História Meu Maior Erro - Norminah - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Demi Lovato, Fifth Harmony, Justin Bieber, Katy Perry, Little Mix, One Direction, Selena Gomez
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Exibições 66
Palavras 1.947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura
Até as notas finais

Capítulo 28 - O fim ?


Fanfic / Fanfiction Meu Maior Erro - Norminah - Capítulo 28 - O fim ?

Dinah Pov's on *

 

-Então você sabia de tudo ? Que eu seria ser sequestrada.. que tudo isso iria  acontecer? -Minha voz saiu baixa, eu sabia a resposta mas não queria acreditar nela

-Sim.. mas eu tentei, de todas as formas impedir isso, mas eu não sabia o porque dessa vingança. E foi aí que conheci melhor o Harry, ele é um dos capangas do Justin mas é um bom garoto, ele me contou os motivos dessa vingança e mesmo assim eu não consegui fazer o Justin mudar de ideia ! -ela se explicou enquanto me olhava nos olhos

Eu sentia raiva, medo, ódio e mais inúmeros sentimentos por Selena mas eu tinha que me render ao plano dela, apesar de tudo o plano dela era o único que poderia fazer tudo dar certo.

Fome era algo que eu não sentia, já se passará alguns dias que estou presa aqui e não tenho mais a noção de que horas são ou se está de dia ou de noite, para evitar que qualquer pessoa me visse aqui, o quarto não tinha janela, se resumia em uma sala média velha e suja com uma cama em um dos cantos e uma mesa de madeira com duas cadeiras.

O que eu mais desejava era pegar em um profundo sono, sem sonhos ou pesadelos, apenas dormi assim o tempo passaria, e logo eu estaria em casa. Mas era fechar os olhos que o desespero me cercava.

Já estava cansada de tanto chorar, tentei ao máximo me afastar de minha própria mente, ela me trazia pensamentos horríveis, e momentos bons, mas que agora se tornará torturantes.

-Você precisa comer Dinah, está ficando muito magra e sem força, por favor -Empurrou novamente o prato com macarrão em minha direção

-Eu estou satisfeita Selena. Não quero mais comer - voltei a empurrar o prato para sua direção

-Se prefere assim.. -pegou o prato e se levantou - Se acontecer alguma coisa me ligue. Cuide-se - sussurrou antes de sair do quarto

Escutei a porta ser trancada novamente, antes que eu pudesse evitar as lágrimas quentes caíram sobre meu rosto.

[...]

-Eu preciso usar o banheiro- disse para um dos capangas

- Já sabe as regras princesinha- a porta foi aberta e então sai do quarto, ele abriu a porta da frente e eu entrei

A porta foi fechada novamente e corri até o vaso sanitário.

Vomitei um líquido meio esverdeado, havia mais sangue do que o líquido estranho, minhas mãos tremiam e lágrimas caiam lentamente.

Apertei o botão no topo do vaso sanitário e fui até a pia, lavei minha boca na tentativa de tirar o péssimo gosto da minha boca, levantei meu rosto me vendo no pequeno espelho sujo na parede, meu rosto estava pálido, havia olheiras em torno dos meus olhos, meus lábios não tinham sequer um tom vivo.

Bati na porta e a mesma foi aberta, sai do cômodo e entrei no outro novamente. Aquele era o pior pesadelo que eu já tivera na vida, era uma tortura sem fim, eu esperava pela minha morte á qualquer momento, estava cansada de ter que lutar.

Em algumas horas eu começava a delirar, pensava estar ouvindo alguém me chamar, na maior parte das vezes era uma voz familiar só que eu não sabia de quem, ora ou outra eu via um garotinho no canto do quarto, ele era moreno, pequeno, parecia ter 7 anos e ficava me encarando. Aquilo me perturbava muito, o garoto fazia movimentos com as mãos nada muito brusco, parecia tentar me avisar algo, se eu o chama-se seus olhos se desesperavam-se e ele fazia um sinal para que eu ficasse em silêncio. Em outras horas eu ouvia pessoas sussurrarem em meus ouvidos, falavam coisas como "Cuidado" "Eles estão aqui" "Você pode morrer".

