História Meu gatinho. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabrina, Tikki
Tags Terror Romântico
Exibições 277
Palavras 1.333
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Harem, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


**Cara, muito obrigada pelos 800 leitores, pode ser que nem todos leiam, mas se vocês soubessem o quão gratificante é..Obrigada, mesmo, de verdade.❤**
*avisinho no fim*

Capítulo 9 - Me ame como eu te amo.


Fanfic / Fanfiction Meu gatinho. - Capítulo 9 - Me ame como eu te amo.

   
  Andamos um pouco, até aparecer no meio da escuridão, um brilho forte, que aumenta a cada passo que damos, me fazendo colocar a mão na frente dos olhos, para tapar a luz que vem de lá.O Chat Noir estala os dedos, as luzes fortes se apagam, e velas se acendem em volta de nós, formando uma espécie de..caminho.Seguimos o caminho que as velas indicam.Olho para ele sem saber o que está acontecendo, e ele me pisca um olho, voltando ao que estava prestando atenção.Ele move os braços, como se levantasse algo.Magicamente, surgem barras enormes, que soltam um pano largo, onde desenhos de corações e detalhes amorosos se apresentam.Fico cada vez mais confusa.No meio de tudo isso, aparece uma mesa, sendo iluminada por uma pequena lua.As velas se acendem, e a flor que estava no meio dela, brilha, como se fôsse um vagalume azul.Ele me puxa a cadeira, e pede para que eu sente.Assim o faço.Me sento, e ele se senta logo depois.Surgem pratos tampados que eu nem tinha reparado.As tampas dos pratos voam para cima, e desaparecem, mostrando a comida que lá está.Macarrão com almôndegas, o típico.Sorrio para o Chat novamente, e reparo que estava me observando.Ele olha para onde a lua está, e um mar infinito surge atrás dela, grito quando penso que as ondas que se formam, vão nos atingir.Ele ri, e estala os dedos novamente, fazendo algo estrondoso.Estão agora, pulando golfinhos.

   -Eu amo golfinhos!-Exclamo sorrindo de orelha a orelha.Ele me observa o jantar inteiro, e me sinto um pouco..desconfortável.Olho para ele, tentando sorrir o mais sinceramente possível.

   -Chat Noir..O que foi?-Pergunto enrolando o macarrão no garfo.

   -Hm? Nada, está encomodada?-Pergunta desentendido.Balanço a cabeça afirmativamente, e ele se surpreende.

   -Peço desculpas mileide, é que eu..-Diz ele, mas se interrompe, colocando as mãos no rosto.

   -Acho que falhei-Tapa a cara.

   -Falhou?-Pergunto levantando da cadeira e indo para perto dele.

   -Mileide, eu..tenho algo um pouco grande para te confessar-Fico um pouco assustada, e nervosa, teria ele feito algo ruin?Nos sentamos na areia que surge no mar de onde vinham os golfinhos.

   -Sabe..eu estou na terra a uns bons anos.Anos insuficientes, para terminar a minha missão, e poder ir embora.-

   -Ir embora? Missão?-Estou confusa.

   -Alguns espíritos ficam na terra, por escolha, ou por que precisam cumprir algo que não fizeram na outra vida.Caso não consigam, continuam aqui, até atingir seu objetivo.Alguns ficam para ajudar, outros para se vingar..-

   -Oh.-É só o que consigo dizer.

   -E eu, preciso cumprir a minha missão.-Continua.

   -E qual é a sua missão?-Pergunto, e vejo seu queixo tremer.Vai chorar.

   -Sabe, my lady, você fez algo muito bonito para mim, naquele tempo.Algo que me obrigou a permanecer aqui, para te retribuir.-A história começa a ficar interessante, e quero ouvir mais, e mais.

   -Naquele tempo, eu não ligava para as mulheres, só queria falar com os espíritos, descobrir coisas, e ser um homem..respeitado.Mas, como a obrigação de todo o homem, eu deveria me casar, nem que fôsse para ver a minha mãe feliz.Eu fiquei com ódio dela, muito odio, e fui meditar embaixo da Sakura que ficava na frente da minha casa.Lá, eu encontrei você.-

  Sorrio para ele.O jeito suave e feliz rm que ele me conta, me deixa cada vez mais entretida, e fissurada.

   -alguns 10 longos anos se passaram.Eu, e você.O mundo só nos pertencia a nós, e parecíamos estar perdidos em um mundo só nosso.Você era tudo na minha vida, e eu nunca havia conhecido alguém, que pudera me mudar de uma vez por todas.Nos casamos, moramos juntos, e eu fiquei anos sem mexer com aquelas coisas do além, mas houve um dia, em que recebi uma mensagem, da qual não podia recuzar.Meu pacto com aquele demônio havia dado certo, e meu sonho de ser um dos comandantes, se tornara realidade.-Começo a ficar assustada, mas a história me intriga.

   -Foi aí, que aprendi a não confiar em nenhum deles.Ele havia mentido, e só queria a minha alma.Antes que ele pudesse me matar, você entrou na sala, e se ofereceu em meu lugar, deu tudo o que tinha, para me manter vivo, mas o pior de tudo, é eu não ter feito nada.-Ele começa a chorar, e eu o abraço, passando as mãos por seu cabelo.Ele se acalma um pouco, e continua.

