História Meu Melhor Amigo é o Meu Amor - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Personagens Originais, V
Tags Hoseok, Hot, Lemon, Taehyung, Vhope, Yaoi
Visualizações 116
Palavras 7.123
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeong!
Então... Resolvi fazer essa OS porque eu e minha amiga estamos escrevendo uma fic Jikook e é nosso primeiro yaoi *palmas então como eu não tenho experiência nenhuma escrevendo lemon eu quis testar e ver se eu conseguia
Aí saiu essa Vhope aqui❤

É extremamente importante que você leitor deixe um comentário e me fale o que posso melhorar no lemon, para eu fazer direito na fanfic que estou escrevendo com minha amiga

Obrigada💕

PS: As partes em itálico são tipo flashback OK? OK

Não revisei...

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Meu Melhor Amigo é o Meu Amor - Capítulo 1 - Capítulo Único

Kim Taehyung POV


  Todo mundo já teve aquele melhor amigo de infância, inseparável, que faz tudo com você. Vocês fazem planos quando são pequenos, planos para serem amigos durante a vida toda. Casariam, teriam ambos sua própria família e mesmo assim continuariam com a amizade de infância intacta! Como se nada tivesse mudado.

  Mas as coisas mudam sim! Sinto muito crianças se destruí o sonho de vocês! Se vocês pensam que vão continuar a vida toda com as amizades que têm agora é melhor voltarem para a realidade e pararem de viver um sonho, antes que acabem se machucando com alguma decepção futura. Você e seu melhor amigo vão crescer, seus pensamentos vão mudar, vão amadurecer e querer novas coisas. De repente as festas do pijama que sempre costumam fazer não vai ser mais tão legal, as brincadeiras perderão a graça, vocês conhecerão outras pessoas e aos poucos esquecerão um do outro.

 

  Sinto muito mas é assim que funciona.

  

Assim como todos já tiveram um melhor amigo na infância, sempre tem também aquela garotinha, ou garoto, por quem você se apaixona! O primeiro amor, vamos dizer assim. Ah, o primeiro amor! Ele é tao intenso, alguns dizem que você nunca esquece... E no meu caso é verdade. Eu ainda não esqueci meu primeiro amor. Assim como não esqueci meu melhor amigo de infância. Simplesmente porque ambos são a mesma pessoa


  Meu melhor amigo é o meu amor

  

Vamos começar devidamente essa história. Me chamo Kim Taehyung e tenho dezessete anos, moro em Daegu com minha mãe e pai, irmã mais nova e um irmão mais novo. Desde sempre tive um único melhor amigo e quando digo único é porque ele realmente foi a única pessoa que conseguiu me cativar a ponto de me fazer confiar todos os meus segredos e inseguranças em si, não que eu não tenha outros amigos agora mas ninguém foi capaz de substituí-lo. Ele, com aquele sorriso exuberante e radiante que sempre achei fofo, o jeito extrovertido e simpático que contagia qualquer um e faz todos quererem se aproximar e ficar perto. Seu nome: Jung Hoseok, ou J-Hope como é conhecido agora pela Coréia inteira.

  Quando eu tinha quinze anos e ele dezessete Hoseok se mudou para Seul. Ele seria trainee em uma empresa de entretenimento, iria debutar em um grupo e seria um K-Idol. Esse era o sonho dele, ele estava tão feliz e radiante que eu escondi a vontade de chorar e fiz minha melhor expressão de alegria, apesar de tudo a felicidade do meu amigo vem primeiro, eu não tinha o direito de pedi-lo pra não ir. Porém no dia de sua partida eu não consegui mais guardar aquilo só pra mim, sempre fui alguem muito sentimental e ver meu único amigo indo embora pra tão longe estava acabando comigo.


  

-Taehyung, Hoseok está aqui para se despedir de você -minha mãe apareceu na porta do quarto -Saia daí e venha falar com seu amigo

  -Diz que eu não estou, mãe. Não quero vê-lo -respondi, com a voz embargada pelo choro e meu rosto escondido meio aos travesseiros da minha cama. Podia parecer idiotice, mas eu não queria que meu melhor amigo me visse chorando, ele deveria pensar que estou feliz por ele.

 -Então quer dizer que meu pequeno vai deixar eu ir embora sem se despedir? -a voz consideravelmente calma se fez presente no quarto e eu pude sentir meu coração disparar. Levantei a cabeça da cama e olhei para a porta apenas para confirmar que era mesmo meu melhor amigo ali parado me fitando com um sorriso leve

  -Hobi...

-Porque está chorando? -ele entrou no quarto e veio em direção à cama

-Vou deixar vocês dois conversarem -minha mãe saiu dali

-Obrigado, noona! -Hoseok se curvou e sorriu -Você não me respondeu ainda, Taehyung

-Não estou chorando -passei a mão pelo rosto na tentativa falha de secar minhas lágrimas

-Tá sim, para de tentar mentir pra mim -se sentou ao meu lado na cama -Achei que estivesse feliz

-Eu estou Hobi... Mas eu não quero ficar sem você -meus olhos se encheram de água novamente

-Aigoo... Meu nenemzinho -ele me puxou para que eu deitasse em seu colo -Ta tudo bem Taehyung-ah, você sabe que somos os melhores amigos de todos né? Ninguém vai te substituir

-Ninguém vai substituir você também, hyung! -me agarrei mais em sua blusa, as lagrimas saiam sem meu consentimento

-Você vai ficar bem, tenho certeza! É um menino incrível, vai fazer novos amigos! Quem sabe até arrumar uma namoradinha, ou namoradinho

-Eu não quero novos amigos! E tambem não quero um namoradinho, hyung! 

