História Meu Namorado Imaginário - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags Algo Hétero Aqui!, Doença Mental, Incesto, Jin Brilhoso, Jinnie, Me Segura, Romance, Seokjin, Taekook, Vkook, Vkook Brothers
Exibições 10
Palavras 677
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá meus amores! Demorei um bocado bem bom mas voltei, err nunca sei o que dizer por aqui então...

ESPERO QUE GOSTEM!
BOA LEITURA MINHAS PIPOKAS!

Capítulo 2 - Não!


Fanfic / Fanfiction Meu Namorado Imaginário - Capítulo 2 - Não!

— Min... – Taehyung e JungKook sussurravam abrindo o grande portal. Logo fizeram reverência, em sinal de educação, avisando que SeokJin tinha um assunto sério a tratar com Yoongi. Logo os irmãos trocaram olhares cúmplices e sorrisos sugestivos, se retirando em seguida.

Um garoto qualquer – ao ponto de vista dos gêmeos – adentrara na enorme “sala”:

— Diga, seja direto por favor. – o Min foi curto e grosso, tentando ser o mais educado o possível com o rapaz.

— Apenas um simples a-acordo. – gaguejou com o rosto rubro, certamente não era um simples acordo.

— Você nunca me deu trabalho, Kim. Pode até ter demorado para aparecer para a sua criança, mas não me dava trabalho... Posso realizar teu pedido... – sempre arrastando a voz, o Min murmurou.

— Eu...

— Você?

Yoongi franziu a testa, meio irritado pela enrolação. Foi flutuando para o alto da sala:

— Gostaria de ser visível para todos. – relaxou os ombros.

— Ai... – acabou que caiu de cima da gigantesca estante de livros, a qual tinha várioslivros; cada livro com o nome de alguém e seus devidos amigos imaginários. — Ficou louco? Nem sei o porque de você ainda ter contato com a Kim. Mas tudo bem, é o certo a se fazer. – fechou o livro verde musgo “Kim Sun Hee” e abanou as mãos para SeokJin. – Vá logo, antes que eu mude a história da menina e ai você só irá ficar a chupar o dedo.

[...]

— Jinnie! – Sun Hee gritou frustada, olhando debaixo da cama. – 'Cadê você?!

Já fazia oito dias que ela não via o rosado, estava muito triste, afinal, eles tinham o costume de ficarem grudados um no outro.

O amigo imaginário não aparecia, passou mais um dia e outro, ela já não mais saia do quarto. Ficava a chorar no travesseiro. Sentia uma enorme saudade de SeokJin:

— Sunnie, abre para a omma!

— Não. – sua voz saiu embargada.

— E 'pra mim? Você abre? – a garota – nem se tocou de como descabelada e cheia de olheiras estava – abriu a porta.

— Kim SeokJin! – pulou no pescoço do homem, ficando enganchada nele.

— Estou atrapalhando o 'casalzinho por acaso? – a Kim mais velha pigarreou desgrudando os dois.

— Como?

— Sim, ela pode me ver. – Jin sorriu amarelo.

Ele pretendia contar par a Hee, tsc tsc senhora Kim... estragou o plano do jovem. Só faltava Seok chorar de alegria e para Sun Hee, bem, ela já estava.

A menina reparou na situação em que estava e acabou por abaixar a cabeça, tendo a visão de seus pés. Ela estava descalça, suja, desarrumada. Correu então para o quarto, fechou a porta e gritou:

— Já já eu volto mon amour!

[...]

Sun Hee estava mais feliz do que nunca, em partes. Pôde esfregar na face de sua mãe que ela não era de fato, uma lunática e que Kim SeokJin era real.

Nem tudo que é bom dura para sempre, SeokJin não “morava” mais em sua casa, ele havia alugado uma outra seis quadras depois da dela. Com suas faltas na escola acabou por perder certas provas e não conseguiu repôr, resultado? estava de recuperação em inglês e geografia.

Estava aos prantos, como SeokJin virara seu professor? Como aquelas oferecidas de sua escola tinham a coragem de tentarem, tentarem se esfregar nele? Era coisa de mais pra ela, nada que uns gritinhos ali e acolá para esvair a raiva que não resolvam.

No momento ela já estava se arrumando para mais um dia de aula. Passando um gloss avermelhado com um delicioso – no ponto de vista dela – sabor de cereja, pegou sua sapatilha preta as calçou e seguiu rumo ao colégio.

[...]

— Jiminnie! – Sun Hee sussurrou irritada.

Ela estava sentada no refeitório comendo na companhia de sua amiga, mas acabou se deparando com uma cena um tanto intrigante. Rosé e Minho passando as mãos pelos braços de SeokJin enquanto Seulgi entregava uma pequena carta, sorrindo e em uma pose sedutora.

— Realmente, o Minho já foi um 'cara melhor... – sussurrou de volta, com um tanto de mágoa no tom de voz.

— Rá, mas isso não vai ficar assim! – Sacou então o celular do bolso, com um pequeno sorriso de canto.

Não irrite Kim Sun Hee...


Notas Finais


Só pra deixar bem claro!
Eu NÃO gosto de cereja. Hehe :3
Ke ki isso tem haver?
NADAAAAA
GOSTARAM? NÃO? TEVE ALGUM ERRO? PRECISO MELHORAR ALGO NOS CAPÍTULOS?
Podem me dizer se quiserem, SE QUISEREM, não mordo meus amorzinhos <3

Até o próximo, bjs de paçoca *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...