História Meu plano número um! - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Mpreg, Universo A/b/o
Visualizações 228
Palavras 1.949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii *-*

T
U
D
O

B
E
M
?

(Espero que sim ♡_♡)

Boa leitura♥

Capítulo 11 - Ligação temporária!


Fanfic / Fanfiction Meu plano número um! - Capítulo 11 - Ligação temporária!



O doutor Kim Seokjin permanecia parado, com a lateral de seu corpo encostada no batente da porta. Ele observa com um sorriso largo nos lábios, aquele casal a frente. Era uma cena bonita de se presenciar.


Jimin sobre a cama hospitalar, recebendo carinho em seu rosto, de um Jungkook mais calmo e visivelmente protetor com seu ômega. Os dois sorriam um para o outro, pareciam dizer tudo que precisavam apenas com o olhar. Dês do momento que o alfa adentrou aquele quarto, não havia desviado seu olhos do loiro a frente por um segundo sequer.


– Aconteceu uma coisa tão estranha... – Jeon fala, levando uma de suas mãos até os fios claros da franja do namorado, brincando um pouco com eles, enquanto prossegue suas palavras: – Pensei ter ouvido sua voz chamar por meu nome. – O lúpus ri soprado por saber que aquilo, tecnicamente, era impossível de ser real. – Devo ter imaginado coisas.


– Mas, eu chamei por você, Kookie. – Jimin sorri, realmente contente em ouvir aquilo. – Será que você conseguiu me sentir de alguma forma? – Os olhinhos do menor brilham com a possibilidade, ele queria ser ligado de alguma forma a Jeon, mesmo que não houvesse a marca de ligação entre os dois.


– Bebê, isso não é possível. – O alfa lúpus diz de forma calma e vê um bico se formar nos lábios de seu namorado, junto a um olhar tristinho.


– Talvez seja... – Seokjin se faz presente e se aproxima do casal, ficando próximo ao pé da cama. – Não posso dizer com total certeza, mas, vocês podem ter, de fato, um tipo de ligação.


– O que quer dizer doutor? – Jeon questiona franzindo o cenho e Jimin faz a mesma expressão, arrancando uma leve risada do ômega mais velho.


– Quero dizer que vocês podem ter uma ligação temporária.


– O que é isso? – Foi a vez de Jimin indagar, se ajeitando na cama, até estar sentado com a coluna rente cabeceira.


– Vou explicar... – O Kim começa a falar devagar, tendo a completa atenção do casal curioso.


A “Ligação temporária” é um tipo de laço que acontece entre casais, em uma única circunstância; a gestação de ômegas não marcados. Não é algo que ocorre com todos casais ou com um sexo específico. E Kim Seokjin sabia muito bem disso, já havia visto acontecer mais de uma vez com alguns de seus pacientes, que tinham algo em comum... se amavam muito.


Explicando de uma forma mais cientifica; quando um ômega sem a marca de ligação engravida – independentemente de seu sexo –, o alfa acaba tendo uma leve ligação com o mesmo, pelo simples instinto de manter seus filhotes seguros, assim fazendo a natureza se mostrar, mais uma vez, misteriosa e perfeita. Essa ligação não pode ser comparada a feita pela marca no período de cio, pois, não é tão forte quanto, todavia, pode se manifestar em momentos de altas tensões vividas pelo gestante. Infelizmente, só se manifesta no alfa, e assim que os filhotes nascem, ela se desfaz.


– Então, se o Jimin estiver em momentos de perigo vou poder senti-lo? – Jungkook questiona com um sorriso se formando nos lábios, afinal, poderia saber se seu ômega precisasse ser protegido e isso o deixa mais feliz.


– Aparentemente... sim! – Seokjin confirma e apruma o seu jaleco branco em seu corpo. – Contudo, não é algo que desejamos que aconteça novamente, não é Jimin?


O loirinho, confirma com a cabeça, de uma forma frenética. Correr riscos de vida e ter seus filhotes em perigo, não lhe pareceu muito divertido.


– Com licença... – A voz de Kim Namjoon é escutada pelos três, que olham imediatamente para a entrada. – Pedi para uma enfermeira me informa onde estavam. – O chefe de Jungkook sorri simpático. – Preciso voltar para empresa e cuidar das coisas do escritório... Jeon, fique com seu namorado o restante do dia e amanhã também, os relatórios você pode me enviar pelo email, certo?


– Certo! ­– Jeon sorri e se levanta para cumprimentar o alfa mais velho, com uma reverencia e um tocar de mãos. – Muito obrigado senhor, realmente sou muito grato.


