História Meu Pecado Carnal. - Capítulo 19


Escrita por: ~ e ~always_you

Postado
Categorias One Direction
Personagens Liam Payne
Tags Filha, Pai
Visualizações 93
Palavras 2.095
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Arrependimento.


Meu Pecado Carnal

Título do Capítulo: Arrependimento.

Isis Smith - Point Of View.

O manso sol já era transpassado pela cortina bege, incomodando-me fazendo com que despertasse lentamente. Meus olhos foram abertos preguiçosamente, logo se acostumando com a claridade, ergo meus braços, espreguiçando-me de maneira manhosa.
  Uma música suave fora ouvida de longe, aumentando ao decorrer do toque, logo reconheci sendo o toque do meu celular, de supetão, ergo da cama espaçosa, de imediato sentindo um leve desconforto no meio das minhas pernas e como uma enorme enxurrada, um claro e perturbador flashback atingiu minha mente sobre a noite passada, uma mera miragem virou realidade quando observei meu corpo nú e o quarto, qual eu havia passado a noite.
   Enrolada a um lençol, vasculhei toda cobertura atrás dele, não o encontrando. Sentei sob o chão incrédula, olhando o tanto de chamadas perdidas da mamãe e de Zayn, mas nada dele.
  Apenas mais uma! Sim, apenas mais uma fui para Liam e ainda, acreditei na hipótese, que ele passaria a me amar, depois de ter arruinado sua vida. Tola.
  Uma lágrima escorreu pela minha face, amaldiçoando-me desde o primeiro pensamente impuro, até o ato. Usada e descartada! Eu, com todas as minhas forças, odiava Liam Payne.
  Sequei minhas lágrimas rapidamente, levantando do chão frio, catei minhas roupas jogadas, me vestindo em seguida. Mais rápido possível, sai daquele local, me sentindo desvastada e suja, aos poucos a ficha caia, o que me fazia sentir pior. O primeiro ônibus passara, peguei-o sem pensar duas vezes, sentada no último banco, observei a paisagem ensolarada, jovens conversando, pais com seus filhos e um casal, comprando sorvete. Tão felizes... Poderia eu está, se não fosse tão desumana.
  Não trai apenas Zayn, assim como minha mãe, ela poderia ter inúmeros defeitos, mas esteve ao meu lado desde que eu era um feto rejeitado e eu, por minha vez, sempre a deixei decepcionada, não satisfeita, fui capaz de transar com o homem, que além de tudo, fora meu pai, o homem que minha mãe ama.
   Desci daquele ônibus, automatimente o portão da minha casa se abriu, um sorriso forçado dei ao segurança ao ultrapassar.
  _ Bom dia. - E por um fio de voz, cumprimentei-o.
  Me locomovi para dentro daquela mansão de maneira arrastada, encontrando um Zayn aflito e uma Sophia chorosa e tudo foi a gota d'água. Minhas lágrimas rolaram desesperadamente por meu rosto, como uma criança que acabara de se machucar, corri para os braços da minha mãe, abraçando-a fortemente, soluçando altamente.
  _ Perdoa-me, eu não achei que ficaria nesse estado! - Se colocou a falar, cada palavra parecia que arrancava algum membro do meu corpo - _ Louis não merece suas lágrimas, eu não... - A interrompi rapidamente - 
 _ Me perdoe, mamãe, apenas me perdoe!  - Aperto-a firme em meus braços enquanto meu rosto se encontrava escondido na curvatura do seu pescoço. _ Não merece uma filha como eu. - Desfaço o abraço, balanço a cabeça de um lado para o outro, negando. _ Subirei para o quarto. - Respiro fundo, cessando o choro.
  Era meio impossível encarar Sophia, não queria ver novamente seus olhos lacrimejados, demonstrando o quão cansada estava, por minha culpa.
  _ Pedirei para que Elena leve algo para vocês comerem. - Assenti com a cabeça, olho para Zayn rapidamente, relembrando da sua presença ali. 
  Dou uma longa fungada, subo as escadas sem falar uma palavra, escutando passos seguindo-me. Um suspiro longo escapa dos meus lábios, apenas queria ficar sozinha, trancada em meu quarto, porém eu devo uma bela explicação para o Zayn desde o momento que o mesmo se tornou meu namorado.
  Adentro ao meu quarto, deixando a porta aberta, retiro meu sobretudo, jogando-o em um canto qualquer, logo após, me jogo na cama.
  _ Se encontrou com Louis? - A voz arrastada e rouca, balbuciou em meus ouvidos. - 
 _ Não. - Respondi simplesmente - _ Irei tomar um banho! - Forço minhas pernas para levanta-me, encaro aquele moreno brevemente, encontrando seus olhos castanhos interrogando-me. -
