História Meu pé de amora - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Citrus
Tags Yuri
Exibições 23
Palavras 2.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Festa, Ficção, Hentai, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Transsexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu resolvi fazer algumas mudanças na fanfic, espero que gostem.

Capítulo 4 - Nae geumbal - Minha loira


Fanfic / Fanfiction Meu pé de amora - Capítulo 4 - Nae geumbal - Minha loira

1° fevereiro, na quarta-feira

IREI ESCREVER COM MUITA DIFICULDADE ESTE CAPÍTULO EM 3° PESSOA <3 Por favor me digam a preferencia de vocês pra eu poder melhorar a fanfic

Era uma quarta-feira normal para todos na escola, bastante matéria como sempre, todos tinham dificuldade. Menos Kitty, aquela loira baixa sempre foi esforçada, nunca ligou para a opinião dos outros apenas dela mesma. Sua cerejinha a visitou como prometeu no dia anterior, elas conversavam como se nunca tivessem se separado.

Depois de voltar para casa na segunda e melhorar milagrosamente, sua rotina voltava ao normal. Ela sentava em uma cadeira distante de Jam, e esta estava ao lado de Rock, conversando sobre as férias. Era horário de aula, mas o professor não havia chego. A morena estava entediada enquanto a outra tagarelava em seu ouvido os melhor Mv’s que tinha visto em sua vida.

-Twice é tão fofinho! - Dizia alegremente Jam enquanto Rock tentava ler seu novo livro - Você precisa ver sem pausar -

- Talvez se você calasse a boca eu poderia tentar ler.

- Porque tá sendo tão grossa comigo? - A pequena Coreana abaixou a cabeça triste - Eu ainda tô preocupada com a Kitty, a gente nem conversou depois que ela saiu do hospital.

-Pouco me importa, Jam. Você acha mesmo que eu não sei que ontem você saiu da sua casa à noite para ver ela?

-Ora ora temos aqui um Sherlock Holmes.

-Qualé Jam. Você precisa se concentrar nos estudos antes que repita de ano pela “Kite”. - Rock se levanta e vai se sentar com Fran, Jam franzi a testa e observa Kitty, que estava sentada com Margot e Leila.

Se lembra da noite passada, quando entrou no quarto da sua amora e ela estava completamente despida, corou quando se recordou disso. Do outro lado da sala Kitty também pensava nisso, a cerejinha lhe pegou de surpresa, mas não deixou estragar sua noite. Ela colocou uma camiseta bem larga e abraçou Jam, sendo um pouco mais baixa Amora levantou seu rosto e deram seu primeiro beijo, depois disso deitaram na cama da loira dormindo juntas outra vez.

Ainda na sala Kitty estava pensativa já havia batido o sinal da terceira aula, Química, seu ponto fraco. Observou que nenhum professor havia entrado na sala, todos conversavam ela levantou e Fran apareceu de repente abraçou seu corpo por trás.

-Que susto, seu retardado.

-É assim que você me trata? - Fran sorriu malicioso olhando brevemente para seus seios

-Seu tarado… - Kitty lhe deu um tapa na cara e gritou - Será que você não entende que a gente nunca teve nada? - Fran se distanciou com os olhos marejados - EU NÃO POSSO TE AMAR FRAN, NEM VOCÊ NEM NINGUÉM PODE ME FORÇAR - Kitty prendeu seu cabelo e saiu da sala. Ela ainda podia sentir a queimação dentro de si e aquilo estava a matando. Era como se vivesse em um inferno mental e físico, seu corpo não obedecia suas ordens e sua mente se sentia fraca. Jam foi atrás dela, a pequena segurou sua mão dizendo:

-Você ta bem?

- Não quero falar sobre isso

-Não é a questão de querer, você precisa Amora.

-Eu não vou ter tempo de contar agora, quero que você e a Rock durmam na minha casa - Jam olhou desconfiada mas assentiu com a cabeça, nesse momento, um homem desconhecido mais velho se aproximou delas.

