História Meu guarda costas diferente - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bangtanboys, Boyxboy, Bts, Hoseok, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Lemon, Namjoon, Seokjin, Taehyung, Yaoi, Yoongi, Yoonseok
Exibições 173
Palavras 3.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa a demora para postar o cap, mas ele finalmente ficou pronto. As explicações para a demora estão no meu perfil.

LEIAM O QUE EU ESCREVI NAS NOTAS FINAIS DO CAP PORFA.

Capítulo 6 - Ficante


— Boa noite. — Vi Jungkook desmaiar logo após eu dizer isso. 

Durante a primeira hora ele dormiu calmamente, mas logo após ele começou a coçar o nariz e espirrar. Olhei para o rosto dele e vi que seu nariz estava vermelho, só então percebi que os travesseiros estavam todos despedaçados e fiapos de pano voavam toda vez que ele se mexia. Talvez fosse isso que estivesse irritando o nariz dele. 

Levantei a cabeça dele levemente para não acordá-lo – o que eu duvidava que acontecesse já que ele desmaiara pesadamente de prazer. 
Joguei o que sobrara dos travesseiros no chão, deitei sua cabeça na curvatura de meu pescoço, e soltei suas mãos que ainda estavam amarradas. Assim que fiz isso ele se arrumou em meu peito, meio que me abraçando de lado. 

Será que ele não sabia o perigo que corria ao ficar abraçado a um vampiro daquele jeito? Principalmente comigo. 

Não era para ser assim. Eu já me acostumara com o cheiro do sangue humano. E o cheiro do sangue de Jungkook não tinha nada de especial, mas era como se algo na minha cabeça – algo como meu instinto – estivesse dizendo "Vai lá, tome o sangue dele e o destrua...". 

Sim, eu ouvia todas as minhas sensações. O problema é que eu não entendia o porquê de meu instinto estar dizendo aquilo. A existência daquele menino para mim era irrelevante, eu só precisava dele para ter sucesso na missão. Não planejava matá-lo depois disso, só o levaria para as ninfas para que elas modificassem a memória dele. 

"Bom, não importa. Minha razão é maior que meu instinto, então eu não represento perigo para ele. Eu acho...". 

[...] 

— Puta que pariu, que horas são? ! — Acordei alarmado, me levantando depressa, mas resmunguei de dor logo em seguida, por ter levantado rápido demais. Senti minha cabeça doer e girar. 

Fechei os olhos por um momento, esperando a tontura passar. Quando abri os olhos de novo, me deparei com a visão de Jimin cochichando na poltrona ao lado da estante de livros. 

— Vampiros dormem? — Acabei perguntando em voz alta. 
Observei Jimin abrir os olhos devagar e olhar para mim. 

— Obviamente. Você tem que tirar esses clichês da sua mente. — Ele respondeu e se arrumou na poltrona. — Nós somos muito parecidos com os humanos, biologicamente. Só, literalmente, trocamos o dia pela noite. Ah, também não precisamos ir ao banheiro já que nosso organismo aproveita 100% do que comemos e tamb- 

— Tá, tá, ok. Informação demais. — O interrompi e comecei a arrastar minhas pernas para fora da cama. 

Quando meus pés tocaram o chão tentei me levantar, mas senti minhas pernas bambas e vi o piso se aproximar. Eu estava caindo, mas a dor não chegou; ao invés disso senti braços firmes em volta do meu tronco, mantendo-me no lugar. 

Pera, isso já aconteceu antes. 

De repente, minha mente foi invadida por imagens da noite anterior. 

— O que caralhos a gente fez ontem?! — Gritei a pergunta enquanto sentia Jimin me por sentando de novo. 

— Uhm, muita coisa, o que especificamente você quer saber? — Ele pareceu sério quando perguntou. 

— Ah meu Deus, só cala a boca! — Continuei gritando e tentando firmar minhas pernas enquanto ficava de pé. Quando vi que conseguira, corri para o banheiro da suíte mesmo e me tranquei ali. 

Meu caralho alado, que vergonha. Tudo bem que não fora nada demais o que ele fez, mas porra! Eu DESMAIEI de prazer! As imagens do que acontecera na noite anterior passavam nitidamente na minha cabeça, e o pior... 

