História Meu gatinho. - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabrina, Tikki
Tags Terror Romântico
Visualizações 261
Palavras 1.649
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Harem, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


O que foi? Não quer mais ver?
"Talvez o que eu tenha feito, não seja certo.Talvez eu não devesse ter conversado tanto com ele."
"Não há como ajuda-lo.."

Capítulo 11 - O que planeja?


Fanfic / Fanfiction Meu gatinho. - Capítulo 11 - O que planeja?


  Estou dentro de algo fechado.Largo embaixo, e mais junto em cima.É macio, e saem raios de luz por suas pequenas aberturas.Não faço a mínima ideia de onde estou.Visto um vestido largo, com o mesmo tema: joaninha.Me levanto para tentar sair dalí, e espirro alto, me fazendo escorregar, e cair.
  Tenho alergia a polem, mas..não é como se eu estivesse em uma..flor.
  Retiro imediatamente as palavras da minha boca, quando consigo chegar na ponta, e abrir aquilo que me prendia.Estou definitivamente, dentro de uma flor, enorme.
 
   -Onde..estou-Susurro para mim mesma.A brisa forte do vento bate no meu rosto, contornando ele, e trazendo pétalas conforme passa.Olho em volta, e vejo que estou num jardim, com flores bem maiores do que o normal.Numa tentativa de me virar, tropeço e caio no fundo das flores.
  Grito de medo, mas logo me tranquilizo, quando percebo que algo amorteceu a minha queda.Parece..algodão? Piso em cima da massa branca e fofa que cobre o chão.Sei que estou sonhando, e preciso entender a mensagem que ele quer me passar.
    Curiosas borboletas brancas cobrem os céus, voando livremente no meio das flores.

   -Chat Noir?- Chamo-o baixo, esperando que ele me ouça, e que este sonho seja mais alguma daquelas coisas que ele faz para me impressionar.Continuo andando e vejo um enorme triângulo vermelho com bolas pretas, como se fosse uma joaninha.Se assemelha à roupa que tenho vestida.Chego perto daquela coisa estranha, que ainda não posso identificar.Toco nela, e vejo toda a minha roupa se transformar em líquido, e ser sugada para dentro do triângulo, me deixando nua.Grito de vergonha, e tento sair dalí para me tapar, mas minha mão parece estar colada.Permaneço ali, com vergonha, esperando que minha mão desgrude.Um tecido branco se estende no meu corpo, formando um vestido leve e cedoso.Logo depois, minha mão se solta do triângulo, e ele faz um baruho estrondoso, se abrindo.
  Uma fumaça branca começa a sair daquela espécie de triângulo que se abre lentamente.Ando de costas, e tropreço, caindo sentada no chão.Observo aquilo atentamente.

Não me faria mal, faria?

  Algo grande sai de lá, tento reconhecer o que é, mas está coberto por um tecido grudado, como as roupas do Chat Noir.Tem a forma de um pé.Logo se pousa no chão, e a fumaça corre em sua volta, como se tivesse sido empurrada com o impacto.Estou tremendo de medo, mas preciso ver cada detalhe.
  Fico impressionada com a imagem que vejo.

Sou eu.

  Uma eu grande aparece.Está vestida com aquela roupa grudada de joaninha que usei uma vez, e com a mácara.Seus cabelos são iguais aos meus, ela é igual a mim, mas seus olhos..estão brilhando.Ela olha para mim, e sinto meu corpo arrepiar, ela tem uma energia muito forte, forte o bastante para me fazer vibrar apenas com um olhar.Me assusto quando ela estende algo atrás dela, que se assemelham a asas.São transparentes, com um leve tom de vermelho.Ela se deve ter 4 metros de altura, me pegava na mão facilmente.Já era para eu ter corrido daqui, sinto medo, sinto meu corpo tremer, e estou sem reação, mas ela é..divinal.. Ela me dá uma paz interior, e sinto que já a vi.
  Ela se ajoelha, fazendo um barulho estrondoso, e espalhando mais fumaça.Ela sorri.

   -Marinette..-Diz num tom suave e lento.

