História Meu ídolo é um idiota! - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Lily Collins, One Direction
Personagens Justin Bieber, Lily Collins, Zayn Malik
Tags Justin Bieber, Lily Collins, One Direction, Zayn Malik
Exibições 269
Palavras 1.262
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vocês estão vendo esses números de favoritos? MEU DEUS EU SÓ TENHO A AGRADECER TUDO ISSO EU AMO TANTO VCS
Enfim, boa leitura e aproveitem que eu estava inspirada (ou não)
Vamos conversar nas notas finais? Vamos


PS: Preparem o core de vcs

Capítulo 19 - Caos em minha mente


POV OLIVIA

 

Eu sou uma garota forte, mas choro quando meu coração insiste em machucar meu peito e invadir minha mente.

Eu sou uma garota forte, mas estou chorando enquanto dou passos largos para fora daquele hotel que destruiu minhas memórias boas.

Eu posso chorar se está doendo, certo?

As lagrimas cobriam todo meu rosto e a garoa que caia sobre mim aparentavam deixar tudo mais frio do que realmente estava. Eu não vejo nada, apenas continuo andando, mantendo a cabeça abaixada e os olhos fechados.

Sinto um impacto em meu corpo, fazendo-me cair de costas no chão. Comecei a chorar entre soluços e soluços, apenas abraçada com meus joelhos magros.

—Meu Deus, está tudo bem? — Ouço uma voz grossa e sinto um toque em meus ombros. Continuo com os olhos fechados. — Por favor, me diga onde dói. Machucou muito? Você precisa de um médico?

Minhas costas não doíam, na verdade, a pancada nem havia sido forte. Mas, ao encontrar o chão naquele pequeno acidente, senti vontade de aproveitar a ocasião, pois o que eu carregava em meu peito doía mais que qualquer pancada. Então eu só aproveitei daquele momento para sentar no fio da calçada e chorar como se tivesse sofrido uma fratura exposta.

—Tudo bem, não está doendo— Digo finalmente abrindo meus olhos e encontrando um homem, ou talvez garoto, dos cabelos castanhos um pouco arrepiados, da pele pálida e do rosto angelical como de um bebe. Ele me olhava preocupado e eu me senti culpada por isso.

—Tem certeza? Você está chorando tanto. Eu posso...

—A dor não é física— Forço um sorriso e o garoto senta ao meu lado na calçada.

—Esse é o pior tipo de dor— Ele apóia os braços em seus joelhos e encara a rua. Meus olhos não saiam de seu rosto tão admiravelmente bonito. O que ele estava fazendo aqui? — Shawn Mendes— Ele diz após alguns segundos, desviando meus pensamentos. Assim que seus olhos pousam sobre mim, sinto minhas bochechas esquentarem— Sou Shawn Mendes, e você?

Naquele instante eu me lembrei de quando conheci Justin e da minha insistência em não dizer meu nome a ele. Mas, a diferença era que Justin me magoará desde o momento em que o conheci e esse garoto, Shawn, estava me passando algum tipo de calmaria e isso começou a me assustar.

—Olivia Martin— Meu nome saiu sem eu ao menos perceber. Shawn me olha ainda sorrindo e, no mesmo instante abaixo a cabeça envergonhada.

—E o que te machuca tanto, Olivia? — Sua voz era tão doce e se fosse qualquer outra pessoa ali eu provavelmente estaria xingando e dizendo para não se meter em minha vida, mas por algum motivo não conseguia nem se quer sentir vontade de fazer isso com ele.

Talvez não fosse nem Shawn, mas sim a fragilidade daquele momento. Talvez eu precisasse de alguém mostrando se importar comigo. Talvez eu precisasse conversar com alguém e colocar minhas dores para fora. Talvez eu estivesse precisando me sentir calma e ele era o único que estava aqui. Talvez.

Talvez.

—Uma pessoa— Digo em um tom muito baixo, fazendo o garoto aproximar seu rosto de meus lábios. Não era uma aproximação grande, mas eu já conseguia ouvir sua respiração lenta. — Mas deixa isso pra lá— Eu não queria deixar pra lá, mas realmente deveria contar meus problemas para um estranho?

—Você quer deixar pra lá? — Ele estava lendo meus pensamentos?

—Talvez— Abaixo a cabeça e sinto ele se levantar. Prefiro não olhá-lo, pois mesmo não o conhecendo, não queria que ele fosse embora.

