História Meu namorado é um gato - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai
Tags Baekyeol, Chanbaek, Four Chapters, Kaisoo, Pô O Baek Quer Transar, Yaoi
Exibições 409
Palavras 4.735
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DEPOIS DE 2 MESES
EU FINALMENTE POSTEI!
YEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEY

Eu me superei nesse cap
eu acabei de termina-lo.
Tinha-o começado ontem e terminei ele agora.
acho q o final ficou meio bosta ;u;

Bom, VÃO LER!
Boa leitura :3
~e dormem qnd terminarem de ler, plmmds~
~e o capítulo de i'm good boy está sendo produzido, quietem a raba~

Capítulo 4 - Meu marido é um gato. - ÚLTIMO CAPÍTULO


Fanfic / Fanfiction Meu namorado é um gato - Capítulo 4 - Meu marido é um gato. - ÚLTIMO CAPÍTULO

  Depois daquele dia, Chanyeol não foi mais o mesmo. Este andou mais cabisbaixo, não comia direito, e sua cabeça era invadida por pensamentos pessimistas. Não parou de dar atenção ao seu gato, conversava com o mesmo sempre, mesmo sabendo que este não poderia responde-lo.

Kyungsoo e Jongin também ficaram tristes ao saber que Baekhyun não era mais um garoto-gato, que agora era apenas um gato.

O mais alto finalmente tinha sido aposentado, não estava velho, claro que não! Mas este pediu um aposento ao seu chefe, que percebeu que Chanyeol não passava por bons momentos. Este o deu de bom grado, o Park iria ficar em torno de 3 meses aposentado.

DO e Kai iam todos os dias na casa do Park para apenas o anima-lo. Não queriam ver seu amigo triste. O gatinho sempre esteve consigo, nunca o abandonou de jeito algum.

Antigamente quando seu dono trabalhava, o Byun tentava fugir de casa para apenas acompanhar o seu dono no trabalho, ele conseguiu fazer isso apenas uma vez. Este foi uns dos melhores dias para si.
Park e Byun agora estavam na grande cama de casal, os dedos grandes do mais alto acariciavam a pequena cabeça do gatinho, que o mesmo ronronava em deleite. Um suspiro cansado escapou de seus lábios.

Estava cansado de ficar sem os beijos do seu pequeno gatinho, de ficar acariciando aquelas grandes orelhas dele, de pentear os cabelos marrons alaranjados, e de colocar o mesmo em suas costas e passear pelo seu apartamento, fingindo que estavam em uma nave espacial. Estava cansado de não ter mais aquilo consigo.

Não aguentava mais, sentia que não conseguiria mais viver sem aquilo, os pedidos manhosos sempre rondavam em sua cabeça, mas sabia que ele não estava ali pedindo aquilo. Levantou-se daquela grande cama e foi em direção ao seu banheiro, precisava tomar um banho, se sentia pesado, e com dor nos músculos.

De banho tomado, Chanyeol deitou-se em sua cama, passou suas mãos pela a mesma em procura do pequeno gatinho, mas não achou. Logo entrou em desespero, em um pulo se levantou da cama e começou a procura-lo pelo seu apartamento.

- Ei Baek! Não brinque comigo! Nós precisamos dormir, vamos, não seja um gatinho malvado. – Falou em um tom alto, para ver se o gatinho aparecia.

- Chany? – Ouviu uma voz abafada dentro do seu quarto.

- Ah... de novo essas ilusões? Cabeça, pare de vacilar comigo. – Falou frustrado. Voltou para o quarto e foi em direção ao abajur, mas quando chegou perto do pequeno criado-mudo viu um garoto baixinho deitado no chão.

- Ah! Chany! Estava te procurando! – Logo o pequeno corpo se levantou e abraçou o grande corpo do Park.

- Whoa... essas ilusões estão cada dia mais reais. – Se separou do abraço e se atirou na cama. Logo, logo seu gatinho iria aparecer, ou já apareceu.

A suposta ilusão de Chanyeol deitou-se na cama, e abraçou novamente o corpo do Park.

- Chany... sou eu... acredite em mim.

Chanyeol bateu em sua cabeça, para ver se aquela ilusão sumia, sem sucesso. Coçou os olhos, chegou até ir ao banheiro para apenas passar uma água no rosto.