-Tem razão! Você não pode ter um namorado, porque eu já sou o seu namoradinho né dongsaeng! -ele disse em um tom brincalhão e eu senti todo o meu rosto esquentar, ninguém, muito menos ele, sabia que eu era apaixonado pelo meu amigo. Na hora que ele disse isso levantei as pressas de seu colo, estava morrendo de vergonha.

-Aigoo! Hoseok! -dei um tapa em seu braço e me enfiei em baixo de minhas cobertas -Não diga coisas desse tipo!

-Desculpa, não precisa ficar com vergonha -ele começou a rir. Seu sorriso é tão bonito... Não acredito que nunca mais vou vê-lo ou que não serei a razão dele. Só de pensar em Hoseok conhecendo outro alguém em Seul, mais velho, experiente e cheio de coisas para mostra na capital ao meu melhor amigo já me enche de raiva.

-Taehyung! -Hoseok estalou os dedos em frente ao meu rosto -Tô aqui te chamando há um tempão! No que tanto pensa? 

-Me desculpa, hyung -não havia percebido que tinha ficado tanto tempo encarando meu amigo... Mas o que posso fazer? Ele é extremamente belo -Só estava pensando que vai ser muito difícil ficar sem você aqui. -os olhos já começavam a encher-se de lágrimas de novo. Ele suspirou

-Kim Taehyung, olhe pra mim! Nada vai separar a gente, ok? Prometo sempre te ligar quando não estiver ensaiando! Mas quero que me prometa que vai tentar fazer novos amigos -limpou minhas lágrimas com a mão enquanto fazia um carinho com a outra

-Eu prometo

-Ótimo! Vem cá -mais uma vez fui puxada por ele, agora para um abraço que demoramos a nos soltar



  Durante os seis primeiros meses que Hoseok foi embora ele realmente me ligava todos os dias assim como prometeu, conversávamos por webcan, fazíamos chamadas normais e sempre ficávamos trocando mensagens até tarde no Kakao Talk.


[12:43 a.m] : Estou cansado Tae Tae


[12:44 a.m]: Como foi seu dia?


[12:45 a.m] : Hoje o sunbae nos fez treinar praticamente o dia inteiro, só saímos de lá às onze da noite

Vamos fazer uma apresentação na semana que vem


[12:46 a.m] :Huuum... Meu amigo vai ser um K-idol

Daebak!


[12:57 a.m] :Estou tão nervoso! Mal vejo a hora do debut!

Mas como foi o seu dia?


[12:58 a.m]: Normal... Fiz alguns amigos hoje como te prometi

Foi o primeiro dia de aula


[12:59 a.m]: Bom garoto! E como são seus amigos?

Estão te tratando bem?


[01:00 a.m] Sim, eles são legais

Sentei com a Soo Min e o Doyoung hyung no intervalo

Doyoung hyung me deu o lanche dele porque eu esqueci o meu ^^


[01:02 a.m] Doyoung hyung?

Quem é esse?

Não gostei!

Já disse que o seu namoradinho sou eu!

Não me troque, Kim Taehyung

[01:12 a.m] Taehyung? 

Tá ai?


[01:13 a.m] Aish Hoseok!

Já te disse pra não falar essas coisas!!


[01:14 a.m] KKKKKKKKK

Tão tímido

Vou dormir, até amanhã dongsaeng


[01:15 a.m] Até, hyung



  Porém com o passar do tempo nosso contato foi diminuindo. Ele me ligava de manhã e ao final do dia, depois as ligações se transformaram em apenas mensagens e logo nosso contato se acabou por completo. O que me faz voltar em minha tese inicial de que nenhuma amizade é para sempre. Mas mesmo sabendo que provavelmente nunca encontrarei Hoseok novamente não consigo me livrar do sentimento que tenho por ele. E isso é muito frustrante! Já tentei sair com outros garotos, até mesmo tentei ficar com uma garota, mas era impossível! As memórias das coisas que passei junto ao meu hyung sempre me vinham a cabeça, eu não conseguia esquecê-lo. Sempre que ficava com alguém era em Hoseok que eu pensava, ele foi o meu primeiro beijo e o único que causou sensações em mim, sensações boas. Me lembro como se fosse ontem, eu tinha treze anos e ele quinze. Foi quando eu percebi que gostava de meu hyung



  -Taehyung, onde você tá? -escutei a voz do meu melhor amigo me chamar, mas eu não queria que ele me visse assim todo machucado então fiquei quieto

  -Tae Tae! Eu sei que você ta por aqui! Eu vi você correndo pra cá! -a voz dele estava cada vez mais próxima, droga ele vai me achar! -Ya, Taehyung! Eu sabia que estava aqui, por que não respondeu quando te chamei?

  -Não queria que me visse assim -me encolhi mais contra a parede da sala de aula em que me escondi

  -Deixa disso, seu bobo. Eu vim cuidar de você -se sentou no chão ao meu lado e passou a mão em meus cabelos, tirando a franja que caía em meu olho -Nem ta tão ruim assim seus machucados

  -Graças a você! Se não tivesse chegado a tempo aqueles garotos iriam bater muito mais em mim

 -Agradeça ao seu hyung forte e incrível! -ele deu um sorriso convencido e eu não pude deixar de sorrir

-Obrigado! Hyung...me acha estranho? -perguntei, receoso sobre sua resposta. Tinha medo do meu hyung falar que sim e comprovar tudo o que aqueles garotos falaram pra mim

-O que? Como assim Taehyung?

-Bom, é que... Os meninos que me bateram disseram que eu era feio e...estranho. E que se eu tivesse pelo menos um amigo ele só estaria comigo por pena. Você sente pena de mim, hyung?

-É claro que não! Não quero que dê ouvidos ao que esses garotos falam pra você, OK? Taehyung, você é lindo! O garoto mais bonito que já vi -o carinho que ele fazia em meus cabelos lentamente foi descendo para o meu rosto

-Acha mesmo?

