História Meu mundo com ela - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Life Is Strange
Personagens Chloe Price, Frank Bowers, Kate Marsh, Maxine Caulfield, Nathan Prescott, Personagens Originais, Rachel Amber, Victoria Chase, Warren Graham
Tags Chloe, Life Is Strange, Max, Pricefield, Romance
Exibições 183
Palavras 2.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yoo?
Tempão sem postar, eu sei, eu sei. Peço perdão pela demora \o/
Foi preguiça, falta de tempo, preguiça, preguiça, falta de criatividade, preguiça... preguiça... :X
Estou acelerando a história, então nos próximos caps já irão acontecer várias coisas importantes.
Fique ligados o/
Espero que gostem e comentem \o/

Capítulo 16 - Escondendo


Fanfic / Fanfiction Meu mundo com ela - Capítulo 16 - Escondendo

P.O.V Chloe

 

- Chloeeeee, deixa eu vêeee.

 

- De forma alguma Max, nem adianta fazer essa vozinha de pidona. – Respondi escondendo meu caderno.

 

Max apenas ficou calada de joelhos na cama me encarando nos olhos.

 

- Ahh, para! Não faça essa cara de pidona também. – Falei tentando resistir.

 

- Vai Chloe! Você tá fazendo isso desde que começou as aulas de música e nunca me mostrou. Nem me falou o que é ainda!

 

- É porque é uma surpresa senhorita Caufield.

 

- Acho que vou morrer de curiosidade. – Ela falou enterrando o rosto na cama.

 

- Não acho que alguém possa morrer assim Max. – Falei voltando minha atenção ao meu caderno.

 

- Você vai acabar me matando Chloe... – Falou me olhando com a mesma carinha de pidona.

 

- Sabe Max, se você continuar me olhando assim eu não irei conseguir mais resistir. – Falei ficando por cima dela.

 

- É? E se... você não conseguir? – Ela perguntou com um sorriso no rosto.

 

- Primeiro... irei te agarrar pela cintura. – Falei já com as mãos na cintura dela.

 

- E depois? – Perguntou mordendo os lábios.

 

- Depois... começarei subindo minhas mãos, e ai...

 

- E ai?

 

- E ai começarei o meu ataque de cosquinhas!

 

- Ahhhhhhhh pa...raa... CHLOEEEE! – Ela tentava gritar no meio das risadas.

 

Parei o meu ataque ao ouvir alguém bater na porta.

 

- Salva pelo gongo.

 

- Isso terá volta. – Falou com um olhar ameaçador.

 

- Estarei esperando. – Respondi com um sorriso.

 

Max logo levantou e foi atender a porta, o que estragou totalmente minha felicidade, já que a visita não era nenhum pouco agradável.

 

- Oi Victoria. – Max falou.

 

- Oi Max, precisamos fazer o trabalho da Marietta. Já atrasamos uma vez e não quero atrasar novamente.

 

Sim, o trabalho daquela maldita professora, parece que elas duas não conseguiram chegar a uma decisão a tempo e por isso não entregaram o trabalho no dia marcado, porém ninguém da sala conseguiu fazer e por isso trabalho foi adiado.

 

- Sim, eu consegui pensar em algo. – Max respondeu.

 

- Sério? – Victoria perguntou surpresa.

 

- Sim. – Max respondeu feliz.

 

- Ótimo, vamos para o meu quarto conversar sobre isso?

 

- Seu quarto? Por que não conversam aqui mesmo? – Falei abraçando a Max por trás.

 

- Porque no meu teremos mais privacidade. – Ela respondeu com a mesma postura de patricinha de sempre.

 

- E por que vocês precisariam dessa privacidade toda? – Falei já me colocando na frente da Max.

 

- Lá não teremos você para nos tirar a concentração. – Victoria respondeu indiferente.

 

Eu estava para continuar a discussão quando a Max me abraçou por trás.

 

- Te encontro lá em dois minutos Victoria. – Max falou.

 

Depois disso Victoria voltou para o quarto dela e eu me soltei do abraço da Max, para encará-la com raiva.

 

- O que? – Perguntou se fazendo de inocente.