Eu queria mais. 

Okay, eu estava envergonhado. Mas não mudava o fato de que aquilo fora muito bom. 

Argh, que raiva! Por que ele me deixava tão... assim!? Queria bater nele até machucá-lo, mas ao mesmo tempo queria experimentar mais daqueles lábios, inalar mais daquele perfume, tocar cada parte daquele corpo... 

Balancei a cabeça de um lado para o outro, tentando me livrar daqueles pensamentos, e me dirigi à banheira. Esperei ela encher, entrei e me afundei na água. 

[...] 

— Senhor Jungkook, que horas você tem que estar na faculdade? — Depois do que me pareceu uma hora, escutei Jimin me perguntar por de trás da porta. 

Tirei meu braço da água e o estiquei para pegar meu celular do chão. Desbloqueei a tela e vi que eu só tinha trinta minutos, e me assustei com o quão pouco de tempo eu tinha. Levantei-me apressado, espalhando água para todos os lados, enrolei a toalha que estava pendurada na porta na cintura e saí. 

Encontrei Jimin usando uma roupa diferente. 

— Já separei uma roupa para você. — Ele apontou para minha cama, que estava com peças de roupa que não eram minhas. Não questionei, apenas as vesti na frente dele, ele pareceu nem ligar. 

— Okay, já estou indo. — Me virei e ele não estava mais lá. Dei de ombros e saí. 
No caminho, acabei encontrando com meu pai. 

— Aonde você vai tão cedo? — Ele não parecia nem um pouco preocupado. 

— Para aquela sala de tortura que você chama de faculdade. — Respondi e dei as costas, correndo até as escadas, afinal eu estava atrasado. 

Pensei em passar na cozinha só para comer algo, mas não dava tempo. Então simplesmente saí da mansão, encontrando o carro que iria me levar. Entrei na frente mesmo e falei: 

— Vá o mais rápido possível, pelo amor que você tem ao seu emprego. — Disse enquanto começava a arrumar meu material. 

— Sim, senhor. — Ouvi a voz de Jimin responder debochando. Pera, Jimin?! 

— O que você está fazendo aqui? Cadê meu motorista?! 

— Você tem problemas de memória ou só é tapado mesmo? Esqueceu que eu disse que iria ficar o dia todo com você? E eu demiti seu motorista. 

Ignorei seus insultos e continuar a ajeitar minhas coisas na mochila. "Aceitar sem questionar, aceitar sem questionar" eu repetia para mim mesmo. 

— Aliás, belo pescoço. — Olhei confuso para ele e ele apenas abaixou o espelho do carro para mim. 

Ainda confuso, me olhei e vi que meu pescoço estava coberto de marcas vermelhas – e algumas até roxas. 

— Puta que pariu, Park Jimin. Eu te odeio! — Cobri meu pescoço com as mãos e de novo senti vontade de bater nele até machucar. Como é que eu iria aparecer na faculdade daquele jeito? Já podia até ouvir as piadinhas do Tae e do Hoseok. Argh! 

Escutei Jimin soltar um riso e o encarei com meu melhor olhar de ódio. 

— Jungkook, eu não sei se você viu, mas essa blusa que eu separei para você é de gola alta. É só levantar. — Falou como se estivesse falando com uma criança. 

Olhei no espelho de novo, e realmente, tinha uma gola lá. Puxei-a para cima, cobrindo as marcas de chupão. Eu estava com tanta pressa mais cedo que nem pude perceber a roupa que Jimin havia separado para mim. 

Olhei melhor para minhas roupas; eu estava com uma blusa de malha de lã cinza – menos a gola, que era vermelha – com mangas compridas que iam até metade das palmas das minhas mãos, uma calça skinny preta e botas coturno bege. 

Até que ficou legal, mas eu não poderia perder uma dessas. 

— Nossa Jimin, você tem um senso de moda horrível! Quem te ensinou a se vestir, sua avó? — Irritar ele é o que eu mais queria. 

