História Meu confuso e complicado amor... - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bangtan Boys, Bts, Romance
Visualizações 12
Palavras 1.555
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei, hihihi! Eu espero realmente que estejam gostando da história. Me avisem o que acham, se puderem, é claro. Boa leitura 😊😉

Capítulo 10 - Atropelada???


Fanfic / Fanfiction Meu confuso e complicado amor... - Capítulo 10 - Atropelada???

Espera... eu estou tendo uma miragem? Aquela é a Bighit!
Enxugo meus olhos molhados de lágrimas e corro em direção ao prédio.
"Sales, posso ver os meninos?" Pergunto assim que entro para o homem que fica na recepção.
"Eles estão ocupados, mas posso chamar, se quiser."
"Por favor!"
Ele se levanta e vai em direção à um telefone anexo na parede branca do prédio.
"Ok... é a Sol. Ela disse que quer falar com vocês. Uhum, pode deixar senhor Seokjin, eu aviso ela."
Sales desliga o telefone e volta para a recepção.
"Ele disse que assim que sair daqui, vai com os meninos à sua casa."
"Ok... obrigada Sales"
"Disponha."
Saio cabisbaixa da Bighit. Acho que posso espera - los aqui na porta. É, vou fazer isso.
###
Que fome! Eu pensei que eles fossem sair  mais cedo. Tem uma lanchonete alí na esquina, acho que vou comer algo. Tenho algumas moedas no bolso.
Me levanto do banco em que estava sentada e ando em direção a pista.
Um barulho ensurdecedor de buzina ecoa em meus ouvidos e uma imagem da minha mãe repitindo um antigo mantra sobre olhar para os lados antes de atravessar a rua passa na minha mente. Não sinto meu corpo...
Minha conciencia está me deixando lentamen...
###
Onde eu estou? O que aconte...
PUTA QUE PARIU! E-eu fui atropelada?!
"Filha..." meu pai diz, surgindo na minha frente. 

"Sol!" Minha mãe levanta de uma cadeira ao meu lado.
"O que aconteceu exatamente? "
"Sales, um dos secretários da Bighit disse que você tinha ido até lá para conversar com os meninos e que depois de mais ou menos uma hora, viu seu corpo estirado no chão." Meu pai explica, segurando minha mão.
"O que você estava fazendo lá? Por que não estava na aula?!" Minha mãe pergunta, quase me matando por demorar a responder.
"E-eu estava... matando aula." Abaixo a cabeça, esperando o sermão.
Incrívelmente eles não me dão um sermão. Acho que o fato de eu estar aqui já é um castigo e tanto...
"O que aconteceu?"
Eu devia contar exatamente, mas... Não posso. Agora me lembro o que aconteceu antes disso... aquele Dong teve o que mereceu.
"Eu havia saído com alguns amigos e depois cansei de ficar com eles. Decidi ir até a Bighit falar com os meninos, mas eles não podiam falar comigo, então resolvi esperar e comer alguma coisa. Quando estava atravessando a rua, não vi o carro e... foi isso." Eu estou no modo automático, falo tudo sem pensar.
É impressionante como me lembro disso tudo nitidamente...
"Sem problemas. Vamos fazer um acordo: nós não tocamos mais nesse assunto se você prometer nunca mais fazer isso." Minha mãe diz, se aproximando mais de mim.
"Eu juro nunca mais fazer isso."
Ela respira aliviada, simultaneamente de meu pai.
Omma se aproxima de mim e me abraça. Meu pai nos envolve em seus braços, fazendo com que fiquemos mais próximos.
"Há quanto tempo eu estou dormindo?" Pergunto, levemente desnorteada.
"Menos de um dia." Meu pai responde, tranquilo como sempre.
"Eu quebrei alguma coisa?"
"Só teve um corte na cabeça e vai ficar uma semana ou mais bem dolorida. Mas tirando isso, não teve nada grave." Um médico - que eu não tinha percebido a presença - diz, terminando de olhar alguns papéis.
"Por que tem essas agulhas no meu braço?" Só agora que noto meu corpo. Sinto o lado esquerdo da cabeça latejar e meus braços e pernas moles.
"É anestésico. Pra você não sentir tanta dor. É bom não se mexer muito. Você perdeu muito sangue também, ficou muito exposta à prováveis impurezas. Esse tubo é soro." Ele diz, apontando um ponto no meu braço.
"Os meninos querem te ver..." Minha mãe fala. Ao julgar pelo horário, ela devia estar no trabalho junto com meu pai. Eles administram uma empresa...
"Eu gostaria de ver eles..." digo, entusiasmada.
"Vou chama - los." O médico diz e sai de dentro do quarto.
Meus pais parecem agoniados, como se tivessem que fazer algo...
"Omma, Appa... podem ir. Eu tô bem, os meninos vão vir e ficar aqui comigo." Digo, fitando os olhos preocupados de minha mãe.
"Você foi atropelada, Solji! Só saímos daqui com você." Meu pai diz, agarrando minha mão.
"Concordo com ele."
Continuo a olhar minha mãe. Ela parece preocupada de mais...
Ouço gritos ao longe. Os meninos!
"Caralho, Namjoon! Já disse pra me soltar. Eu vou ver a Sol!" Essa é a voz de Jungkook... meu Jungkook...
A porta é aberta e sete pessoinhas aparecem. Namjoon segura Jungkook pelo braço, ele parece estressado. Consigo ver J-hope tentando fazer cócegas em Jimin e Taehyung tentando ver o que está acontecendo dentro do quarto em que estou. Jin apenas olha tudo e tenta amparar Jungkook. Yoongi aparece, abrindo caminho entre os meninos.
"O que aconteceu?!"
Meus pais se afastam, dando espaço para Suga.
"E-eu fui atropelada" gaguejo enquanto encaro os profundos olhos de Yoongi.
Ele se aproxima de vagar e me abraça. Concerteza vai querer um relatório completo do que aconteceu depois.
Os meninos vem lentamente. Ainda estou impressionada com Jungkook aqui dentro...
"Tudo bem?" J-hope pergunta (retóricamente, eu espero) e me abraça. 
Depois vem o abraço protetor de Namjoon.
Taehyung quase pula em cima de mim... Ele é uma figura!
"Olá pequena!" Jimin diz, abraçando meu pescoço. "Quase nos matou do coração..." sussurra em meu ouvido.
Rio.
O próximo é Jin, ele manda Namjoon voltar a segurar Jungkook, que espera impaciente para poder se aproximar, mas ele ainda está muito debilitado, até para se amparar!
"Sol... meu coração não aguenta isso minha filha." 