– Disponha e nos vemos em breve. – Namjoon sorri largo, se afastando para saída do quarto.


– Vou aproveitar a deixa e voltar para meu consultório. – Seokjin comenta e se aproxima de Jimin, deixando um leve afago nos cabelos de seu paciente. – Você fez certo em ter me chamado e qualquer coisa me ligue novamente... e não se preocupem, o médico de plantão logo dará alta para Jimin e vocês dois poderão deixar esse hospital.


Depois de uma série de agradecimentos do casal, Seokjin foi até a porta e Namjoon ainda estava por lá, os dois trocaram singelos sorrisos e caminharam lado a lado para saída daquele quarto e logo a saída do corredor. 

E em um momento de descuido, esbarram as mãos por conta da proximidade na qual estavam um do outro.


– Precisa de uma carona? – O alfa pergunta para o médico de forma educada e prestativa, aproveitando que os dois já se olhavam por culpa do contato repentino.


– Não... estou com meu carro. – Jin nega o pedido, porém dá um sorriso aberto em seguida. – Mesmo assim, muito obrigado.


Seokjin foi até a sala de espera e informou a Taehyung e Hoseok que Jimin logo teria alta, e o casal ali se prontificou a levar o alfa lúpus e seu ômega para o apartamento. Já que moravam no mesmo prédio. O que seria de grande utilidade, já que o carro de Jungkook ficou no estacionamento da empresa.


Sem mais delongas, o médico e o empresário seguiram para o estacionamento, trocando um aperto de mãos em despedida. 


Cada um dirigindo para um rumo diferente, mesmo que o rumo de seus pensamentos fossem iguais...


(...)


De fato, Taehyung e seu alfa, levaram o casal de namorados em seu carro, assim que Jimin teve alta. Hoseok e Jungkook seguiram por todo o caminho conversando de forma amigável, aparentemente se deram muito bem. Já Jimin, ficou quietinho, abraçado a lateral do corpo de Jeon, sem falar nenhuma palavra, vez ou outra, trocando olhares com seu amigo, que estava no banco da frente. 

Taehyung com toda certeza ia querer explicações sobre o porquê do baixinho ter saído correndo daquela forma da escola de dança. E Park não queria contar sobre o maldito choro de bebê a seu namorado, precisa entender o que era aquilo primeiro.


– Obrigado! – Jungkook agradece aos vizinhos, assim que para na porta do apartamento dos mesmos. – E me perdoem pela forma, um tanto rude, que agi...


– Eu entendo bem como é, já me vi assim diversas vezes, esse danadinho aqui vive se metendo em encrencas. – Hoseok fala e sorri, logo apertando seu marido entre os braços, arrancando risadas do acastanhado.


– Desculpem por ter causado essa confusão... – Jimin fala meio envergonhado, olhando para seus pés, sentindo as bochechas arderem, afinal, ele havia dado um grande susto em todos.


– Não seja bobo Jiminnie, imprevistos e acidentes acontecem. – Taehyung explica tranquilo e Park sorri contente.


Depois das despedidas, Jungkook e o loirinho enfim seguiram para seu apartamento, finalmente aliviados por estarem em seu lar. Não fizeram nada antes de tomarem um banho juntos e vestirem seus moletons confortáveis. Obviamente, Jeon se via livre de blusas, se sentindo ainda mais relaxado.


– Vou preparar algo para comermos. – Jeon beija a bochecha de seu ômega, o deixando sentado no sofá. – Já volto.


Jimin apenas dá um mínimo sorriso e confirma com a cabeça, se aconchegando no sofá e ligando a TV com o controle. 

Em um dia comum, o loirinho iria junto para ficar atentando os pensamentos de seu namorado. Mas, se sentia cansado e triste, o que havia acontecido mais cedo ainda não saía de sua mente.

 E não precisou de marca alguma para o moreno perceber que algo não estava certo, porém, sabia que o seu pequeno se sentia exausto e ainda assustado, só não imaginava que o ômega estava escondendo o verdadeiro motivo de seu atropelamento.


Após alguns minutos, o alfa voltou para sala com uma bandeja e dois potes de Juk, é um mingau de arroz altamente nutritivo e fácil de fazer, sua omma costumava cozinhar o mesmo para si, quando estava cabisbaixo ou doente. Mesmo Jeon sendo um alfa Lúpus, a ligação com sua progenitora na infância, sempre foi muito forte e ele adorava observa-la cozinhar.  


