História Meu Milagre - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Meu Milagre
Exibições 17
Palavras 3.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Voltei, antes tarde do que nunca. Como estão?
Hoje trouxe um capítulo mega fofo, iram adorar. Tenho uma má noticia a estória está chegando ao fim, infelizmente.
Fiquem com o capítulo de hoje e com a música do Elvis Presley - The Wonder Of You. Deixo o link nas notas finais.
No próximo prometo tentar trazer todas as músicas que fazem parte da estória.

Boa Leitura.

Capítulo 31 - Capítulo XXX


Fanfic / Fanfiction Meu Milagre - Capítulo 31 - Capítulo XXX


   Hoje o dia está mais ensolarado do que de costume – céu de brigadeiro, como dizem os mais velhos – o vento sopra uma brisa fresca.   
   Um dia perfeito, principalmente para um passeio – ou um casamento – parece mentira, mas o jovem casal havia conseguido autorização dos pais para se casarem.  
    Precisou apenas esperarem seis dias para conseguirem tudo. Loucura? Não, apenas amor. O mais belo e puro amor.  
   Richard apenas quer realizar os sonhos da sua amada. Ainda são jovens para assumir um relacionamento tão sério e complicado como esse, mas eles tem o principal – amor – e mesmo que essa união não dure muito, o amor deles durara até após a morte.  
   Natália e Denise planejaram tudo – o dinheiro ajuda nesses momentos – e fizeram tudo exatamente como Beatriz sempre sonhou.  
   A igreja está toda arrumada – um tapete vermelho estendido até o altar. Arranjos de flores do campo espalhados por toda igreja e com algumas fitas azuis separando os bancos. – Apenas algumas pessoas foram convidadas. Família e amigos, nada além disso.  
   Beatriz não consegue conter a jocosidade que está sentido – a jovem exala vida, nem parece estar a beira da morte – com ajuda da mãe, da irmã, da cunhada e da sogra a jovem escolheu o vestido perfeito. Se dependesse dela casaria com o vestido que usou quando foi pedida em casamento, mas as outras quatro não deixaram.  
   A jovem escolheu um vestido simples, mas belíssimo – um longo vestido branco, forrado de renda e com uma fita de seda na cintura – e um par de sapatilhas brancas e Richard acabou ficando com um terno branco, escolhido por sua mãe e irmã.  
   Richard sempre cometeu loucuras, mas essa com certeza é a maior de todas. O rapaz já encontra-se na igreja, assim como alguns convidados – os pais, os tios e os primos do noivo e alguns amigos do mesmo. As meninas do orfanato junto com a madre e as freiras, os professores e o diretor do colégio e também o psicólogo, o Dr. Dawson e a enfermeira Raquel e os irmãos da noiva – a igreja está cheia por conta das pessoas que tem um carinho muito grande pela noiva.  
– Acalme-se, meu filho. – Denise quebra o silêncio que instalou-se na igreja. – Ela vai vir. Beatriz não abandonaria você.  
– Isso é uma loucura, né? – Pergunta já sabendo a resposta da matriarca. – Mas ela sempre sonhou com isso e não justo ela morrer sem realizar pelo menos alguns dos seus sonhos. – Caminha até o primeiro banco e senta no mesmo. – Beatriz não merece esse castigo.  
– Não podemos fazer nada. – Denise senta ao lado do filho. – Estou surpresa com essa sua atitude. – Mantém seu olhar no filho que está como olhar fixo no altar. – Sei que nunca gostou de vir a igreja e não acredita em Deus.  
– Nunca gostei mesmo. – Sua atenção vai para a matriarca. – Mas agora eu acredito. Beatriz fez eu rever meus conceitos e todas as noites antes de dormir rezo para que ela se salve.  
   Denise fica surpresa em ouvir a confissão do filho, nunca imaginou o rapaz rezando por escolha própria – agora ela sabe quanto a jovem Beatriz faz bem ao filho – por amor ele mudou e deseja que por amor ele continue sendo assim.  
– Ela é minha luz, mãe. – Um sorriso surge em seus lábios. – Não sei se irei conseguir viver sem ela. – Passa as mãos na face em sinal de nervosismo. – Quero continuar ao lado dela. Ter filhos com ela. Discutir por besteiras e ver ela envelhecer.  
– Sinto muito por isso. – Acaricia os fios negros do mais novo. – Mas você poderá fazer isso com outra garota.  
– Não, mãe. – Tira as mãos da face olhando mortalmente para a matriarca. – A única que vou amar e casar e a Beatriz. – Levanta e se afasta da mais velha.  
