História Meu noivo está morto! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Chanbaek, Chansoo, Satansoo!au
Visualizações 127
Palavras 1.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu sei que tenho algumas fanfics em andamento, mas a semanas eu estou com esse plot na cabeça e só hoje consegui coloca-lo em prática
Deem muito amor a esse dyo satanico
Desculpe se tiver qualquer erro
boa leitura >.<

Capítulo 1 - Satanismo do Satansoo


O relógio marcava três horas da madrugada. As ruas estavam desertas e a lua pairava no céu escuro. Todos estavam dormindo, no entanto sempre havia aquele grupo de pessoas que não importasse a hora, estavam acordados nem que seja quase quatro da madrugada.

Kyungsoo era um daqueles que estava acordado, junto com seu atual noivo Park Chanyeol que reclamava toda hora de sono. Por mais que estivessem cansados ainda teriam que terminar o ritual naquele dia, afinal Chanyeol e Kyungsoo estavam a meses programando seu casamento, mas precisariam saber se os espíritos estavam felizes com essa união.

O maior não acreditava muito nessas coisas, porém Kyungsoo acreditava. Então ele era praticamente obrigado a acreditar também. Abraçava a si mesmo, na tentativa falha de se proteger do frio que fazia ali. O moreno mais baixo parecia concentrado nas palavras estranhas que o chefe daquela reunião dizia, e ainda mais concentrado no movimento que a mão do homem encapuzado fazia. Chanyeol tentava segurar alguns risos baixinhos por achar engraçado algumas palavras que tinham duplo sentido nas línguas que sabia.

Durou alguns minutos naquilo. O chefe da reunião dizia coisas estranhas, Kyungsoo prestava atenção tentando decifrar o que ele conversava com os espíritos, e Chanyeol continha suas risadas escandalosas. Até que sem avisar o homem parou tudo, colocando o livro que estava em suas mãos na mesa e suspirando alto.

— E então?— perguntou o moreno mais baixo se aproximando.

— Não tenho noticias boas...

— Você nunca tem— Chanyeol disse, mas logo foi repreendido pelo mais baixo.

— O que os espíritos disseram dessa vez?

O homem suspirou antes de continuar explicando.

— Disseram que Chanyeol não pode se casar com você porque a alma dele está comprometida a outro.

Kyungsoo ficou pensativo por um momento, aquilo com certeza só poderia significar uma coisa. Por sorte havia estudado muito os dias passados sobre crenças de almas gêmeas. Isso apenas significava que na vida passada Chanyeol fora casado, no entanto o seu esposo fora brutalmente arrancado de si e ainda havia alguns assuntos pendentes para tratar. Mesmo que os dois ignorassem esse aviso ainda sim esse espírito maligno iria se vingar de ambos, transformando o casamento que deveria ser perfeito em algo arruinado que poderia levar ao divórcio ou até mesmo o assassinato de alguém.

— Como resolvemos isso?— perguntou, já temendo o pior.

— Vocês terão que ressuscitá-lo, para então pedir o divórcio de Chanyeol.

O moreno mais baixo suspirou um pouco aliviado, não parecia algo completamente difícil de fazer. Nos livros que estudou o método mais rápido e eficaz era cortar uma parte do corpo e entrega-lo de oferenda ao espírito em troca de paz.

— Qual o nome dele?

— Byun Baekhyun.

 

Alguns dias se passaram, para que Kyungsoo conseguisse tudo necessário para fazer a ressuscitação do individuo. Chanyeol aproveitou o tempo para tentar convencer o menor a esquecer de tudo aquilo, porém parecia que esse estava mesmo decidido a fazer um ritual para reanimar o ex-noivo do maior.

O relógio estava marcando 23h55min quando Kyungsoo começou a fazer o ritual, depois de muitas pesquisas para saber onde o tal Baekhyun estava enterrado. Chanyeol apenas observava tudo de longe, sentado em uma das lapides que havia ali perto.

A cova estava rodeada com velas, o menor estava em pé com um livro que parecia que ia se desfazer em seus dedos de tão antigo. Lia algumas palavras em latim, o qual havia estudado para não vacilar no sotaque difícil. Apenas parte de seu corpo era iluminado pelas velas, mostrando as roupas negras que o mais baixo sempre gostara de usar.

Na metade da leitura começou um vento forte, apagando algumas velas, no entanto Kyungsoo continuou lendo em voz alta. Chanyeol se encolheu no casaco que usava. Desviou seu olhar por um momento, fitando os próprios pés que estavam escondidos em um coturno sujo de lama. Tentava ao menos pedir para os Deuses –que Kyungsoo não descubra amém- para que aquilo não desse certo, para então poder obrigar o menor a seguir uma crença mais “normal”.

Claro que quando começou a namorar o baixinho estava ciente que ele gostava e acreditava naquele tipo de coisa, no entanto esperava que esse mudasse com o passar do tempo e não que levaria o maior a começar a acreditar em tudo que ouvia naquele quarto fechado.

Chanyeol brincava com seus próprios dedos, porém logo percebeu o vento se cessar rapidamente. Levantou seu olhar. Kyungsoo estava imóvel, todas as velas estavam apagadas.

— Eu devo ter lido algo errado— dizia o menor enquanto folheava o livro rapidamente.

Era nessa hora que o maior sabia que deveria consola-lo por causa do plano falho. Aproximou-se lentamente, tocando o rosto gelado do moreno com as pontas dos dedos.

— Soo, não fica assim, você leu tudo certo, se não funcionou quer dizer que isso é... Impossível— sussurrou a ultima palavra.

O menor olhava assustado para seu noivo. Agora estava realmente perdido, não sabia como iria fazer para aquele relacionamento dar certo se os espíritos disseram que não o deixariam em paz enquanto não assinar o maldito divórcio. Suspirou fundo, abaixando sua cabeça.

— Vamos para casa— Chanyeol disse, abrigando o corpo pequeno entre seus braços.

No entanto algo inusitado aconteceu. Uma voz doce soou por todo o cemitério chamando o nome de Chanyeol de modo sereno e ao mesmo tempo surpreso. Ambos viraram seus rostos em direção à voz, e logo puderam captar a imagem de um garoto baixo todo sujo de lama andando em direção ao casal. Suas roupas estavam rasgadas, mas ainda dava para perceber o modelo antigo que deveriam ser. O rosto delicado era coberto pela sujeira da terra, assim como seus cabelos que estavam bagunçados.

Em um instinto Chanyeol colocou o menor atrás de si, como se estivesse o protegendo, mesmo que estivesse mais assustado que o outro.

— Quem é você?— perguntou um tanto vacilante.

Ao contrário do que pensava, Chanyeol pode ver com a ajuda da luz da lua os olhos do garoto se encherem de lágrimas e algumas escorrerem pelas suas bochechas, limpando as mesmas da sujeira.

— V-você não me reconhece amor?— perguntou, tampando os lábios que tremiam— Sou eu, Byun Baekhyun— tirou a mão de frente do rosto apenas para mostrar o sorriso que pairava nos lábios finos— seu esposo.


Notas Finais


chany não lembra do baek, tadinho T3T
primeiro cap sempre pequeno mesmo, mas nos próximos tentarei fazer maior
kiss de frango-frito~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...