—Não quer— Ouço sua voz um pouco mais longe e logo sinto algo cobrir meus ombros— Está ventando muito e quando estamos tristes, parece que tudo fica mais frio— Ok, isso estava começando a me assustar. Era realmente possível alguém ler mentes? Seu casaco preto aqueceu meu corpo gélido rapidamente, fazendo com que eu abraçasse o pano e fechasse os olhos. As lembranças daquela droga de moletom cinza começaram a rodar repedidas vezes pela minha cabeça. — Quer falar sobre?

Segundos

Minutos

Um tempo indeterminado se passou e ele continuou ali, sentado novamente ao meu lado esperando alguma palavra sair da minha boca. Será que ele sabia que só sua companhia e aquele silêncio estavam sendo o bastante?

Ouvia apenas sua respiração calma e vez ou outra observava morder os lábios e me olhar de canto. Suspirei fundo e abri a boca.

—Ele é um idiota e eu soube disso no segundo em que trocamos as primeiras palavras. Suas atitudes vão do céu ao inferno. Ele é aquele erro que nós insistimos em cometer mesmo sabendo que nunca dará certo. — As palavras saiam da minha boca tão rápido que eu nem conseguia perceber o que realmente estava falando— Não é só o fato dele ter me humilhado dizendo que não sou boa o bastante. O que mais me dói é que eu sabia que isso iria acontecer e mesmo assim insisti em entregar meus sentimentos para ele. Eu insisti em algo que sabia que me magoaria, porque eu simplesmente acho que mereço a dor— A essa altura as lagrimas escorriam pelo meu rosto e os braços de Shawn estavam entrelaçados em meu corpo.

Aquele abraço estava tirando o peso de toda a dor que Justin me proporcionou. Eu aperto sua camiseta preta com força, fazendo-o me apertar mais em seus braços, deixando-me sentir o calor de seu corpo.

Ficamos assim por um tempo que eu não fiz questão de contar.

—Obrigada— Afasto-me dele com calma, sentindo todo meu rosto estar quente por conta da vergonha que sentia por chorar no braço de um estranho.

—Se um dia quiser me contar com mais detalhes, saiba que eu vou ouvir cada palavra e reparar em cada respiração errada que você der— Ele toca em minha bochecha, fazendo-me sorrir de canto. Porque aquele estranho estava se preocupando comigo?

—Detalhes não importam— Digo levantando minha cabeça e deparando com seus olhos brilhantes sobre mim.

—Se te machucam, importam— Como ele conseguia?

—Você é o estranho mais amigável que já conheci. Obrigada mesmo— Mordo meu lábio em sinal de nervosismo e ele observa minha ação, logo coçando a nuca e desviando o olhar para a rua.

—Talvez eu tenha sido enviado até você— Seu tom é brincalhão— Acredita em destino?— Ele levanta as sobrancelhas algumas vezes fazendo-me rir alto.

—Estou começando a acreditar— Brinco, batendo em seu ombro calmamente, fazendo-o fingir um olhar irritado.

—Bom, infelizmente eu preciso ir, Olivia— Sua expressão parecia demonstrar chateação e ao dizer essas palavras, também fico um tanto chateada— Mas sabe, eu trabalho naquela loja de musica— Ele aponta para um local com discos e pôster de bandas coladas na porta. — Apareça lá qualquer dia, sabe pra me devolver o casaco— Ele toca no casaco preto que cobria meus braços e eu sorrio. — Tenho que ir, foi um prazer, Olivia Martin.

—O prazer foi todo meu, Shawn Mendes— Aperto sua mão, mas logo sou puxada para um abraço caloroso que novamente me passou certa calmaria. O garoto beija o topo da minha cabeça fazendo-me corar no mesmo instante.

Shawn toca em meu nariz e sorri. Eu sorrio ao vê-lo sorrir. Observo-o atravessar a rua e ele olha para trás, acenando com sua mão. Acenei de volta.

Quem é você, Shawn Mendes?

Por que me ajudou?

Por que me passou tanta calmaria em questão de segundos?

Por que está me fazendo querer que me envolva em seus braços novamente?

Como está conseguindo me fazer sorrir mesmo com esse caos em minha mente?


Notas Finais


E ai, o que acharam da aparição do Shawn? Só quero pedir pra não atacarem porque ele é meu amorzinho, viu?
Perguntinha, vocês gostam de The Walking Dead? Olha não vou nem esperar vcs responderem pq é impossível não gostar hahahaua
Tenho uma fanfic nova na minha outra conta que, por enquanto, não estou trabalhando muito, mas já tem o primeiro capítulo... Vamos dar uma olhadinha? Vamos sim
Ela é do Chandler (Carl) e da Katelyn (Enid)

Link: https://spiritfanfics.com/historia/lembre-se-de-nao-se-apaixonar-7157092


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...