   -Você..foi no meu lugar, Marinette-Ele começa a soluçar de tanto chorar, e bufa, como se não se aguentasse a sí mesmo.

   -Por que você fez isso?-Chora.

   -Eu só..preferia te ver vivo, do que eu..-Respondo como se fosse essa a resposta, tentando aliviá-lo.

   -Me perdoe, Julliet-Implora ele, se ajoelhando diante de mim.Beijo suas mãos, e o levanto, fazendo-o deitar a cabeça nas minhas pernas.Acaricio seus cabelos, acalmando-o.

   -Continue, Chat Noir..-peço, e ele acena afirmativamente.

   -Eu virei um dos cinco comandântes, pois consegui matar aquele demônio.Não matar..mas..fiz algo, que fez com que ele desaparecesse.Ja havia feito bruxaria algumas vezes, talvez o cataclismo seja resultado disso também.Eu pensei em me matar, dei minha alma ás bebidas, e me larguei pelo mundo.Vivi até os 47 anos, e foi aí, que passei por algo, que nunca havia visto antes.Você já deve ter ouvido falar sobre purgatório, certo?-Pergunta, e eu aceno que sim.

   -É um lugar parecido.Concluindo, o que eu tenho que fazer, é fazer algo tão bom para você, quanto o que você fez para mim..

   -Não entendo, você já me faz coisas incríveis, coisas de que eu nunca poderia pedir mais.Você me trouxe a felicidade, a coragem, o amor..-Digo, fazendo-o sorrir alegre.

   -Ainda preciso fazer algo, ainda melhor.Não se preocupe, eu vou conseguir.-diz

   -Chat..se você cumprir essa tal "missão", você vai embora?-Pergunto com tristeza na voz.Ele acena afirmativamente, e sinto meu coração cair em pedaços.Sei que é bom para ele, mas sentirei a sua falta.

  O consolo nos meus braços, fazendo-o se acalmar, e voltar ao normal.Como sempre, sinto os músculos do braço dele, me apertarem a cabeça, e seu cheiro doce a alfazema, encher o meu nariz.Ficamos abraçados por bastante tempo, como se fosse a melhor coisa do mundo, e é.Ele me beija no pescoço, e se afasta de mim lentamente.

   -Está na hora, Marinette.-Fico triste por já ter que voltar.O abraço mais uma vez, rapidamente, e ele prende as mãos nos meus cabelos.Quando voltamos a nos olhar, eu sorrio, e me mexo para sair da posição em que estamos, para ir embora.Ele pega no meu rosto, e segura com as duas mãos, me encarando.Sorrio fechando os olhos, e sou pega de surpresa, quando elr encosta seus lábios aos meus.Seus lábios são macios, e suaves, e sinto que nunca mais quero sair dalí.Ele afasta-se de mim, e sinto minhas bochechas arderem.Ele encosta seus lábios nos meus novamente, me beijando sereno, e assim continua, repetindo beijos, e me deixando sem consciência.

  Acordo com a luz que vem da janela, e bate no meu rosto.Abro os olhos, e dou de cara com os olhos verdes e deslumbrantes do Chat Noir.Nos olhamos por agum tempo, e eu sorrio para ele.

Seria ousadia demais se eu..

  Me atrevo, e beijo seus lábios, fazendo com que feche os olhos.Quando volto a olhá-lo, está corado, e assustado.Tetei feito algo errado?
 
   -V..você é a..a..-Começa ele

   -aa o que, Adrien?-Pergunto confusa me levantando da cama, e indo para o banheiro.Hoje, a porta do banheiro estava aberta, e tinham algumas escovas na primeira gaveta.Suspeito que aquela senhora fez aquilo tudo de propósito.Escovo os dentes, e volto para o quarto.O Adrien está sentado de pernas dobradas.Me sento na sua frente confusa.

   -O que foi?-Tem uma cara assustada, e cora quando olha para mim.

   -N..não chegue mais perto, por favor!-

   -Você está estranho, Adrien, o que foi?-Chego para perto dele, e estico suas pernas, para ficar mais perto, eaquecendo que estou de vestido.Encosto minha testa na dele.

   -Está com febre?-Pergunto.Levanto minha mão para apoiar em algum lugar, e sinto algo duro.Olho para baixo, e reparo que peguei no membro dele.Fico envergonhadíssima, e retiro logo.

   -D-d-desculpa!-Exclamo.Mas espera, duro? Olho para o lugar onde coloquei as mãos, e vejo uma mancha.

   -E-e disse para não se aproximar!-Exclama ele, com o rosto vermelho.

   -Tarado!-Grito.

Hahahahahhaha


Notas Finais


*Meio louco, eu sei*
Tenho uma notícia meio ruin, mas tem uma boa também.Faltam mais ou menos, três capítulos para essa FanFic maravilhosa acabar.Pois é..Mas vai ter um especial também, e se chegarmos a mil leitores, eu lanço o livro dois, com coisas tão boas quanto o livro um.
Me desculpem pela demora, e vou parar de prometer atualizações 😂.
Obrigada por todos os comentários, favoritos, tudo!Serei eternamente grata.
Qualquer coisa que queiram saber, comentem aí, que eu respondo.

Beijinhos❤😻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...