História Meu Namorado de Mentira - Capítulo 2


Escrita por: ~

Visualizações 60
Palavras 1.482
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei!
Desculpa a demora...
MUITO OBRIGADA PELOS COMENTÁRIOS E FAVORITOS! sério, é realmente muito importante para mim.
Vamos ao capítulo de hoje...

Capítulo 2 - Novos boatos...


Fanfic / Fanfiction Meu Namorado de Mentira - Capítulo 2 - Novos boatos...


Sou apenas humana
E eu me arrebento e me desmonto
Suas palavras na minha cabeça,
facas em meu coração

Christina Perri - Human


Não acredito que minha melhor amiga havia feito aquilo, nós nos conhecíamos a anos. Levantei de onde estava e fui em direção a porta ignorando os chamados do sr.Edwards para que eu voltasse. Procurei Thalia em cada canto daquela maldita escola, mas obviamente ela estava no estacionamento conversando com uns garotos iguais os viciados dos comerciais das clínicas de reabilitação.
- Por que você fez isso comigo? - Questionei sentindo meus olhos arderem, mas eu não iria chorar na frente da minha ex-melhor amiga e um bando de drogados.
- Isso o que? - Thalia se fez de inocente, o que aumentou a minha raiva.
- Os boatos... - Notei os olhares dos viciados em mim como se fosse uma aberração. Eu estava sinceramente achando que me transformei em uma. - Vocês podem sair, por favor? 
Eles se despediram de Thalia e saíram cambaleando pelo estacionamento sem rumo. Éramos só nós duas. Estava com muita raiva, minha vontade era jogar o corpo de Thalia em um buraco assim como fizeram com Alison DiLaurentis. Mas também estava com vontade de chorar, não podia acreditar que aquilo estava acontecendo justamente comigo.
Eu precisava desabafar assim como ela fez comigo hoje mais cedo. Aqueles malditos boatos não ficariam assim.
- Quer saber Thalia? Você só falou aquilo para mim porque já desistiram de tentar te tirar dessa armadura, ninguém liga para Você. Aceita. - Falei e virei as costas para caminhar em direção ao meu Jeep. - Ah, e se você é tão vazia que precisa espalhar boatos pelo menos espalhe algo interessante.
Apertei os olhos e continuei andando ignorando os gritos de Thalia atrás de mim. Entrei no meu carro e sai o mais rápido possível do estacionamento.
Aquele havia sido oficialmente o pior dia da minha vida até agora.
(***)
Acordei aquela manhã achando que tudo tinha sido apenas um pesadelo. Porém, quando Piper chegou no meu apartamento dizendo que era tudo verdade, tentei me esconder em baixo das almofadas.
E lá estava eu, caminhando para a aula de álgebra com aqueles milhares (exagerada) de olhos em mim. Me acomodei no fundo da sala de aula para que não pudesse ser notada por ninguém e folhei meu livro de álgebra até a página em que a sra.Dodds havia acabado de passar no quadro negro.
Estava o mais concentrada o possível naqueles números e letras. Mas não consegui parar de pensar no que havia dito ontem a Thalia, não posso acreditar que ela acabou nossa amizade por um ciúmes besta. Nós duas sabemos que ele nunca ligou para nem uma das duas.
A coordenadora, sra.Junkins, apareceu na porta exibindo sua combinação de vestido com blazer e sandálias verde limão.
- Com licença, sra.Dodds. - Pediu ela é percorreu os olhos por toda a sala até eles cairem sobre mim. - Srta.Chase, me acompanhe por favor. 
Um frio percorreu minha espinha enquanto eu me levantava lentamente e ia em direção a porta. Outro dia que começou péssimo.
A segui até a sala da coordenação onde era tudo exageradamente limpo e brilhoso, como se o resto da escola fosse um chiqueiro e nós os porcos.
- Srta.Chase, soube que fugiu do castigo ontem.Aqui na Brookline High School isso é um ato muito grave. - Ela me observou da cabeça aos pés. - O que anda acontecendo com você?
Minha melhor amiga me odeia, a escola toda está sabendo que eu gosto de um garoto e eu deveria estar preocupada com nosso jogo de lacrosse na sexta-feira mas não, estou aqui discutindo a minha vida com a coordenadora que provavelmente tem algo muito melhor para fazer.
- Nada. - Respondi simplesmente sem tirar os olhos das minhas unhas pintadas de azul escuro. - Eu preciso voltar para aula...
- Detenção de novo após a aula. - Ela fez sinal para mim sair. - Volte para sua aula antes que fique outra vez de detenção.
Assenti e sai da sala da coordenação me dirigindo novamente para o corredor vazio onde ficava a sala de aula. 
- Perdida, Chase? - Perguntou Will Solance, um colega de classe que não falava com tanta frequência. - Estava procurando mesmo você. Tenho que devolver o seu caderno de inglês.
Ele tirou o caderno da mochila e me entregou sorridente. Will era mais um típico garoto americano, mas no geral, era um pouco melhor do que os outros filhos de papai da escola.
- Obrigada por me devolver. - Falei dando alguns passos em direção a sala de aula. - A gente se vê por aí. 
Voltei correndo para sala de aula antes que mais uma detenção se acumule na minha ficha.
(***)
Me acomodei na mesa da cafeteria do colégio ao lado de Piper que observava Hazel e Leo trocando palavras ridiculamente fofas. Dei a primeira garfada no bolo de chocolate com cauda que só serviam as quartas-feiras.
- Vocês dois precisam mesmo fazer isso aqui? - Perguntei fazendo uma careta. - Estou ficando com diabete.
Leo revirou os olhos e se levantou. Leo e Hazel haviam começado a namorar a uma semana e não se desgrudaram desde então. Estava feliz por eles finalmente perceberem que nasceram um para o outro, porém, era completamente desnecessário aquele excesso de carrinho.
- Quer alguma coisa princesa? - Perguntou Leo a Hazel.
- Não, obrigada. - Hazel respondeu dando um selinho nele.
Leo saiu em direção ao balcão da cafeteria que tinha uma fila enorme. Hazel suspirou fundo e acompanhou o namorado com o olhar, sem piscar.
- Vocês são tão fofos. - Piper me abraçou me fazendo quase derrubar o copo de café em cima do bolo. - Vontade de morder os dois.
Hazel tomou um pouco do seu café e concordou com a cabeça, provavelmente não tinha reparado no que Piper havia dito.
- Vou dizer que nunca me senti assim antes, é tão bom - O ar sonhador era notado em cada sílaba que saía da boca de Hazel. - E vocês já sentiram... desculpa, Annie.
- Não tem problema.
Sorri sem mostrar os dentes e me virei para a janela com vista para o campo de lacrosse. Senti uma falta absurda de correr naquele campo com as garotas do time e treinar até não conseguir mais sentir as minhas pernas. Por conta daquela maldita detenção não poderia treinar hoje e o jogo de abertura do Campeonato Estadual de Lacrosse Feminino de Massachusetts seria na sexta em Newton.
Peguei meu celular onde havia quatro novas mensagens. Uma era de meu pai dando bom dia e as outras duas eram de Thalia.
Não fui eu que espalhei os boatos
Acha mesmo que eu faria isso?