-Sim -sua mão agora acariciava perto do meu queixo e seus olhos estavam fixos em minha boca, assim como os meus na sua

-Também te acho muito bonito, hyung -dito isso ele direcionou a mão que me acariciava até meu pescoço e me puxou em direção à ele. Seus lábios precionaram os meus em um selar demorado, que logo foi transformado em um beijo de verdade. Sua língua experiente percorria cada canto da minha boca com vontade e eu lentamente fui pegando o jeito da coisa, logo ambas as línguas se encontravam e se conheciam, trazendo um misto de sensações para mim. Eu sentia algo muito bom dentro de mim. As borboletas no estômago talvez? Não sei. Nos separamos por um breve momento e Hoseok sem demora começou a trilhar um caminho de selares do meu maxilar até meu pescoço, onde lambeu de leve chupou logo em seguida

-Hum... Hoseok... -eu estava completamente sensível e aquele tipo de situação, de sensação, era novo para mim. Ele continuou fazendo seu maravilhoso trabalho no meu pescoço enquanto eu segurava em seus cabelos e era só suspiros. -Hyung... -puxei seus cabelos para que olhasse para mim -Me beija, hyung

Ele sorriu e selou nossos lábios novamente. Ficamos ali naquela sala vazia até o final da aula trocando beijos e carícias, Hoseok fazendo suas gracinhas e eu morrendo de rir dele. E foi aí que percebi que a sensação boa que eu estava sentindo era possivelmente o começo de uma paixão pelo meu melhor amigo.



-Oppa? Não vai pra escola? -minha irmã mais nova apareceu na porta do meu quarto, já vestida em seu uniforme e comendo o que parecia ser uma tigela de cereal

-Hum? Ah, Min Hye... Sim, eu vou. Só... Demorei um pouco para acordar hoje -disse saindo debaixo das minhas cobertas. Não tinha percebido que fiquei tanto tempo pensando em Hoseok, agora provavelmente estou atrasado para a escola. Levantei-me as pressas e me dirigi ao banheiro pra tomar um banho, depois de uns quinze minutos já estava do lado de fora da minha casa, rumo à escola.


[...]


  -Ya! Taehyung -ouvi alguém me gritar e me virei para olhar

 -Oh, Doyoung hyung. Como vai? -acenei com a cabeça e coloquei as mãos no bolso de meu moletom, estava um dia frio hoje.

-Pensei que não viria na aula... Você demorou pra chegar -ele se colocou ao meu lado e começamos a caminhar em direção a sala de aula

-Acordei atrasado -ditei simples

-Hum... -murmurou não muito convencido de minha resposta -Acordou atrasado ou ficou na cama pensando naquele seu amigo? -Doyoung era a única pessoa que sabia sobre minha paixão por Hoseok, acho que já cheguei perto de considerá-lo um melhor amigo uma vez que já confiei muitos dos meus segredos à ele, porém nada comparado à amizade que eu tinha com Hoseok.

-Não é nada disso, hyung! Eu só acordei tarde mesmo

-Sei...Taehyung-ah, você tem que esquecer esse garoto! Já se passaram dois anos que ele foi embora, dois anos que vocês não se falam. Supere!

-Você sabe que não consigo, hyung! 

-Você precisa conhecer pessoas novas! Se dar a chance de apaixonar de novo. Já parou pra pensar que pode ter muitas pessoas por aí querendo te fazer feliz? -as vezes eu desconfio que Doyoung gosta de mim, eu não sei se é coisa da minha cabeça mas ele vem jogando muitas indiretas pra mim ultimamente. Só acho mesmo.

-Tipo quem? -fiz minha melhor cara de inocente pra ele, quem sabe é agora que ele abre o jogo de uma vez e tira minha dúvida se ele gosta ou não de mim

-Não sei, Taehyung... -suspirou, decepcionado com minha resposta -Só tente olhar mais em volta, as vezes a pessoa que quer te fazer feliz pode estar bem ao seu lado e você não enxergar! -dito isso ele se despediu e foi para sua sala

Ok. Se isso não foi um indireta dele pra mim então eu não sei mais o que é. Só me sinto mal porque eu não consigo esquecer Hoseok, não vou conseguir me envolver em um relacionamento quando outra pessoa já está no meu coração. E Doyoung hyung sabe disso.


[...]


-Taehyung, já ta sabendo? -Soo Min chega junto a Doyoung e se sentam na mesma mesa que eu no refeitório. Não ficávamos juntos o dia inteiro por sermos de salas diferentes, então a única hora que eu conseguia vê-los era na hora do intervalo.

-Sabendo de que? -perguntei com a boca cheia do sanduíche que havia acabado de morder

-Vai ter apresentação de um grupo de kpop aqui em Daegu, nesse final de semana

-Não sei porque você parece tão animada com isso, Soo Min-ah -Doyoung disse, estava estampado na cara dele que não estava satisfeito com a notícia

-É porque o grupo que está vindo é o meu favorito! Eu tô tão feliz, Taehyung-ah!

-E qual é o grupo? -perguntei, não estava interessado naquilo mas minha amiga parecia feliz em falar sobre o assunto

-Bangtan Sonyeondan! -comentou eufórica. E o meu coração também ficou eufórico

-Bangtan... Bangtan Sonyeondan? -levantei meu olhar para a garota em minha frente que concordou freneticamente com a cabeça. Dei um pequeno sorriso discreto mas parece que Doyoung percebeu e estalou a língua no céu da boca, em sinal de desgosto

-Está animado também, Taehyung? -me perguntou

-Não -menti, olhando para outro lado

-Você não consegue nem disfarçar -balançou a cabeça e logo se levantou indo embora dali

-Hum? O que houve? -Soo Min, que até agora estava alheia a tudo o que acontecia em sua volta, perguntou

-Nada não... Mas me conta Soo Min-ah, quando eles chegam? -tentei voltar ao assunto para ver se descobria mais. A garota parece ter gostado da troca repentina de assunto pois deu um sorriso grande

-Eles já estão na cidade, oppa! Meus ídolos estão na mesma cidade que eu, respirando o mesmo ar que eu. Isso é tão incrível! 

