História Meu Nerd - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Jason Grace, Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper McLean, Thalia Grace
Tags Percabeth
Visualizações 147
Palavras 1.343
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu quero que vocês me digam, se estão gostando ou não, o que precisa ser melhorado, e tals.
Então dedico esse capítulo, a todos meus leitores novos e velhos leitores que deiz do começo ou recentemente vem acompanhado e comentando amo vocês ♡
E ao meus leitores fantasmas, comentem, favoritem, vamos ser amiguinhos.
Agora vou parar de perturbar, boa leitura 💖
Fanfic também postada no Nyah!
Ps:Ponto se vista da Thalia

Capítulo 7 - Ela simplesmente caiu


—Você não deveria fumar. 

Encarei por debaixo dos óculos escuros a pessoa a minha frente, e tirei o cigarro do maço o acendendo e logo em seguida colocando na boca. 

—Por que você quer um?-Murmurei sentindo a fumaça penetrar nos meu pulmões e soprei a mecha de meu cabelos que insistia de tampar minha visão.

—Não seja idiota-ele revirou os olhos se aproximado-Pensei que havia parado.

—Não fale como se importasse-murmurei amarga, o que o fez da um sorriso torto e sentar ao meu lado.-Sai daqui você não devia sei lá estar atrás da Reyna.

O cutuquei com o pé, e continuei até ele me olhar irritado. 

—Não seja criança Thalia. 

Dei uma risada sarcástica,dando outra tragada, havia me esquecido a sensação de poder que um simples cigarro poderia me dar. 

—Engraçado você falar isso, afinal fui eu que iludi uma garota dizendo que a amava,e uma semana depois apareci com outra na escola,-Coloquei um dedo no meu queixo pensativa, depois coloquei minhas mãos em minha boca fazendo uma falsa expressão de surpresa.-A não, quem fez isso foi você Di Ângelo. 

Nico me olhou com uma expressão culpada. 

—Eu nunca a iludi Thalia, eu sempre fui verdadeiro com meus sentimentos.

—Claro, claro- Acenei em descaso -Sempre foi verdadeiro comigo e com a garota do parque, com a da sorveteria, esqueci de alguém? 

Ele passou a mão nos cabelos exasperado 

—O que a Annabeth inventou para você? 

Me levantei com raiva, jogando o cigarro no chão e o pisando logo em seguida.

—Eu acho engraçado como você sempre mete a Annabeth nas nossas conversas. 

—Ela sabe que você voltou a fumar? 

—Ela não é minha mãe. 

Ele riu, o olhei sem entender

—O que foi Thalia essa raiva toda é porque a Annabeth deixou de ser sua babá? 

O olhei irritada

—Nunca precisei de babá, Annabeth sempre foi minha amiga. 

Ele olhou em volta

—E onde está sua amiga?

—Ela está resolvendo uns proble- me interrompi o que eu estava fazendo? dando satisfação da vida da Loira a um cara que a odeia -Por que todos esse interesse em Annabeth, você a odeia. 

—Ela me odeia

O olhei com nojo.

—Você merece ser odiado.-Peguei minha mochila, e quando estava preste a sair, ele segurou minha mão, me fazendo parar, havia me esquecido o quanto sua mão era gelada. 

—Me solta-susurrei sentindo sua respiração cada vez mais próxima. 

—Só olha para mim Thalia-ele sussurrou.

Encarei seus belos olhos negros, que pareciam o próprio tártaro me puxando para dentro, desviei meus olhos me repreendo mentalmente por esses pensamentos. 

—Eu vou te soltar ,só que não agora-ele completou-Thalia voce discutiu de novo com seu pai?

Encarei sua mão junto com a minha.

Tão errado. 

—Não interessa-falei fria.

—Você não era assim...

—Para com isso, para de fingir que se importa comigo, você me abandonou-desabei,sentindo meus olhos lagrimejarem, e me xinguei mentalmente por ser tão fraca.

—Thalia-ele segurou meu queixo entre suas mãos me obrigando a encarara-lo- Eu quero te ajudar, eu sei que um vacilei,mas eu não consigo, simplesmente não me importar.

Ele se aproximou até que nossas testas estiverem coladas. 

Próximo demais

Eu sabia o que ocorreria agora provavelmente eu o beijaria ou vice-versa, ele diria que ia mudar, e eu sorriria acreditando,e continuaria com uma ilusão de que era a única em sua vida. 

Eu já sabia porque não era à primeira vez,nem a segunda, e eu sabia, e ele sabia que sempre que ele pedisse pra voltar eu deixaria. 

***

Uma de suas mãos, se aproximaram do meu rosto, o acariciando enquanto seus olhos me encaravam com magnitude,como se só estivéssemos nos dois ali no pátio da escola.

Sentindo sua respiração tão próxima, sentindo seu estranho cheiro de menta, e perfume forte, eu tentei ao máximo ouvir a voz em minha cabeça que tinha passado todos esse meses me dizendo para não beija-lo, mas ela estava em silêncio. 

