História Meu gato cappuccino - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fantasia, Gato, Neko, Originais, Sobrenatural
Exibições 15
Palavras 1.903
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Escolar, Esporte, Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Após um mês e vinte quatro dias, eu finalmente vim atualizar a fanfic!
Demorei? Demorei. Tenho culpa? Tenho
Desculpa gente ;-;
MAS cá estou eu, com o novo capítulo
Bem, não tenho mais o que dizer, apenas que tenham uma boa leitura ^^

Capítulo 2 - Outro sonho


Fanfic / Fanfiction Meu gato cappuccino - Capítulo 2 - Outro sonho

Um vento gelado batia contra o rosto e braços descobertos de Zoey, porém, não sentia frio. A garota abriu os olhos lentamente, e percebeu que não estava em sua cama, muito menos deitada. Estava em pé, em um lugar escuro e vazio, que parecia ser um ambiente aberto. Tinha muita neblina, o que a confundia e não permitia ver quase nada.

Olhou em volta, a procura de algo ou alguém, mas não achou absolutamente nada. Começou a andar e adentrou em meio neblina, mas acabou por se perder ainda mais. Não sabia para onde ia ou o que encontraria, apenas continuava. Andou, andou e andou, mas não chegava a nenhum lugar. Era como se estivesse andando em círculos, já que nada mudava.

Zoey respirou fundo e tentou se manter calma. Ela sabia que era só mais um sonho, mas aquilo parecia tão real que a deixava confusa. Parou por um momento e olhou para frente, para sua surpresa, viu ao longe uma enorme sombra que a fez sentir arrepios. Só que não demonstrou isso, manteve sua postura firme. Porém, a sombra sumiu, o que fez o coração de Zoey disparar imediatamente. Virou-se de um lado para o outro a procura dele, até que sentiu uma mão sobre si. Olhou com o canto dos olhos para o lado e viu uma mão grande de um homem. Arregalou os olhos, mas nada fez. Estava congelada, como da outra vez na porta de sua casa. Assim que a mão tocou seu ombro, Zoey abriu os olhos, dando um pulo em sua cama.

"Só mais um sonho..." - Pensou suspirando, estava aliviada.

Ela se sentou na cama e olhou para seu relógio. Arregalou os olhos ao ver que passava das oito e quarenta, mas se acalmou ao lembrar que o colégio estaria fechado por três dias - por um motivo que ela não lembrava, já que não tinha prestado atenção quando anunciaram. Como era quarta-feira, Zoey poderia sair para passar o tempo já que não havia nada para fazer, a não ser brincar com seu novo gato de estimação. O mesmo gato que tinha aparecido em sua casa a cinco dias atrás, e desde então não foi mais embora. A garota já tinha se acostumado com ele, era um gato lindo, porém um pouco manhoso, diria até que era mimado.

Zoey olhou para o lado perto de sua perna, como esperado ele estava lá, a olhando com seus encantadores olhos verdes. Sorriu de leve e levou a mão até ele o acariciando atrás da orelha - onde ela descobriu que ele adorava receber carinho - o fazendo fechar os olhos. Mas logo parou, ao se distrair com seus pensamentos. O gato já estava a dias na sua casa, e mesmo procurando não viu sinal de seus donos ou alguém que os conhecesse. E a cada dia se apegava ainda mais a ele. Permaneceu em silencio por um tempo, pensando no assunto.

-Quer saber? -Olhou para o gato e o pegou no colo. -Você é meu agora. -Disse e se deitou novamente, ainda com o gato em seu colo, que se acomodava sobre sua barriga.

Ficou nessa posição por algum tempo até ouvir sua barriga reclamar de fome. Ela se sentou, e ao fazer isso ouviu um miado de reprovação.

-Ah, pare de ser folgado, tem uma cama inteira para você aqui... -Disse ao colocar o gato de lado e se levantar.

Depois disso Zoey trocou sua roupa, tomou um bom café da manhã e arrumou sua casa, que estava um pouco bagunçada - principalmente seu quarto. Quando terminou se sentou no sofá respirando fundo, precisava descansar um pouco. Foi interrompida por um miado que a fez olhar para o lado. O gato estava sobre o braço do sofá, a observando, e soltou mais um miado, era como se pedisse por algo.

