História Meu Estúpido Coração - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Amor, Confusão, Europa, Faculdade, Lealdade, Paris, Realeza
Exibições 7
Palavras 2.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Falei, esse cresceu mais. Hsushsusu, a tendência é aumentar em!

Capítulo 3 - Faculdade II


Fanfic / Fanfiction Meu Estúpido Coração - Capítulo 3 - Faculdade II

NARRADOR ON

Davos havia acabado de descer do carro de sua mãe, ele olhou algumas vezes para trás, na esperança de ela resolver voltar atrás com suas palavras, mas ele sabia muito bem como sua mãe sabia ser bem persuasiva quando queria, o garoto logo notou que era melhor dar-se por vencido, David por outro lado, parecia divertido com o que estava acontecendo, os dois garotos estavam com seus, agora dezoito anos de idade e prestes a começar a ver a vida de outra forma, de viver de outra forma. Ambos moravam na Europa, mais precisamente em Paris, na França, irmãos gêmeos e seus nomes; Davos Grümmer e David Grümmer.

NARRADOR OFF

Ok, muito metido esse narrador. Não deixou sequer eu falar a meu respeito nesse capítulo, mas então, vamos ao que realmente interessa. Cá estou eu, entrando na faculdade mais conhecida de Paris, cujo nome era a coisa mais tosca que já vi na vida, Universidade de Paris - UniParis. David como sempre já estava adiantado, a minha frente e por sinal estava conversando com algumas garotas, ele só vivia disso, eu queria ver como ele iria ter um futuro sendo que sequer se preocupava com o fato de estar na faculdade, embora eu também não estivesse tão entusiasmado assim, sempre fui bom em tudo que faço, portanto assim o seria nesse lugar chato, também. Pensei umas seis vezes antes de decidir se salvava ou não aquelas garotas do charme idiota do meu irmão gêmeo, eis que no fim, puxei ele pela gola da camisa avisando as moças que era um prazer está salvando-as de David.

— Será que dava para você controlar esse seu amiguinho entre as pernas até o fim do dia? Obrigado. — Revirei os olhos e soltei a gola da camisa dele, ele saiu reclamando e me insultando enquanto ia direto para a reitoria, como sempre ia na frente e eu atrás distraído e mexendo em meu iPhone 7, recém comprado e lançado. Parecia que tudo estava conspirando contra mim, a garota por quem eu tinha uma paixão secreta e uma amizade verdadeira, estava namorando com um dos meus amigos, o que me deixou de fato frustrado e um pouco irritado, mas não iria me importar com isso por enquanto, meu problema era maior que uma garota.

Já estava em frente a sala da reitoria, quando David me chamou atenção para entrar com ele, dei de ombros e o fiz, lá dentro não demoramos muito, apenas assinamos alguns papéis e escolhemos de fato, o curso que desejamos, fiquei com Arquitetura e David escolheu Administração, eu até pensei em soltar uma gargalhada, mas me contive, pelo menos enquanto estivesse dentro daquela sala, com um homem barbudo e bem arrumado me olhando, no entanto, assim que pusemos os pés para o lado de fora, eu me danei a rir, não era uma espécie de gargalhada escandalosa, era apenas uma risada debochada, ele mal sabia fazer contas no colegial, embora tenhamos estudado em casa até hoje, dirá a matemática que envolvia a administração. — Você não consegue nem somar um mais um, dira cálculos extremamente complicados. — Ele revirou os olhos e ficou debochando do meu jeito de falar.

— Quer bem dizer que você sabe desenhar. — Eu fiz careta pra ele e peguei minhas coisas, indo até o armário que me deram, deixei ele pra trás debochando de mim, eu não era obrigado a aguentar, mas adorava fazer. Certo, você deve estar se perguntando como vou fazer Arquitetura se não sei desenhar? Ah, simples. Vou fazer um curso ué, assim eu aprendo. Isso realmente não vem ao caso, vou fazer Arquitetura e quem achar ruim, que morda a própria bunda.

NARRADOR ON

O príncipe comportado, acabou deixando de lado aquele seu momento de discussão com o leitor e resolveu se encaminhar para sua sala de aula, assim como o seu irmão, o príncipe festeiro, embora Davos não soubesse qual era sua sala, mas mesmo assim, depois de ler o papel que tinha em mãos e prontamente visualizar que sua sala era a número dezessete, logo o garoto se guiou até a mesma. Ele nunca gostou de pedir ajuda e por si só resolveu procurar, depois de rodar duas vezes pelo lugar, ele avistou uma única sala com essa numeração, caminhou de prontidão em direção a mesma, mas ao adentrar, sentiu um impacto forte junto de sua cabeça e corpo, havia sido um encontrão.