   Richard volta para seu lugar no altar – Beatriz está atrasada, mas sabe que a noiva irá chegar a qualquer momento – seu olhar cai sobre o padre que se encontra atrás do altar. Agora suas vestes é uma casula branca e uma estola também branca com detalhes dourados nas pontas.  
   Não quer ter outra em sua vida, pois acha que estará traindo sua amada. Realmente o amor é um sentimento belo e único de ser vivido. Temos vários amores, mas apenas um amor veraz – o único de sua vida inteira – e Richard sabe que Beatriz é a única em seu coração.  
– Richard. – O padre o chama assim que se aproxima do rapaz. – Nunca pensei em vê-lo aqui.  
– Nem eu padre. – Sorri amistoso para o mais velho. – Mas um anjo entrou em minha vida.  
– Esse anjo fez um milagre e tanto. – Põe-se a observar a igreja junto com o rapaz. – Não só com você, mas com todos a sua volta.  
– Mas por que esse castigo? – Questiona o mais velho. Querendo entender o que de errado um ser como sua amada havia feito para merecer tal punição.  
– Irá encontrar a resposta em breve. – Sorri terno para o rapaz. – Só resta agora saber até onde sua fé vai. Se você realmente crê em Deus.  
   Richard sorri – em resposta ao que o mais velho disse – sabe que o sacerdote sabe as respostas para suas perguntas, mas quer descobrir sozinho todas. E está mais perto do que imagina.  
   O mais velho volta para o lugar que ocupava minutos atrás – pelo fato da marcha cerimonial ter começado – e assim como o padre todos tomaram suas posições.  
   As portas da igreja abrem devagar revelando a silhueta da jovem e do patriarca que lhe acompanha. Em passos graciosos a jovem é conduzida até o altar – sem desgrudar dos olhos do seu amado – a cada passo dado o sorriso fica maior.  
   Durante esses últimos seis dias a saúde da jovem havia piorando, deixando-a com uma aparência pálida e em estado de alerta – pois o fim está próximo – e mesmo tentando esconder, todos sabem que sua vida está esvaindo.  
   Todos os olhares estão sobre a noiva – mesmo sendo uma loucura e achando uma irresponsabilidade, eles compreendem o casal – Beatriz não esconde o quão jocosa está.  
  Seu sorriso ilumina o ambiente, seu olhar transmite paz. Ao chegarem ao altar, Miguel segura ambas as mãos da filha e a olha com ternura e orgulho.  
– Eu te amo, minha filha. – Deposita um beijo em cada mão da menor. – Cuide bem da minha filha, rapaz. – Diz ao olhar para o rapaz. Pega a mão do mesmo e deposita a mão da filha em cima da do rapaz.  
– Não se preocupa. Darei minha vida se for preciso. – Sorri terno para a amada. – Obrigado, Sr. Rutkowisk.  
   Miguel apenas assente e vai ocupar seu lugar ao lado da esposa. Richard ajuda Beatriz a terminar de subir no altar e ambos olham para o sacerdote. O sacerdote faz o sinal da cruz diante de todos.  
– Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. – Diz em voz alta.  
– Amém. – Todos respondem.  
– A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco! – O mais velho permanece com o mesmo tom de voz.  
– Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. – Os convidados respondem novamente.  
– Caríssimos irmãos, com muita alegria reunimo-nos na Casa do Senhor para juntamente com toda a Igreja, acompanhar este casal, Beatriz e Richard, que neste dia resolveram se unir em matrimônio e estabelecer o seu novo lar. – Diz de forma serena e calma. – Para eles, este momento é de suma importância. Acompanhemo-los com o nosso afeto, amizade e oração. – Sorri ao notar a troca de cumplicidade do casal. – Unidos a eles, ouviremos atentamente a Palavra que hoje Deus nos dirige. Assistamos, neste dia tão importante, a renovação do sacrifício da Cruz, pela qual Cristo, oferecendo-se ao Pai, redimiu a humanidade com seu sangue. – Faz uma breve pausa toma uma boa lufada de ar e prossegue. – Em união com a Santa Igreja, supliquemos a Deus Pai que acolha estes seus servos que desejam contrair matrimônio, abençoe e os una para sempre.  
   Richard desvia o olhar olhando para Beatriz que no mesmo instante vira a face e encontra o olhar do amado.  
   O amor que sentem um pelo outro é maior que qualquer obstáculo que a vida impõe a eles. Mesmo sabendo que essa união não dure muito, eles querem viver o máximo.  