- Olha cabeça, pare de pregar peças em mim, estou cansado. – Falou para si mesmo, suspirando cansado.  Passou sua mão no rosto e se sentou na ponta da cama.

Se beliscou, e o garoto-gato ainda não tinha sumido.

- Chany, eu não sou uma ilusão, sou eu mesmo, eu não sou de sua cabeça, eu estou realmente aqui ao seu lado. – Os olhos do pequeno garoto-gato já estavam cheios faz algum tempo. Foi até o seu dono e abriu as pernas do mesmo, ficando no meio delas. – Por favor... acredite em mim. – E então, as lágrimas que tanto segurará caíram.

Chanyeol estava desacreditado, ainda achava que era apenas uma ilusão, e se fosse, a sua cabeça o iludia muito bem.

Encostou no rosto do menor, e este não sumiu como esperava. Afagou os cabelos do mesmo, e ainda não tinha sumido.

Deus... você ouviu minhas preces? Pensou.

Então, em um ato rápido, puxou o pequeno garoto para seus braços, o esmagando completamente em um abraço apertado. E sem perceber, lágrimas grossas começaram a cair.

- Baek... Eu estava com tanta saudade... – Sua voz estava completamente trêmula. 

- Eu também, Channie. – Encostou sua cabeça no ombro do maior, deixando as lágrimas molharem o ombro do seu dono.

O mais alto se atirou para trás, trazendo consigo seu gatinho, ficaram abraçados por algum tempo, apenas aproveitando o calor dos corpos. Park depositou um beijo no topo da cabeça do seu gatinho, que ronronou.

- Eu te amo, gatinho... – Levou sua mão direita para as orelhas do seu gatinho e começou a fazer um carinho ali. Encostaram as testas, fazendo seus narizes se roçarem.

- Eu também te amo, Chany... – E então selaram os lábios.

 

E então, depois de semanas, Chanyeol finalmente conseguiu dormir bem novamente.

 

 

1 MÊS DEPOIS.

14:35h

 

- YAA! VÁ MAIS RÁPIDO CHANY! – Baek gritou animado. Rindo, Chanyeol obedeceu seu gatinho, começando a andar mais rápido pelo seu apartamento.

Estavam brincando de nave espacial, uma brincadeira que o garoto-gato adorava. Park segurou um pouco mais fortes as coxas fartas do seu gatinho, não queria que o mesmo caísse de sua garupa.

- Nhoooooooooooooooooom mmmmmmmmmmmmmh. – Chanyeol fazia barulhos engraçados, tentando imitar um motor de uma nave.

Sem aviso prévio, Kyungsoo e Jongin entraram no apartamento de Chanyeol e Baekhyun, que pararam ao ver que tinha chegado gente.

- Mas que porra... tá acontecendo aqui? – Kai perguntou.

- Estamos brincando de nave espacial! – Baekhyun falou animado, levantando seus braços para cima. Chanyeol riu.

- Que... gay. – Foi a vez de Kyungsoo.

- Disse o hétero. – Rebateu o mais alto de todos, voltando a brincar com seu gatinho, este que ria escandalosamente.

- Yaa! Eu quero brincar também! – Kai foi até Chanyeol e Baekhyun, logo começando a correr atrás dos dois, que fugiam rindo.

- Meu Deus, quanta infantilidade. – Kyungsoo colocou suas sacolas do mercado em cima do balcão da cozinha. Observou os três brincando, e então uma vontade imensa de participar cresceu em seu interior. – Eu também quero! – Foi até Jongin pulando na garupa do mesmo.

E então, o apartamento de Chanyeol virou uma verdadeira “folia”. Só se ouviam risadas, e as vezes alguns tombos, estavam pouco se importante se os vizinhos iriam se incomodar, só queriam brincar.

 

(...)

20:54

 

Já era de noite, e o pequeno gatinho já estava quase dormindo enquanto assistia TV. Já o Park, estava pesquisando sobre híbridos. Queria saber mais sobre eles.

Descobriu que a cada 6 meses o hibrido tinha um cio, e que poderiam engravidar.

Se interessou muito naquilo. Mas teve que parar ao ouvir os chamados de seu gatinho para ir lá.