-Tenho que comprar algumas coisas para você, não é mesmo? -Falou, começando a acaricia-lo. -Hm... Você não tem nome, tenho que arrumar um, mas sou péssima nisso...

No mesmo instante se lembrou de sua amiga Hannah, era boa nesse tipo de coisa, e tinha bom gosto. Se levantou mais uma vez e foi para o seu quarto, a procura de seu celular. Ao pega-lo, ligou para sua amiga, que não demorou a atender.

-Hannah?

-O que foi? -A voz sonolenta da amiga no outro lado da linha era evidente.

-Acabou de acordar?

-Sim.

-Ah, desculpa.... Mas é que eu preciso da sua ajuda.

-Tudo bem, do que precisa?

-Bem, lembra do gato que apareceu na minha casa?

-Você vai ficar com ele? -Hannah perguntou, mesmo que já soubesse a resposta. Conhecia Zoey o suficiente para imaginar que acabaria fazendo algo do tipo.

-Exatamente, mas eu preciso comprar algumas coisas para ele e.…. Também preciso de um nome para ele. Tem como vir aqui para me ajudar? Ou me esperar no ponto de ônibus aqui perto para irmos ao centro.

-.... Ficaria mais fácil se nos encontrássemos no ponto... -Respondeu depois de alguns instantes em silencio.

-Certo, já vou me arrumar.

-Okay, até mais.

-Até. -Desligou.

Zoey deixou o celular sobre o criado mudo e foi para seu guarda-roupa, pegou uma camiseta branca, uma blusa de lã preta, uma jaqueta azul escura, duas calças como da última vez que saiu e um tênis. Antes de se trocar olhou em volta, confirmando que seu gato não estava lá - por algum motivo, se sentia desconfortável com ele a vendo trocar de roupa, então simplesmente não deixava - e então se trocou. Pegou o celular mais uma vez e saiu do quarto, voltando a sala. Foi até o sofá, se despediu de seu gato e saiu da casa depois de conferir que havia fechado a porta. Andou pelas ruas em passos rápidos. Pela primeira vez na sua vida, estava animada para fazer compras.

Após alguns minutos avistou sua amiga, Hannah sentada no ponto de ônibus - como ela morava mais perto, chegou antes. Zoey correu em direção a garota e se sentou ao seu lado.

-Demorei? -Zoey perguntou.

-Não, faz só uns cinco minutos que cheguei. -Hannah deu de ombros.

-Certo, enquanto esperamos polo ônibus, preciso da sua opinião.

-Para?

-Bem, já que agora o gato é meu... Ele precisa de um nome, mas eu não sei qual. Qual você colocaria?

-Hm.... Vou pensar em algo. -Hannah disse e Zoey assentiu em resposta. -O que vamos comprar?

-Ração, brinquedos, potinhos...

-Só isso?

-Bem.... Não acho que precise de mais nada.

-Certo.

As garotas continuaram conversando por um tempo, até que o grande ônibus vermelho apareceu. As duas se sentaram na parte de baixo, já que Zoey estava reclamando do frio. Foram em direção ao centro da cidade. Quando chegaram ao seu destino, desceram e andaram por cerca de um quarteirão até chegar a um pet shop famoso na cidade. Entraram no estabelecimento, haviam algumas pessoas, em torno de cinco.

-Vai comprar uma coleira para ele? -Hannah perguntou enquanto mexia em algumas das coleiras que estavam penduradas ali.

-Por enquanto não, quero achar alguém que faça personalizada para colocar o nome dele... Quando tiver um.

-Certo.

-Agora vamos procurar as coisas logo para que eu possa comer alguma coisa.

-Esfomeada... -Zoey riu em resposta ao comentário da amiga e começou a andar pelo estabelecimento.

Em pouco tempo, a garota foi atendida por uma das vendedoras. Não demorou. Em cerca de dez minutos a garota já havia pago pelos produtos e podia sair dali -para a sorte de Hannah, Zoey era prática quando se tratava de compras e não demorava para escolher esse tipo de coisa.