NARRADOR OFF

Esse narrador é metido, nan. Enfim, eu tava andando até a sala é dei de frente com uma outra pessoa, ainda está doendo por sinal, quando dei por mim visualizei uma figura de cabelos claros e olhos azuis, meu instinto de falar alguma besteira foi embora naquele momento, logo. — Desculpe, senhorita. Foi pura imprudência minha. — Embora minha vontade foi de ter dito Olá, que tal ter um encontro com minha boca, ao invés da minha testa? Porém, ainda sou um príncipe, tenho modos com aqueles que não conheço e não tenho intimidade. A menina era dignamente linda, mas pareceu aborrecida com o encontrão, saiu resmungando algumas palavras e me deixou sozinho. Massageando a testa, entrei na sala e busquei meu nome na lista de alunos, não tinha meu nome ali, até encontrar o de Rachel D'Ávila, minha melhor amiga e paixão secreta. Concluí então que estava na sala errada, passei o olhar pelo local e não tinha muitas pessoas ali, algumas sentadas fazendo anotações, apenas.

Tornei então a me retirar da sala, iria ter que pedir ajuda, mesmo contra minha vontade, mas se eu não o fizesse ia passar o dia inteiro apenas rodando pelo campus, revirei os olhos enquanto caminhava de cabeça baixa lendo no papel onde ficava exatamente minha sala, até bater em outra pessoa, isso hoje tá se tornando comum. Ergui o rosto e sorri levemente com a figura a minha frente. — Rachel, senti saudades sua. — Peguei em sua mão e lhe dei um beijo na costa da mesma, eu era educado e gentil com as garotas, nunca fui de tratar elas como objeto, elas deveriam ser adoradas e veneradas, são as mais belas pétalas de rosas, delicadas por dentro e ásperas por fora.

— Alteza. — Ela se curvou e me fez rir, ela teimava em sempre que me ver fazer esse tipo de coisa, as pessoas em nossa volta não haviam prestado atenção em mim, até aquele momento. Eu era conhecido? Sim, era. Era modelo, sim era. Era jogador de basquete, sim era. Era da família real européia, sim era. Era cobiçado, sim era. No entanto, na maior parte do meu tempo, eu sempre fui bem mais discreto que David, porém, hoje eu não estava conseguindo me esconder.

— Já conversamos sobre isso, Rachel. — A repreendi, mas logo a puxei para um abraço apertado. — Desculpe por ter esbarrado em você, eu estava tentando encontrar nesse papel o lugar da minha sala. — Falei baixo ao seu ouvido, durante o abraço, não queria que todos soubessem que eu estava perdido. Rachel tinha um cheiro maravilhoso nos cabelos, inalei o mesmo é suspirei levemente.

— Desculpas aceitas, Dav. — De todas as pessoas do mundo, ela era a única que me chamava assim e eu não me importava, sorri novamente enquanto nos distanciamos com relutância, ao menos da minha parte. — Veio cursar Arquitetura? Fica na sala dezessete, ala II, no prédio aqui na frente. Vamos, eu te levo. — Ela falava enquanto lia meu papel, logo ela se despediu de algumas amigas, que não paravam de me olhar, e fomos caminhando em direção a esse tal lugar. — A propósito, vi seu primo ainda a pouco, a namorada dele parece que começou a faculdade hoje e vai estudar algumas cadeiras junto comigo. — Mas é muito baitola mesmo, esse meu primo, nem pra vir até mim e me ajudar! Espera… Ele tava namorando, eu lembro dele me falar isso, conheceu a garota antes de sair da escola, ela era mais nova e ele falou que começaram a namorar durante as férias, ele da faculdade e ela férias da escola. Por isso não tive como conhecer a garota, ainda.

— Como é a tal garota? Ele não me apresentou pra ela ainda, segundo ele, tem medo de me apresentar as namoradas por causa do David, ele já ficou com umas duas garotas das quais ele, uma namorou e a outra apenas ficou. — Verdade seja dita, meu irmão era um completo galinha, pegava todas as garotas que davam trela pra ele, e esse era o problema; a cada dez, oito ficavam com ele. Revirei os olhos e voltei a prestar atenção em Rachel, que parecia falar alguma coisa sobre Larsen está próximo. — É o que? — Mas não deu tempo disso acontecer, eu, distraído Melo, acabei por bater em outra pessoa, não que fosse outra, era a mesma e ao lado dela, tinha Larsen.

— E… Era isso que eu estava falando. — Completou Rachel quando topei na garota, de novo. Era ela, olhos azuis da cor do céu, cabelos claros e sorriso lindo. Suspirei e percebi então, que Larsen virou de supetão, parecia pronto a me socar a cara, quando me reconheceu.

— E aí, alteza! Isso é jeito de cumprimentar minha garota? — Minha garota? Digo, garota dele? Fiz careta umas cinco vezes antes de conseguir raciocinar.

— Eu acho que já nos cumprimentamos agora pouco, na porta da sala de Ciências Políticas. — Não deixava de ser verdade, eu tinha dado de cara com ela, literalmente. A garota era linda, mas parecia ser um pouco, muito, chatinha.

— Ué, você não veio cursar Arquitetura?! — Acho incrível como até ele sabe, provavelmente foi minha mãe que disse, eu nunca comentei isso com ele, só com Rachel. Então, tinha certeza de que minha mãe deve ter comentado com ele algo a respeito disso, já que ela sabia bem.o curso que eu sempre desejei, enfim.