-S-senpai Chan… - A Coreana olhou fixamente para o cara alisando seu rosto fino e mexendo em seu cabelo parcialmente molhado, ele a olhou com um olhar arrogante mas logo voltou seu olhar diferente para Kitty. -

-Volte pra sala Jam, e você loira - O rapaz segurou na mão da maior - vem comigo precisamos conversar.

A menor olhou para Kitty assustada e foi embora, ela estava curiosa sobre o que ele queria com sua Amora. Seus pensamentos foram embora quando entrou na sala e todos estavam concentrados na aula de Literatura, a professora riu de canto e a mandou sentar em sua cadeira. Rock olhou para a coreana preocupada, tentando entender o que estava acontecendo.

Do outro lado da escola Kitty acompanhava quieta e calma o cara que havia lhe chamado, sua expressão estava séria e sua tontura voltava pouco a pouco.

-O que você tem, baixinha?

-Oppa… O que quer falar comigo?

-Apenas assuntos referentes à escola, nae geumbal.

-Tem alguma coisa de diferente na matrícula?

-Não. - Tirando um molho de chaves no bolso, o cara abriu a porta sem muito esforço e fez Kitty entrar, as mãos da loira suavam muito, ela não queria o seguir pois estava com um pressentimento ruim sobre ele - Não tenha medo, eu não vou te machucar, garotinha. - Dizendo isso ele a empurrou para dentro e trancou a porta. - Sente-se, o assunto é meio longo.

- Para que esse suspense? Por favor, me deixe sair…- Kitty estava com medo, suando frio e tremendo. -

-Me faz o favor de calar a boca, só estou prevenindo que alguém entre durante nosso diálogo - Ele entregou um copo de água nas mãos de Kitty e sentou em uma cadeira confortável do seu lado- É um assunto muito sério e que talvez eu não seja a melhor pessoa pra contar.

-Se você demorar mais um pouco, eu vou gritar. E acredite, você não vai sair vivo se eu gritar.- Bufou a loira, soltando seus longos cabelos

-Eu sou um caça talentos Kitty, meu nome é Sook, eu conhecia sua mãe e ela era famosíssima por minha conta. - Ele abriu um sorriso -

-Eu não sabia disso, eu não sei muita coisa sobre a vida dela, apenas a aparência física.

-Sua mãe era dona de umas melhores vozes, talvez do mundo todo. Tinha uma agenda corrida e uma fama incrível, podre de rica e encantava todo mundo, ela deu uma pausa na carreira quando soube que estava grávida e… Doente. - Kitty lhe interrompeu e deixou o copo de água em cima da mesa de escritório.

-Porque está me contando isso? - Seu humor havia mudado para nervoso e sua coragem ressurgiu -

-Kitty, se a voz dela era maravilhosa a sua deve ser igual ou melhor. - Suspirou ele e continuou - Posso te fazer a adolescente mais rica do mundo se você assinar um contrato com a minha gravadora.

-Isso tem um porém, não tem?

-Claro que sim, você acha mesmo que só minha empresa está atras de você? Eles te procuram faz anos, mas, eu sabia exatamente onde você estava. - A loira levantou rapidamente da cadeira -

-Me diz logo qual é o porém

-Você precisa manter sigilo e só sair da cidade ou de casa se for no carro da gravadora, deve manter poucas amizades e diminuir sua popularidade, em troca você terá tudo o que quer como por exemplo: jóias, roupas, dinheiro...

-Eu não quero dinheiro. Já tenho tudo o que eu preciso aqui. - Sook deu uma risada de sarcasmo e mexeu seu cabelo sedoso -Minha querida, se eu sozinho achei você. Imagina o progresso deles.

-Deles quem? - Kitty tentava manter sua expressão séria e brava, mas não conseguia se concentrar somente em suas palavras -

-Byakugan, Nossa concorrente. - Ele sorriu e se ajeitou novamente seu cabelo- A diferença deles para a gente é que nós queremos te proteger, Kitty. Sua tia tinha muita inveja da sua mãe e fazia de tudo para ver seu fim, ela se juntou a uma empregada fiel da casa e deram um fim na Ellie. - Os dois já estavam sérios -

-Mas minha mãe não estava doente quando morreu?