   -Sim..senhora..?-Respondo com uma pergunta.

   -Sou eu, a LadyBug.Não me reconhece?-Pergunta impressionada.

   -Já me falaram muito de você, mas..nunca soube realmente quem é.-Respondo.Me sinto mais calma, e confortável para falar.Preciso tirar algumas duvidas com ela.

   -Eatarei aqui para ouvir todas as suas dúvidas, Marinette.-Diz suavemente.Seu tom é gentil, e acolhedor.Me conforta, e sinto que quero ficar aqui para sempre.

    -Eu..não sou a LadyBug, por que insistem nisso? Por que me chamam assim? Quem é você?-Estou desesperada, e confusa, preciso de respostas.Ela sorri, e seus cabelos voam levemente com a força da brisa, ela é uma figura divinal.

   -Eu, sou a LadyBug, e você é a minha rencarnação.Sou a chefe dos comandantes, sou algo importante, mas precisei renascer.Fiz algo que nunca niguém no mundo dos mortos havia pensado na possibilidade.É como se..estivéssemos..divididas.Você não entenderia, precisa passar por muita coisa, ainda.-Diz sorrindo.

   -E o..Chat Noir?-pergunto um pouco desapontada.

   -Você pode pensar que ele é uma má pessoa, agora, mas..pode confiar nele.Ele cuida de você, e neste momento, está te observando.-Diz e eu fico um pouco assustada.

   -Me observando?-Pergunto arregalando os olhos.Ela levanta um dedo para que eu olhe em sua direção.Lá em cima, está o Chat Noir, sentado, olhando para nós.

   -Não se preocupe, ele não nos pode ouvir.-Sorri.

   -Como ele havia te dito, ele está com você para cumprir uma missão, para poder partir.Alguns espíritos vão para o céu, e outros ficam na terra, para auciliarem os humanos, cumprirem missões, ou apenas por..vingança.-Olho atentamente para ela, ouvindo a história.Balanço a cabeça algumas vezes, concordando, e ela prossegue.

   -E quando ele cumprir essa missão, ele irá partir para o céu, e renascer, em um novo corpo.-

   -Ele me contou muita coisa..-

   -Eu sei, eu estava lá.-Responde.

   -Estava?-Pergunto desentendida, e ela acena a cabeça afirmativamente.

   -Sempre estarei, eu e você somos uma só.Sempre que precisar de mim, vou estar lá.-Suas palavras me tranquilizam, mas isso não pode parar aqui.

   -Há coisas que você terá que ver por sí propria, e como uma amiga, irei te auxiliar. Confie naquilo que é novo, e deixe o que é velho tomar o seu rumo.-

  Penso muito na frase que ela disse, procurando um sentido, mas é impossível.Antes que eu pudesse questionar algo, ela me interrompe continuando.

   -Não fale com o Chat Noir, eu irei tratar dele.Ele nunca irá subir, se se desconcentrar com você.Ele gosta imensamente de você, mas precisa fazer algo ainda maior.-

   -Você não pode mandá-lo logo para o céu? Ele se esforça muito..queria que seu esforço valesse a pena..-Digo com tristeza na voz.

   -Falta pouco para sua missão se cumprir, é só o que posso te dizer.Faça o que lhe digo, e tudo se resolverá...-Ela começa a e desvanecer em cinzas, e todas as flores, borboletas e nuvens, voam junto com ela, desaparecendo entre o vento.

   -Espere, eu ainda tenho perguntas!-Estico os braços para impedir as cinzas de voarem, mas é em vão.O chão de espuma desaparece, e eu caio, indo direto para a àgua.

  O despertador toca.

  Acordo num susto, respirando alto, como se estivesse sem ar.

  -oh..eu tinha tantas perguntas!-Choramingo.

