História Meu melhor amigo || Jikook || Bangtan Boys (BTS). - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 257
Palavras 1.271
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amooorees <3

Capítulo 3 - Intercâmbio?


A minha mãe estava me levando para aula de inglês ontem quando veio com uma novidade:

- Jimin, ontem eu fui ao aniversário da minha amiga, e o marido dela me perguntou de você.

Ela começou a contar o caso e eu nem liguei, já que as pessoas mais velhas têm mesmo essa mania de ficar perguntando sobre os filhos dos outros. Aumentei o volume do rádio e tentei achar uma estação melhor do que a que minha mãe sempre escuta no carro dela.

- Ele quis saber em que nível está o seu inglês, o que você pretende fazer no vestibular e como vão suas notas. - disse ela.

Eu resolvi prestar um pouco mais de atenção, já que estava começando a achar meio estranho aquele interesse todo na minha vida.

- Eu contei a ele que você é um ótimo aluno, nem mencionei essa aula particular de Física que você resolveu fazer porque eu sei que isso ainda é consequência do processo de adaptação pela mudança de colégio. Aí ele me contou que agora é o novo responsável de um programa de intercâmbio cultural e perguntou se você nunca pensou em estudar um ano no exterior. Eu disse a ele que você, neste momento, está muito centrado no vestibular de direito que vai prestar no último ano, mas aí ele disse que o intercâmbio é uma experiência única e que te ajudaria inclusive na sua futura profissão, já que, além de aprimorar o inglês, você adquiriria traquejo social e capacidade de lidar com o desconhecido. Então eu conversei com o seu pai e...

Eu não escutei mais nada do que ela disse. Nem discuti pela milésima vez o fato de que eu não vou prestar vestibular para direito. No momento em que ela disse aquelas palavras, tudo parou na minha cabeça. Intercâmbio cultural.

Eu já tive algumas colegas que fizeram intercâmbio e voltaram cheios de piercings espalhados pelo corpo. Mas eles contaram que a gente não tem noção de como o mundo é grande. Que tudo o que queriam era acabar a escola logo para tentar voltar. Eles falaram das folhas secas, de como as cores podem tem nuances que a gente não conhece...

Voltei do meu devaneio a tempo de ouvir minha mãe dizer:

- Aí ele marcou sua entrevista para a próxima quarta-feira, 17 horas. Eu sei que você tem academia nesse horário, mas Jimin, meu filho, você tem que pensar no seu futuro!

- Eu vou, mãe! - eu disse tão rápido, que ela até se assustou por termos concordado pelo menos uma vez na vida.

Ela fez aquela expressão que sempre faz ao dar a palavra final em uma discussão e me deixou na porta da minha escola de inglês.

Antes de descer do carro, para diminuir um pouquinho o sorrisinho irritante dela, eu disse:

- Eu concordei em ir à entrevista. Mas, se você pensa que eu estou interessado em largar os meus amigos, o meu quarto,  a minha vida inteira aqui, pode saber que você está completamente enganada.

Eu fechei a porta e ela arrancou o carro, sem nem esperar que eu entrasse na escola.

Passei o resto do dia pensando nisso. Como seria morar em outro país? Como eu poderia viver na casa de pessoas que eu não conheço e que não falam a mesma língua que eu? Será que eu conseguiria fazer amigos lá? E meus amigos daqui, será que iriam me esquecer? E se a minha mãe não se lembrar de dar comigo pra YoonKook ( dei esse nome em homenagem ao Kook e ao Yoongi, já que são meus dois melhores amigos), minha tartaruga? E se meu inglês não for bom o suficiente? E o mais importante: será que o Jackson arrumaria outro aluno para olhar daquele mesmo jeitinho que olha pra mim??????

Eu fiquei tão entretido com meus pensamentos que, quando olhei no relógio, já era quase hora do jantar e eu nem ao menos tinha começado a fazer o dever de informática, que era inventar umas planilhas no Excel de vários tamanhos diferentes. Fiz umas três (aproveitei e fiz uma com os meus horários para ver se eu consigo parar se chegar atrasado) e já que eu estava no computador, aproveitei para pesquisar sobre intercâmbio cultural. Encontrei muitos depoimentos interessantes, o que me deixou um pouquinho ansioso para a tal entrevista de quarta-feira que vem.

Hoje de manhã, no colégio, eu contei a novidade para o pessoal. Cada um reagiu diferente. O Jaebum disse que a prima da vizinha dele fez intercâmbio em uma cidade no interior da Austrália e odiou! As pessoas da família onde ela ficou hospedada comiam carne de canguru e feijão doce, e ela só não morreu de fome porque tinha guardado dentro na mala alguns docinhos tradicionais aqui da Coréia e duas garrafas de coca que ela tinha levado pra dar de presente.

O Namjoon, ao contrário, disse que o irmão dele foi para o Canadá e adorou tudo, voltou cheio de equipamentos novos para a banda.

O Seokjin falou que também pensou em fazer intercâmbio, mas, como no ano que vem a gente vai estar no terceiro ano, o pai dele não deixou por causa do vestibular. Eu disse para ele tudo aquilo que o diretor do programa do intercâmbio falou para a minha mãe, de socialização e aprendizado do inglês, mas ele disse que o pai dele falou que prioridade da vida dele agora é passar no vestibular, que viagens ele pode fazer pelo resto da vida. Será? Eu acho que vestibular a gente pode fazer pelo resto da vida, já viajar de intercâmbio...

Não sei, não, mas eu acho que o Yoongi e o Hope ficaram meio com invejinha. Eles falaram que têm certeza de que eu não vou gostar porque eu sou todo tímido e o mundo é dos desinibidos.

Eu ia começar a replicar, quando o Kook - que estava muito calado, só escutando a discussão - perguntou:

- Você sabe quanto custa uma ligação telefônica pra lá?

Eu respondi pra ele que eu nem sabia para onde ia, nem se ia.

- Pois me avise quando souber. - ele disse, todo sério. - tenho quer começar a fazer economia.

E, depois disso, entrou na sala sem falar mais nada.

Esse Jungkook é meio maluco. Até parece que ele vai me ligar quando eu estiver lá! Ele nunca me telefona aqui... na verdade, eu é que sempre ligo pra ele para perguntar sobre trabalhos em grupo, mas se bem que nem precisava, já que a gente se encontra o tempo todo no colégio, tipo que ele senta praticamente do meu lado, e no fim de semana a gente sempre vai para os mesmos lugares, e todo dia eu recebo um e-mail dele com cada piada mais sem graça do que a outra, e ele é quase tão viciado em filmes quanto eu, aí sempre passa lá em casa sem avisar para pedir um DVD emprestado da minha coleção (e acaba ficando para assistir lá mesmo, já que eu nunca empresto), mas telefonar, eu acho que ele nunca me telefonou. Diz que não gosta muito de telefone porque não dá pra ver a expressão facial da outra pessoa.

O resto da aula passou bem depressa, acho que por causa desse assunto todo de intercâmbio. Eu estava tão concentrado me lembrando do que a galera falou (Canadá, sim - Interior da Austrália, não!), que nem vi o Jackson entrar na sala. Quando dei por mim, ele já estava falando meu nome na chamada, e dessa vez, eu gritei "presente!" bem alto, mais pelo susto do que para ser escutado.
   


Notas Finais


Deixe um comentário :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...