História Meu melhor amigo || Jikook || Bangtan Boys (BTS). - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 438
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Essa é minha primeira fanfic BTS *--*

Caso tenha algum erro, por favor, me informem...

Não sou muito boa em escrever, apenas faço como um hobby e na verdade nem sei se alguém vai ler, então, mesmo assim, obrigado por clicar aqui ^-^

♥♥ boa leitura ♥♥

Capítulo 1 - Obrigada horário de verão!


Fanfic / Fanfiction Meu melhor amigo || Jikook || Bangtan Boys (BTS). - Capítulo 1 - Obrigada horário de verão!

~~~~~ P. O. V. Jimin ~~~~~

Começou a chover de novo. Pelo menos isso. Enquanto o tempo estiver ruim eu não "preciso" sair.

Não sei quem sancionou essa lei de que meninos de 16 anos são obrigados a sair todos os dias do final de semana.

Se eu estou a fim de ficar em casa, com meus DVDs, meus livros ou simplesmente fazendo nada, a minha família já pergunta se estou doente. Pior do que isso. Passam-se cinco minutos e meus amigos começam a aparecer ou me ligarem, como se o fato de eu ter dito que queria ficar em casa fosse uma espécie de brincadeira.

Eu me pergunto: sair para quê?

Pra ver sempre as mesmas caras? Para brincar de espelho, já que todas as pessoas se vestem absolutamente iguais, como se fosse algum tipo de uniforme social?

Foda é que essas mesmas pessoas fazem abaixo-assinado na escola para que possamos ir com roupas informais...

Enfim, obrigada, horário de verão! Normalmente eu não gosto do marco inicial desse horário, já que somos obrigados a adiantar o relógio e com isso ganhamos um dia de apenas vinte e três horas. Mas dessa vez até achei um pouco bom.

Mais cedo, no telefone, era obviamente o HoSeok. Eu gosto muito do Hope, a gente é amigo desde criança e tal, mas, sinceramente, de uns tempos pra cá, parece que estamos andando em direções opostas. Claro que, como sempre, ele estava completamente ensandecido de vontade de sair, especialmente por causa do fim de semana prolongado, já que nosso colégio emendou o feriado 12 de outubro.

Não entendo como ele consegue... a gente foi quarta no aniversário do Jaebum, na quinta ao cinema, na sexta fomos ao ensaio da banda do irmão do Namjoon e, ontem, as únicas pessoas do mundo que não viajaram (ou seja: o Hoseok, o Seokjin e o Namjoon) vieram pra cá ver um filme. Caramba! Será que ele não sente falta de ficar em casa fazendo nada, não?!

Tá, eu não sou antisocial, nem tenho nenhum desvio comportamental, mas tem hora que sair cansa, né?

E foi isso que eu tentei explicar pela centésima vez pro Hope quando ele tentou me convencer a sair mais essa noite. O pai dele é daqueles pais chatos, liga pro meu pai a cada saída dele pra perguntar se eu fui também. Será que ele tá achando que somos gémeos siameses? Que um só pode ir onde o outro for? Deixa eu te contar uma coisa, meu querido, não é assim, não! O tempo da escravidão já passou, se você quiser me contratar pra ser "dama de companhia" do seu filho, pode ir abrindo a carteira. Cinquenta reais por hora, só assim pra dar conta do pique do Hoseok.

Só acho que se eu dependesse disso pra ganhar dinheiro, podia desistir. O próprio Hope tem argumentos bem mais fortes... em primeiro lugar, ele é filho único. Isso significa que nunca teve um irmão que se recusasse a emprestar qualquer coisa pra ele. E com isso ele não desenvolveu a capacidade de aceitar um não.

Como esperado, ele veio com toda a ladainha à qual eu já estou mais do que acostumado.

- Amanhã é feriado, a gente pode dormir até tarde! - ele disse, com um tom de empolgação em sua voz.

Eu lembrei a ele que meu irmão, com certeza, iria aparecer bem cedinho na minha casa junto com os meus três sobrinhos e que a diversão favorita deles é brincar de acordar o Tio Jimin.

Aí ele disse:

- Mas ontem você já ficou na sua casa, todos nós ficamos aí com você vendo DVD.

Eu nem tive tempo de responder, e ele continuou:

- se você não for, eu vou ter que mentir para o meu pai, você vai ter que mentir para o seu pai também, e você não vai querer incentivar toda essa mentirada, vai?