Hoseok já está aqui? Porque ele não me avisou que viria? Será que ele se esqueceu mesmo da nossa amizade? Eu ainda tinha um fio de esperança de ele se lembrar de mim mas parece que estava enganado. 

-Ele deve ter conhecido pessoas incríveis lá... -comentei comigo mesmo

-Ele quem? -Soo Min disse

-Ninguém... -tinha me esquecido que a garota estava ali -Soo Min-ah eu vou voltar pra sala, nos vemos no final da aula. -me levantei e deixei ela ali, entretida com seu celular e suas redes sociais.


[...]


-Aish... Devia ter trazido uma blusa mais grossa! -falei enquanto esfregava minhas mãos em meus braços e caminhava para fora da escola. Olhei para o céu e ele estava cinza, completamente nublado -Parece que vai chover...

-Aaah, ele é tão lindo! -ouvi uma garota conversando com outra ao passarem perto de mim

-Ya, o que está acontecendo? O que são todas aquelas garotas ali? -chamei a atenção das duas que passavam por mim e apontei em direção a um grupo de garotas que estavam mais à frente na calçada

-Ah, é um Idol que está ali. Elas estão pegando autógrafo -uma garota do primeiro ano disse timidamente, com as bochechas vermelhas. Eu até entendia a vergonha dela, não é todo dia que um garoto do terceiro ano para pra falar com você. Quando Hoseok estudava aqui todos achavam estranho o modo como eu, um primeiranista, era tão próximo de Hoseok, um veterano que estava prestes a se formar.

-Idol? -achei estranho mas resolvi continuar meu caminho. Passei pelo grupo de garotas e quando me afastava mais ouvi alguém gritando

-Ya! Taehyung! -me chamou. Aquela voz... Eu não estou ouvindo coisas, tenho certeza que foi o tom de voz suave que eu já conheço que me chamou. Me virei lentamente, temendo ser só uma peça que minha mente está me pregando e me fazendo escutar a voz dele, e olhei pra trás. Não era coisa da minha imaginação, ele realmente estava ali, parado me fitando com o sorriso radiante que eu sentia falta. Estava diferente, os cabelos antes pretos agora estavam em um tom castanho acobreado, seu corpo tinha desenvolvido mais, estava mais alto e com os ombros mais largos. Continuava lindo como sempre.

-Foi bom conhecer vocês, muito obrigado pelo carinho! -se curvou para as garotas e logo veio em minha direção -Não vai falar oi para o seu hyung? -parou em frente a mim sorrindo

-Hoseok... -sussurrei. Minha expressão era de espanto. Não dava pra acreditar, depois de tanto tempo ele estava aqui

-Que foi? Parece que viu um fantasma -brincou

-Talvez eu esteja vendo mesmo... É você mesmo Hoseok?

-To tão bonito que estou até irreconhecível? -passou as mãos pelos cabelos

  Sim! Eu quis dizer. Mas não era hora para brincadeira, precisava saber porque ele nunca mais falou comigo

  -12:30... O horário de término da aula continua o mesmo -comentou, ajeitando suas mãos dentro do bolso do casaco -Já está indo pra casa? Posso te acompanhar? Tô com tanta saudade da noona...

-Não -o interrompi -O que eu sou pra você Hoseok?

-O que? -me encarou com o cenho franzido -O que quer dizer?

-Você acha que pode ir embora da minha vida, nunca mais falar comigo e depois voltar como se nada tivesse acontecido? Você me prometeu Hoseok... Me prometeu que ninguém iria me substituir -falei com os olhos começando a embaçar pelas lágrimas. Queria não ser tão sentimental

-E ninguém te substituiu, Tae Tae! Você continua sendo o meu único melhor amigo

-Então por que? Por que nunca mais falou comigo? -eu era fraco de mais, as lágrimas já desciam pelo meu rosto

-Me desculpa... -Hoseok me abraçou forte -Me desculpa, Tae!

-Você é um idiota, Hoseok!

-Eu sei -sorriu e secou minhas lágrimas com a mão -Vamos embora


[...]


-Aish! Minha mãe vai me matar, olha só essa bagunça -falei enquanto subia as escadas em direção ao meu quarto, com um Hoseok tremendo de frio atrás de mim. Havia começado a chover no meio do caminho, o que nos fez ficar todo encharcado e pingando água pela casa toda

-Taehyung, eu tô com frio! 

-Vou achar algo para você vestir -comentei enquanto revirava meu guarda-roupa a procura de uma roupa quente -Toma, veste isso -joguei em direção a si e o outro pegou. Colocou a roupa que eu tinha pegado em cima da cama e começou a tirar suas vestes molhadas. Não pude deixar de reparar em suas costas bronzeadas e em como a água pingava de seu cabelo e escorria de forma lenta pelo seu corpo até parar no cós de sua calça jeans. 

-Taehyung? O que tanto olha? -sorriu ladino, ainda sem camisa

-Hun? Nada... -balancei minha cabeça e saí depressa dali, indo me trocar no banheiro.

-Taehyung, onde tá a noona? -Hoseok pergunta assim que volto pro quarto. Ele estava deitado em minha cama fitando o teto

-Foi passar o fim de semana na casa dos meus avós com o meu pai. Meus irmãos provavelmente ainda estão na escola, só chegam a tarde -me encostei na parede e fiquei ali naquele canto mesmo. Não que eu estivesse desconfortável com a presença do Jung mas tanto tempo se passou... Será que ainda tenho intimidade com ele para me deitar ao seu lado ali na cama?

-Que pena... Queria muito ver eles. Como vai a sua vida Tae?