   Deus uniu de uma forma dolorosa esses dois corações, um coração sofrido, cheio de dores e desilusões e o outro rancoroso, maldoso e perdido que juntos encontram o amor, o companheirismo e a esperança. Uma história de amor que não terá um felizes para sempre.  
– Agora chamo aqui Robertha para a primeira leitura. – Diz o padre chamando a atenção do casal.  
– Obrigada, padre. – Robertha se posiciona ao lado do sacerdote. – Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, senão tivesse amor, seria como sinal ruidoso ou como címbalo estridente. – Começa a leitura 1° Estípula da Carta de São Paulo aos Coríntios (13, 1-7) – Ainda que eu tivesse o Dom da Profecia, o conhecimento de todos os mistérios e de toda a ciência, ainda que eu tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tivesse amor, eu nada seria. – Abre um sorriso sincero. – Ainda que eu distribuísse todos os meus bens aos famintos, ainda que entregasse meu corpo as chamas, se não tivesse amor nada disso adiantaria. – Finas lágrimas descem por sua face. – O amor é paciente, o amor é prestativo; não é invejoso, não se ostenta, não se incha de orgulho. Nada faz de inconveniente, não procura seu próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegre com a injustiça, mas se regozija com a verdade.Tudo desculpa tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Palavra do Senhor.  
– Graças a Deus. – Todos dizem ao final da leitura.  
   Aquelas palavras realmente descreve o amor que Beatriz sente para com Richard e o amor que Richard sente para com Beatriz. Um amor que a muito tempo rodos não viam, o casal demonstra de uma forma única que o amor ainda é possível e real, a única que temos que ter é fé e crer que tudo dará certo.  
– Beatriz e Richard, aqui vieram, para que, na presença do Ministro de Deus e da Comunidade Cristã, o vosso amor seja marcado pelo Cristo, com o sinal sagrado do Sacramento do Matrimônio. – Pronuncia-se com uma voz calma e serena. – O Cristo abençoa o vosso amor. Amai-vos um ao outro, para que sejais o sinal da presença de Deus no meio de nós. Que o vosso gesto sirva para enriquecimento e crescimento desta comunidade. – Seu olhar alterna entre Beatriz e Richard. – Tendo-vos consagrado pelo batismo, o Cristo vai enriquecer-vos agora com o Sacramento do Matrimônio, afim de que sejam fiéis um ao outro e a todos os vossos deveres. Por isso, eu vos pergunto perante a Igreja: Vieste aqui para uni-vos em matrimônio. É de livre e espontânea vontade que o fazeis?  
– Sim. – Ambos respondem juntos.  
– Abraçando o Matrimônio, ides prometer fidelidade um ao outro. É por toda a vida que o prometeis? – Pergunta para ambos.  
– Sim. – Respondem juntos novamente.  
– Para manifestar o vosso consentimento diante de Deus e da Igreja dai, um ao outro, a mão direita. – Diz ao olhar para Richard.  
– Eu, Richard, te recebo Beatriz, por minha esposa e te prometo ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, amando-te e respeitando-te todos os dias da minha vida. – Diz ao pegar a mão da amada.  
– Eu, Beatriz, te recebo Richard, por meu esposo e te prometo ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, amando-te e respeitando-te todos os dias da minha vida. – Lágrimas de alegria caem por sua face.  
  Richard também deixa as lágrimas banharem sua face, ver os olhos da amada brilhando não tem preço. Nunca passou pela cabeça do rapaz se casar ou ter algum tipo de relacionamento sério, mas no momento em que Beatriz entrou em sua vida tudo passou girar em torno daquele ser tão frágil que sempre buscou amor.  
   O amor é um sentimento confuso, mas lindo de sentir e viver. Por amor cometem-se loucuras e também é por amor que se tem as lembranças mais doces e lindas – quando o sentimento é recíproco – e mesmo quando se há diferenças e problemas, tudo acaba bem final, pois o amor sempre encontrara uma forma de vencer todos os obstáculos.  
  Quando se jovem o amor parece ser um sentimento absurdo para sentir – os mais velhos acham que não a maturidade suficiente para viver esse sentimento – mas desde quando tem idade certa? O amor chega como um temporal repentino fazendo estragos, mas no final acaba deixando um lindo arco-íris trazendo uma paz e alegria para todos que vivenciaram aquele momento.  
– Ó Deus, que fizestes aliança com o vosso povo, abençoai agora estas alianças que a Beatriz e Richard vão usar. – Diz ao ver uma das meninas do orfanato carregando as alianças. – Fazei que eles sejam o sinal do compromisso mútuo, da fidelidade e do amor. Por Cristo, Nosso Senhor.  
– Amém. – Todos respondem.  