Como se o meu pai fosse mesmo mentir por causa dele. Quando eu neguei e rebati cada um dos argumentos, ele começou a chantagem.

- Tudo bem, tá? Aposto que se eu pedisse pro Jaebum ele iria comigo... mas eu não quero ir com ele, prefiro ir com você...

Eu disse a ele que o Jaebum tinha viajado, e era exatamente por esse motivo que ele "preferia" ir comigo...

Aí ele apelou:

- Jimin! Eu estou tendo uma premonição! Tenho certeza de que o amor da sua vida vai estar lá e você vai perder a chance de conhecê-lo! Depois vai passar a vida inteira solteirão e solitário, só porque não quis sair comigo uma única noite!

Eu lembrei a ele que "esta única noite" foi a mesma coisa que ele falou nas últimas 48 vezes que tentou me convencer a sair, que essa era a quadragésima nona vez que ele dizia que essa noite ia ser única e que, se o amor da minha vida estivesse em um bar desses, com certeza ele não seria o amor da minha vida.

O verdadeiro amor da minha vida deveria estar em casa, lendo ou talvez aproveitando a véspera do feriado para fazer alguma pesquisa importante na internet ou nas enciclopédias que ele deve ter...

Quando ele sacou que eu estava realmente falando sério e que não estava a fim de sair, ele resolveu barganhar.

- Eu pago o táxi sozinho! - ele disse com uma voz desesperada. - e pago também a sua entrada e consumação no bar!

Falei que eu não estava à venda e pronto. Foi aí que ele deu a cartada final. Caiu no choro. E, chorando, me implorou daquele jeitinho que ele deve ensaiar na frente do espelho.

- Pooooor Faaaavoooooooooor... eu não te pediria se eu não quisesse ir muuuuuuuuuitoooooo........ o Mark vai estar lá e vai acabar ficando com outro garoto se eu não estiver lá pra impedir...

Depois disso, eu cansei e resolvi ir logo, senão ele ia ficar chorando a noite inteira. E se o Mark ficasse mesmo com outra pessoa, ele iria me jogar isso na cara pelo resto da vida!

Troquei rapidinho de roupa e fui pra casa dele.

Sugeri umas três camisetas e ele pôs defeito nas três. Sério, ele é pior que garotas... Aí eu disse que se ele não se arrumasse em meio minuto, eu iria embora e ele poderia até chorar sangue que eu não voltaria atrás. Ele vestiu qualquer coisa e arrumou o cabelo. O pai dele passou pela gente no corredor e avisou que queria que ele estivesse em casa a uma hora da manhã, independente do fato de amanhã ser feriado.

Quando chegamos ao tal bar, já eram umas dez e meia da noite. Entramos, avistamos um pessoal conhecido da escola, compramos um refri, o Hoseok me fez dar umas quinhentas voltas para acharmos o Mark e finalmente o encontramos.

Ele estava bem em frente às caixas de som, ou seja, o barulho estava ensurdecedor. Eu comecei a reclamar, e o Hope resolveu ir lá falar com ele, depois de um tempão ensaiando. Eu fiquei surpreso. O Mark até que foi bem simpático, se é que dá pra ser simpático tendo que gritar para ser ouvido.

Conversou uns assuntos lá, e de repente, lembrou que hoje começaria o horário de verão.

- Ih, é agora! - ele falou, mexendo no relógio. -  Meia-noite, já está na hora de adiantar uma hora!

O Hoseok olhou pra mim com uma cara de susto tão grande, que eu até achei que uma formiga lava-pés estivesse subindo pela coxa dele! Só que aí ele virou para o Mark, disse que a gente ia dar uma volta e largou o menino lá, sozinho no meio da pista, que ficou olhando pra gente meio sem entender a pressa. Nem eu estava entendendo... Até que o Hoseok, já na porta, lembrou da suposição do pai de estar em casa a uma hora da manhã! Com o horário de verão, meia-noite já é à uma hora!

Como eu disse, obrigada, horário de verão! Prometo que nunca mais reclamo da sua existência! Já o Hope deve estar chorando até agora. No momento que a gente tava pagando nossa consumação no bar, vimos entrar dois meninos, dando toda a atenção do mundo pro Mark. Só puxei o Hope pra fora no segundo em que os lábios do Mark e do outro garoto se encostaram.

É, acho que em vez dele desperdiçar a lábia comigo, deveria desenvolver uma tática para amansar o pai.


Notas Finais


Deixe um comentário, críticas construtivas são sempre bem vindas! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...