-Normal

-Normal? Só normal? -perguntou desapontado, com um bico nos lábios -Que chato...

-Você queria o que? Não sou um Idol igual você, sou apenas um colegial -falei. Ele riu e se sentou na cama, e só aí eu fui perceber que ainda estava sem camisa. 

-Por que não vestiu a blusa que te dei? Está frio

-Não estava afim... Você está desconfortável em me ver assim, Taehyung? -sorriu de lado. Corei com a vista de seu abdômen definido à mostra.

-N-não... -virei o rosto pro lado, o que fez ele dar uma risada nasal. Percebi quando ele se levantou e começou a caminhar em passos lentos na minha direção

-Quem era aquele garoto ruivo com quem você conversava no final da aula? -perguntou e começou a fazer um carinho em minha bochecha

-Q-quem? O Doyoung hyung?

-Hum... Então é esse o nome dele? -sua voz sussurrada estava me dando arrepios. Ele estava próximo, próximo demais

-Vocês têm alguma coisa um com o outro?

-Não. S-somos amigos

-Que bom -deixou um beijo em minha bochecha -Taehyung-ah?

Olhei pra ele e vi o quanto suas pupilas estavam dilatadas ao me encarar

-Hum?

-Eu senti muito a sua falta. Senti falta da sua risada -deu mais um beijo em minha bochecha -Falta do seu jeito escandaloso -outro beijo -Falta do seu cheiro -um beijo em meu pescoço -Mas principalmente senti falta de poder te tocar -sussurrou com a testa colada na minha, os olhos fechados e a boca perigosamente perto

-Mas Hoseok... Você nunca me tocou. Só nos beijamos uma vez, há muito tempo -falei. Ele sorriu com os olhos ainda fechados

-Nós podemos mudar isso. Eu gosto de você Taehyung... Não sei como nunca percebeu

-O que? Porque nunca me disse? -me afastei um pouco para olhar em seus olhos -Eu também gosto de você Hobi... -falei e ele pareceu surpreso mas sorriu logo em seguida

-Então quer dizer que meu namoradinho corresponde os meus sentimentos?

-Hoseok! Para com isso, não somos namorados -escondi meu rosto, que estava começando a ficar vermelho, no vão de seu pescoço

-Mas podemos ser... -ele me fez levantar a cabeça e olhar para si -Namora comigo, Kim Taehyung?

-Hobi... -eu estava surpreso de mais, meu coração batia muito rápido. Em um dia eu estava sozinho pelos cantos lamentando nunca mais ver meu melhor amigo e amor da minha vida. E no outro ele está bem aqui na minha frente, me pedindo em namoro. Isso é irreal demais, eu não podia estar mais feliz -Sim! -sorri ao responder e pude ver um brilho passar por seus olhos -Eu aceito ser seu namorado, Jung Hoseok

 Assim que disse isso seus lábios precionaram os meus iniciando um beijo calmo porém cheio de saudade. Tentávamos passar ali todos os sentimentos que estavam dentro da gente. Passei minha mão entre seus cabelos em um leve carinho, enquanto ele puxava mais meu corpo contra o seu.

Hoseok me guiou ainda durante o beijo em direção à cama e senti o colchão macio contra minhas costas. Partiu o ósculo deixando leves selares em minha boca e logo foi para o meu pescoço, onde deu início às sucções hora chupando, hora lambendo e me fazendo dar leves suspiros. Porém eu era virgem e essa situação, por mais prazerosa que estava sendo até agora, estava me deixando um tanto nervoso e parece que Hoseok percebeu isso

-Tae... Podemos parar se quiser, não vou te forçar -disse olhando em meus olhos enquanto acariciava meus cabelos. E foi naquele olhar tão puro e apaixonado que eu vi que meu melhor amigo era o único com quem eu queria fazer isso

-Não Hobi, eu quero... Você é o único em que confio para isso. -disse sorrindo e sendo retribuído pelo sorriso dele

-Seja meu, Kim Taehyung -sussurrou próximo a minha boca

-Eu sempre fui 

Mais uma vez começamos um beijo porém mais necessitado que o primeiro. Sua boca, que antes se movia de forma suave contra a minha, agora era ágil e vez ou outra chupava a minha língua, me causando alguns calafrios. Nos separamos para respirar por um momento e Hoseok foi até a barra da minha camisa branca ameaçando tirá-la porém apenas a levantou até metade da minha barriga e desceu seu rosto até lá, onde começou a distribuir selares em meu abdômen. Depois de deixar algumas marcas ali naquela área ele finalmente resolveu tirar minha blusa por completo. Levantei um pouco as costas do colchão para ajudá-lo a retirar minha roupa e depois me deitei novamente. Hoseok se sentou em minhas coxas e passou a encarar meu corpo, com um sorriso de lado

-Você é lindo sabia?

-Hobi... -cobri meu rosto com as mãos, ter seu olhar sobre mim estava me deixando com muita vergonha. Ele riu e tirou minhas mãos de meu rosto, beijando-as e logo em seguida se inclinando sobre meu corpo. Sua boca foi de encontro ao meu mamilo esquerdo, onde deu uma leve mordida e passou a brincar com sua língua ali, enquanto sua mão fazia alguns movimentos no do lado esquerdo. Arfei em satisfação, acariciando seus fios de cabelo enquanto ele fazia seu trabalho em meu mamilo. Após deixar os dois bem eriçados e molhados com sua saliva Hoseok voltou a beijar meu pescoço e desceu sua mão pela lateral do meu corpo, passando pelos braços, barriga, até chegar a minha cintura onde abriu os botões e o zíper da minha bermuda, puxando-a para baixo e eu o ajudei a terminar de tira-la, chutando a roupa para fora da cama. 