— Ficou ruim? — Ele pareceu realmente ofendido. — Eu pesquisei em vários sites atuais. Além do mais, você fica tão fofo com essas mangas cobrindo suas mãos. — E levou a mão até a minha bochecha, apertando-a. 

— Não me toque! — Bati em sua mão e ele a levou de volta para o volante. — E fofa é minha bola esquerda! 

Arregacei as mangas até o cotovelo. 

— Estraga prazeres. — Resmungou, olhando de canto de olho para meu cotovelo. — E você não estava reclamando das minhas carícias ontem à noite. 

Apenas mostrei o dedo do meio para ele, incapacitado de falar algo. 

Tentei me distrair com algo para não ter que respondê-lo e resolvi analisar as roupas dele. Ele estava com uma blusa de lã cinza escuro. Por baixo dela parecia ter uma blusa justa branca de gota alta, e nas pernas, uma calça skinny preta e coturnos também beges. 

— Caralho Jimin, qual era o nome do site que você viu esse tipo de roupa? — Perguntei, já ficando irritado. Ele apenas deu de ombros. — Jimin, isso é roupa de casal! — Gritei. 

— Desculpa, eu não sabia. — Ele pareceu sincero quando respondeu. — Mas também qual o problema? 

— O problema é que as pessoas vão pensar que somos um casal, oras. — Expliquei o óbvio. 

— E você se importa? — Perguntou, me olhando de canto. Hesitei por um momento. 

— Claro que eu me importo, não tem essa de casal não. Eu sou do mundo. — Respondi. 

— Bom, não posso fazer nada. Não temos outras roupas e você está sem tempo para parar em algum lugar. — Deu de ombros e voltou a prestar total atenção na rua. 

Bufei e baguncei meu cabelo levemente pela frustração. Mais uma coisa para o Hoseok e o Taehyung zoarem. 

"Só aceita, Jungkook. Só aceita." 

Para tentar seguir meus próprios conselhos, arrumei meu cabelo certinho pelo espelho e voltei a arrumar meu material. Já estava quase terminando, quando cheguei ao papel do trabalho que era para eu ter feito para as aulas de hoje. Merda! Eu esqueci completamente, tudo por causa desse tarado aqui do meu lado! 

— Você vai fazer essa porra. — Joguei os papéis no colo de Jimin. — É sua culpa eu não ter conseguido fazer. 

— Oh, tudo bem. 

Nossa, tão fácil assim? Se eu soubesse, teria mandado ele fazer antes mesmo de eu começar. 

— Você sabe dirigir? — Olhei para ele confuso e concordei com a cabeça. 
Jimin parou o carro em uma vaga qualquer, tirou o material do meu colo e do dele e empurrou o banco mais para trás. Tirou meu cinto e afastou as pernas, dando um tapinha no espaço entre elas. 

— Vem. 

— O quê? Para quê? — Perguntei confuso, com umas ideias bem loucas na cabeça. 

— Só cala a boca e vem logo. — Nem pude dizer mais nada já que depois de dizer isso ele me puxou para o espaço entre suas pernas, fazendo com que eu me sentasse ali. 

— Pronto, vai dirigindo enquanto eu faço o trabalho. — E apoiou o livro com a folha do trabalho nas minhas costas. 

— Ah, era para isso que você me queria aqui. — Constatei, assumindo o volante para ir em direção à faculdade, que não ficava a mais do que cinco minutos daqui. 

— Para que você achou que seria? — Perguntou com a voz desinteressada, e pude senti-lo começar a escrever. 

Bom, carro parado, banco mais para trás, pernas afastadas, só pude pensar uma coisa. 

— Nada não, faz o trabalho aí. — Mandei. 

— Sim senhor. 

Como previsto, não demorou muito e logo chegamos. Dei graças aos céus pelos vidros das janelas do carro serem fumê, assim ninguém poderia ver em que situação estávamos. 
Arrastei-me para o meu banco e saí pelo meu lado do carro. Olhei para o lado esperando o Park, mas ele já estava lá segurando meu material e as folhas do trabalho. 

— Ok, você tem uma hora e meia para terminar o trabalho. Ao final desse tempo acabar eu tenho que entregar. — Avisei e peguei o material de sua mão, deixando só as folhas do trabalho. — Me encontre nessa sala quando terminar. 