Río.
"Eu tô bem, Jin..."
E agora... Jungkook. Ele ainda está sendo apoiado por Namjoon e Jin tenta se manter por perto.
Assim que se aproxima o suficiente, Jungkook quase cai em cima de mim, mas Jin o segura. Ele me abraça forte.
"Eu fiquei tão preocupado quando os meninos me ligaram falando de você..." Jungkook está chorando?!
"Eu tô bem Kookie..." tento entrelaçar meus braços ao redor de sua cintura, mas estou fraca de mais para isso.
Jungkook se afasta de mim, revelando seus olhos molhados que não param de lacrimejar.
"Não chora, não..." Enxugo suas lágrimas com meus polegares, juntando um pouco de forças. "Eu tô bem, Jungkook."
Ele simplesmente não para de chorar. Jungkook esconde a cabeça no meu peito. Como meus braços estão fracos de mais para alcançar sua cabeça, apenas encosto a minha e roço meus cabelos em sua nuca.
Em um momento, olho pai. Ele está olhando torto para Jungkook... isso é engraçado...
Jungkook se afasta e Namjoon o segura novamente.
"Viu, gente? Podem ir. Os meninos ficam aqui comigo." Digo para meus pais.
"Quê isso, Solji. Eles são ocupados. Tem coisas para fazer."Minha mãe diz, fitando cada um deles.
"Nada disso, senhora Lexi. Nós vamos ficar aqui de qualquer forma. Vamos em bora só quando escurecer.
Meus pais me olham com receio.
"Deixe a menina. Ela quer ficar com os amigos..." meu pai diz e ri logo em seguida.
"Tem certeza?" Omma pergunta, olhando para mim.
"Vai logo..." sorrio para ela, que me dá um abraço demorado e um beijo na testa. Meu pai faz o mesmo e os dois saem do quarto.
"Quê horas são?" Pergunto, tentando coçar a cabeça sem sucesso.
"Oito horas." Suga responde, coçando minha cabeça.
"Obrigada... a Nari veio aqui?"
"Acho que sim, ontem à noite. Teve que ir à escola." Jimin responde, olhando Jungkook.
"Precisa de alguma coisa?" Namjoon me pergunta.
"Vocês não precisam ficar me paparicando o dia inteiro. Sei que tem mais o que fazer, podem ir se quiser."
"Ela tá brincando, né?" Jungkook pergunta, se sentando em uma poltrona ao lado da cama que eu estou.
"Não tô!"
Ok... Eles não vão sair...
"Preciso contar uma coisa que acho que vocês não vão gostar..."
Silêncio. Todos parecem tensos, até o J-hope e o V!
"E-eu estava matando aula com uma amiga e... bem... ela tinha mais três amigos que me apresentou. Um deles ficou me paquerando e..."
Olho Jungkook, ele está com os olhinhos arregalados e com um olhar esperançoso.
"Ele meio que... me beijou."
"Contra a sua vontade?" Jin me pergunta, preocupado.
"S-sim..."
"E o que você fez?!" Agora é Yoongi... todos tensos.
"Eu dei uma surra nele!" Digo orgulhosa. "Mas se encontra - lo de novo, não vou me responsabilizar pela conta do hospital." Rio. Eles parecem muito chocados para isso.
Jungkook está vermelho e com os dentes cerrados...
"Depois disso, eu fiquei um pouco tensa e... fui caminhar. Disse para minha amiga que ia voltar só. Encontrei a Bighit por acaso, mas vocês não podiam falar. Eu fiquei esperando... fui atravesar a rua em direção a lanchonete e não vi o carro."
"O motorista fugiu sem prestar socorro?"
"Acho que sim. Foi o Sales quem ligou para a emergência."
Jungkook parece aliviado... Ele é tão fofinho!
"Qual é o nome desse cara que te beijou?" Ele me pergunta, ainda com os olhos arregalados.
"Dong." Respondo e dou de ombros.
Antes que Jungkook ou qualquer outro possa me perguntar algo mais, meu médico entra:
"Solji... hã... Estou atrapalhando algo?" Faço que não com a cabeça. "Bem... Jeon Jungkook. Preciso que volte para seu quarto. Meninos, tenho que tirar a medicação dela e... em fim, podem sair por favor?"
Eles concordam e se despedem de mim.
###


Notas Finais


Ficou um pouco muito longo mais é isso aí galerinha. Espero que tenham gostado. Podem me perguntar qualquer coisa, se tiverem qualquer dúvida. Eu terei prazer em responder.
Anyong 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...