História Meu Pilar - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens V
Tags Bts Yaoi, Gay, Romance, Taehyung, Yaoi
Exibições 17
Palavras 1.330
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Namjoon é sua proposta


- Filho, está na hora de levantar. – Diz minha mãe ao me acordar. Ela não faz isso com frequência, apenas nos dias em que estou mais cansado.

Era 5 da manhã, horário que eu normalmente acordo. Este horário minha mãe já está de pé, com o café da manhã na mesa, vestida para ir para o seu trabalho, esperando apenas o meu “bom dia” e “até a noite”.

Ontem foi com certeza o pior dia e ele me desanimou muito. Antes de dormir eu pensei muito do que aconteceu o dia inteiro. As pessoas me pedem as coisas de uma forma como se elas já me conhecessem a anos e não dão valor algum ao meu esforço e menos ainda quando eu consigo realizar as tarefas. Carregar peso é talvez a coisa menos desgastante de todo o meu trabalho, ter que aturar as pessoas é o pior de tudo.

Fui me arrumar para ir ao trabalho, mas enquanto estava me arrumando continuei pensando sobre tudo. Quando terminei de escovar os dentes e de sair do banheiro, Namjoon, meu melhor amigo, chega para ir comigo para o primeiro lugar onde irei trabalhar. Ele faz isso todos os dias, ele sabe que é um IM desde pequeno e por isso, que aos 15 anos ele decidiu que não viveria igual aos outros IM.

Existem varias formas de servir alguém e entretenimento também é uma maneira. Embora seja muito difícil ser IM que trabalha com o entretenimento, Namjoon teve a sorte de ser um. Ele trabalha em uma boate, longe do reino, para depois da floresta, aonde a maioria das pessoas não vão. Lá, na boate, é a divisa de um reino para o outro e é exatamente o meio da distancia entre um reino e outro.

Greece não é um reino inimigo do nosso, pelo contrario, o acordo de paz entre os dois reinos foi assinada a muitos anos atrás, no entanto um reino não tem vinculo nenhum com o outro, talvez a única coisa que tenhamos em comum seja a boate, que é a única coisa, de tudo, que é frequentada por cidadãos dos dois reinos.

Greece tem uma politica diferente que a de Greerish. Greerish é do tipo que está constantemente no ataque, qualquer ameaça ao nosso reino nós procuramos saber o que é e se descobrimos a arma que usamos são os canhões. Não temos planos, não temos objetivos, não temos discussão, não temos acordos, o nosso reino é do tipo que age sem pensar por sobrevivência. Também atacamos quando necessário e somos atacados frequentemente, o que ainda não se tornou algo normal para mim. Greece é o contrario, eles são pacíficos, eles resolvem as coisas no dialogo, nos acordos que quase sempre dão certo e é tudo tão calmo. Embora opostos, o acordo de paz entre esses reinos vizinhos está de pé e vai permanecer por anos, no entanto para os demais reinos... Greerish não tem acordos.

Chego na sala e vejo Namjoon cumprimentando a minha mãe. Ela com presa, ao me ver, vem até mim, me entrega um beijo no rosto, diz que nos vemos de noite e sai para o trabalho. Depois que ela sai, eu me sento na primeira cadeira na mesa que vejo e Namjoon se aproxima de mim olhando fixamente para o meu rosto.

- O que foi? – pergunto para ele. Antes mesmo de lhe dizer oi.

- O que houve com você? Suas olheiras estão enormes. – ele me diz, tocando com seu dedo indicador a maça do meu rosto.

Desvio do dedo dele e o pergunto incomodado:

- Namjoon, desde quando você se preocupa com a aparência? Principalmente para a minha?

- sempre me preocupei. Com a minha particularmente. – Diz ele ao mesmo tempo em que pensa consigo mesmo. - Mas é que agora na boate eu tenho outro cargo e ele me obriga a entender mais sobre beleza. Coisa que essas suas olheiras não têm...

