História Meu perigoso daddy {Jikook} - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jikook, Namjin, Romance, Taeyoonseok, Yaoi
Visualizações 392
Palavras 824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - 22


Fanfic / Fanfiction Meu perigoso daddy {Jikook} - Capítulo 22 - 22

Ao ouvir aquele nome por trás da porta, meu coração parou, meus olhos arregalaram-se e minhas mãos começaram a suar, era meu pai, eu tenho certeza, devo entrar lá? Ou não devo? Essa dúvida me corrói por dentro, eu preciso vê-lo pelo menos uma última vez, preciso sentir o calor de seus braços, dizendo que me ama, mas sei que Jeon nunca iria deixar!

 

 

Taquei o foda-se e entrei na sala, eles me olharam rapidamente, papai com cara de assustado e Jeon com olhar fúria, mas eu não estava nem aí, só queria meu pai. Fui correndo até ele e o abracei, senti seus braços me confortando e sorri, eu estava morrendo de saudades desse abraço.

 

Senti uma mão agarrar meu braço e me puxar com força para longe de meu pai, era Jeon, ele me tira de dentro do escritório e me leva para o que suponho ser o porão, ele me joga lá dentro e fecha a porta, se aproxima de mim e me dá dois tapas fortes no rosto, o olho com a mão no lugar acertado e lágrimas escorrem em minhas bochechas.

 

-O que eu te falei sobre fazer isso? -Ele pergunta com a voz embargada- QUANTAS VEZES EU TENHO QUE REPETIR PRA NÃO SAIR DA PORRA DO QUARTO? -Ele se aproxima e eu vou indo cada vez mais para trás- Sabe que não gosto de fazer isso com você, mas você não me dá escolha!

 

 

 

1 mês depois:

 

 

Jeon anda muito estranho, ele me colocou em uma escola nova mês passado, está me tratando com carinho, me fala coisas fofas, nunca mais me bateu depois daquele dia e... Me deixou ver minha família uma última vez.

 

Hoje teríamos uma apresentação para nossos responsáveis, tivemos uma semana para escrever alguma coisa, digamos que eu adorei o que escrevi. Estávamos todos na quadra, os responsáveis por nós estavam todos sentados, e lá estavam, Jin, NamJoon e Jeon, eu estava nervoso, mas não sabia por que.

 

Agora era minha vez, peguei o microfone e suspirei nervoso, olhei para Jeon e comecei a falar, já que havia decorado tudo que eu escrevi.

 

-“Seu jeito de me olhar, tão tenebroso as vezes malicioso, que me deixa sem saber o que estou fazendo.

Seu jeito de andar, tão lindo, tão sem 'nada com nada', tão maravilhoso que faz com que eu não pare de olhar.

O jeito como se veste, parece um príncipe, de tão lindo.

O jeito como fala comigo, me deixa de pernas bambas.

Quando chegas perto de mim, me desce um calafrio , da nuca até o fim de minhas costas.

Odeio o modo como fala comigo e como mexe em seus cabelos.

Odeio quando finge que está com raiva só para me ouvir a te chamar.

Odeio o modo que me olha e odeio mais ainda quando vou dizer algo e o brilho dos teus olhos vem me calar.

Odeio quando me deixa sem graça e como consegue ler minha mente.

Eu odeio tanto isso em você que até me sinto doente.

Eu odeio...

Eu odeio quando diz que meu sorriso é lindo e quando me chama de anjo.

Odeio o modo que toca o meu rosto e as suas brincadeiras quando falo sério.

Odeio mais ainda quando me pede para não ir embora.

Eu odeio pois você sabe que eu não resisto.

Eu odeio como está sempre certo.

E odeio quando você começa a falar e não termina.

Odeio pois fico sem saber o que pensar.

Odeio pois você nunca disse te amo, mas nunca disse que não.

Odeio o modo que sorri.

É fascinante, eu fico sem rumo.

Eu odeio quando me faz rir muito mas mais quando me tira do sério.

Eu odeio quando não está por perto e o fato de não me ligar.

Eu odeio pensar em você o dia todo e não te encontrar.

Eu odeio quando você diz que eu não resisto a você.

Eu odeio quando não me deixa chorar.

Odeio quando me dá a razão e mais ainda quando me diz que não.

Eu odeio essa sua cara lavada me pedindo perdão.

Odeio quando diz que estava com saudades e odeio quando não vem me abraçar.

Eu odeio te dar as mãos e ter que soltar.

Eu odeio como sabe meus passos e o caminho que vou seguir.

Eu odeio não poder te ver todos os dias e te querer cada vez mais perto de mim.

Mas eu odeio principalmente, não conseguir te odiar.

Nem um pouco,

Nem mesmo um instante,

Nem mesmo por um segundo,

Nem mesmo só por te odiar.

Eu odeio não conseguir sem você ficar e odeio mais ainda só saber te amar.”

 

Ah todo momento eu olhava para Jeon, meu olhos estavam marejados, minha voz embargada por conta do choro.

-Desculpe... -Saio de lá correndo e me sento no chão em frente ao meu armário, me permito chorar tudo o que eu tinha para chorar-

- Jiminnie...?

 


Notas Finais


O poema não é de minha autoria, ele é do filme "10 Coisas que odeio em você" (recomendo, esse filme é maravilhoso ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...