Marquei o número em um pedaço de papel e estiquei a mão para ele, mas ele não pegou, apenas levantou uma sobrancelha. 

— Que foi? 

— Jeon Jungkook. — Ele falava lentamente, de novo adotando aquele tom de quem falava com uma criança. — Não sei que parte do "Eu irei ficar o dia inteiro com você" você não entendeu, mas isso significa que eu vou ficar o dia todo com você, sabe, junto com você. 
Arregalei os olhos com a afirmação dele. — Até na faculdade? 

— Principalmente na faculdade. 

Suspirei; eu não tinha esquecido que ele ia ficar o tempo todo comigo, mas eu tinha a esperança de que não precisasse ser assim na faculdade – pelo menos não naquele dia, não com aquelas roupas. E eu tinha que falar com Ho também, acertar as coisas. De repente senti falta dele. 

— Jeon, ainda está aí? 

— Uhm — Tentei começar devagar — Não podemos pular só hoje? 

— De jeito nenhum. — A resposta veio na hora. — Toma, já terminei seu trabalho. 

Pera, o quê? Ele tinha escrito por no máximo uns cinco minutos. Folheei o trabalho e ele estava completo; no dia anterior eu só tinha escrito umas duas páginas, agora estava com oito a mais. 

Antes que eu pudesse perguntar como caralhos ele fizera aquilo, ele mesmo respondeu: 

— Velocidade vampírica, lembra? — E piscou um dos olhos para mim. 
Tinha me esquecido disso. Okay, talvez essa velocidade viesse mesmo a calhar. 

"A calhar para ser fodido rapidinho, né?" 

Ignorei meu pensamento pervertido. Talvez eu pudesse me aproveitar e fazê-lo terminar meus outros trabalhos, ele não pareceu se incomodar quando pedi que terminasse aquele. 

— Nem pense nisso. — Escutei Jimin falar e olhei o confuso. Eu tinha certeza de que não pensara em voz alta. 

— Você não disse que não lê pensamentos? — Será que ele mentira? 

— E não leio, mas eu consigo ler os sentimentos, e você está feliz, ansioso e aliviado olhando para o trabalho. Só posso concluir que você quer que eu faça outros trabalhos para você. — Fiquei impressionado em como ele descrevera meus sentimentos. — E não vai rolar não. 

Fiquei desapontado; já estava até pensando em fazer dele meu escravo. 

— Mas se você fizer por merecer, quem sabe? — Ele me olhou sugestivo. 

"Oh porra. Jungkook, controle-se". 
Para não pular nele ali mesmo, comecei a andar em direção ao prédio enquanto lia o trabalho; realmente ficara muito bom. Olhei para o lado e Jimin já estava me acompanhando, olhando ao redor atentamente. Provavelmente ele investigava a tal pessoa. Pensando ali, eu não consegui imaginar por que algum vampiro teria algo a ver comigo. 

— Jimin. — Ele apenas balançou a cabeça para mostrar que estava ouvindo. — Como você fez um trabalho tão bom em tão pouco tempo? 

— Eu já disse que vivi o suficiente para fazer várias faculdades. Acho que já fiz direito umas sete vezes. — Terminou, pensativo. 

— Caralho, sete? Só essa aqui já me enche o saco. — Me surpreendi. — E quando é que você vai me falar quantos anos tem? 

— Por que eu deveria? Não vai fazer diferença nenhuma. — Sorriu para mim. 
"Ah, faz diferença sim, tipo eu saber quantos anos tem o vovô que eu estou pegando, né?!" 

Ew, colocar a frase desse jeito foi realmente nojento. 

— Jungkook? — Merda. — Quem é esse? 

Virei o rosto e vi Hoseok, Taehyung e Seokjin hyung intercalando o olhar entre mim e Jimin. 

— É, então... Ele é... — Merda, eu ainda não tinha pensado em uma desculpa. 

— Sou um primo dele, prazer Park Jimin. — Se curvou. 

— Ah, sério? De onde? Estados Unidos que nem o Josh, ou chileno que nem o Javier? Ou Japonês que nem o Takahashi? — Taehyung perguntou. 

