História Meu Padrasto — Imagine Min Yoongi - Capítulo 52


Escrita por: ~

Visualizações 2.236
Palavras 1.574
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Incesto
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLÁÁ. <3

Não fiz o banner ainda, por isso vai essa foto mesmo.

Segurem os corações!!!!

Capítulo 52 - Suposto Casal


Fanfic / Fanfiction Meu Padrasto — Imagine Min Yoongi - Capítulo 52 - Suposto Casal

Não sei o que pensar e mal consigo respirar. Taehyung está assustado, assim como eu. Ele apareceu depois de dezenove anos? Isso parece brincadeira. Olho para o homem que diz ser o meu pai e pego a mão do Kim, o puxando em direção do carro.

— (S/N), volte aqui! — Escuto a voz rouca do mais velho e reviro os olhos. V continua com os olhos arregalados.

— Voltar aí? — Rio sarcástica. — Vai querer me mandar depois de dezenove anos? Você não é o meu pai!

— Sou o seu pai sim! — Esbraveja, se aproximando.

— Cara, deixa ela em paz. — Taehyung me defende e abre a porta do carro para mim. Eu só quero abraçar o Yoongi bem forte.

— Filha…

— Filha?! — O encaro incrédula. Adentro o veículo. — Jamais me chame assim novamente. — Digo ríspida.

— Por favor, vamos conversar. — Namjoon se aproxima e abaixa o corpo, me encarando.

— Não temos nada para conversar! — Falo com raiva. — Vamos, Tae.

O castanho assente e dá partida no carro, levando-me para a casa do Yoonie. Meus olhos ardem e logo sinto as lágrimas molhando o meu rosto. Taehyung me olha preocupado e pega um lenço, o estendendo para mim.

— Vai ficar tudo bem, princesa. — Ele sorri fraco. — Não fique assim, detesto te ver chorando.

— Eu vou ficar bem, Tae. — Sorrio sem graça. — Desculpe fazer você passar por isso…

— Não, nada disso (S/A). — Acaricia a minha bochecha. — Amigos são para essas coisas, sim?

— Obrigada. — Sussurro e o maior acelera o carro.

Alguns minutos depois chegamos na casa do Yoongi. Limpo as minhas bochechas e encaro o Kim.

— Nos vemos depois, Tae. — Beijo a sua bochecha.

Suga aparece na calçada, sem camisa e com o cabelo bagunçado. V acena e arranca com o veículo. Yoonie me encara confuso e eu o abraço, o mais velho me aperta e não me questiona, apenas nos guia para dentro de sua casa. Fecha a porta e afasta o meu cabelo, beijando todo o meu rosto.

— O que foi, Jagi? — Quebra o silêncio, me olhando curioso e preocupado.

— Meu pai, Yoonie. — Choramingo e o pálido arregala os olhos.

— Seu pai? — Franze o cenho. — Vem, sente aqui.

Sento no sofá e o Min vai até a cozinha e me entrega um copo de água com açúcar.

— Respira… — Ele beija a minha testa e coloca o copo sobre a mesinha.

Faço como diz e respiro fundo.

— Meu pai voltou… — Abaixo a cabeça.

— Não acredito! — Yoongi cerra os punhos nervoso. — Esse canalha voltou pra que?

— Eu não sei. — Deito em seu colo e o moreno acaricia o meu cabelo.

— Aonde você viu ele? — Indaga me encarando.

— O Tae e eu fomos no Shopping. Amor, lembra daquele homem misterioso? — Mordo o lábio.

— Que eu mandei dedo? — Yoonie ri baixinho.

— Sim. — Solto um suspiro. — Ele é o meu pai.

— Nossa! — Suga exclama um pouco confuso.

— Eu não sei o que fazer, Oppa. — Choramingo. — Depois de dezenove anos ele volta e me chama de filha…

— Não fique assim, Jagi. — Beija a minha testa. — Hoje nós iremos sair, você e eu.

— Ah, Yoonie. — Digo manhosa.

— Ou você não quer, minha manhosa?

— Quero. — Sorrio.

— Não chore por esse que diz ser o seu pai.

— Uhum.

— Talvez ele até tenha os seus motivos... Mas depois de dezenove anos? Tsc!

— Eu te amo, Yoongi-Ah! — Puxo o seu rosto, o maior reclama.

— Eu também te amo, minha linda. — Sela nossos lábios.

(…)

Me encontro de frente o espelho, fazendo a minha maquiagem. Uso um vestido preto justo, salto plataforma no tom dourado e brincos grandes. Com cuidado finalizo o meu delineado e passo um batom vermelho destacando o meu rosto. Suga já está na sala, devidamente lindo. Pego o meu celular e a minha carteira.

Assim que cruzo o corredor, os olhos do pálido me fitam inteira. Desde os pés até a minha face. O Min levanta-se e estende a mão para mim, gentilmente faz com que eu dê uma voltinha. Rio e ele beija a minha bochecha.

— Vou ter que matar vários caras hoje. — Diz emburrado. Um biquinho molda os seus lábios.

— Digo o mesmo, Oppa. — Rio entrelaçando nossos dedos. — Vamos?

— Vamos. — O safado dá um tapa em meu bumbum.

— Idiota. — Resmungo.

Como um cavalheiro, abre a porta para mim e dá a volta no veículo. Yoongi me olha sorrindo e liga o carro, mal consigo acreditar que estamos saindo juntos pela primeira vez como um casal. Decidimos que iríamos a uma boate e depois, passaríamos à noite fora, bebendo ou algum outro lugar. Suga fuzila todos os homens que me olham e aperta a minha cintura, indicando que sou somente dele.