Levantou-se da cadeira e foi até a sala, sorriu ao ver seu bebê sentado com pernas de índio, apenas lhe esperando. Sentou-se ao seu lado e o puxando para o seu colo.

- Nhaaaw... – Gemeu, o mais alto estranhou. Seu gatinho estava muito sensível.

- O que foi, gatinho?

- Eu quero carinho, Chany... – Falou sôfrego, rodeando o pescoço do mais alto com seus pequenos braços.

Park levou sua mão até os cabelos do pequeno, começando a fazer um cafuné, Baekhyun gemia baixinho em puro deleite.

E então, em um piscar de olhos, as orelhas e o rabinho do garoto-gato estavam arrepiados, o gatinho gemeu alto.

- Baek, está tudo bem? – Perguntou.

- Tá doendo, Channie... – Falou manhoso, começando a rebolar no colo do seu dono. – D-dói... – Pousou sua cabeça no ombro do mais alto.

- Onde dói, pequeno?

- Aqui... – Apontou para sua parte de trás. Chanyeol arregalou os olhos, seu gatinho tinha acabado de entrar no cio. Sentiu o mesmo rebolar afoito no colo do Park, que já estava perdendo seu controle. Pulou do colo do seu dono, agoniado. – O que é isso Channie? Nyaaaw – Tampou sua boca com as mãos. – Chany faz parar! – Disse sôfrego.

Baek sentiu uma fisgada em seu membro, fazendo-o pular em cima do seu dono, que caiu deitado.

Via seu gatinho se contorcer inteiramente, não sabia o que fazer. Estava incrédulo.

- Chanyeool... está doendo.... faz parar, por favor. – Falou gemendo mais alto. Sentiu uma fisgada em seu baixo ventre. Baekhyun começou a se esfregar, fazendo uma fricção prazerosa entre seus membros.

- Aah... – Chanyeol gemeu baixinho, aquilo era tão bom... estava por um fio para não pegar o garoto-gato, atira-lo na cama e fode-lo até não aguentar mais, e então esse fio foi logo arrebentado quando o gatinho gemeu seu nome em seu ouvido.

O pegou no colo e o levou para o quarto, logo o deitando na cama, foi até a porta e a trancou, não queria que ninguém incomodasse.

Foi até Baekhyun e subiu em cima do mesmo, apertou sua cintura possessivamente fazendo o debaixo gemer sôfrego. Levou sua boca até o pescoço do pequeno, começando a morder e chupar, deixando vários roxos em sua pele branquinha.

- Vá logo com isso, Channie... – Falou gemendo manhoso quando sentiu seu dono apertar um dos seus mamilos por cima da camiseta.

- Calma, gatinho. – Disse rindo, selou os lábios, pediu passagem com a língua que logo foi retribuída, começando um beijo quente e necessitado. Parou o beijo e foi até o ouvido do pequeno. – Eu quero tanto foder você... – Sussurrou, Baekhyun não sabia o significado da palavra “Foder”, mas fez uma onda de prazer imensa passar por seu corpo.

A cada gemido que seu pequeno gato fazia, uma fisgada no membro do maior dava. Este estava completamente duro, necessitado. Provavelmente sua box deve estar já toda melada.

O mais alto levou suas mãos até debaixo da camiseta grande de Baekhyun, dedilhando a barriguinha do Byun, que suspirou em puro prazer. Puxou seu dono para um beijo, era primeira vez que o garoto-gato fazia aquilo, deixando o mais alto surpreso. Era um beijo afoito, estavam muito quentes, e suas roupas já lhe estavam incomodando, mas Chanyeol queria torturar um pouco o seu BabyCat.

- Channiee~- Gemeu manhoso, completamente necessitado, queria ser logo preenchido, e seu membro já doía demais.

- Quando estivermos em ocasiões assim... me chame de Daddy, BabyCat. – Falou baixo, foi até o pescoço do menor e começou a encher mais chupões, queria mostrar para todos que aquele ser era completamente seu, e mais de ninguém. E também pouco se importava se os vizinhos iriam reclamar no dia seguinte por causa dos gemidos, queria aproveitar com seu gatinho. Não se importando com nada.