  Não sei como serão meu próximos dias sem falar com o Chat Noir.Quero falar com ele, quero vê-lo, mas talvez seja melhor seguir o conselho da LadyBug..
  Meu dia amanhece triste, e sem vontade de fazer qualquer coisa.Me esqueço completamente da Alya, e das coisas que aconteceram, só pensa nele, e como se sentiria, estaria se sentindo sozinho? Com raiva? O que eu fui fazer..
  Vejo a Alya na porta da escola, e aceno para ela.Ela sorri, e olha discretamente para o lado, me fazendo olhar também.Olho para a direção que ela aponta, e vejo o Adrien.Meus olhos clareiam aquele dia chuvoso, o torna colorido e florido, feliz e alegre, tenho uma visão completamente diferente, fico imensamente feliz por poder vê-lo novamente, havia me esquecido de que de qualquer uma das formas, agora ele aparecerá todos os dias na minha escola.
  Puxo a Alya e ando rapidamente até o Adrien, que está conversando com o Nino.Pouso atrás dele, sorrindo, à espera que ele me olhe.

   -Marinette?-Se vira lentamente tentando me reconhecer.

   -Olá-Respondo sorrindo.

  Sou pega de surpresa quando seus braços grossos se estendem em volota da minha cabeça, a cobrindo num abraço, caloroso, e acolhedor.Não poderia ter pedido uma recepção melhor, seu cheiro a perfume impregnando meu nariz, e seu abraço caloroso, tornam o meu dia mais feliz.Ficamos abraçados por um tempo, quando percebo que já estou ficando quente de vergonha, ao ouvir as pessoas dizerem coisas do tipo "uuu casalsinho" "Que amor!".Nos separamos logo, e sorrimos envergonhados, seguindo para as salas de aula.
  As aulas são entediantes, e não quero fazer nada.Olho em volta, e raparo no Adrien.Reparo em como seus cabelos loiros se assemelham aos do Chat Noir, as curvas que fazem, e os diferentes tons de louro que formam, é engraçado.Observo como ele fica atento á aula, e como apoia seus braços na mesa, segurando a cabeça, com as mãos no queixo, o jeito que segura a caneta.Fico vidrada com aquilo, que tipo de pensamentos são esses?

   -Marinette, tem algo a tratar com o Adrien?-Me pergunta a professora me fazendo fugir dos meus penaamentos.Começo a corar, e todos riem da minha cara.Não sei para onde olhar, e sinto minhas bochechas ferverem.O Adrien olha para mim, e ri gentilmente, como se ficasse feliz por ouvir aquilo.
  As aulas passam rapidamente, e eu tento não pensar nessas coisas.

   -O que acham de irmos ao zoológico?-Sugere a Alya, entusiasmada, para mim, o Nino, e o Adrien.O Adrien olha para o Nuno, como se estivessem confirmando um a um.Concordamos todos, e seguimos para lá.

   -Ahh...mas hoje está frio, não acha?-Choramingo para eles.Hoje está um dia frio, e chuvoso, não acho que seja uma boa ideia.
  O Adrien enrola um longo cachecol em volta do meu pescoço, me fazendo arrepiar.Olho para ele desentendida, e ele sorri.

   -Mas assim você fica sem..-Susurro baixo, mas alto o bastante para que ele possa ouvir.Ele apenas me responde com um sorriso.

   -E se fizessem assim?-Chega a Alya para perto de nós, e nos tira o cachecol, prendendo um pouco em cada um.Ela fez com que o cachecol se enrolasse no pescoço do adrien, e no meu.Estamos um pouco juntos por isso, e nosso braços se tocam imensas vezes quando andamos.Não digo nada, estou imóvel, e muito invergonhada.A alya e o Nino vão na frente, e às vezes olham para nós, e susurram ebtre sí, rindo.Me pergunto sobre o que estariam falando.
  Me perco dos meus penaamentos, quando vejo o braço do Adrien envolver o meu pescoço.

   -Assim é melhor, estamos sempre batendo..-Diz ele olhando para a frente.Não sei se é impressão minha, mas acho que vi-o corar.
   


Notas Finais


*Ta grande, eu sei*
*mas notícias*
*esse é o penúltimo capítulo 😂😂*
O próximo já acaba..Mas como prometido, vou fazer um extra, especial.
Obrigada pela leitura, pelo apoio, pelos comentários, favoritos, tudo!Serei eternamente grata, por apenas verem uma das coisas que gosto de fazer 😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...