– Beatriz receba esta aliança, em sinal do meu amor e da minha fidelidade, em nome do pai, do Filho e do Espírito Santo. – Diz pondo a aliança no dedo anelar da mão esquerda da amada e dando um beijo na mão da mesma.  
– Richard receba esta aliança, em sinal do meu amor e da minha fidelidade, em nome do pai, do Filho e do Espírito Santo. – Põe a aliança no dedo anelar da mão esquerda do amado e por fim deposita um beijo na mesma.  
– Irmãos e irmãs, Jesus prometeu atender-nos quando estivermos unidos no amor e na fé. – O padre se pronuncia ao fim das trocas de aliança. –  Rezemos, todos, pela felicidade de Beatriz e Richard, que vos testemunharam o seu amor por meio deste sacramento; e para que compreendamos o valor e a eficácia dessa união, que é indissolúvel.  
   Agora o casal é um só, perante a Deus e toda a comunidade o casal está unido pelo amor e pela fé e somente Deus pode separa-los, algo que já está escrito desde o começo da relação.  
– Pela Santa Igreja Católica, que como Mãe e Mestra da Verdade, ensine os casais a serem fiéis, solícitos, fecundos e abertos ao amor e à Palavra de Deus. – Denise pronuncia-se.  
– Ouvi-nos Senhor.  – Toda a igreja responde.  
– Pelos nossos governantes, que a exemplo de Cristo, Rei do Universo, saibam defender os valores da família, respeitando a vida desde a sua concepção. – Henrique continua a fala da esposa.  
– Ouvi-nos Senhor. – Todos respondem novamente.  
– Pelos idosos, para que encontrem em suas famílias, pessoas dispostas a lhes dedicar tempo, amor e compreensão. – Miguel continua com a leitura.  
– Ouvi-nos Senhor. – Todos respondem.  
– Por todos nós aqui reunidos, que possamos, a exemplo da Sagrada Família, Jesus, Maria e José, caminhar rumo à santidade e à salvação eterna. – Diz Arthur.  
– Ouvi-nos Senhor. – Convidados completam.  
– Por nosso irmão Richard, que hoje inicia sua nova família, para que seja, exemplo de José, justo, casto, prudente, obediente e fiel, seguindo retamente tudo que Cristo ensinou à humanidade e continua ensinando por meio da Sua Igreja. – Henrique e Miguel falam juntos em perfeita harmonia.  
– Ouvi-nos Senhor. – A comunidade completa.  
– Por nossa irmã Beatriz, para que seja fiel, amável, terna e humilde, tendo sempre como exemplo a Virgem Maria, Mãe de Deus. – Denise e Robertha falam juntas em perfeita harmonia.  
– Ouvi-nos Senhor. – A comunidade completa.  
– Por este novo casal, para que Deus lhes dê a graça de ter filhos santos e irrepreensíveis e vivam fraternamente, e, como família, cresçam sempre no temor à Lei de Cristo e da Igreja. – Por fim Natália faz o último pedido.  
– São estes os nossos pedidos, que entregamos a vós, Ó Pai, por Cristo, nosso Senhor. – O padre retoma a palavra.  
  Cada palavra pedida pelos familiares foi verdadeira. Todos pedem em silêncio para que o casal prossiga com essa união, juntos, que possam passar por todas as fases de um casamento e que possam viver juntos até final de suas vidas, mas infelizmente é um pedido que não será atendido.  
   A jovem irradia uma luz que nunca foi presenciado, aqueles que a conhecem sabe que ela nunca tinha vivido algo assim e agora que sua vida está completa e repleta de amor, não será para sempre e acham injusto ela perder tudo.  
  Por um lado Beatriz sabe que sua morte próxima é porque sua missão na terra já tenha sido cumprida e agora é hora de voltar para ao lado do Senhor, mas como todo ser humano, Beatriz não quer ir embora, ela deseja ficar e continuar o que havia começado a pouco tempo.  
   Toda a comunidade chora de emoção pela recém união do casal e também por saberem que essa união durara pouco.  
– Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. – O padre finaliza a cerimonia.  
– Graças a Deus. – A comunidade responde.  
   Richard vira-se para Beatriz, fazendo a mesma se virar também. Tira o véu da face da amada – que durante toda a cerimonia não saiu da face da jovem – delicadeza acolhe a face da mesma com ambas as mãos.  
– Eu te amo. – Diz ao colar sua testa na agora sua esposa.  
– Eu também te amo. – Diz ao selar seus lábios no do amando, dando um beijo repleto de amor, carinho, paixão e devoção.  