Já Baekhyun estava frustrado por seu dono não ir logo, tinha sacado que ele queria o torturar, mas já tinha o torturado demais.

- Daddie...

- Se acalme, apressadinho. – Disse rindo, deixando um pequeno selar nos lábios inchados do seu BabyCat.

Levantou um pouco a camiseta do gatinho e foi até um dos botões avermelhado, chupando e o mordendo com cuidado. A outra mão apertava o outro mamilo, deixando Baekhyun completamente arrepiado. Depois de alguns minutos ali, decidiu pelo menos tirar uma peça de roupa do pequeno, via como esse suava loucamente, e já estava ficando com dó. Tirou a camiseta do pequeno garoto-gato, deixando escapar um suspiro. Se afastou um pouco e contemplou o corpo do seu amado. Ver aquele corpo todo branquinho lhe dava vontade de marca-lo todo, deixando-o completamente com vergões arroxeados. Lambeu seus lábios, e sorriu malicioso.

Começou a beijar o tronco do menor, que este deixava escapar suspiros sem se importar. Quando chegou no cós de sua calça, voltou para cima começando a chupar e morder todo o corpo. Se afastou um pouco, e pegou umas das pernas de seu BabyCat, a colocando em seu ombro. Começou a morde-la e chupa-la, e com a outra mão apertava possessivamente a outra perna.

- Tão lindo... – Deixou um selar na sua coxa direita. – Tão gostoso... – Beijou sua barriga. – Tão meu – E então beijou os lábios inchados, chupou e mordeu. Pela falta de ar, mordeu o lábio inferior do menor e o puxou um pouco, logo voltando para o beijo.

Apertou a cintura do menor, e o deixou de barriga para baixo sem alguma delicadeza. Começou a morder suas costas, queria deixar o corpo inteiro arroxeado. Levou suas mãos até a parte traseira de seu amado, a apalpando, fazendo o menor gemer baixinho.

- Sua bunda é tão grande...- Sussurrou no ouvido do menor, mordeu o lóbulo da orelha do mesmo, deixou um selar em sua nuca fazendo o corpo inteiro de Baekhyun se arrepiar, uma de suas mãos, agora, estava em sua bunda a apertando, provavelmente deixaria uma marca, e já a outra mexia no rabinho branco do menor.

- Nyaaaaah... – Gemeu alto por causa dos movimentos em sua cauda.

- Você gosta disso, Baekkie? – Perguntou sussurrando no ouvido do mesmo. Baek assentiu. – Eu não entendi sua resposta, gatinho.

- S-sim, daddy... – Gemeu –gritou- quando sentiu o membro duro de seu dono em sua bunda. Começou a rebolar contra ele tentando ter mais contato. Chanyeol sorriu ladino.

Pegou a cintura de seu amado e a puxou um pouco para cima, fazendo sua bunda empinar para si, aproximou seu membro da parte traseira do seu gatinho, o estocou, estava incomodado com aqueles tecidos o atrapalhando, queria foder completamente o seu gatinho.

O virou novamente para barriga para cima, tirou sua camiseta e sua calça juntamente com a box e tacou as roupas para longe, para ele não importava aonde eles estariam agora.

- Chupe. – Ordenou Chanyeol, Byun assentiu e se ajoelhou em frente ao seu dono, lambeu todo o falo timidamente, chupou a glande avermelhada e inchada que saía pre-sêmen. E então colocou o máximo que conseguiu na boca, fazendo o Park gemer alto. A parte que sobrará ele masturbava lentamente, queria recompensar a tortura que o seu dono deu a si. Chupava lentamente o pênis de seu dono, e Chany estava maravilhado com a boca ágil de seu amado, era tão pequena, mas ao mesmo tempo tão quente e excitante. Sem conseguir se segurar, levou uma de suas mãos aos cabelos marrons alaranjados do menor, ditando os movimentos. Gemeu alto quando Baek raspou seus dentes por todo o falo. Baekhyun começou a ir mais rápido, chupando e lambendo o membro de Chanyeol, que pulsava em sua boca. Quando sentiu que estava perto em seu ápice, afastou rapidamente a boca pequena de seu amado, recebendo um gemido de reprovação. Puxou os cabelos do Byun, sem machucar, para sua boca selando os lábios.

