, resolvi que o provocaria.   
 — Justin, me solta,  eu não te devo explicação.— Falei e ele arregalou os olhos, soltando o meus punhos, dando as costas para mim, já assanhando os cabelos.
— Como você pode fazer isso com o meu pai? já não bastava você se jogar para cima de mim, ainda tem que se jogar para cima do meu melhor amigo e ainda faz. Amor. Com. Ele?— Perguntou pausadamente parecendo não acreditar.—  Sinceramente, ainda bem que eu não cai nas suas provocações e perdi minha virgindade com uma vadia igual a você.— Falou e eu não pensei duas vezes antes de dar um tapa em seu rosto fazendo o barulho ecoar por toda a cozinha. Vi o seu rosto ser virado com o impacto e quando ele me  encarou pude ver que a minha mão ficou desenhado no seu rosto. Ele me encarava parecendo não acreditar que eu fui capaz de dar um tapa em seu rosto e naquele momento senti os meus olhos lacrimejarem, tratei imediatamente de me desculpar, ou pelo menos tentar.
— Me... me des...desculpe... me desculpe.—  Pedi gaguejando.
—  Com...como...você pode?— Perguntou e vi uma lágrima rolar, a mesma que Justin imediatamente  tratou de limpar.— Eu te odeio, vadia.— Falou ele e eu me deixei emocionar com aquelas palavras.
— Não chama ela assim, cara.— Ouvi uma voz rouca e eu deduzi que seria o Harry, pois tirando eu e Justin, ele era o único que estava na casa.
— Quem é você para mim dizer o que fazer? ontem você era apenas o meu melhor amigo, te trago para a minha casa e você trai a minha confiança desse jeito?—  Perguntou expressando toda sua raiva nas palavras.
— Justin, do que você está falando, cara?—  Perguntou Styles sem entender nada.
— Não finja que você não sabe, Harry.— Falou Justin caminhando e apontando o dedo para Harry. Mais eu o  interrompido, colocando a mão em seu peito.
— Justin para, eu não quero confusão.— Falei autoritária.
— Fica longe de mim.— Falou Justin me empurrando para longe e os meus cabelos foram todos para o meu rosto, cobrindo toda a minha visão. Puxei os mesmos para cima, os tirando do meu rosto.
—  Cara, não faz isso com ela.— Pediu Harry e Justin foi em sua direção e deu um grande soco em seu rosto, fazendo com que o mesmo caísse.
—  PARA COM ISSO JUSTIN, SOBE AGORA E  SE TROCA, VOCÊ VAI PARA A ESCOLA.— Gritei e ele me olhou.
—  NÃO, VOCÊ NÃO É MINHA MÃE.—  Gritou apontando para mim.
— NÃO, EU NÃO SOU A SUA MÃE, MAIS SOU A SUA MADRASTA E ENQUANTO O SEU PAI ESTIVER FORA, EU SOU RESPONSÁVEL POR VOCÊ. POR TANTO, SUBA  AGORA E SE TROQUE, EU VOU PEDI PARA O BEN TE LEVAR.— Gritei novamente.
— Mai..mais... você não vai me levar?— Perguntou Justin me olhando.
— Não! eu vou levar o Harry para casa.— Falei e ele caminhou rapidamente, saindo da cozinha. Fui até Harry e o ajudei a levantar. Ele caminhou em direção da mesa e eu puxei a cadeira para que ele sentasse.
—  Você está bem?— Perguntei sorrindo fraco.
—  Eu acho que sim. O Justin é bom com o punho.— Falou sorrindo e massageando o local onde Justin havia acertado.
—   Que bom que você está bem.—  Sorri.— Você não vai para a escola?— Perguntei.
— Não.— Respondeu me olhando.
—  Por que?—
— Por que não vai dar tempo, pois eu ainda preciso passar em casa e me trocar.— Respondeu dando de ombro.
— Porque você não se troca aqui e  vai para a escola?— Perguntei sorrindo.
—  Eu não trouxe roupa.— Respondeu cosando a nuca.
— Eu posso te emprestar uma roupa do Justin.—
— Não, melhor não, depois de tudo isso, não é uma boa ideia.—  
— Relaxe, hoje mesmo você devolve. Garanto que o Justin não vai se incomodar em emprestar uma roupa para o seu melhor amigo.— Falei e ele sorriu.
—  Tudo bem.— Respondeu concordando.  
Fui até a lavanderia e peguei uma roupa de Justin, dando para Harry que imediatamente foi se arrumar e eu também fui para o meu quarto se vestir, já que estava apenas com a camisa do Justin e um shortinho do baby doo.
Algum tempo depois...
Agora Harry e eu já estávamos a caminho da escola.
Quando o deixei lá, Harry, deu um beijo em minha bochecha e entrou para a escola.
Continuei dirigindo, dessa vez para a minha clínica, chegando, a Letícia já tinha a brindo a mesma, pois a entreguei a chave reserva. Assim que adentrei a mesma, pude ver o quanto estava cheio, para ser um começo de semana até que a movimentação estava boa.

***

Narrador:

Na escola...