O ar no quarto já estava ficando insuficiente para os meus pulmões tamanha era a minha excitação. Nossos corpos quentes grudados um no outro e o olhar de luxúria que Hoseok me lançou ao ver minha ereção marcada na boxer preta que eu usava só contribuiu para me deixar ainda mais em abstinência de seus toques. Eu precisava de mais.

-Meu TaeTae tá tão excitado... -Hoseok apertou com força moderada meu membro por cima do pano da cueca e começou a massageá-lo

  -Ahn... -gemi com seu toque e levei minha mão até a sua na intenção de ajudar com seus movimentos porém ele a afastou -Hobi...

  -Que foi? Quer que eu faça algo? -apertou mais uma vez meu membro, seu olhar atento a cada reação minha -Me diz o que quer, Tae...

  -Hobi... 

-Fale -seu tom de voz era autoritário, o que me fez gemer

-Me toca... Por favor - ele sorriu e foi até o cós da cueca, puxando ela pra baixo e liberando meu pênis já duro. Como esse garoto consegue me excitar com tão poucos toques? Hoseok se colocou entre minhas pernas e me puxou pela coxa, fazendo eu entrelaçar elas em volta de sua cintura e ele ficar de joelhos entre elas. Arfei ao sentir o contato da palma de sua mão na pele sensível do meu membro, ele subia e descia a mão ali de forma lenta e torturante, passou o polegar na fenda da minha glande, que já expelia uma certa quantidade de pré-gozo, e depois voltou aos movimentos, dessa vez mais rápidos.

  -Hy-hyung...hum... Rá-rápido -gemi manhoso, pedindo por mais, e ele atendeu meu pedido, acelerando ainda mais os movimentos de sua mão. Apertei meus dedos no lençol branco da minha cama, mordendo meus lábios para tentar conter os gemidos. Hoseok se inclinou sobre mim e voltou a atacar meus lábios na mesma intensidade em que fazia a masturbação em meu pênis. Soltei um gemido arrastado ao sentir meu ápice chegar, sujando a mão de Hoseok com o sêmen. Ele se ajoelhou em minha frente enquanto lambia os dedos, "limpando-os". Desamarrou e tirou a calça de moletom que usava com agilidade novamente se colocando de joelhos no meio de minhas pernas, agora somente com uma boxer branca. Passei a adimirar seu corpo, sua barriga definida, a forma como seu abdômen formava um "V" no final de sua barriga, suas coxas grossas e malhadas devido às intensas horas que ele provavelmente passava dançando e praticando na empresa... Tudo em Jung Hoseok era lindo.

-Gosta do que vê, Tae? -ele disse em um tom sedutor, enquanto apertava seu membro por cima da cueca. Arfei com aquela visão, mordendo os lábios logo em seguida. Tão sexy... Senti que meu pênis voltaria a endurecer somente por vê-lo assim tão sedutor. Ele saiu do meio de minhas pernas e se deitou ao meu lado, fiquei meio confuso sobre o que fazer afinal era a minha primeira vez

-Não quer tirar essa cueca pra mim Tae? -apontou para o tecido branco que se encontrava um pouco molhado devido ao pré-gozo e marcado por seu pênis, o que evidenciava a sua excitação. O olhar que ele me lançava era tão penetrante e malicioso que eu me perdi nele por um segundo mas logo fui em sua direção, me sentei em sua pélvis, de costas para si e comecei a abaixar o último pano que o empedia de ficar completamente nu. Desci sua cueca até metade de suas coxas e seu membro saltou para fora, prendi meu olhar ali sentindo minha boca salivar com aquela visão e meu membro pulsar, e Hoseok parece ter percebido que eu encarava tanto.

 -Tae Tae... Não quer provar? -sua mão acariciava minhas costas

-Quero muito, hyung... -dei graças a deus por estar virado de costas e ele não poder ver meu rosto, eu provavelmente estava muito vermelho de vergonha

-O que está esperando, uh? -ele disse. Me inclinei, ficando de quatro com a bunda virada para o rosto de Hoseok mas naquele momento não estava me importando com isso, apenas queria descobrir qual era o gosto do meu hyung. Comecei passando a língua em sua glande rosada e inchada, onde a rodeei e senti o gosto meio salgado do pré-gozo. Lambi lentamente toda a extensão de seu pênis até chegar em seus testículos, coloquei uma de suas bolas na boca e comecei a chupá-la enquanto massageava a outra, Hoseok pareceu aprovar o ato pois gemeu em satisfação. Voltei dando selares em seu falo e chupei sua glande com força

-Porra Tae... -Hoseok levantou um pouco sua cabeça para ver o que eu fazia. Desci lentamente minha boca por sua extensão, abrigando boa parte do seu falo dentro da minha boca e depois comecei a chupa-lo. Estava tão concentrado em sugar a glande de Hoseok e escutar seus gemidos que mal percebi quando ele me segurou pela cintura e abaixou a minha bunda em direção ao seu rosto.

-Ahn... -gemi quando senti ele passando sua língua em meu ânus e dando uma leve chupada. Suguei com mais força o seu pau dentro da minha boca e ele apertou seus dedos com força na minha bunda, separando um pouco as duas bandas

-Isso Tae Tae... Ahn, que boquinha maravilhosa -arfou, jogando uma lufada de ar quente contra a minha entrada, o que me fez a contrair. Sem aviso prévio ele penetrou a sua língua ali e começou a estocar meu canal com seu músculo despudoradamente, ao mesmo tempo que estocava seu quadril, fodendo minha boca com seu pênis, cheguei a me engasgar um pouco quando sua glande tocou minha garganta mas me recompus e deixei que ele ditasse o ritimo que quisesse.

-Hum... -abri mais as minhas pernas e rebolei minha bunda em seu rosto, em busca de um maior contado, aquilo era prazeroso de mais.