Deitou-o novamente, sem separar o selar. Tirou o shorts pequeno de seu Baby, juntamente com sua cueca box preta, que já estava toda melada pela sua lubrificação natural. E jogou para longe, juntamente com os restantes das roupas. Separou os lábios e se sentou na cama se escorando na cabeceira.

- Sente no colo do seu Daddy. – Baekhyun engatinhou até si e se sentou em seu colo. – Está preparado, Baby?

- S-sim, Daddy... estou preparado. – Falou envergonhado, Chanyeol percebendo sua vergonha, sorriu ladino.

- Está preparado para o quê? – Disse acariciando as costas do menor.

- P-para... para você m-me fo-oder. – Praticamente gaguejou a frase inteira, Chanyeol riu e deixou um selar nos lábios inchados de seu amado.

Segurou a cintura fina do menor e o ajudou a sentar em seu membro. Baekhyun desceu lentamente, quando foi completamente preenchido, deixou um grito escapar, finalmente tinha sido preenchido. Logo começou a rebolar já pronto. Como o Byun tinha muita lubrificação natural, ele não demoraria muito para poder, realmente, ser fodido.

Chanyeol já estava louco daquele jeito, mandou sua sanidade para puta que pariu. Se ele já estava assim sem o estoca-lo, imagina quando fazer tal coisa. Gemeu rouco quando o Byun começou a descer e subir lentamente em seu pau, com ajuda das mãos grandes do Park, que seguravam possessivamente sua cintura. Era tão excitante sentir a entrada do menor tentando expulsar o seu pênis dali, Baekhyun nem se lembrava mais de seu nome, sua mente estava completamente nublada, não se importava se soltava gritos muito altos ou finos, até mesmo berros, ele só queria aproveitar o membro de seu dono dentro de si o preenchendo.

- Tão apertado... – Gemeu rouco. Apertou a bunda do menor, deixando marcas vermelhas ali. Baek já não ouvia mais nada, está tão concentrado em sentir o prazer do Chanyeol o fodendo lentamente. Park bateu na parte traseira do garoto-gato, o fazendo gemer em deleite. Bateu, e bateu, bateu diversas vezes.

Já estavam começando a ficar rápido, o Byun já estava cansado daquela posição e Chanyeol percebeu aquilo. Saiu de dentro do menor e o colocou de quatro na cama, tendo uma visão ampla de sua entrada. Enfiou seu pênis sem alguma delicadeza, já o estocando. Baekhyun gritou, gritava tanto que nem conseguia mais fechar sua boca. Park queria muito fechar seus olhos, mas não queria perder aquela visão do seu amado completamente entregue a si, enquanto o estocava fortemente.

Naquele quarto, apenas se ouvia os gemidos/gritos e o os corpos se chocando. Chanyeol e Baekhyun estavam em outro mundo, suas mentes completamente nubladas. Seria clichê demais dizer que os gemidos do Byun eram música para os ouvidos de Chany?

Saiu novamente de dentro do gatinho, o deitou de barriga para cima, pegou suas duas pernas e as colocou em seu ombro.

O estocava fortemente, Baekhyun soltou um berro ao sentir sua próstata alcançada.

- Faz de novo, Daddy... – Pediu entre os gemidos/gritos.

E então acertou de novo sua próstata, e de novo, e de novo. A acertou várias vezes, e agora não eram gritos que saíam da boca do Baekhyun, agora eram miados e berros. Chanyeol iria ficar louco.

Baekhyun levou sua mão para seu próprio pênis, mas logo o Park a tirou dali, e então o masturbando. Agora sim o Byun tinha esquecido completamente seu nome.

O Byun começou a ficar mais sensível, e gemer mais alto ainda, e então o Park percebeu que o mesmo estava chegando em seu ápice. Logo o pequeno Baek chegou em seu ápice, mais algumas estocadas Chanyeol chegou no seu, gemendo rouco o nome do seu amado. Saiu de dentro de Baekhyun e se atirou ao lado do mesmo, o puxando para um abraço.

Deixou um beijo no topo da cabeça do menor. Se passou alguns minutos e Chanyeol estava quase dormindo, até que Baekhyun se senta em seu colo.

- Eu quero segunda rodada, Daddie... – Disse rebolando no membro do maior.