  Caminho em direção ao banheiro, paro ao instante que Zayn, seguro meu braço interrompendo meu trajeto.  
  _ Seja lá o que houve, saiba que tem um amigo que pode desabafar, Isis. 
   Elevo meu olhar novamente, encarando-o por alguns longos segundos , mantive-me calada, apenas fitando aqueles olhos que parecia que queria me passar confiança.
 _ Que marcas são essas? - Seus dedos gelados tocaram o meu pescoço e um passo dei para trás, longe de seus toques - _ Isis, você estava com alguém?
  Meus olhos arregalaram no mesmo instante, coloquei a mão no pescoço e pude relembrar nitidamente dos lábios de Liam sob minha pele, chupando-a cedentamente. 
_ Isis... - Nessa altura, os meus olhos já se enchiam de lágrimas, nada formulava em minha mente. Mas qual seria a bela desculpa além da verdade? -.
_ Não, Zayn... - Me perco nas minhas palavras - _ ... Eu... Não... Fui estuprada!
  Amaldiçoei-me após escutar o que acabara de dizer, apoiei na cômoda atrás de mim, por um instante achei que não havia soado tão convincente ao ver  Zayn estático.
   Seu cenho se franziu, minhas lágrimas rolaram ao perceber que eu deveria contar sobre o verdadeiro ocorrido. Contar que transei com meu próprio pai, que eu nutri algo cabuloso ao decorrer dos anos, que eu desejei Liam por anos. Não, não, não...
  _ Isis, meu Deus! - Seus braços envolveram meu corpo, apertando-me fortemente. -
  Em meio as lágrimas, meus olhos se arregalaram, ele me acolhia em seus braços como se fosse capaz de me proteger de todo mal, por alguns minutos, me senti confortada e tudo por meros momentos, havia passado.
  Zayn era capaz de ser um garoto incrível, mesmo com todos os problemas o afligindo, às vezes, ao contempla-lo em estado deplorável que a droga o deixava ao decorrer dos dias, sentia um pouco de pena. Ele havia se tornando totalmente ao inverso do garoto que conheci no primeiro dia de aula, com um ar conquistador e um sorriso esplêndido, tão obcecado por tão Danielle, possivelmente, depois desse abraço acolhedor, eu entendia o seu amor platônico pelo mesmo.
  Uns minutos de reflexão e tudo se desabou... Eu não poderia mentir, mas contar a verdade seria como se eu assinasse uma declaração de suicídio, porque não pensei no momento drástico que seria no dia seguinte? Porque ele ao menos, não permaneceu ao meu lado, alinhado ao meu corpo, mostrando-me que seria capaz de enfrentar tudo por mim? Mesmo que fosse no sigilo. Porém ele estaria ali, ao meu lado.
 Mas me descartou...
 Nem tudo é um conto de fadas, eu deveria já ter me ligado nisso.
 _ Oh, Zayn! - Abracei seu corpo magro, espremendo contra o meu - _ Eu só não queria ter saído de perto de você, maldita hora que fui embora.
  De fato, se eu continuasse lá, com os meninos, me fazendo uma de arrogante pelo motivo de Sophia ter ocultado que meu verdadeiro pai é o meu professor de matemática, minha vida estaria em ordem.
  Louis Tomlinson e seu terrível, macabro passado, reconheço sua negação como pai, agora entendo plenamente que tudo não passou de um "tanto faz" enquanto a minha vida, se embolou de tal maneira.
 _ Devemos decorrer as autoridades, dizer a sua mãe... - Zayn falava tudo rapidamente, tão desesperado quanto eu.
_ Não quero me envolver em mais fofocas, ficarei bem. - Falo o cortando de imediato - Irei tomar banho! - Desvencilho do abraço, cessando o choro, adentro ao banheiro fechando a porta sem ao menos fitar o rapaz preocupado. 
   Retiro as roupas do meu corpo, peça por peça, jogando nos cantos. Prendo meus cabelos no alto da cabeça em um frouxo coque, me deparo com a minha imagem sendo refletida no espelho, a marca roxa em meu pescoço lembrava-me dele, seus toques agressivos, seus beijos molhados, seu corpo em febre por cima do meu. Um longo suspiro escapou dos meus lábios, ele havia feito uma marca em mim, como se eu fosse dele, ah com toda certeza, eu queria ter sido mais do que uma pacata noite. Giro o registro do chuveiro, ligando na água morna, escorrego minhas costas pelo azulejo até alcançar ao chão. A água escorria por toda minha cabeça e corpo, se misturando com lágrimas amargas.
  _ Hoje tem uma festa para irmos, mas creio que não irá querer, então passarei a noite aqui, se quiser...