Jimin olhou confuso para mim e eu suspirei. 

— Eu já usei muito essa desculpa de "primo". No fim, eram todos meus ficantes. — Bufei e voltei a andar para nossa mesa de costume. 

Tentei andar um pouco mais lento para dar tempo de pensar em alguma desculpa, mas não funcionou então resolvi ir pelo mais clichê. 

Quando enfim todos estavam sentados – Jimin do meu lado esquerdo, Seokjin hyung do direito e Taehyung e Hoseok hyung na minha frente – Hobi atacou de novo: 

— Vamos, desembucha, quem é esse? — Pelo canto do olho pude ver o maxilar de Jimin ficar mais rígido quando Hobi hyung o chamou de "esse". Orgulhoso. 

— Esse — Enfatizei a palavra só para deixá-lo irritado. — É o filho de uns amigos dos meus pais, eles vieram de outro estado, então meu pai me pediu para apresentar a faculdade e a cidade para ele. — Não gostava de mentir para meus amigos, mas eu não tinha escolha. E mesmo que tivesse, o que eu poderia falar? "Então gente esse é minha nova babá e ah! Ele é um vampiro." 

Nem fodendo. 

Olhei bem para as expressões deles e vi Seokjin dar de ombros enquanto lia alguns papéis; Hoseok não parecia nem estar se importando já que encarava outra coisa e Taehyung encarava Jimin desconfiado. 

— E porque ele mentiu dizendo que era seu primo? — Okay, eu não pensara em uma resposta para isso. 

— Uhm, eu e Jungkook não queremos que nossos pais saibam que estamos saindo. — Boa Jimin. — Pelo menos da parte dos meus pais seria estranho. 
Não vi problemas em Jimin falar que estávamos saindo; ele é bem bonito, seria uma boa adição a minha lista de ficantes. 

Taehyung pareceu engolir essa, já que sua expressão passou de desconfiada para apreciativa em direção a Jimin. 

— Taehyung, tira o olho. — Mandei. —Você sabe que eu não gosto de dividir. — Eu só confiava que Jimin não faria nada de mal comigo porque precisava de mim, com meus amigos eu já não sabia. 

Taehyung apenas levantou a mão em sinal de rendição, mas sem tirar o sorriso malicioso do rosto. 

Senti Jimin apertar minha coxa com um pouco de força e rosnar bem baixinho. Antes que eu pudesse reclamar ele já tinha levantado. 

— Eu já volto. — E saiu para alguma direção que eu não me importei muito. Estava mais concentrado em massagear o lugar em que ele apertara, estava doendo. Filho da puta! Será que ele sentia dor? Porque eu estou com muita vontade de bater nele. 

— Então, Jungkook. — Tae começou. — Bela aquisição. — Me parabenizou, mas eu nem liguei, estava mais interessado em torturar Jimin nos meus pensamentos. 

Escutei Hoseok resmungar algo e olhei para ele, encontrando-o encarando o mesmo lugar de antes, só que dessa vez com um olhar de frustração. 

— Haha, eu não acredito. Parece que é só você que não gosta de dividir. — Taehyung faltou rindo. 

Olhei sem entender para ele e ele apontou para algum lugar atrás de mim. Procurei algo fora do normal onde ele apontara e a única coisa que encontrei foi Jimin conversando com um garoto da altura dele, de cabelo azul meio esverdeado. Não tinha nada de estranho neles, a não ser que várias pessoas que passavam os encaravam. 

— Tá, o que tem demais? — Perguntei, voltando meu olhar para Taehyung. Hoseok ainda olhava para eles com uma cara frustrada. 

— Jungkook, não sei se você percebeu, mas o tal do Park está quase se fundindo com o corpo do Min. 

— Min? — Perguntei. 

Dessa vez foi Hoseok que respondeu. 

— É Min Yoongi, o cara com quem quase todas as meninas querem ficar e que todos os caras que cortam para o outro lado querem fode- 

Hobi mesmo se cortou no meio da frase, olhando espantado para trás de mim; Taehyung e Jin hyung faziam o mesmo. Virei-me, procurando o que os fizera ficar daquele jeito – e não foi muito difícil achar, já que todas as pessoas olhavam na mesma direção com a mesma expressão surpresa. Yoongi estava segurando a gola de Jimin enquanto o beijava. Jimin no começo pareceu surpreso, mas logo agarrou na cintura do azulado, colando-o a ele. 