 

(...)

UM MÊS DEPOIS

 

Chanyeol estava preocupado, Kai e Kyungsoo disseram que seu gatinho tinha desmaiado e logo o levaram para o hospital, mas o Park não poderia sair de seu trabalho, pois estava em uma reunião que iria mudar sua vida.

Ao chegar em casa deparou-se com os três sentados no sofá olhando tv, que logo seus olhares pararam em si. Baekhyun se levantou envergonhado, parando na frente do mais alto.

- Chany... eu... – Olhou para seus pés, estava com medo de que Chanyeol não aceitasse aquilo.

- O que foi, bebê? – Disse fazendo um carinho nas orelhinhas do gato.

- E-eu estou gravido... – Parou bruscamente o seu carinho, olhou para Baekhyun, e então olhou para Jongin e Kyungsoo, repetiu esse ato várias vezes. Queria ver se tinha algum olhar risonho em si, mas nada, era verdade.

­- PUTA QUE PARIU! – Gritou, Baekhyun levou um susto, pulando para trás. – EU VOU TER UM FILHO!! A MEU DEEEEEEEEUS! – Pegou o pequeno gatinho no colo e começou a dançar com ele, este que ria alto. – EU VOU TER UM BEBÊ, TUTUTUTUTUT. – Soltou seu garoto-gato e começou a dançar. Foi até Jongin e DO, os puxando para se levantarem. – E-EU VOU TER UM BEBÊ, UM FILHO!! – Abraçou os dois fortemente, quase os levantando do chão.

- H-hey... cê vai matar a gente assim... – Falou Kai, com falta de ar pela tamanha força que Chanyeol os abraçava. Separou o abraço e os olhou, seus olhos estavam marejados. – Ei, calma – Disse rindo.

- Não dá, isso é....é lindo. – Sorriu, foi até o Byun e o abraçou. – Você é o melhor namorado do mundo, gatinho. – Começou a fazer cafuné nos cabelos ruivos amarronzados do pequeno.

 

8 MÊSES DEPOIS

 

- CHANYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYY – Gritou Baekhyun, estava à procura do mesmo. Queria um pastel de queijo com leite.

Logo a pessoa tão procurada aparece no batente da porta da cozinha.

- Oi bebê? – Foi até o mais baixo e o abraçou.

- Eu quero pastel de queijo com leite. – Falou manhoso, ficando na pontinha do pé para colocar sua cabeça em seu ombro.

- Vocês querem coisas muito nojentas. – Fez uma careta.

- Compra lá pra mim, Chany! – Bateu no braço dele.

- Você tá ficando cada dia mais agressivo, bebê. – Fez bico. Separou o abraço e deixou um selar em sua testa. Logo o gatinho se sentou no sofá da sala. – Eu já volto! Vou mandar o Kyung-Hyung ficar com você! – Disse já fora do apartamento.

- OK! – Gritou para que o outro o ouvisse.

Logo Kyungsoo apareceu na porta, quando viu o gatinho sorriu, sentando ao seu lado.

- Oi Baek, como vai? – Levou sua mão até o braço direito do pequeno, fazendo carinho ali.

- Bem, e você Hyung?

- Bem. – Sorriu. – Eu vou pegar algo para comer, ok? Já volto.

Foi até a cozinha e preparou um café para si, quando ia colocar o liquido em sua caneca ouviu um grito na sala, logo correu para lá e o sofá estava molhada com algo transparente. Então Kyung percebeu que a bolsa do pequeno Baek estourou. Ligou rapidamente para Chanyeol.

- CHANYEOL VAI PRO HOSPITAL AGORA! – Disse ajudando Baek a se levantar, foram as pressas para fora e entraram em seu carro.

- O quequetaaconteseno?

- A BOLSA DO BAEK ESTOUROU, SUA MULA BURRA! TE ENCONTRO LÁ. – Então finalizou a ligação.

Chanyeol rapidamente pegou as sacolas do mercado e foi para o hospital, já encontrando seu Hyung sentado numa das cadeiras de espera.

- ONDE ELE TÁ? – Disse um pouco alto, chamando atenção de algumas pessoas.

- Shiii... fala baixo. Ele já está no trabalho de parto. É melhor indo logo para lá!