 

- Não é nessas horas que você deveria ficar do meu lado?

 

- Não sei, só pensei que esse seria um bom castigo para você. – Falou voltando para a cama.

 

- Castigo? E o que eu fiz?

 

- Você não me mostra seu caderninho onde está fazendo seu trabalho e eu não mostro o meu trabalho a você. Justo não acha? – Falou sorrindo.

 

Fiquei sem palavras, apenas a encarei com raiva.

 

- Vem cá. – Falou abrindo os braços.

 

- Nada disso, acha que pode me subornar com alguns beijinhos?

 

- Não posso? – Falou fazendo carinha de triste.

 

- Depende... – Falei me deitando em cima dela.

 

- Do que?

 

- De quantos beijinhos eu vou ganhar.

 

Invés de me responder ela passou as duas mãos envolta do meu pescoço e quebrou o espaço entre nossos lábios, dando início a um beijo suave e demorado. Ela não faz ideia do quanto esses beijos me deixam louca, está cada vez mais difícil de ter que me segurar com ela.

 

- Quantos vocês quiser. – Falou ao separar nossos lábios.

 

- Mas só quando eu voltar. – Falou sorrindo.

 

- Ahhh. – Gemi enterrando minha cabeça no travesseiro.

 

- Eu não demoro, prometo. – Falou me dando um beijo na bochecha.

 

- Espera!

 

- O que? – Se virou para me olhar.

 

- O que vou ficar fazendo enquanto você não volta?

 

- Não sei. Termina seu trabalho secreto. – Falou saindo do quarto.

 

- Que maldade... – Sussurrei para mim mesma.

 

Mas é exatamente isso que eu vou fazer! – Pensei pegando meu violão.

 

Fiquei um tempo tocando sozinha até que ouvi meu celular tocando.

 

P.O.V Max

 

- Até que parece que isso vai ficar bem legal Max. – Victoria falou animada.

 

- Serio que você gostou? – Perguntei meio insegura.

 

- Sim, você até que é um pouco criativa para uma hipster.

 

- Eu tento. – Falei sorrindo.

 

- E a sua parte? – Perguntei curiosa.

 

- Eu já te disse o que eu mais odeio.

 

- A Marietta? E como faremos para juntar as duas coisas?

 

- É fácil, eu tenho um plano. – Victoria falou com um sorriso no rosto.

 

- O que você vai fazer? – Perguntei com medo da resposta.

 

- Relaxa Max, quando a hora chegar, você saberá.

 

- Que tal resolvermos isso amanhã?

 

- Amanhã temos aula da Marietta, não é? – Perguntei.

 

- Sim, exatamente por isso. Passe aqui no meu quarto antes de ir para aula, combinado?

 

- Não pode me contar qual é seu plano logo?

 

- Não. – Respondeu seco.

 

- Certo... – Respondi fazendo com o quarto ficasse em um silêncio constrangedor.

 

Esses últimos dias pude ver um lado legal da Victoria, ou pelo menos um lado em que ela não é uma completa vadia. Mas a verdade é que a única coisa que tínhamos para conversar é esse trabalho, sempre que acabamos de falar sobre ele, o assunto acaba e entramos nesse grande silêncio constrangedor.

 

- ...Acho melhor eu ir indo agora. – Falei me levantando.

 

- Espera. Preciso te perguntar algumas coisas. – Falou me encarando quase que com raiva.

 

- Algum problema?

 

- Sim... por que você ainda não conversou com o Nathan?

 

- Eu não tenha nada para conversar com ele.

 

- Isso é por causa daquela garota não é?

 

- Que garota? – Falei a encarando com raiva.

 

- Você sabe muito bem. Aquela marginal que você está namorando.

 

- Primeiramente Victoria, aquela garota tem nome. Ela se chama Chloe! E segundo, ela não é nenhuma marginal. E terceiro! Você não tem direito nenhum de julgar alguém, principalmente se essa pessoa for a Chloe. – Falei tudo tentando não gritar.

 

- Por que você está com ela afinal de contas?

 

- Porque eu amo ela, simples assim.

 

- Você vai acabar se arrependendo muito disso Max.