Hoseok parou o que fazia, me fazendo gemer em protesto e tirar seu pênis da minha boca provocando um estalo, que soou um tanto erótico. Ele se levantou e me puxou para que deitasse na cama

-Não quero que goze agora, Tae -falou. Se colocou entre minhas pernas, inclinando seu corpo sobre o meu, com uma mão ele apertava minha coxa e com a outra se apoiava ao lado do meu corpo na cama, e avançou sobre meus lábios. O contato entre nossos pênis, que esfregavam um no outro e em nossos abdômens, nos fazia gemer em meio ao beijo. Hoseok partiu o ósculo, mordendo meu lábio inferior com força e o puxando fazendo-me sentir um pouco do gosto férreo do sangue. Levou dois de seus dedos à minha boca e eu entendi o que deveria fazer. Um por um, chupei-os com vontade colocando os dois na boca logo em seguida, passei minha língua bem devagar por eles, simulando um boquete, e olhando nos olhos de Hoseok enquanto sugava e os molhava bastante com a minha saliva, acompanhando sua feição luxuriosa que era direcionada à mim.

-Não me provoque, Kim Taehyung -sorriu ladino. Tirou os dedos da minha boca e se colocou de joelhos, abriu bem as minhas pernas e se ajeitou entre elas. Senti ele penetrar seu dedo médio em mim, no começo foi uma sensação bem incômoda mas nada muito insuportável. Porém quando ele inseriu o segundo dedo, depois de um tempo movimentando o único dedo que estava ali, foi quando a dor começou a aparecer. Fiz uma leve careta e apertei o lençol do colchão, ele movimentou seus dois dedos ali durante um tempo e sem perceber eu já estava rebolando em sua mão, em busca de mais contato. Hoseok, ao perceber isso, tirou seus dedos dali, pegou seu pênis e começou masturba-lo

-Vai doer um pouco, Tae Tae -se enclinou sobre mim, dando selares em meu queixo e posicionou sua glande em minha entrada -Mas depois fica bom, te prometo

-Tudo bem, confio em você -falei. Ele sorriu, tirou os cabelos da minha franja que estavam grudados em minha testa devido ao suor e beijou ali. A medida que ele empurrava seu pênis pra dentro de mim eu sentia a dor se tornar cada vez maior, pude ver em sua expressão que ele estava se controlando para não enfiar tudo de uma vez, fazendo de tudo para não me machucar, e eu o agradecia imensamente porque a dor em meu interior estava ficando absurda. Nos vídeos pornôs que eu assistia parecia tão fácil... 

  Subi minhas mãos pelos seus braços, que estavam apoiados um de cada lado do meu corpo, até chegar em seu ombro onde apertei com força, tentando descontar a dor que eu sentia

  -Calma... -ele sussurrou e beijou minha bochecha. Soltei o ar de meus pulmões de forma lenta, tentando relaxar, mas ficava difícil se manter calmo quando tinha um negócio grosso rasgando seus ânus...

  -Dói muito

  -Você quer parar?

 -Não -respondi convicto. Eu tinha certeza que queria ir até o fim, de algum modo eu sentia que meu hyung era a pessoa certa para eu ter essa primeira experiência. E talvez a única que eu quisesse ter esse tipo de relação para o resto da vida. Hoseok procurou meus lábios com a sua boca e iniciou um beijo, procurando me distrair ao mesmo tempo em que fazia um carinho em meus cabelos já um pouco úmidos. Sorri diante desse ato dele, e passei meus braços em volta do seu pescoço retribuindo o beijo.

Mal percebi quando Hoseok começou a ondular seu quadril e se movimentar dentro de mim, soltei meu primeiro gemido durante a penetração e esse foi o sinal verde para o Jung aumentar gradativamente a velocidade de suas investidas. Os gemidos roucos de Hoseok em meu ouvido, misturados aos meus gemidos altos e aliado à má iluminação, pois a cortina estava fechada, tornava o quarto um ambiente perfeitamente erótico. 

-Mais rá-rápido, daddy... -eu estava inebriado por causa do prazer que estava recebendo que mal me dava conta das coisas que falava

-Do que me chamou? -Hoseok parou suas investidas e eu gemi em protesto

-Hobi... -tentei movimentar meu quadril contra o seu mas ele segurou minha cintura com força

-Me chama assim de novo, Tae Tae -ondulou sua pélvis e seu pênis mexeu de uma forma muito gostosa dentro de mim que me fez gemer manhoso

-Assim como? Daddy? Quer ser meu daddy, hyung? -mordi meus lábios

-De quatro, agora! -saiu de dentro de mim e me fez virar de costas. Fiquei naquela posição um tanto quanto vergonhosa, apoiando-me no colchão com minha barriga e peito. Levei minhas duas mãos à minha bunda, separando as bandas e deixando bem visível minha entrada para ele, virei minha cabeça um pouco pra trás para conseguir vê-lo.

-Vem, daddy -dei ênfase na palavra e contraí meu ânus de propósito, assistindo Hoseok passar a língua nos lábios compenetrado demais na cena do meu buraquinho rosa piscando para si. Coloquei dois de meus dedos ali e comecei a me penetrar lentamente, gemendo audivelmente e atento as reações do Jung, que continuava a encarar a cena enquanto se masturbava.

-Eu preciso do seu pau me fodendo direitinho, daddy

  Bang!

Minha frase foi como um tiro certeiro no psicológico do Jung. Eu não estava tão próximo dele mas consegui ver suas pupilas dilatarem e o olhar faminto que ele me direcionou foi de arrepiar. Eu havia cutucado a fera com vara curta. E de algum modo gostei da sensação de ter provocado ele.

-Tae... -se aproximou lentamente, com o sorriso mais safado que eu já vi, tirou minhas mãos da minha bunda e pincelou sua glande em minha entrada, me fazendo ansiar pelo que estava por vir -Eu jurava que você era inocente... -penetrou apenas a pontinha de seu pênis e fez movimentos lentos

-Mas eu sou inocente, daddy... -fiz minha melhor expressão de inocência e ele sorriu de canto, debruçou sobre mim e começou a selar meu pescoço -Agora anda logo!