O segurança da boate oferece para por a minha pulseira e o meu amor nega, a colocando em mim com uma carranca. Seguro o riso e adentramos o local, cheio de jovens, casais e afins. Olho em volta e não reconheço ninguém, o ambiente é agradável e uma música eletrônica ecoa por meus ouvidos.

— Nada de olhar para ninguém. — Diz possessivo.

— Tudo bem. — Seguro o riso outra vez e o mais velho bufa. — Oppa, vamos comprar as nossas bebidas?

— Vamos. — Pronuncia com uma carranca enorme. Yoonie me puxa até o bar e pede dois sucos acompanhados por vodka.

— Para de agir assim, Yoongi. — Peço em seu ouvido por causa da música alta.

— Agir como? — Olha em volta e fuzila quase todos os garotos da minha idade.

— Como se eu fosse uma mercadoria. — Digo magoada e solto a sua mão, dando um longo gole em minha bebida.

— Você sabe que sou inseguro em relação a isso. — Diz baixo, desviando o olhar. Quase não consigo ouvir a sua voz.

— Vamos nos divertir? Esqueça as pessoas a nossa volta, Oppa. — Dou-lhe um selinho. — Quantas vezes preciso dizer que sou só sua? Hum?

— Você tem razão. — Bebe de seu copo. — Me perdoe, Jagi.

— Vem, eu quero dançar com você. — Grito sapeca e o pálido ri.

O puxo em direção da pista de dança e o Min cola os nossos corpos. Sua respiração quente deixa-me atordoada. Ergo o meu copo e ele me olha sorrindo. Suas orbes devoram-me inteira. Rebolo em sua frente e mordo os lábios, Yoongi puxa os seus fios de sua nuca, sinal de que está nervoso.

— Vem, Oppa. — Estendo a mão. Colocamos os nossos copos sobre a mesinha do bistrô e uma música de batida sexy ecoa pela boate.

Em um movimento rápido, Suga me gira prendendo o meu corpo no seu e roçando seu pênis em mim. Ofego e mexo o meu quadril, instigando-o. Sinto suas mãos em minha cintura apertando-a com força e empino o corpo, ouço ele gemer e me puxar novamente. Viro-me para o moreno e beijo-lhe. Yoonie desliza suas mãos por meu corpo, como se estivesse desenhando-o.

Mordo o seu lábio inferior e quebro o ósculo assim que a falta de ar se faz presente. Sorrimos um para o outro e limpo a sua boca que está suja de batom. Ele entrelaça nossos dedos e bebe de seu copo. Suga está pensativo e me encara como nunca, sinto-me envergonhada e desvio o olhar.

— Eu não poderia namorar uma garota mais bonita. — Diz incrivelmente rouco em meu ouvido. — Mais gostosa… — Aperta a minha bunda e mordo a boca. — Mais perfeita do que você.

— Quer me deixar envergonhada? — Rio fraco e aperto a sua mão.

— Lembra quando eu disse que iria colocar uma aliança na sua mão? — Arregalo os olhos minimamente e um arrepio circula todo o meu corpo.

— Lembro. — Ofego.

— Eu não esqueci... — Yoongi me dá um beijo cálido, atraindo diversos olhares.

— Yoonie. — Choramingo.

— Eu quero me casar com você. — Ele sorri. — Quero te ver vestida de noiva…

— As pessoas estão olhando. — Tampo o rosto envergonhada.

— Não me importo. — Suas mãos me puxam para perto, nossas bocas estão a centímetros. — (S/N), sei que você espera que eu faça o pedido em um lugar romântico... — Ele tira do bolso uma caixinha azul. — E que estava esperando o pedido de namoro. — Meus olhos ardem a cada palavra. A música para e Kiss Me do Ed Sheeran começa a tocar.

— Yoongi…

— Mas você sabe que eu sou diferente. — O pálido ajoelha em minha frente. — A caixinha nem é vermelha. — Algumas pessoas riem, eu também. — Ela é diferente, por isso eu estou perdidamente apaixonado por essa garota e que é minha aluna na faculdade. — Algumas lágrimas molham o meu rosto. — Você quer se casar comigo?

Muitos gritam "aceita" e outros olham a cena abobados. 

— E-Eu aceito. — Sorrio apaixonada, estendendo a minha mão.

— Eu te amo. — Diz sorrindo e me abraça.

— Eu também, Oppa. — Limpo as minhas lágrimas.

As pessoas aplaudem e coloco a aliança no dedo do meu amor. Noivos. Nós estamos noivos. As pessoas voltam a dançar e beber normalmente e meus olhos recaem sobre um casal que estão quase se engolindo em um canto mais afastado. Perco o ar e me apoio no Suga para não cair.

— Princesa? — Seus olhos negros me encaram. — Amor?

— Lá. — Aponto para o casal e o meu noivo olha. Dessa vez é ele quem se apóia em mim.

Jimin e July estão aos beijos.


Notas Finais


VRAU!

https://spiritfanfics.com/historia/security-jackson-wang-10295582 (ShortFic com o Jackson da Got7)

https://spiritfanfics.com/historia/verdade-ou-consequencia-10340852 (3Shot com o Namjoon)

Sigam o meu perfil: @rabetania ^^

Até sábado que vem! :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...