 

- Eu não tenho motivo nenhum para ficar te escutando Victoria. – Falei abrindo a porta do quarto.

 

- Ela ainda vai te trair e depois te abandonar. – Ela falou me fazendo parar na porta sem ter o que falar.

 

Esse era o meu maior medo e ouvir alguém falar que vai acontecer, faz tudo parece mais pior... mais real.

 

- Não... a Chloe nunca faria isso, ela nunca sairia do meu lado. Mesmo que alguém a forçasse. – Falei para ela... e para mim.

 

- Tudo bem, eu não me importo... apenas fale logo com o Nathan.

 

Sem responder bati a porta e corri para o meu quarto, porém antes de abrir a porta pude ouvir a Chloe rindo enquanto falava com alguém. Me odiei por fazer algo tão errado, mas não pude me conter. Analisei o dormitório para confirmar que não tinha ninguém por perto e encostei meu ouvido na porta para escutar a conversa.

 

- Eu sei, eu sei que tem um bom tempo que nós não damos uma saída.

 

- É que eu estou um pouco ocupada esses dias.

 

- Festa? Quando?

 

- Oi Max. – Dei um pulo ao escutar alguém chamar meu nome.

 

- O que estava fazendo?

 

- Kate!? É... eu, eu estava...

 

- Espionando seu próprio quarto? ...Ou talvez a Chloe?

 

- Não, não, eu estava... estava... espionando a Chloe. – Confessei de cabeça baixa.

 

- Vem cá. – Ela falou me puxando para o quarto dela.

 

- Então? Qual o problema? – Falou se sentando.

 

- Não tem problema nenhum, eu só escutei a Chloe conversando com alguém e fiquei curiosa.

 

- E por que não entrou e perguntou a ela?

 

- Não sei... ela tem escondido algumas coisas de mim. Do nada ela sai para fazer algo super secreto e nunca me fala o que é. E ainda tem aquele caderno em que ela fica escrevendo direto e nunca me deixa ver.

 

- Estou ficando paranoica não é?

 

- Não sei Max. Sei que é horrível quando alguém esconde coisas de você, mas você não deveria confiar mais na Chloe? Você sabe que ela te ama.

 

- Você tem razão.

 

- Claro que eu tenho. – Kate falou sorrindo.

 

- Haha, que engraçado.

 

- Tenho uma novidade para você.

 

- Qual? – Perguntei curiosa.

 

- Você anda muito curiosa esses dias Max.

 

- Para! – Falei dando um tapinha no ombro dela.

 

- Minha irmã chega amanhã.

 

- Serio? Que bom Kate! - Falei animada.

 

- É! Não vejo a hora de apresentar vocês.

 

- Eu também estou muito ansiosa para conhece-la.

 

- Eu tenho outra novidade.

 

- Nossa, está cheia de surpresas hoje em.

 

- Na verdade é mais um pedido do que uma novidade.

 

- Um pedido? Hum... pode pedir Kate, qualquer coisa para você. – Falei sorrindo.

 

- Você soube que nesse fim de semana terá uma festa do Vortex Club?

 

- Soube sim, outra festa do Nathan. Mas o que tem ela?

 

- Bem... será que você e a Chloe poderiam ir comigo?

 

- Para a festa do Nathan!? – Gritei incrédula.

 

- É. – Ela respondeu inocentemente.

 

- Pera ai, não me fala ‘’é’’.

 

- Ah vai Max, não vai ser tão ruim.

 

- Kate, você lembra do que aconteceu da última vez que foi em uma festa dessas?

 

- Sim, mas o Nathan veio me pedir perdão e ele me pareceu sincero. Não acho que aquilo vai acontecer de novo.

 

- Kate...

 

- Além disso foi a Dana que me convidou e ela jurou que vai ficar comigo a festa toda, mas eu não queria ficar segurando ela a noite toda, então pensei que vocês poderiam ir comigo.

 

- Por que você quer tanto ir nessa festa? Principalmente depois daquilo.

 

- Eu não quero ter que carregar esse trauma pelo resto da minha vida Max. Só quero poder me divertir como qualquer pessoa, eu tenho direito a isso.