Nada era muito claro para mim.

[...]

-Sai, sai, sai. Vai embora, me deixa em paz - fechei os olhos com força e minhas mãos foram para minhas pernas

Ele estava ali, o garotinho, só que agora ele me olhava enquanto falava para eu fugir, ele aparecia cada hora em um lugar diferente, cada vez que eu fechava os olhos ele corria para algum lugar.

A voz dele desapareceu, parecia ter ido embora, aos poucos abri os olhos e vi um líquido vermelho em minhas pernas e unhas, tirei as mãos rápido e gemi de dor com ato.

"Droga"

Sussurrei para mim mesma

Essa não foi a primeira vez que isso aconteceu, tanto que havia marcas não só nas minhas pernas como em minha cintura e nos meus braços. Puxei as mangas da minha blusa e limpei meu rosto, peguei o papel higiênico e limpei todo aquele sangue corria por meus dedos e pernas.

[...]

-É hoje. Justin vai te levar para Los Angeles, iremos á um galpão, sua irmã estará lá , ela vai assinar os papéis e então você será liberada, faça tudo como o combinado, eu vou ficar no carro do Justin. A polícia vai invadir o galpão assim que você sair do lugar

Ela disse enquanto tirava o prato de sopa da mesa.

Selena saiu da sala e Harry entrou, ele amarrou minhas mãos com uma corda grossa, um pano foi amarrado em minha boca e ele me guiou até a vam preta do lado de fora.

Estava de dia, o sol estava brilhante, nem muito frio nem muito quente, o vento balançava os cabelos de Harry e os meus. Fecharam a vam e no mesmo instante as vozes voltaram a falar comigo. Fiquei de olhos fechados o percurso inteiro, meu corpo tremia muito mais do que eu considerava normal, minha cabeça parecia explodir a qualquer momento, abri os olhos assim que a porta da vam foi aberta.

Fui tirada de dentro do carro e levada até um jatinho, Justin sorria sentado em um dos bancos de couro, Selena estava ao seu lado, seu olhar era triste mas ela disfarçava ao perceber o olhar de Justin sobre ela.

Justin começou a falar o que ia acontecer, o que eu devia fazer ou não mas as vozes também falavam e tudo se misturava na minha cabeça, tudo estava distorcido e estranho ao meu redor.

A viagem durou algumas horas, o jatinho pousou e Justin saiu acompanhado de Selena, a mesma disse que tudo daria certo antes de sair da minha visão, vulgo que Justin não tenha visto ou escutado.

Me encolhi com o toque de Harry que me despertou de meus pensamentos, ele me levantou com cuidado já que eu me senti tonta ao tentar levantar e quase cai. Enquanto saíamos do jato uma mulher apareceu na minha frente, era minha mãe ela parecia dizer algo quando eu fechei os olhos a fazendo sair da minha cabeça.

"Foi apenas um delírio, ela está morta"

Repeti enquanto fui levada para dentro de uma outra vam.

Durante o caminho escutei Harry dizer a um outro homem que havia se passado 5 dias, os mesmos que para mim pareceram algumas semanas no mínimo.

Chegamos em um lugar estranho, pelo visto bem afastado da cidade. Me levaram para uma sala, nela tinha meu pesadelo, o que eu temia ver, Michael meu ex namorado.

Meu corpo tremeu, fechei os olhos e uma lágrima escapou pelos meus olhos.

-Dinah Jane - disse se aproximando - quem diria ! Parece que o destino nos trouxe para cá- ele pegou minha cintura e a puxou

Senti o local arder e me afastei dele, as feridas estavam cicatrizando ainda.

-Não tente fugir meu amor - sussurrou em meu ouvido - aproveite agora. Pois já já eu vou te fuder gostoso até você não conseguir andar - engoli seco e as lágrimas caíram descontroladamente

Aquela tortura estava ficando cada vez pior, eu já não tinha mais controle do meu corpo. Senti falta de ar, tentei puxar o máximo de oxigênio que dava e tentei respirar.

Era impossível fazer qualquer coisa. Michael saiu da sala e escutei a porta ser trancada.

