História Meu melhor amigo é gay - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 117
Palavras 684
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Segundo capítulo do dia
Lá vai
Já vou avisando que tô inspirada hj
Então se eu quiser que mais alguém morra, vai morrer
Brincadeira, ninguém vai morrer não :)

Capítulo 11 - Lidando com a morte


Não anda sendo nada fácil para mim lidar com a morte daqueles dois. Não mesmo. Já estou sem ir à escola faz uns três dias e nem sinal de alguém sentir minha falta. Mas eu não posso ficar na cama o dia todo me lamentando pelo o que aconteceu. Então, decidi que na hora da janta iria colocar o despertador para o dia seguinte, às seis da manhã. Peguei meu celular e fiquei vendo mensagens, fotos do facebook da Amanda e do Anjinho, aquilo me doía a alma. Checando minhas mensagens, vi que Amanda me mandou um áudio no mesmo dia em que morreu, só que horas antes. Resolvo ouví-lo:

-Oi, Lucas. Sei que não estamos nos falando faz alguns dias e, eu realmente sinto sua falta. Sinto saudade de ouvir sua risada e da sua voz. Sinto falta do seu toque, por mais que seja no rosto, ou mesmo no cabelo. Sinto falta de sentir sua mão macia me tocando, como naquela noite que a gente ficou. Sinto falta de acordar e ao olhar para o lado, ver você sorrindo para mim. Sei que você não gosta de garotas, mas você foi o melhor garoto que já pude conhecer. Foi um prazer, Lucas. Saiba que eu te amo, muito mesmo, mesmo sabendo que é impossível de acontecer. Um beijo, da Mands, Lu.

No final, dá para ouvir ela soando o nariz devido ao choro. Nossa, eu não tinha ideia do quanto a Amanda me amava. Também não tinha ideia do tempo que perdi, enquanto podia estar fazendo companhia à ela. Nossa Amanda, que saudade de você agora. Mal começou e eu já tô chorando, que merda. Anjinho também gravou um áudio para mim, aí já era, vou desabar de vez:

-Lucaaaaas, seu lindo. Como você tá? Posso te dizer o quanto foi legal fazer parte da sua vida, o quanto VOCÊ é legal. Você foi uma das melhores pessoas que já me apareceram. Como eu tenho orgulho de dizer que já fui seu amigo, amante, namorado. Espero que a gente se fale logo. Um beijo, te amo, Anjinho. 

Anjinho... ai meu Deus, essa noite foi feita para eu chorar mesmo né? Caralho, odeio eles por me fazerem chorar. Mexendo um pouco mais nos meus arquivos, nas últimas mensagens, tem uma de Rafael (o segundo, galera), saudade dele também. Vou ouvir:

-Oi, Luquinhas. Vai fazer quase uma semana que a gente não se vê eu sinto muito sua falta. Me ligue quando der. Você sabe que eu adorei aquela nossa noite, não é? Você foi tão fofo, vai ver é por isso que te amo. Um beijo, seu lindo,  nois se vê por aí. 

Ha ha ha ha ha. Amo muito esse Rafa também. Qualquer dia desses falo com ele, já que foi o único que sobrou (ai meu coração). Eu resolvo dormir e tentar ter uma boa noite de sono.

~ musiquinha do Paramore como toque ~

Meu Deus, acho que desacostumei a acordar cedo. Me levanto, faço meus deveres matinais, arrumo a droga do material e saio de casa. Chegando lá, Rafa está sentado com seus amigos numa mesa, eu passo direto, olhando para frente. Vou sentar em alguma mesa e ficar sozinho, refletindo sobre a vida (adoro fazer isso). Minutos depois, Rafa está vindo em direção à minha mesa e se senta sem perguntar absolutamente nada. Ele coloca sua mão sobre a minha e vem com um papo bem sem noção pra cima de mim:

-Eae Lucas. Sentiu minha falta? 

-Na verdade, não - falo tirando minha mão debaixo da dele.

-Sabe que você fica muito fofo quando está bravo? - diz ele colocando a mão no meu rosto. Não posso negar que senti falta do seu toque,  mas não mais.

-O que quer comigo? 

-Sabe, eu sinto falta do seu toque, do seu beijo. Quero transar de novo com você. É sério. Eu te amo, Lucas. E você sabe disso. 

-Sexo é baseado no amor. E amor, é, justamente o que eu não tenho mais por você. - ele fica com uma cara pasma e eu o viro as costas.


Notas Finais


Mais um capítulo
No começo tava bem triste, mas vai descontrair de novo, relaxem.
Eu não sei com quantas palavras ficaram, mas se foram poucas, me perdoem.
Beijo :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...