Quando saíram, as garotas decidiram ir comprar algo para comerem - por insistência de Zoey. Andaram por um tempo, enquanto conversavam, até chegarem a uma padaria, onde Zoey insistiu que a amiga devia experimentar ao menos um salgado. Não demorou para que fizessem o pedido e saíssem.

Foram até uma pequena praça para se sentarem, e lá começaram a conversar.

-Tem certeza que vai ficar com o gato? -Hannah perguntou.

-Tenho. -Disse, engolindo mais um pedaço do salgado, que estava acabando apesar de que fazia pouco tempo que o começou. -Acho que já me apeguei a ele.

-E se o dono de verdade aparecer?

-Hm.... Eu dou meu jeito.

-Dá seu jeito?

-Sim, dou meu jeito. -Hannah suspirou, não adiantaria tentar convencer a amiga.

Depois de um longo tempo, as duas decidiram voltar para a parte leste da cidade - onde moravam - para que Hannah conhecesse o gato de Zoey. Fizeram o percurso contrário, voltando ao ponto em que desceram. Esperaram o ônibus lá e foram para a outra parte da cidade. Depois de andarem um pouco, tinham chegado a casa de Zoey. A garota abriu a porta e deixou que Hannah entrasse, enquanto ela foi para a cozinha, preparar alguma coisa. Hannah já havia ido lá várias vezes, era como se estivesse na própria casa - se duvidasse, tinha muito mais liberdade na casa da amiga, do que na própria. Foi até o sofá e se sentou, logo pode notar um certo gato negro dormindo ao seu lado. No momento em que o viu um nome veio a sua mente.

Após esperar um pouco, até sua amiga voltar com uma caneca - que aparentava conter achocolatado - e se sentar ao seu lado. Hannah se virou para ela.

-Já sei qual nome pode colocar nele. -Falou.

-Sério? -Zoey perguntou animada. -Qual?

-Cappuccino, ele parece tão macio quanto.

Hannah sabia o quanto a amiga amava a bebida, então o nome acabava sendo algo em referencia a própria dona do animal. Era agradável, e a garota de cabelos platinados havia realmente gostado da escolha.

-É um ótimo nome. -Sorriu.

-Que bom que gostou.

-O que eu faria sem minha melhor amiga?

-Nada.

-Era para você responder que eu me viraria bem sozinha.... Metida. -Zoey olhou “brava” para a amiga, que soltou um leve sorriso em resposta.

As duas conversaram por um longo tempo, sobre vários assuntos, mas em especial, Cappuccino. Passaram toda a tarde juntas, até que os pais de Hannah lhe ligaram, mandando-a voltar para a casa. Zoey estava novamente sozinha com Cappuccino na casa.

Após algumas horas, a garota havia jantado, arrumado as coisas de Cappuccino em seu quarto e tomado outro banho. Estava no sofá, assistindo televisão, completamente distraída, pensando no que faria no dia seguinte. Foi tirada de seus pensamentos pelo som de um miado. Zoey sorriu e olhou para o chão, vendo seu gato a olhar com aqueles maravilhosos olhos.

-Venha aqui, Cappuccino... -Disse, o chamando para subir no sofá. O gato miou mais uma vez e pulou lá, e logo depois subiu na barriga de sua dona. -Você é um folgado. -Ela começou a acariciar o gato que logo deitou, fechando os olhos.

Em menos de vinte minutos, os dois já haviam dormido. Poderiam passar a noite toda daquela forma, porém Zoey começou a tremer de frio. Como Cappuccino estava deitado na garota, percebeu e acabou acordando, então o simples gato que - supostamente - nem sabia o que estava acontecendo, começou a miar, cada vez mais alto até sua dona ouvir e acordar.

"Está frio..." -Ela pensou assim que abriu os olhos. -"É melhor irmos para a cama."

Ela segurou Cappuccino e começou a andar até seu quarto, apagou as luzes e se deitou junto ao gato, que se aninhou em seus braços. Como Zoey estava com muito sono, dormiu rapidamente, e logo Cappuccino se juntou a ela.


Notas Finais


E ai, gostaram? Deixem suas opiniões nos comentários (AMO COMENTÁRIOS GENTE)
~ Agradecimento especial a @TpmOrihara, minha beta que está me ajudando PAKAS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...