 

ALGUMAS HORAS DEPOIS.

 

- Park Chanyeol?

Levantou-se rapidamente.

- Sim? – Foi em direção ao médico.

- Vamos vê-lo? – Disse sorrindo, Chanyeol quase começou a dar pulinhos, esperou por tantas horas naquele hospital, estava muito cansado.

Ao chegarem na pequena salinha, o médico o levou para ver o seu filho, o chamaram de Park Sehun.

Sorriu ao ver o pequeno bebê dormindo, seus olhos já estavam marejados, poderia dizer que era bem sensível com tais coisas.

Ver que finalmente realizou um sonho com alguém que ama, faz seu peito aquecer. Nunca imaginou que um dia iria se relacionar com seu gato, aquele que ficou todos os dias ao seu lado, e nunca o julgou. Sorriu orelha à orelha, estava tão feliz. Pegou o pequeno bebê enrolado pelo manto azul claro, o médico pediu para que o levasse até a “Omma”, e Chanyeol de bom grado obedeceu. Foi até o quarto de Baekhyun, que o mesmo estava deitado sorrindo para o nada. Ao ouvir o barulho de porta abrindo, olhou para o Park rapidamente, e então sorriu mais aberto ainda, lágrimas finas caíram de seus olhos. Levou o bebe até seu amado e o dando. Aquela era a cena mais fofa do mundo, as duas pessoas que tanto amam juntinhas.

 

2 ANOS DEPOIS.

 

O pequeno Sehun corria alegremente pela casa, fugindo de seu Appa que corria devagar atrás de si. Não parava de rir, estava muito animado.

- PARK CHANYEOL EU VOU TE BATER, TU VAI DEIXAR O SEHUN CAIR SEU RETARDADO! – Gritou Baekhyun, batendo no braço do maior. Nunca iria se acostumar com o seu pequeno gatinho agindo como uma Omma responsável. Sehun apenas olhava tudo confuso, estava ainda aprendendo a falar, apenas entendia algumas palavras.

- Omma! – Gritou sorrindo, foi até sua Omma e abraçou sua perna pedindo colo. Baekhyun sorriu o pegando.

- Precisamos descansar amor, amanhã é o nosso casamento. – Disse sorrindo, estava ansioso e animado.

- Gatinho... vamos ficar mais um tempo acordados. – Um bico cresceu em seus lábios.

- Não podemos, alo! Vamos dormir. – Chanyeol acariciou as orelhinhas do pequeno gatinho, que ronronou em adoração com o carinho. Sorriu. Assentiu e então foi para o quarto logo se jogando na cama. Baekhyun desligou a luz e foi até a cama, deixou o pequeno Sehun deitado ao seu lado, que abraçou sua cintura fortemente. Sorriu. – Boa noite. – Selou os lábios.

- Boa noite, meu gatinho. – Os tampou, e abraçou fortemente os dois como se os mesmos fossem desaparecer.

 

 

Baekhyun acordou com a luz do sol que vinha da janela, ouviu risadas e gritos animados, deduziu que Kai e Kyungsoo foram em seu apartamento para brincar com o pequeno Sehun. Abriu seus olhos e olhou para Chanyeol, que o olhava sorrindo.

- Bom dia. – Ia dar um selinho nos lábios do seu gatinho, mas Sehun se atirou no meio dos dois, fazendo Chanyeol bufar. Baekhyun só conseguia rir.

- Bom dia Appa, Omma! – Rodeou seus braços nos dois pescoços, fazendo um abraço coletivo.

- Bom dia... – Responderam em uníssono.

- Hoje é o grande dia! – Gritou Kai. – Irei dar dois minutos para o casal se dar bom dia. – Pegou Sehun e foi para sala, fechando a porta do quarto.

- Nervoso? – Perguntou Chanyeol abraçando a cintura do menor.

- Sim... – Riu.

- Ya! Não fique, vai dar tudo certo. – Depositou um beijo em sua testa.

Ficaram ali trocando caricias, até Jongin aparecer no quarto os mandando colocar uma roupa decente para irem se arrumar no salão. Com muita preguiça, se levantaram e foram se vestir.

Quando terminaram, logo foram para o salão, deixando Baek e Sehun lá. Chanyeol iria ficar em outro.