— Eu estava atrás da Rachel, ela estuda naquela sala. — Olhei para a garota morena ao meu lado em sinal de súplica, para que concordasse com o que eu estava dizendo. Não queria que ele entendesse como se eu tivesse ido atrás da garota dele ou algo do gênero, muito menos que eu estava visivelmente, perdido.

— Verdade, mas aí ele acabou me achando no corredor. — Sorri pra ela e disse de forma muda um “obrigado”. Como se o que estava acontecendo já não fosse o suficiente, a garota resolveu que era legal abrir a boca, também.

— Lars, porque você chama ele de alteza? Por acaso é aquele seu primo, David? — Eu preferia mil vezes que ela não tivesse aberto a boca, a voz dela era doce e gentil, eu não poderia estar observando a namorada do meu primo, socorro. Sem contar que ela tinha me confundido com meu irmão, o que para mim chegava a ser um insulto, porém antes mesmo que eu pudesse me defender, Larsen se pronunciou.

— Sky, esse é o irmão gêmeo dele, o lado “bom” da força. David é o que você tem que manter distância, ele tem problemas quando fica perto de garotas. — Sky… Esse era seu nome, cumprimento a garota, tentando disfarçar meus pensamentos  segurei sua mão e lhe depositei um beijo na costa da mesma.

— Encantado em conhecê-la, senhorita. — Novamente ela fez cara de nojo, mas eu pude notar um sorriso disfarçado ao final. Ela aceitou minhas desculpas pelos esbarrões e logo eles dois alegaram que tinham coisas para fazer antes da aula, das quais eu preferi sequer perguntar, vai que Larsen era igual David, nan.

Dei de ombros e voltei minha atenção a morena ao meu lado, que por sinal, era a única que, claramente, me interessava. — Podemos? — Ergui o braço para ela colocar o seu, depois de arrumar minha mochila na lateral do meu corpo, era uma daquelas mochilas de couro marrom que se usava de lado, caminhamos e conversamos o caminho todo até chegar em minha sala, estava grato por ela ter me levado até ali. — Obrigado, Rach. — Agradeci com um singelo e educado beijo em sua testa.

— Não a de que, alteza. — Ela sorriu e piscou para mim, antes de avisar que era para ligar pra ela naquela noite, caso não nos víssemos mais. Eu sorri e concordei enquanto a via caminhando de volta para o prédio em frente ao meu, ela era linda, cabelos negros, pele cor chocolate e olhos mel, inteligente e carismática. Porém ela tinha acabado de começar a namorar o Kyle, um dos meus amigos. Parecia que as coisas não estavam a meu favor, mas só de ter ela perto e saber que ela sempre seria minha amiga, isso já me fazia bem.

NARRADOR ON

E naquela manhã, os príncipes; Davos e David, começaram a ter sua primeira experiência de vida “normal”, distante de todo o luxo e conforto de sua mansão. Para Davos, tudo parecia ir de mal a pior, porém, para David tudo parecia ir de bom a melhor, cada irmão com sua opinião diferente. No decorrer da manhã, Davos teve duas aulas, enquanto a David, três. Ao fim, encontraram-se de volta na Reitoria, onde ambos, se inscreveram para o time de basquete da faculdade.

Um com a desculpa de que “trazia mais garotas” e o outro, porque sempre havia desejado ser um jogador de basquete em um time de verdade, não somente por diversão, como sempre fazia, embora fosse melhor na esgrima, preferiu escolher o basquete. Então ao saírem da sala, se depararam com várias garotas os olhando ao lado de fora, Davos sentiu-se despido e David, estava adorando.

NARRADOR OFF

Calma, eu não sou gay! Esse narrador metido faz parecer que eu sou, mas em minha defesa eu sou hétero e gosto de garotas, nunca me interessei por nenhum cara e não corro esse risco, sou apenas um princípe de pensamentos estranhos, fora isso, eu sou visivelmente normal. Aliás, eu gosto de garotas difíceis, as fáceis são chatas, elas já estão ali de prontidão, não tem graça. Eu gosto de conquistar, e não de ganhar. Ao falar em garotas, fui interrompido pelo celular em meu bolso que começou a tocar, peguei o mesmo para atender, enquanto caminhava para a saída do campus, com David em meu encalço, pois nossa carona para casa já tinha chegado. A medida que entrava dentro da limusine, observava a tela do celular, com um número conhecido, porém não consegui atender, estava em estado de choque pelo nome que tinha escrito na tela, o meu dia não estava sendo dos melhores.


Notas Finais


Sky é retratada como Bárbara Palvin.
Rachel é retratada como Thaís Araújo.
Larsen é retratado como Diego Barrueco.
Kyle é retratado como Andrew Garfield.

Espero que fiquem curiosos para saber quem está ligando pro Davos, hsushsushsus. Teremos muitas surpresas com esse início dele e do David, na faculdade.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...