Justin e Harry se mentiam afastados, os mais afastados possíveis. A terceira aula já havia acabado e eles já saiam da sala para a hora do recreio, Justin havia percebido que o amigo estava com a sua roupa e ficou furioso, não por que era uma qualquer e sim, por que era a roupa que a sua mãe o pressentiu antes de viajar, por isso decidiu que iria tirar satisfação daquilo.
— Ei Harry, eu reconheço o que você está vestindo.—  Falou Justin apontando para Harry, que estava perto de um amigo que ficou espantado com a acusação.
—  Aqui não cara.— Falou Harry se afastando do outro amigo e se aproximando de Justin.
—  SIM, AQUI E AGORA É O MOMENTO CERTO PARA ISSO.—  Gritou Justin chamando a atenção de todos que estava no pátio.
—  JUSTIN, PARA.—  Ordenou Harry gritando e agora todos os alunos da escola estava em volta deles.
— GENTE, SE APROXIMEM,  AQUI VAI  ACONTECER A BRIGA DO QUASE POPULAR E DO QUASE NERD.—  Gritou Zayn e as pessoas que estavam longe, agora já se aproximavam.      
—  CALA A BOCA IDIOTA, NINGUÉM AQUI VAI BRIGAR.—  Gritou Harry e Zayn sorriu.
—  BRIGA, BRIGA, BRIGA.—  Gritou Zayn sendo acompanhado por alguns garotos e logo por toda a escola.
—  VAI HARRY, VOCÊ CONSEGUE, EU ACREDITO EM VOCÊ.—  Gritou um garoto do grupo de Zayn que agora debochava e riu junto com os outros.
—  ME POUPE, POR FAVOR, EU NÃO PRECISO PROVAR QUE EU SOU CAPAZ DE BRIGAR, PARA NENHUM DE VOCÊ.—  Gritou Harry, já empurrando as pessoas na sua frente para que pudesse sair grande roda de pessoas que se formou em sua volta.
—  VOCÊ PODE ATÉ NÃO QUERER BRIGAR, MAIS EU QUERO, É AQUELE DITADO: QUANDO UM NÃO QUER, QUEIRA POR VOCÊ E POR ELE.—  Gritou Justin puxando Harry pela camisa e desferindo um soco em seu rosto.—  A SELENA NÃO PODIA TER FEITO ISSO, ELA NÃO É DONA DA MINHAS COISAS, MUITO MENOS MINHA DONA.—  Gritou o garoto, desferindo mais um soco no rosto de Harry, enquanto ainda segurava na camisa do amigo.
—  VAI HARRY, NÃO DEIXA ELE TE BATER, REAGE E FAZ JUS A FAMÍLIA DA QUAL VOCÊ PERTENCE.—  Gritou Zayn já irritado, vendo que o irmão levar socos por todo o rosto e corpo.
—  EU NÃO VOU BATER NELE, EU TENHO 18 ANOS E ELE TEM APENAS 16, EU NÃO POSSO BATER EM ALGUÉM MAIS NOVO QUE EU.—  Gritou Harry sentindo mais um soco em seu abdome e agora já saia o sangue escorrer pelo seu nariz e boca.
 