- Hm, interessante. – digo, o estranhando.

- é serio, ____. O que houve? Não estou de perguntando por questão de beleza, estou de perguntando por questão de saúde. Eu vi você ontem super atarefado, correndo para o castelo. É por causa do trabalho que está com essas olheiras enormes? – Ele me pergunta.

- Você sabe que eu conto tudo para você, mas a respeito disso eu não posso conversar.

- e porque não? – ele me questiona, olhando profundamente em meus olhos.

- porque o meu trabalho é algo importante, assim como ele é para a minha mãe. Eu não posso de forma alguma criticar ele, isso pode piorar a situação. Sabia que pensar negativo sobre algo faz isso se tornar algo ruim? Eu não posso nem pensar que eu não gosto do meu trabalho ou que se quer ele me dá olheiras enormes, Namjoon.

- Você não pode se sacrificar desse jeito. Por isso eu não quis ser igual aos outros IM e P. eu não quero ter olheiras assim, acabar com a minha saúde, só para servir outras pessoas que não me dão nenhum valor, como se eu fosse uma maquina sem personalidade. Eu tenho personalidade, assim como você ___. Você não deve acabar com a sua saúde pelos outros e nem deixar sua personalidade de lado por causa de dinheiro.

- se trabalhando eu já estou quase morrendo, imagina sem trabalhar, Joon. – Insistentemente tento faze-lo me entender.

- você não precisa se destruir em um trabalho que você pensa ser a sua sobrevivência, você pode trabalhar com algo que te faça bem e te mantenha ainda vivo.

- e por acaso isso existe? Principalmente para um IM ou um P? – questiono-o iradamente.

- trabalhar na boate não me destrói como esse seu trabalho te destrói. Tudo bem que eu ganho menos e trabalho bem mais tempo que você, mas pelo menos... Lá eu não preciso excluir quem eu sou, deixar minha personalidade de lado e nem me sacrificar pelos outros. Você bem que poderia vir trabalhar comigo lá, ao menos tentar.

Rio abafado e me retiro da mesa. Caminho de um lado para o outro pensando no que Namjoon está me dizendo e o respondo:

- você acha que eu tenho essa opção? Entretenimento? Minha mãe nunca aceitaria isso, principalmente ganhando menos.

- você já perguntou para ela para saber se ela aceitaria? Qual é ___. Eu sei que muitos criticam os que trabalham com entretenimento, mas não deveriam. É um trabalho como qualquer outro, embora trabalhemos com diversão. Se for começar a desmerecer o que eu faço, eu prefiro que continue onde está.

- Não é isso. Eu não vou nunca desmerecer o que você faz, como você trabalha ou qualquer trabalho que seja de entretenimento. O problema é que minha mãe vai! Eu não sou assim, mas ela é.

- vamos fazer o seguinte então: Sua mãe vai ficar o dia todo trabalhando, assim como você iria. Diz para os seus donos que hoje você não ira fazer serviço nenhum e que amanhã talvez ira poder. Vem para a boate comigo, vou pedir para o meu chefe te dar uma chance de experimentar como é trabalhar por lá e se no final do dia você gostar... Espero então que pense em largar o seu trabalho atual.

Rio novamente abafado antes de o responder:

- já disse que não é uma opção eu largar meu trabalho atual. Mas a ideia é até legal. Eu realmente não estou animado para ir trabalhar hoje de servo. Vou te dar uma chance, mas Namjoon... Não vai ser de um dia para o outro que eu vou deixar o meu trabalho atual.

- é o que veremos no final do dia. – ele me retruca, olhando-me maliciosamente.

Até que esboço um sorriso lateral, mas me forço ao máximo a não fazer isso. Agora que eu disse tão determinadamente ao meu melhor amigo que eu não vou deixar o meu trabalho para trabalhar na boate, eu não posso deixar com que ele me vença. Não que eu seja orgulhoso...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...