Minhas pernas ficaram fracas e eu cai, me encolhi ali, as vozes não me deixaram em paz em nenhum minuto, o menino se sentou na minha frente e me olhou como quem tentava entender o que via, silabei a palavra "Socorro" várias vezes.

Peguei o celular que estava no meu shorts e tentei ligar ele mas a bateria havia acabado, eu ainda não tinha ligado para Normani e comecei a entrar em pânico, mais do que eu já estava. Joguei o celular para o outro lado da sala, fazendo ele bater na parede e cair no chão.

"Você vai morrer. Poderá ser livre. Você quer ser livre não quer ? Podemos ver  sua mãe ! Seu pai ! Você será livre" o menino repetiu sorridente.

- Não. Para é mentira ! Fique quieto. Me deixa em paz- levei as mãos aos meus ouvidos - sai, sai, sai - pedi repentina vezes com os olhos fechados mas só ficava pior

Depois de horas ali, um homem me levou para uma sala maior, nela estava Justin, um homem de barba, cabelos um pouco longos arrumados e centralizados com gel, ele vestia um terno preto parecia ser o advogado. Do outro lado da mesa onde estavam minha irmã , Regina, ao me ver deixou algumas lágrimas caírem. Um dos seguranças me puxou para um canto e então Justin começou a falar.

Eles negociaram e então Regina assinou alguns papéis. Quando ela terminou se levantou e veio até mim mas um outro homem entrou por trás de mim e apontou uma arma em minha cabeça dizendo para todos se afastarem.

Comecei a chorar desesperada. O homem mandou eu ficar quieta e em passos curtos foi andando para trás junto comigo. Os soluços saiam descontrolados de minha boca, Regina estava sendo segurada por outro homem enquanto chorava e tentava sair dos braços do homem.

Saímos do balcão e tinha muitos polícias ali fora, eles rodeavam o local, tinha viaturas por todos os lados, já estava de noite e minha visão ficou embaraçada.

O homem ameaçava atirar se alguém se aproximasse fazendo eu ficar mais assustada ainda. Tudo ficou em silêncio e as vozes entraram em destaque mais uma vez.

Seria agora minha morte ?

 

Assim ? Era esse o meu fim ?

 

Eu queria correr, correr muito, para algum lugar longe de qualquer humano. Eles pareciam monstros. O desespero correu pelas minhas veias junto com o medo.

Respirar ficou mais difícil do que antes.

Pedi mentalmente só mais uma chance, eu nunca fui a garotinha Santa, nunca fui o exemplo de boa menina mas eu ainda tinha esperanças da Piedade de Deus em me dar mais uma chance de vida.

Não tinha filmes da minha vida passando na minha cabeça, nada se passava, eu só ouvia as vozes, e o homem mandando todos se afastarem.

Quando me dei conta estava em outro lugar. Silêncio vagava por ali, tudo estava escuro, por que meus olhos não queriam se abrir.

Pensei que tinha morrido mas não, eu podia ouvir meu coração ainda, eu estava lutando para respirar ainda.

Mas tudo voltou a ruína quando um barulho quebrou o silêncio e meus olhos se abriram arregalados.

 

 

 

O homem ainda estava atrás de mim, a arma na mira de minha cabeça também.

Selena estava ali, chorando e pedindo para que o homem me deixasse ir.

-Deixa ela sair. Eu fico no lugar dela. Me mate então. Mas deixa ela sair

Era isso, Selena estava se colocando em risco por mim. Eu não sabia o que deveria fazer, eu não queria morrer mas também não queria que ela morresse.

 

 

 

 

Foi quando ouvi um tiro.

 

 

 

 

Fechei os olhos automaticamente.

 

 

 

 

Era esse meu fim.

 

 

 

 

 

 

 

 

Deus não me deu mais nenhuma chance, talvez eu não merecesse mesmo.


Notas Finais


Desculpa os erros
O que acharam ?
O que vcs acharam da nova música da Camilinha ?? Eu chorei por todos os buracos 😂❤ Mas sério foi lacrador o vídeo e a música!!
Comentem !!! Eu volto antes da próxima sexta-feira dependendo da quantidade de comentários..
Amo vc bjus de luz ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...