-Não é “doente” o termo correto.

-Que… Tragédia. - Os olhos de Kitty ficaram marejados com o que ele dizia. - Eu preciso de tempo pra pensar em tudo isso, Sook, por favor entenda.

-Entendo perfeitamente Kitty, eu não sou tão velho quanto você pensa, só alguns 13 anos mais velho. - Sorriu e segurou na mão da menor - Você não está sozinha, nae geumbal.

-”Só 13 anos” Bem pouco pra tanta beleza -Ele riu novamente, a loira percebeu que ele segurava a mão dele e corou -

O que Amora estava sentindo por ele, nunca havia sentido por mais ninguém, ela adora seus olhos verdes ofuscante e seu sorriso. Sua voz parecia sair perfeitamente dos seus lindos lábios, existia um enorme clima no pequeno escritório era como se estivesse presa em um universo onde só existiam os dois, e ela nunca mais quisesse sair de lá. O sentimento dela era recíproco, ele adorou cada segundo em que ela estava brava e com medo, ele precisava a tomar para sempre.

Sook soltou de suas mãos lentamente e alisou a perna de Kitty, ela abriu lentamente as pernas, estava encantada por ele era como se estivessem totalmente em transe. O mais velho levantou-se da cadeira e chegou mais perto da Menor, se aproximou de sua saia enquanto ela apalpava seu rosto liso, Sook tocou com seus dedos a sua intimidade, Amora deixou escapar um gemido baixo e lento. Isso quase enlouqueceu o empresário, ele tocou lentamente seus lábios e a beijou, foi um beijo lento e aquecido durante longos minutos. Estavam quase indo mais longe quando Alguém bateu na porta algumas vezes na porta grande de madeira. Os dois pararam se encarando, o empresário arrumou o cabelo, e Kitty ajeitou sua saia e ele abriu a porta. Era apenas uma faxineira, perguntando se podia limpar a sala mais tarde, Sook permitiu e logo depois que ela foi embora trancou a porta novamente. Suspirou ao ver seu membro duro dentro da calça e olhou para a mais baixa.

-O que acabou de acontecer? - Kitty sentou na cadeira colocando as mãos no joelho e encarou os olhos cinzas e grandes de Sook -

-Era só a faxineira, não se preocupe - ele piscou para a menor, e disfarçou sua ereção colocando as mãos na frente

-Não estou falando disso, eu tô falando de nós. -Ela abaixou a cabeça com as bochechas coradas

-Eu… - ele colocou as mãos no rosto e depois coçou a nuca - Me desculpe fiz sem pensar, Não entendi realmente o que acabou de acontecer mas eu prefiro não continuar.

-Sook… - O empresário a interrompeu

-É melhor você ir embora. Pense no contrato e me ligue se puder - Sook entregou o papel do contrato e levantou a menor.

Kitty não respondeu, apenas pegou o papel e saiu do pequeno cômodo. Leu a primeira cláusula e parou, ela sabia que precisava falar com seu pai, ele era a pessoa mais próxima de sua mãe, então como deixou tudo aquilo acontecer com ela? A loira entrou na sala de aula faltando menos de meia hora pra hora da saída, Jam se aproximou de sua Amora e perguntou:

-O que ele queria?

-Não quero falar sobre isso, Jam.

- Você ficou mais de uma hora conversando com aquele cara e não vai me dizer nada?

-Eu deveria? - Kitty bufou e começou a se irritar com a voz da menor - Será que dá pra gente conversar sobre isso depois?

-Claro… - Jam abaixou a cabeça novamente. Ela estava tendo um dia muito difícil - Rock disse que vai poder ir na sua casa, a gente pode ir às 5 horas, né?

-Sim, por favor venham antes do anoitecer. - Jam se distanciou de Amora e foi conversar com Leila.

25 minutos depois acaba a aula, Kitty ainda está na sala de aula arrumando seu material enquanto se lembra de tudo que Sook disse, lembra quando ele toca sua intimidade e isso a deixa molhada, a loira está muito confusa por saber que não pode contar para ninguém, ela queria muito ter ido até o fim, e aparentemente havia se esquecido de Jam. Rock se aproxima dela e diz:

-Se importa de me emprestar algumas roupas?