 

- Sim Kate, você tem esse direito... mas é que...

 

- Max, nada vai acontecer...

 

- Por favor? – Ela falou com aquela carinha fofa de sempre.

 

- Ah... esse fim de semana não é?

 

- Sim.

 

- Eu vou avisar a Chloe. – Falei desistindo.

 

- Isso! Obrigada Max! – Falou me abraçando.

 

- Sem problema... e vai saber, talvez seja divertido, não é?

 

- É. – Respondeu sorrindo.

 

- Agora é melhor eu voltar para meu quarto, a Chloe está me esperando. Eu acho...

 

- Tudo bem, tchau. E vê se resolve as coisas com a Chloe.

 

- Tchau. – Falei saindo do quarto.

 

Fui até a porta do meu quarto e parei por alguns segundos para ter certeza se a Chloe já havia acabado a conversa dela e logo entrei quando percebi que o quarto estava em silêncio. Ao entrar senti uma grande tristeza ao perceber que a Chloe não estava lá. Será que ela foi se encontrar com a pessoa com quem estava conversando?

 

Me joguei na cama e enterrei a cabeça no travesseiro, eu precisava esquecer ela um pouco. Quando ela voltar eu perguntarei onde ela foi, não deve ter sido nada demais... nada demais...

 

- Está tão cansada assim amorzinho? – Chloe falou beijando minha bochecha.

 

- Chloe? – Falei surpresa.

 

- Estava esperando outra pessoa?

 

- É que eu pensei que você tinha saído...

 

- Só fui ao banheiro. – Falou se deitando do meu lado.

 

- É? Só isso?

 

- Onde mais eu poderia ter ido? – Ela perguntou confusa.

 

- Não sei, talvez alguém tenha te chamado a algum lugar, vai saber, talvez um amigo... uma amiga... – Perguntei tentando disfarçar.

 

- Não, ninguém. Tem algo errado Max?

 

- Não, nada não. – Falei me virando de costas para ela.

 

- Bem, na verdade... eu recebi um telefonema enquanto você estava na Vacatoria.

 

- Telefonema é? Hum...

 

- É, me chamaram para uma festa do vortex club. Coisa do Nathan.

 

- É? E quem foi que te chamou.

 

- Alguns amigos.

 

- Amigos? Que amigos?

 

- Ninguém importante. Por que? Está com ciúmes? – Falou com um sorriso no rosto.

 

- Por que eu estaria com ciúmes? – Falei virando minhas costas para ela.

 

- Não precisa se preocupar SuperMax. Eu não quero ir para festa nenhuma, só quero passar todos os meus dias com você. – Falou me abraçando por trás.

 

Depois de escutar ela falar isso acabei ficando mais aliviada.

 

- Na verdade Chloe... – Falei me virando de frente para ela.

 

- Nós vamos nessa festa.

 

- Vamos? – Falou confusa.

 

- Sim.

 

- Pera ai, você está falando que vamos para a festa do Vortex Club, ou seja, a festa do Nathan?

 

- Parece que sim.

 

- Nossa Max, toda vez que você fica longe de mim você acaba voltando pirada.

 

- Haha como você é engraçada Chloe.

 

- Não, serio. Estou preocupada, acho melhor você nunca mais sair de perto de mim sabia?

 

- Nós vamos acompanhar a Kate.

 

- A Kate? Por que ela iria querer ir em uma festa como essa?

 

- É complicado.

 

- Hum... tudo bem, eu vou. Mas com uma condição.

 

- Condição? Que condição? – Perguntei com medo da resposta.

 

- Meia noite nós iremos dar uma saidinha.

 

- Por que meia noite? Chloe, isso não me parece ser nada bom.

 

- Relaxa, você é a SuperMax. Não tem perigo.

 

- Chloe...

 

- Está combinado! Você vai adorar, tenho uma surpresinha para você...

 

- Surpresinha é?

 

- Sim, agora eu preciso voltar a fazer meu trabalho. – Falou indo se sentar em minha cadeira.

 

Surpresa é? O que será...


Notas Finais


Não corrigi o cap direito, então se tiver algum erro me avisem please ;D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...