Tentei me recordar de qualquer pensamento de certo ou errado, ou de devo ou não devo, ou qualquer memória do motivo que me fizera, para começar chegar até ali só que não consegui, olhando ali tão perto, tão fácil eu simplesmente não consegui achar um motivo para não beija-lo. 

E foi por isso que o fiz.

E os nossos lábios se encontraram, nossas línguas se comprimiram uma contra outra, e uma de minhas mãos envolveram seu rosto, desejando ao máximo que o tempo parasse ali. 

Mas não podia, me afastei, sentindo minha cabeça doer. 

—Isso não deveria ter ocorrido-murmurei embora não me arrependesse, ele segurou uma de minhas mãos, que eu fiz questão de soltar. 

Esfreguei uma de minhas mãos em minha fronte, sentindo que minha cabeça a qualquer momento iria estourar.

—Claro que deveria-ele segurou mais uma vez minha mão, dessa vez não impedi. 

Ele me beijou novamente.

—Reyna-balbucie ainda intorpecida pelo gosto do seu beijo.

—Dane-se Reyna-ele sorriu como um lunático-Eu quero você Thalia Grace.

Não consegui não sorri, parecia tão irreal. 

Talvez eu fosse a pessoa mais idiota da face da Terra, e qualquer pessoa em meu lugar concordaria comigo por acreditar nele mais uma vez, mas o que eu poderia fazer se o seu beijo era o único que eu queria?Ele era o único porto seguro que eu tinha, e a única pessoa que eu queria, a pessoa que conseguia me fazer esquecer dos meus problemas nem que por apenas um instante. 

Não sei quanto tempo ficamos ali trocando beijos e declarações. 

—Thalia-ele se afastou rapidamente como estivesse lembrado de algo. 

—Diga

—Qual o problema da Annabeth? 

—Por que você quer saber? -ele segurou uma de minhas mãos, e me olhou com doçura. 

—Eu sei o quanto a Annabeth lhe ajudou, esteve com você, no período em que eu havia lhe abandonado-ele baixou os olhos para nossas mãos entrelaçadas e voltou a me encarar-Eu quero deixar de vez essa briga com ela, começar do começo sabe, o que você acha. 

Assenti feliz, nada seria melhor do que minha amiga e meu "não sei o que" amigos, muito irreal.

—Acho incrível-passei as mãos no cabelo, Annabeth me pediu sigilo, mas que mal faria?afinal nico prometeu ajudar-Não conte para ninguém. 

Ele assentiu freneticamente. 

—Uma aposta-murmurei

—Como assim?

Olhei em volta com medo de alguém ouvir, abaixei o tom.

—Não sei te explicar, mas é algo sobre conquistar um cara do 2° ano um Nerd na verdade 

Ele me olhou como se eu fosse louca. 

—E por ela faria isso? 

Dei de ombro

—Parece que se ela não fizer, a vida social dela vai pro lixo algo sobre humilhação pública, não entendi muito bem. 

Ele assentiu com uma expressão estranha.

—Que isso não saia daqui-o olhei desesperada, ele assentiu com um meio sorriso. 

Ele passou um braço sobre meus ombros, em um meio abraço, mas continuei inquieta

—O que foi Lia, não confia em mim? 

Não respondi e ele entendeu, e encarou seus pés.

—Desculpe- me cedo demais, certo?-assenti e quando ele ia se aproximar para roubar outro beijo, uma voz nos fez se afastar subtamente. 

—Thalia?-Juniper chegou arfando, e nos olhou com uma sobrancelha arqueada,lhe mandei um olhar do tipo "depois te explico" e ela assentiu. 

—Porque você cheg...-me interrompi olhando em volta me dando conta de alguma coisa-Cade a annabeth?

—E sobre isso que eu vim falar, aconteceu uma coisa-ela se interrompeu.

Me levantei depressa aflita. 

—Então fala o que houve?-praticamente gritei. 

—Thalia se acalma, esta assustando a menina-o ignorei e senti meu sangue ferver, segurei Juniper pelo ombros ignorando todos as minha volta. 

—Cadê.a.Annabeth-falei pausadamente. 

Juniper me olhou assustada

—E-ela tava na aau-la de natação-falou gaguejando.

Soltei seus ombros.

—Annabeth não sabe nadar. 

—E eu sei, eacredito que metade da escola agora sabe.

A olhei sem entender. 

—Do que está falando?

Seus olhos verdes me encararam com um misto de tristeza e desespero. 

—Ela caiu Thalia, não sei como-passou as mãos no cabelo nervosa-Eu estava lá, e ela disse que ia tentar nadar, eu disse que era melhor esperar o professor chegar, só que ela é muito teimosa, e quando ela se aproximou da piscina escorregou na borda, e simplesmente caiu. ..


Notas Finais


Thalico é o meu OTP em universo alternativo, simplesmente amo esse dois,por isso o capítulo ficou maior que o costume...haha 💙
Estou um pouco sem tempo,por isso ainda não respondi os comentários do capítulo passado,assim que eu tiver um tempinho eu respondo, beijos até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...