—  BASTA VOCÊ DOIS, VÃO TODOS PARA A SALA, O RECREIO ACABOU PARA VOCÊS.—  Gritou o diretor e todos se espalhavam por toda a escola. Harry estava machucado, seu nariz e sua boca escoriam sangue e seu rosto tinha alguns inchaços. Quando o mesmo começou a caminhar em direção ao banheiro e Justin começou a caminhar em direção a sala, foram interrompidos pelo diretor.—  Eu disse que os alunos fossem para a sala, não os dois que causaram essa verdadeira confusão na minha escola. Harry Edward Styles e Justin Drew Bieber, para a diretoria. Já.— Ordenou o diretor muito irritado. Justin e Harry caminharam em direção a diretoria e foram acompanhados pelo diretor. Assim que chegaram lá, o diretor ordenou que eles sentassem a sua frente.
—  Bem, eu ando observando nos últimos meses e vejo que vocês estão andando juntos,  como verdadeiros amigos. Me respondam uma coisa: Por que vocês brigaram hoje?—  Perguntou Wilson olhando para os garotos.
— Olha, ele me provocou e eu...— Justin tentou explicar, mais Harry o interrompeu.
— Eu te provoquei? tem certeza que eu quem provoquei toda aquela confusão? ha,ha,ha, não foi eu quem fui até você e comecei a lhe ofender e gritar com ou foi? nossa garoto, ver se cresce.—Provocou Harry já sentindo os olhos queimarem de ódio.
— É, tem razão, a culpa é minha, se eu não tivesse te levado para a minha casa ontem, nada disso estaria acontecendo, mais olhando de outro ponto,  vi que isso serviu, SERVIU PARA QUE EU ABRISSE OS OLHOS E VISSE QUE VOCÊ NÃO É QUEM EU PENSAVA QUE VOCÊ ERA, VOCÊ  APENAS QUIS SE APROXIMAR DE MIM COM A INTENÇÃO DE CONSEGUIR OUTRAS COISAS.—Gritou Justin e Wilson arregalou os olhos com a atitude do garoto.
— EU NUNCA ME APROXIMEI DE VOCÊ COM A INTENÇÃO DE ARRANCAR ALGO, NA VERDADE, EU NUNCA QUIS ME APROXIMAR DE VOCÊ, FOI O DESTINO QUE QUIS.— Gritou Harry.
— CALA A BOCA, OS DOIS.—Gritou o diretor Wilson batendo na mesa e os dois olharam para o mesmo.— Harry, onde está o seu pai?—Perguntou ele respirando fundo.
— No hospital, como sempre.— Respondeu Harry cruzando os braços na altura do peitoral.
— O número dele é o mesmo?— Perguntou ele o diretor pegando o telefone.
— Sim senhor.— Respondeu Harry cabisbaixo.
— Não, não vou falar com ele por telefone, vou fazer melhor, quem sabe uma visita naquele hospital vai fazer bem para a sua educação.— Falou colocando o telefone de volta no lugar.
— O senhor não pode fazer isso. Quanto quer para deixar o meu pai fora disso?— Perguntou Harry pegando a carteira no bolso e a abrindo. O diretor olhou para Justin desconfortável e depois baixou a cabeça.  
 — Você está querendo me comprar? é isso?— Perguntou o diretor Wilson, agora encarando Harry.
— Eu já fiz isso tanta vezes, que até perdeu a graça, você não acha?— Perguntou Harry sorrindo de lado e sentindo os machucados do canto de sua boca arderem.
— O senhor Styles vai saber de todas as coisas que eu escondi desde sempre.— Falou Wilson irritado.
— Pensa só comigo diretor Wilson: Se o senhor disser ao meu pai tudo o que eu fiz desde do começo do ano, ele vai te perguntar qual foi o motivo do senhor não ter falado assim que aconteceu, e então por acaso eu vou responder que foi por que eu sempre te calei com dinheiro.  Ele vai ficar absurdamente revoltado e vai falar com os pais dos outros alunos da escola, na expectativa de que eles aceitem tirar os seus filhos da escola ou optar por tirar o senhor e colocar alguém competente de verdade. E eu? bem, eu vou ficar de castigo por alguns dias, até mesmo meses mais eu vou sair do castigo e voltar para a minha velha e boa vida. E ai fica a pergunta que não quer calar, vale mesmo a pena me dedurar?— Perguntou Harry, vendo o diretor levantar o olhar para ele.
       — Tudo bem Harry.— Falou o diretor.
— Eu posso ir?— Perguntou Justin levantando da cadeira.
— Claro que não, eu preciso falar com o seu pai, sobre o comportamento rebelde que você anda tendo na escola. Ele está em casa? me passa o número do telefone fixo.— Pediu ele pegando o telefone novamente.
— O meu pai está viajando a dois dias.— Respondeu o encarando.
— Então, escreva aqui o número de alguém responsável por você e embaixo, coloque o nome da pessoa e o parentesco.— Falou o diretor Wilson arrastando o papel para frente de Justin e depois colocou a caneta em cima.
— Eu não tenho ninguém responsável por mim.— Respondeu Justin dando de ombros e Harry o olhou sem entender.
— O seu pai viajou e te deixou sozinho?— Perguntou o diretor franzindo a sobrancelha.
— É. Eu sei que é muito difícil de acreditar, mais é a verdade.—  Respondeu Justin.
— Como você pode mentir assim na cara dura? você tem a Selena e ela é uma boa madrasta.— Falou Harry olhando para Justin.
— Como assim ele disse que não tinha alguém responsável por você, quando tinha a sua madrasta?— Perguntou o diretor.
— Você não tem nada que se meter na minha vida, então cala a boca idiota.— Falou Justin com raiva.
— Justin, eu exijo que você coloque o número da sua madrasta nesse papel.— Ordenou Wilson.
— Não, eu não vou fazer isso.— Negou Justin levantando da cadeira e caminhando em direção a porta.
— Se você não me der esse número, pode se considerar um aluno repetente.— Ameaçou o diretor e Justin arregalou os olhos, assim como o Harry, que abriu a boca em mesão de espanto. Justin por alguns segundos, pensou em tudo, por isso voltou a o birô do diretor e pegou a caneta, escrevendo o número da madrasta, mesmo estando com muita raiva de Selena, teria que fazer isso, pelo o seu pai, pela sua mãe, por ele mesmo e pelo o seu futuro.
—  Quando eu vou poder sair daqui? eu não quero nunca mais, ficar no mesmo cômodo que esse mal caráter traidor.— Falou Justin.
— Quando a sua madrasta vier e eu conversar com ela, já tenho até a detenção perfeita para os dois.— falou Wilson digitando no telefone, o número de Selena que estava escrito no papel e já colocando para chamar. Depois do segundo toque a mulher atende.

— Alô?— Falou Selena assim que atendeu.

Continua...  
 


Notas Finais


FAVORITEM E COMETEM PLEASE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...