História Meu Gato De Estimação - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 193
Palavras 680
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas!!!! Eu tô com duas fics meio atrasadas e me deu a louca de fazer essa tbm! Miraculous LadyBug!!! Nessa fic (aviso: Spoiler explicativo da fic daqui para a frente, pule para "aqui" para não ler o spoiler) o Chat Noir/Adrien vira meio que o gatinho de estimação da Marinette/LadyBug.... eu só vou ver se essa idéia da certo pq tô pensando em algo meio sadomasoquista :3! Se n der eu excluo essa é começo outra do Miraculous. (AQUI) EM FIM! FIQUEM COM O CAP MEUS PIKACHUS!

Capítulo 1 - O Abandono, O Gato E O Nathaneel


Fanfic / Fanfiction Meu Gato De Estimação - Capítulo 1 - O Abandono, O Gato E O Nathaneel

Eu sou a Marinette, tenho 16 anos e.... vou para um internato.... ou para um inferno, chame como quiser, os dois podem caracterizar a mesma coisa que eu estou sendo obrigada a ir. O uniforme de lá é uma saia xadrez vermelha que vai até os joelhos (que eu subi um pouco e ficou na metade das coxas), uma blusa social branca com mangas grandes e uma gravata vermelha, também xadrez. Eu estou sentada no banco traseiro do carro em que meu pai está dirigindo e esse "inferno" fica, praticamente, no meio de uma floresta densa e cheia de bichos estranhos e histórias de coisas sobrenaturais acontecendo nela; por exemplo: A história de um gato preto que simplesmente se transforma em um belo homem a hora que bem entende, enfeitiça as meninas do colégio e leva elas para dentro da floresta; depois, desaparece; deixando que elas morram lá dentro. Essas histórias só me dão mais motivos para abrir a porta do carro e pular do veículo em movimento.... sendo que estamos dentro da tal floresta e eu posso meio que.... morrerentão...... prefiro esperar chegarmos no internato para tentar fugir.

/Quebra de tempo\

Recepcionista: Olá! Você deve ser a Marinette Dupain-Cheng, certo? Onde está o seu pai?

Marinette: Estacionando o carro na entrada.

Recep: Quer uma bala? _Ela pegou um potinho lotado de balas e me ofereceu; quase mordi a língua para não pegar nenhuma, tinha que me lembrar que estou birrenta e não posso parecer a boazinha que ama doces.... o quê é verdade na parte dos doces....._

Mari: Não. _Fingi indiferença e olhei para a porta, pedindo mentalmente para ele estacionar rápido aquela lata velha e vir aqui_

O telefone da recepção toca. A mulher atende:

Recep: Alô? Sim, sim. Marinette? _Eu?_ Está aqui, senhor.... deseja falar com ela? Oh, claro, diga. Certo.... certeza? Mas-...... Claro, senhor.... claro.... como quiser. Vou passar a mensagem para ela.

Desligou e me fitou com um pouco de.... dó?

Recep: Marinette. Seu pai me pediu para te dizer exatamente o que ele disse, então.... perdão, mas, a mensagem dele é: Eu não sou obrigado a carregar os problemas dessa ingrata cachaceira, ela que se vire nesse fim de mundo, ela vai ser bem paga sendo.... puta dos outros problemáticos desse lugar macabro........... e...... ele pediu para avisar que: Se você engravidar, aborte ou jogue para cima do pai...... ele não quer se envolver.........

Marinette: .................

Eu não sabia o que dizer, o que fazer..... eu sabia que algo estranho estava acontecendo entre os meus pais, eles ficaram estranhos comigo e um com o outro sem nenhum motivo aparente..... mas.... o único "homem" que eu realmente amei me chamar de...... e dizer............. dói........ demais..............

-Recep: Eu........-

-Marinette: Que se foda. Eu não ligo para ele. Só vamos acabar logo com isso? Estou louca para..... ser "bem paga" como meu pai disse....... _Mesmo fingindo ser forte e não ligar... meu peito dói._

Por quê..... pai? Mãe? Alguém...... ainda consegue me ver? Alguém ainda sabe que eu existo? Eu...... estou cansada de nunca significar nada pra ninguém......... dói.... dói!

Recep: Venha aqui. _Apontou para perto dela, onde tinha um computador_

Andei até lá e ela me explicou as regras básicas do internato, terminou minha inscrição, dentre outros tópicos.

Quando acabamos, ele disse que chamaria o representante da sala que eu ficaria; ele se chama Nathaneel, um belo ruivo que ficou com as bochechas da cor dos cabelos quando entrou na sala e me fitou, ele usava o uniforme típico masculino: uma calça social preta, uma blusa social branca, uma gravata vermelha escura (a cor mostrando que era o representante de classe), tênis/sapatos pretos e uma blusa de frio com capuz.

Nós conversamos enquanto saímos em direção para o auditório, onde estava tendo alguma palestra de início de ano, e ele corava a cada olhar que trocávamos. Andamos até chegarmos em um pátio bem grande quando: Eu vi um vulto de um pequeno animal passando correndo do meu lado; me virei e vi um belo gato preto, peludo, de olhos verdes claros me encarando.

Ele miou e eu podia jurar que vi um brilho nos seus olhos felinos e um repuxar de lábios..... ele.... sorriu?


Notas Finais


Epaaaaa!!! Apareceu um gatinho :3........ suspeito! Até o próximo capítulo kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...