-Anda logo com o que, uh? -mais uma vez se moveu lentamente dentro de mim -Diz pro daddy o que você quer! -sussurrou com a voz rouca e carregada de tesão em meu ouvido, onde mordeu e lambeu a cartilagem

-Daddy... Me fode mais forte! Ahn! -mal consegui terminar a minha frase e ele já enfiou com força seu pau em mim

-Assim? -continuou naquele ritimo forte e rápido e minha mente estava tão nublada que mal conseguia formular uma frase coerente para responde-lo. Afundei minha cabeça contra o colchão, fechando meus olhos com força e temendo que meus vizinhos escutassem todos os meus gritos, porque ao menos pela casa inteira eu tenho certeza que meus gemidos estão ecoando.

Hoseok segurou possessivamente em minha cintura, as marcas de seus dedos certamente ficarão ali, e deu uma estocada tão funda que senti ele tocar um ponto bem sensível em mim

  -Aah... Aí Hoseok, de novo! -implorei para que ele fosse somente naquele ponto e foi o que ele fez, surrando minha próstata impiedosamente. Eu já sentia que meu segundo orgasmo estava por vir. O Jung saiu de dentro de mim e se sentou no colchão com as costas escoradas na cabeceira da cama, bateu em suas coxas indicando o que queria que eu fizesse. Encarei aquele homem por um momento, cabelos molhados e grudados na testa, o peito subindo e descendo de forma desregular devido ao cansaço do esforço físico, lábios inchados de tantos morder para conter os gemidos, o rosto corado e o olhar sensual que ele me lançava... Cena digna de um filme pornô!

Fui engatinhando até ele e segurei seu pênis pela base, sentando lentamente e arrancando gemidos de ambas as partes. Me apoiei em seu ombro e comecei a subir e descer em seu colo, depois de um tempo já estava quicando sem nenhum resquício de vergonha, apenas preocupado em garantir o prazer tanto meu quanto dele. Meu pênis, até então esquecido, foi segurado por Hoseok com força e este começou a me masturbar ao mesmo tempo que impulsionava seu quadril para cima, ajudando na penetração e acertando sem parar minha próstata. 

Todos aqueles estímulos estavam sendo de mais para mim, minha voz já estava começando a ficar rouca de tanto gritar e gemer, senti minhas pernas começarem a fraquejar e finalmente cheguei ao orgasmo. Apertei com força os ombros de Hoseok, descendo minhas mãos por seus bíceps enquanto rebolava lentamente em seu pau, tentando prolongar meu prazer.

Hoseok trocou nossas posições, ficando por cima de mim e entrelaçando minhas pernas em sua cintura, continuou a me penetrar até que seu orgasmo também chegasse, jorrando seu líquido viscoso dentro de mim. 

-Ahn... Tae... -gemeu em meu ouvido com sua respiração falha. Distribuiu selares do meu maxilar até minha boca, onde nos beijamos por um tempo

-Você gostou, amor? -perguntou, me encarando nos olhos com o rosto bem próximo ao meu. Senti meu coração bater mais rápido do que já batia e uma felicidade maior ainda tomar conte de mim

-Você me chamou de amor -sorri -Que bonitinho, Hobi! -trouxe seu rosto de encontro ao meu e selei rapidamente seus lábios. Ele sorriu -E sim, eu gostei muito!

-Que bom! Deita aqui... -se deitou ao meu lado e me puxou para que deitasse em seu peito

-Ah não hyung... Eu tenho que tomar banho -tentei me levantar mas foi em vão

-Hyung? O que aconteceu com o "daddy"?

-Para -dei um tapa em seu ombro e ele começou a rir

-Por que? Eu gostei... Meu Tae Tae 'tava tão sexy daquele jeito...

-Aish, Hoseok! -novamente tentei me levantar mas ele me puxou contra seu corpo

-Tudo bem, parei! -me deu um selar -Agora fica aqui com seu namoradinho, depois a gente toma banho. Juntos! -deu um sorriso malicioso e eu ri. Deitei em seu peito de um jeito confortável e ele começou a acariciar meu cabelo.



  Então, o que aprendemos nessa história? Aprendemos que você nunca vai ter as mesmas amizades pelo resto da vida. As pessoas vem e vão a todo instante. Amizades são feitas e desfeitas e você deve aprender a lidar com isso. Nada é permanente... PORÉM há aquelas raras exceções em que um amigo vai estar com você por quase toda a vida. Há aquelas raras pessoas que o destino resolve ser legal e dá de presente uma amizade permanente. E eu, Kim Taehyung, sou uma dessas raras exceções! Desde que me entendo por gente sou apaixonado por uma única pessoa, meu melhor amigo, e achei que a vida seria fodida o suficiente para tirar essa única pessoa de mim. Mas graças a deus eu sou um puta de um sortudo e o destino resolveu ser legal comigo. E hoje aqui estou eu namorando com J-Hope, um rapper de um grupo famoso de kpop.

  Mas eu prefiro apenas chama-lo de Hobi, que é o apelido que lhe dei na época da adolescência, quando éramos apenas melhores amigos. Hoje somos melhores amigos e namorados

  Meu melhor amigo é o meu amor!




THE FIM!



Notas Finais


O que acharam manas? Ta aprovado? A história ta boa? OPINIOOOEES

Então, como eu mencionei esse é o primeiro lemon que eu escrevo e fiz ele para testar e ver se eu sabia como escrever um, para que na fic que eu vou postar com minha amiga eu saiba fazer algo descente

Então, me digam o que devo melhorar nele... O que vocês acham que devo acrescentar ou tirar...

Obrigado por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...