Filho da puta, ele acabara de falar para os meus amigos que estamos saindo e já estava beijando outro! Não entendam errado; é que assim ficava parecendo que eu era sua segunda opção e Jeon Jungkook nunca é a segunda opção! 

Mais uma vez naquele dia uma vontade de espancá-lo me tomou, mas permaneci no mesmo lugar, com os punhos cerrados e o maxilar trincado, enquanto olhava para aquela cena que, mesmo me deixando com raiva, era bonita. Park era deslumbrante assim como Yoongi, o beijo deles parecia coisa de cinema, chegava a dar constrangimento ficar encarando. 

Aparentemente todas as pessoas que encaravam aquilo sentiram o mesmo, porque desviaram o olhar parecendo desnorteadas e começaram a andar para longe deles, seguindo o próprio caminho. 

Quando todas as pessoas em volta deles se dissiparam, eles finalmente se soltaram. As expressões deles não pareciam de pessoas que haviam acabado de dividir um beijo de cinema. Yoongi parecia aborrecido e Jimin... aliviado? Não sabia, não era tão fácil para mim, entender sentimentos como parecia ser para Park. 

Jimin olhou em volta como se analisasse o local e acabou encontrando meu olhar. Tentei parecer o mais aborrecido possível; Jimin afastou seu olhar do meu tão rápido quanto tinha colocado, mas pude perceber um brilho vermelho em seus olhos. 

O vi falar algo no ouvido de Yoongi, e rapidamente uma expressão de alegria se apossou do rosto do azulado e ele concordou com a cabeça. Jimin pegou na mão dele e o levou para fora do prédio, ficando fora da minha visão. 

Ele não deveria ficar o dia todo comigo?! Para mim ele não parecera nem um pouco hesitante em sair de perto de mim, já que, ao que parecia, ele quem tinha oferecido que ambos saíssem. 

Virei-me para frente cheio de raiva. Eu só queria bater muito em Jimin. 

— Parece que alguém aqui é segunda opção. — Taehyung soprou com divertimento. Apenas olhei para ele e ele ergueu as palmas das mãos. 

— Tá bom, tá bom, não está mais aqui quem falou. 

Tentei pensar em outra coisa, olhando para os papéis do trabalho em cima da mesa, mas aí lembrei que foi Jimin que fizera. Peguei os papéis da mesa e rasguei tudo. 

Quando Jimin voltasse ele iria escutar muito. Isso se eu conseguisse deixá-lo vivo.

 


Notas Finais


Então o que acharam?

Obrigada pelos mais de 60 favs, amo vocês =3

TOUR NO BRASIL POARR!

Quem aí também vai?

Queria avisar que a partir de hoje, não terá um dia certo para atualizações. Eu me sinto pressionada se eu coloco uma data. Mas tentarei trazer um por semana pelo menos.

Queria avisar também que eu postei uma nova fic Jikook chamada Fading Memories. Ela foi escrita com o meu amigo e beta @ineedyoukook deem muito amor ao Nezu e a fanfic por favor =3

Sinopse:

"Quando crescermos, quero fazer que nem meus pais. Morar junto, ficar encostando os lábios um no outro o tempo todo e comer doce todo dia, para sempre! O que você acha? Quer ficar para sempre comendo doces comigo?”

Essa era apenas uma das memórias que eu jurava ter esquecido, mas que voltou à tona depois que reencontrei você, Park Jimin.

O Nezu também já tem postada três fics.

Always ¦Taejikook¦OneShot

https://spiritfanfics.com/historia/always-6955081

*=*=*

You Need To Relax ¦Jikook¦OneShot

https://spiritfanfics.com/historia/you-need-to-relax-6952933

*=*=*

Meu Porto Seguro ¦Vhope¦ShortFic

https://spiritfanfics.com/historia/meu-porto-seguro-7022463

*=*=*

Beijos e até~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...