-Claro que não, eu tenho muitas - Kitty sorri e depois fecha a cara, a morena sabe que nada está bem com Amora

-Você se recuperou da recaída não é mesmo?

-Sim, Sim. - A loira já não está prestando atenção em Rock, ela só quer ir pra casa então levanta da cadeira e as duas saem por último da sala.

Kitty chega em casa e liga várias vezes para Sook mas ele não a atende, o desespero toma conta dela. Ela corre até a sala de escritório do pai que fica no sótão da casa e chama por seu pai.

-O que foi Amora? - ele a abraça

-Porque nunca contou sobre a mamãe?

-Não gosto de falar sobre isso.

-Por favor eu não posso mais viver com toda essa dúvida. Sobre Byakugan e outras empresas - Ele a olha surpreso

-Quando for a hora você saberá - Kitty já esperava a resposta, então preferiu deixar pra lá

-Posso trazer algumas amigas pra dormir aqui?

-Pode, claro. - Kitty se afastou do pai e o agradeceu

A loira preparou e organizou todo o quarto para que as meninas durmam bem e confortável, pediu para os cozinheiros prepararem quitutes para comer a noite e esperou ansiosa a chegada delas, e finalmente deu 5 horas da tarde.

-Eu vou poder entrar no quarto para te dar boa noite? - Mary interrompeu os pensamentos de Kitty

-Não precisa, obrigada.

-Está tudo bem querida?

-Sim - Mentiu ela, estava com uma terrível dor no corpo - Eu acho que são elas

Kitty avistou as duas e elas entraram no enorme casarão impressionadas com tudo o que viam, a loira apresentou todos os cômodos. Depois disso viram um longo filme em preto e branco, já eram quase 20horas e as três começam a conversar

-Ja pensaram no que vão fazer depois do ensino superior? - Rock perguntou enquanto comia alguns salgadinhos -

-Não fala de boca cheia, sua nojenta - Jam rouba o salgadinhos da mão da morena - Quero ser Jardineira e seguir o rumo da minha Avó que tinha uma estufa enorme.

-Eu adoraria fazer arquitetura ou ser dançarina.

-Tipo de boate? - A Coreana sorriu - Dança pra mim.

-E você, Kitty? O que quer fazer? - As duas encararam a Amora que estava quieta até aquele minuto.

-Eu ainda não sei, tô morrendo de sono.

-Mas já …? Você nem falou sobre aquele cara. - Jam respondeu

Kitty cruzou os braços e contou sobre a parte do contrato, o passado da sua mãe, mas nada sobre ela e o empresário. Não era o momento certo pra isso e ela tinha medo da reação das duas. Ela contou que estava tomando remédio pra dor e para dormir. No fim, a loira acabou dormindo e apenas Jam e Rock estavam acordadas.

-Você tá com sono né? - Jam perguntou e sentou na cama da morena

-Nem um pouco, só tô com fome - Nisso ela pegou algumas bolachas da própria mala

-Rock… Eu preciso…

Jam beija loucamente Rock, ela precisava daquele momento, estava sedenta por isso

-Cereja, aqui não! - A morena disse indo para atrás

-Por favor… ela não vai acordar e eu prometo ficar quietinha.

-Ah sua…

Rock desabotoou a camiseta branca de Jam, beijou seu pescoço devagar deixando a Coreana ainda mais sedenta. A morena apalpou seus seios e chupou lentamente o esquerdo enquanto segurava o outro, apertou fortemente a bunda da mais nova e a fez gemer seu nome. Jam deitou seu corpo no colchão enquanto a outra retirava seu short curto, percebeu sua umidade entre as pernas, Rock mordeu levemente e a chupou sem parar para respirar, não demorou pouco minutos e a cereja contendo seus gemidos já tinha chego no ponto X da relação. As duas ja estão cansadas é quase 10 horas então elas dormem.

Do outro lado da porta estava Mary, observando tudo sem deixar de tirar o registo fotográfico daquelas cenas


Notas Finais


Não me matem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...