Ouvi a voz calma do Zayn balbuciar do outro lado da porta. Eu não o queria aqui, certo? Mas não podia me fazer de tão ingrata depois de ter me ajudado tanto.
_ Você quem sabe!
  Foi tudo que a minha mente formulou sem pesar, saio do box enrolada a uma toalha, solto meus cabelos sacudindo-os, após gesto enrolo-os em outra toalha. Abro a porta, encontrando-o deitado em minha cama, seu olhar encontra-me, no mesmo instante analisou-me. Locomovo pelo quarto sem deixar me importar, mas por um momento, meu subconsciente quis que fosse Liam ali ao invés de Zayn. Que fosse Liam ao meu lado, como deveria ser.
 _ Tem certeza que não quer contar sobre isso para a sua mãe? - Indagou, era possível sentir seus olhos queimando em minhas costas enquanto eu escolhia algo para vestir.
_ Por favor, nem comente isso com ninguém! - Fecho a porta do closet, deixo a toalha cair no chão e lentamente me visto. - _ Ou seu machismo é tanto que não pode ficar ao lado de uma mulher que foi violada? 
  Abro a porta, já devidamente vestida, agora com os cabelos soltos para que sequem naturalmente. Fito o moreno, que me encarava entediado. Mas por que eu o atacava com palavras? Liam que merecia tal ato e não Zayn.
_ Apenas me procupo com você, só quero o seu bem.
  Suas palavras fizeram eu amolecer, contudo, estava sendo tão arrogante com Zayn, sem necessidade exata. Caminho em direção a cama, me deito ao seu lado e deposito um beijo casto em sua bochecha.
 _ Obrigada por seu companheirismo, está sendo um ótimo namorado. - Dou uma fraca risada sendo acompanhada por Zayn - _ A forma que está me ajudando, deveria se ajudar também, não acha? 
  _ Um dia. - Respondeu depois de alguns minutos, pareceu refletir sobre o que havia dito - _ Mas não descordo, quem sabe se não encontrei minha salvação?
  Me sento bruscamente sob a cama e o olho com os olhos levemente arregalados.
 _ Não o entendo. - Coloco uma mecha de cabelo atrás da orelha, ele riu de maneira anasalada e também se sentou na posição de índio na minha frente -
_ Qual mal de está gostando de você? Talvez eu também possa a conquistar, né? Aliás, sou Zayn Malik. - Pronunciou de forma tão convencida que ri - _ E é natural, somos namorados, além disso.
_ Não Zayn! - Balanço a cabeça negando rapidamente - _ Não dariamos certo.
 _ Por quê?
  E calada fiquei, apenas observando-o atentamente enquanto ele esperava respostas, belas respostas.
  Eu gosto de Liam, o único homem que me vejo feliz, mesmo me trazendo a maior desgraça de todos os tempos. Único homem, que depois daquela noite, me vi trocando frases clichê de apaixonados, coisas que jamais imaginei, senti por Liam quando me entreguei, apenas ele...
 _ Irei beber água. - Saio do quarto imediatamente.
  Vejo Elena subir com bandeja em mãos, com alimentos de todos os tipos, pedi para que entregasse ao Zayn em meu quarto. Desci as escadas, olhando todos os lados em busca dele... Sequer um sinal. 
  Adentro a cozinha, prendo a respiração ao me deparar com aquilo, fico sem nenhum tipo de reação, apenas estática lá, os olhando. Liam pregou os olhos em mim, após se separar dos lábios de minha mãe, um sorriso irônico surgiu em seus lábios.
  _ Olha quem apareceu! - Com certo pesar de sarcasmo, sua voz pronunciou arrastada - _ Quem é vivo sempre aparece, verídico né?
  Dei um passo para trás, chocando minhas costas contra a porta metálica. Meus olhos arderam e eu pisquei algumas vezes, evitando o choro descontrolado.
  Como ele podia ser tão rude? Eu queria gritar, espernear, mas meus olhos pairaram em Sophia que sorria docemente.
 _ Licença. - Saio da cozinha meio atordoada -
  Ele estava lá, tão bem, nem parecia que tudo aquilo aconteceu, tudo não passava da minha imaginação, quem dera. Voltei para o quarto, encontrando Zayn fumando na pequena sacada, respiro fundo antes de pigarrear, chamando sua atenção.
 _ Vamos para a festa?
_ Como? - Ele me encarou confuso -
_ Quero me divertir!

 

 

Continua >>>



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...