- Bom dia Baek, por onde quer começar? – Perguntou a dona do salão.

- Acho que o cabelo. – Sorriu.

 

HORA DO CASAMENTO

 

Chanyeol estava com um terno preto, seu cabelo quase tampava seu olho esquerdo, a maquiadora agora fazia algumas coisas com o lápis e delineador, ao terminar o Park se olhou no espelho e sorriu. Agradeceu a maquiadora. Estava extremamente sexy com aquele delineador nos olhos, já previa seu pequeno gatinho caindo aos encantos sobre ele.

 

Já no salão a do Baek, este fazia alguns retoques no delineador, estava usando um terno branco, e o pequeno Sehun com uma calça preta e uma blusa branca. Este estava extremamente fofo.

- Vamos! Está nervoso Sehunnie? – Perguntou olhando para a criança ao seu lado. Este que negou com a cabeça, riu. – Está mentindo?

- Não Omma! Eu ainda não estou entendendo o que está acontecendo. – Falou, fazendo Baekhyun rir alto. Para uma criança de apenas dois anos já parecia um adulto, mesmo não esabendo algumas palavras, seu português era extremamente avançado.

Não podia o pegar no colo, senão iria amassar a roupa, fazendo que um bico crescesse nos lábios de Sehun. Entraram no carro preto e foram até a Igreja, Chanyeol já tinha entrado. Levaram a criança longe de si, para ela se arrumar em seu lugar. Estava extremamente nervoso, suava frio. A cada cinco minutos passava suas mãos na calça para secar o suor.

Quando era sua vez de entrar, seu coração começou a bater rápido. O tio de Chanyeol o encarava engraçado, o acompanhando até o altar. Até riria da cara do homem mais velho, mas estava tão nervoso que apenas fez uma careta.

Não parava de sorrir, finalmente, iria se casar com a pessoa que tanto ama. Iria fazer quase 4 anos que eles estão juntos, e só de lembrar por tudo que passaram seus olhos encham. Chegando no altar, ficou em frente ao seu futuro marido. Sorriu para este, e Chanyeol acertou, como sabia. Baekhyun estava completamente encantado pelo o Park, que riu baixinho.

O padre/pastor falou as coisas, riram, e choraram.

Quando se deram o selinho, todos gritaram animados, riram baixinho, olhando para todos os familiares de Chanyeol.

 

 

DIA SEGUINTE.

 

- Caralho tio, aquela festa foi louca cara. – Disse Chanyeol, se atirando no sofá cansado. Madrugaram na festa, o pequeno Sehun dormia nos braços de Baekhyun. O mais novo Park colocou o bebê em seu berço e voltou para sala, sentando no colo do mais alto.

- Eu nem acredito que eu me casei com você. – Falou sorrindo, deitou sua cabeça no peito do maior.

- Somos dois. – Disse rindo.

- Eu nunca pensei que um dia eu iria me casar com você.

- E eu nunca pensei que antigamente, meu namorado era um gato, e hoje, ele é o meu marido gato. – Sorriu selando os lábios.

 

~fim~


Notas Finais


RÉLOOOOOOOOOOOOU

AE PORR
CAPÍTULO NOVO
LEMON
CASAMENTO
FIOTE
AEEEEEEEEE

FORAM FUCKINGS 2 MIL PALAVRAS DE LEMON c':
acho q ele deve tá uma bosta, pois foi o segundo que eu fiz na vida c':
MAS BOM PELO MENOS NÓS TEMOS NOSSO LINDO LEMON!

eai? o q acharam do final? :3
eu achei meio bosta, como eu disse lá em cima, mas ok :B

Muito obrigada a todos por me darem essa oportunidade de escrever este Short Fic!
eu amei mt escrever isto :3
Obrigada a todos os favoritos e os comentários! <3
Caso essa fanfic chegue aos 100 favoritos, TALVEZ, só talvez, eu faça que nem o Thousand Years, um especial.

Bom, era só isso!
Obg a todos!
E TCHAAAAAAAAAU ! <3

Meu twitter: @KookiewJoon ou @clippypaobatata
Meu vine: https://vine.co/paodebatata
E meu face :b : https://www.facebook.com/profile.php?id=100013747515529

BYE <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...