                                                                            ✟ ✟ ✟ ✟ ✟ ✟ ✟  

     Após a saída da igreja, ambos não seguiram para a festa que aconteceria no jardim da mansão dos Campbell. O chofer os levou para uma casa família do noivo – uma quatro hora de viagem – e logo depois foi embora.  
   Richard pega a esposa no colo e adentra pequena casa com a mesma em seus braços, fecha a porta com o pé. 
   A casa não é muito grande, com uma sala bem decorada e com uma lareira, uma cozinha espaçosa com uma linda vista para o jardim e suítes quartos no andar de cima. 
– Eu te amo. – Deposita um beijo na testa da esposa. – Minha esposa. – Diz com orgulho. 
– Não deveríamos ter fugido da festa. – Reprende o esposo, mas um lindo sorriso se forma em seus lábios. – Mas prefiro ficar a sós com você. 
– Essa noite será apenas nós dois. – Rouba um selinho casto da esposa. – Vamos subir? 
   Beatriz ganha uma coloração avermelhada em suas bochechas e tira uma gargalhada gostosa do esposo. Mesmo não respondendo Richard entende como um sim e põe-se a caminhar para o quarto principal da casa. 
   Essa noite será apenas para eles, para esquecerem os problemas e se entregarem ao amor. Uma noite que ficará para sempre nas lembranças de ambos. 
   Richard deposita com cuidado a amada na cama e senta ao lado da mesma, acolhe a mão da amada e entrelaça seus dedos. 
– Isso é estranho. – Ganha a atenção da esposa. – Mas um estranho muito bom. 
– Richard. – Levanta e senta ao lado do esposo. – Não temos muito tempo. E mesmo estando feliz, não quero que você sofra. 
– Eu sei, pequena. – Faz uma leve carícia na face da esposa. – Mas eu terei maravilhosas lembranças sua para me confortar. 
– Eu vou lhe esperar. – Põe a mão na face do rapaz e faz carícias na bochecha do mesmo com o polegar. – Estarei sempre cuidando e olhando você. 
– Eu não vou para o mesmo lugar que você quando eu morrer. – Diz com os olhos marejados. – Só anjos vão para o paraíso. 
– Eu vou para onde você for. Nunca vou te deixar novamente. – Sela seus lábios nos do esposo, dando-lhe um selinho demorado. 
– Não quero que fique triste. – Afasta-se da amada, levantando e indo até a cômoda e ligando o rádio. – Não tivemos uma dança. – Escolhe uma estação de músicas antigas que no momento  toca The Wonder Of You do Elvis Presley. Caminha de volta até a esposa e lhe oferece a mão. – Me concederia essa dança, Sra. Campbell? 
– Sim, Sr. Campbell. – Põe a mão sobre a do amado, que a puxa fazendo seus corpos encaixarem perfeitamente. 
   Richard leva a outra mão até a cintura da esposa e a jovem leva a outra mão até o ombro do rapaz. Ele a conduz com mestria, parecem flutuar durante a dança. 
   Os olhos se encontram mais uma vez, levando ambos para seu mundo. Verdes contra azuis. Esmeraldas contra safiras. Ambos exalando amor, paixão e desejo. 
   Richard toma os lábios da esposa, dando-lhe um beijo selvagem e repleto de desejo. Sua mão aperta a cintura da jovem e a outra vai para a nuca lhe dando um leve aperto. Por falta de ar separam-se, mas Richard desce os lábios para o pescoço alvo da amada, alternando entre mordidas e beijos. 
   Um gemido fino sai pelos lábios inchados da jovem, soando como melodia aos ouvidos do rapaz. Sem pensar ele a pega no colo e a deita na cama novamente, ficando em cima da mesma, mas apoiando o braço na cama. 
– Eu te amo. – Beija a testa da esposa. – E irei lhe amar até depois da morte. – Beija a ponta do nariz da jovem. – Lembre-se disso sempre. – Deposita um selinho casto nos lábios da esposa. 
– Eu também te amo. – Segura o paletó do esposo com força. – Me faça sua. Me ame pelo menos uma vez antes de eu ir. – Diz olhando nos olhos do rapaz. 
   Richard sorri ao ver o quão desejosa e vergonhosa a mesma encontra-se e sem mais delongas captura os lábios da esposa, dando-lhe um beijo repleto de amor e desejo, carinhoso e quente. 
   Finalmente virariam um só e nem mesmo após a morte deixaram de ser um do outro. 


Notas Finais


Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=WIDyNfJzLd8
Hoje até que fui fofa e fiz um capítulo leve. O que acharam?
Beijos e até os comentários.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...