– Obrigado, Kookie... ­– Jimin diz se sentando de uma forma mais confortável para comer junto ao moreno.


– Me agradeça comendo tudo, sim? – Jeon sorri e deixa a bandeja entre os dois, logo rindo baixo ao ver uma leve careta de pura manha no rostinho de seu namorado.


As horas foram passando e fazer o loirinho comer tudo foi fácil, a parte complicada foi Jimin se animando após ter suas forças renovadas no começo da noite. Todavia, isso pôde deixar o alfa mais contente, pois ver seu loirinho animado novamente aquecia seu interior o deixando feliz.


O Park, já sentado no colo do moreno, insistia em se remexer todo e beijar o pescoço de seu namorado, deixando alguns chupões ali. Jungkook apenas moveu a bandeja para o lado, ficando com ela o mais longe possível do seu ômega, antes que o mesmo a derrubasse no chão.  


– Bebê... – Jeon aperta a cintura do loiro, que apenas arfa em aprovação. – A poucas horas atrás você estava no hospital, que tal dormir um pouco?


– Me aperta mais, Jungkookie... – Jimin como o bom travesso que é, ignora a fala do alfa e começa a rebola devagar no colo do maior. – Me faz gemer... – Ele sussurra, passando os lábios na orelha de Jeon, que solta um suspiro em deleite.


– Vou te fazer outra coisa... – Jungkook pega o menor no colo de forma rápida, sentindo sua cintura ser apertada pelas pernas alheias e o seu pescoço ser ainda mais castigado por aqueles lábios carnudos.


– Vai me fazer gritar hoje, Jeon? – Park Pervertido Jimin, provoca sem o menor pudor e escuta a risada gostosa do outro.


Jungkook chega no quarto, deitando o menor na cama com calma. Park o fazia, muitas vezes, perder o foco. Como seria diferente? Aqueles lábios apetitosos, os cabelos claros espalhados pela testa, o olhar lascivo, as mãos pequenas descendo até a barra do próprio moletom.


Aquele pequeno ômega havia se tornado a parte mais bela da vida de Jeon Jungkook. 


O lúpus se deita por cima de Jimin, passando suas mãos grandes por aquele corpo tão lindo e sensível aos seus toques. 


– Vou fazer você... – Jungkook beija os lábios carnudos do namorado, chupando o inferior e mordendo devagar, dando um leve puxão. – Dormir bem gostoso, boa noite.


– Qual o problema? Você não me ama mais? – O ômega cruza os braços, completamente irritado. Os hormônios da gravidez realmente o deixavam irritado com uma facilidade surpreendente.


O alfa suspira e se deita, puxando o pequeno para cima de seu peito, acariciando aqueles cabelos tão macios e clarinhos.


– Pelo contrário, te amo muito e a cada dia que passa quero te proteger e cuidar ainda mais de você. – O alfa explica de forma serena. – Por mais que eu queira tirar toda sua roupa e te sentir de todas as formas, meu instinto diz que você precisa descansar.


Park faz um carinho no peitoral desnudo de seu alfa. Ele se sentia sortudo, pois seu alfa era o juízo que, o mesmo, as vezes não tinha. Talvez devesse facilitar as coisas para seu namorado. 


– Te amo! – O loirinho sussurra se alinhando nos braços do maior para poder dormir. A bipolaridade de Park, naquele momento, fazia Jungkook querer gargalhar, mas, achou melhor ficar quieto.


– Te amo, bebê. – Jungkook pega o lençol dobrado ao lado e os cobre. 


– Boa noite, Jungkookie. – O loirinho fecha os olhos e sorri ladido. – Mas, amanhã você não me escapa.


Facilitar para Jeon? Só talvez mesmo. Jimin ama atiçar o outro e continuaria a fazer isso.


O lúpus apenas ri baixo e fecha os olhos. Ele também era muito sortudo e sábia bem disso.




Notas Finais


Teoria da "Iigação temporária": Outra teoria inventada por mim kkkk

Namjin? O que é isso, é de comer? Kkkkkkk parei.
Próximo capítulo (Talvez, se não for no 12 é no 13) o Namjoon vai conversar com o Jungkook e vcs vão entender o motivo dele ter sido um chefe legal.

Estão na ansiedade para a barriguinha do Jimin começar a aparecer?????EU TOOOOO ANSIOSAAAA KKKKK

Espero que tenham gostado ♥
E comentem,viu? Preciso de um apoio para continuar a escrever...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...