Precisava pensar em uma resposta muito boa e convincente. Mas naquela altura estava tão magoada com o fato de Thalia ter dito que eu não era sua amiga de verdade que a resposta foi:
Acho!
Guardei o celular no bolso de minha jaqueta jeans e terminei de comer o bolo apenas rindo quando Leo e Piper faziam alguma piada. 
Quando o sinal bateu para voltarmos a aula, eu já estava sentada em uma das mesas da aula de química apenas esperando o professor e o resto da turma chegar. O meu parceiro de química, Charles Beckendorf, chegou logo sentando ao meu lado e abrindo seu livro sem falar nada. Eu também não estava afim de papo com ninguém, o único assunto que teríamos iria acabar resultando em Luke Castellan, que estava a algumas mesas de distância da nossa.
Ele parecia o único a não saber, ou apenas não ligava para o que os outros falavam. Era isso que tanto me encantava nele.
A aula de química passou e estava na hora da detenção. Caminhei pelo corredor ouvindo o barulho constrangedor que meus tênis fizeram quando cheguei na porta da sala. O sr.Davis ainda não havia chegando e eu era a única quando me sentei no fundo da sala. Tirei um dos livros da Segunda Guerra Mundial que havia pegado na estante do meu pai e comecei a folhar as páginas para achar alguma que não li ainda.
Senti meu celular vibrar e bufei em pensar que era Thalia mandando mais uma mensagem. Mas fui completamente vencida pela curiosidade e peguei o celular que estava no meu colo.
Meu deus! Annabeth Chase se revoltou a pós descobrir que Luke Castellan prefere sua amiguinha, ops, ex-amiguinha.
Havia fotos diferentes de mim. A primeira era no corredor com Will, outra com Percy ontem, algumas de Leo e eu discutindo sobre qual sabor de bolo era melhor e a última minha e de Charles na aula de química.
Ótimo acabei de virar oficialmente a vadia da escola. E para minha sorte, ou azar, não era Thalia que estava tirando as fotos, ela estava visitando a mãe em Nova York.
 


Notas Finais


Meus Deuses, não era a Thalia! Quem será que tem tanto ódio assim da nossa florzinha?
Joguei a intriga e sai!
Espero vocês nos comentários ( desculpas não ter respondido do capítulo passado, minha Internet estava muito ruim😐)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...