História Meu porto seguro. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya
Tags Amor Doce, Drama, Romance
Exibições 36
Palavras 1.217
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Me desculpem se eu demorar muito pessoas, mas não abandonem a fic não ok?
Aqui está o capitulo 4.
Boa leitura :D

Capítulo 4 - Você é a minha preferida!


P.O. V de Nana.

O dia logo amanheceu, eu dormi muito mal pensando no Lysandre, estou preocupada com ele. Acho que irei vê-lo, eu me levantei e comecei a trocar de roupa.

― Até que para roupas intimas você tem um bom gosto ― falou Rosa.

― N... Não me olhe trocando de roupa. ― eu coloquei minha blusa de manga comprida, minha saia rodada preta e minha melissa preta.

― Sabe Nana onde você arranja tantos hematomas?

― Já disse para parar de olhar pra mim... E os hematomas eu consigo sendo desastrada em casa, eu caio ou bato em coisas sem querer ― após terminar de me vestir eu me despedi de Rosa e sai para ver o Lysandre.

Estava bem cedo, olhei no meu celular e vi que ainda eram nove se meia. Bom já tinham bastante pessoas andando, algumas indo fazer trilha e outras fazendo competições com cabo de guerra e coisas do gênero. Eu caminhei até o dormitório de Lysandre, espero que ele não esteja dormindo, eu abri a porta e quando entrei vi Castiel deitado na cama olhando para uma revista, e de baixo do e uma parte do lençol estava bem pra cima... Me...Me Deus... Ele... Ele...

― O... O que faz aqui ― ele berrou enquanto se corava.

― Estou procurando o Lysandre...

― De o fora daqui! ― ele berrou.

Eu sai de lá correndo e fechei a porta. O Castiel estava com uma revista erótica, e estava... Que nojo, que nojo. Porque justo comigo?

― Nana? ― disse Nathaniel vindo até mim ― Qual o problema?

― Estou traumatizada!

― Por quê? ― ele começou a rir ― A deixe-me adivinha viu o quão feio o Castiel fica quando acorda?

― Bem pior que isso ― eu comecei a balançar a cabeça tentando me esquecer da cena ― Nath eu queria saber, você não viu o Lysandre?

― Eu acho que ele foi até a lago, bom se me der licença eu preciso entrar.

― V... Você não pode entrar ― eu disse ― o Castiel está...

― Ora o Castiel está te dando ordens para não me deixar entrar? Não ligue pra ele ― disse Nathaniel entrando na casinha de madeira.

Eu não quero nem ver, eu avisei! Eu sai de lá em passos rápidos e só pude ouvir Castiel gritando novamente. Depois disso fui até o lago, ao chegar lá vi varias pessoas nadando, inclusive Lysandre que estava conversando com uma garota do terceiro ano. Pensei ele fosse tímido, porém não é o que parece. Não sei por que, mas fiquei aborrecida por vê-lo com essa garota. Vou voltar para meu quarto ele parece que está muito bem.

[...]

Passei o dia todo completamente irritada, ele nem se deu ao trabalho de vir me dizer se estava bem ou não. Que fique com a nova amiguinha dele, eu não me importo!

― O que ela tem? ― perguntou Priya para Rosalya.

― Não sei. Ela não quis me falar... ― disse Rosa olhando para mim.

― Eu não tenho nada!

― Sério? Então porque está com uma cara de quem quer matar alguém ― perguntou Rosa se sentando ao meu lado ― Na-na-mi  ― ela disse meu nome pausadamente ― Vamos diga o que está acontecendo, porque está emburrada?

Eu dei um suspiro e comecei a explicar a ela o que estava acontecendo e ao fim da explicação Rosa e Priya caíram na gargalhada.

― Está com ciúmes! ― elas falaram juntas enquanto riam.

― Não, não estou!

― Que fofo, viu eu disse que ela gostava dele ― Rosa ignorou completamente o que eu disse.

Neste momento alguém bateu em nossa porta do dormitório e Priya foi atender.

― Olá meninas! ― disse àquela voz que fez meu coração bater mais forte. Era o Lysandre.

― Lys estávamos falando de você agora, acho que você tem que falar com a Ashley ela está um pouco zangada com você. 

― O que eu fiz? ― ele olhou para mim um pouco confuso.

― Nada! ― eu dei as costas para ele.

― Me conte o que foi.

― Nada Lysandre! Porque acha que estou zangada?

― Porque eu te conheço e sei quando está brava.

― Ela está com ciúmes com você e a menina que você estava conversando no lago. ― disse Rosa.

― S... Sério? ― ele gaguejou um pouco.

― Não ― eu me levantei da cama irritada ― Eu não me importo, na verdade eu não me importo com ninguém. Façam o que quiserem.

Eu sai correndo de lá... Fui correndo até a floresta sem nem menos perceber. Porque eu fiquei tão envergonhada a ponto de dizer coisas tão sem sentido, e sair correndo...

P.O. V. de Nana.

P.O. V de Lysandre.

A noite foi caindo e nada de Nana voltar, Castiel, Nathaniel e eu decidimos ir atrás dela.

― Essa sua namorada só causa problemas! ― falou Castiel.

― Você sabe que nós só somos amigos.

― Mas também sei que você queria ser mais que isso, então calado! ― retrucou Castiel.

― Ei estão ouvindo isso? ― falou Nathaniel.

Nós ficamos calados e realmente ouvimos um baralho era algum choramingando e fomos até o local de onde vinha o barulho e lá vimos Nana. Ela estava um pouco suja e com as mãos sobre o tornozelo.

― Ra... Rapazes?! ― ela nos olhou com os olhos cheios de lagrimas.

― O que está fazendo? ― perguntou Castiel.

― Eu torci meu tornozelo... E... E não consegui voltar por conta dele. ― ela disse fazendo uma expressão de dor .

Eu fui até ela e a peguei no colo e ela olhou para mim surpresa e começou a se corar.

― Bom vamos indo a Rosa e a Priya estão preocupadas! ― eu disse.

Castiel começou a me olhar maliciosamente enquanto eu a carregava. Francamente não sei porque contei a ele que eu gosto dela.

[...]

Nós já havíamos chegado, Nana teve o tornozelo enfaixado e eu fiquei no quarto junto dela durante um certo tempo, ela já havia pedido desculpas a mim e a Rosa. Eu não sei o porque de ela estar tão sensível, mas eu vou descobrir.

― Bom já vou indo! ― eu disse me levantando da beira de sua cama, porém Nana me parou segurando as minhas mãos.

― Sinto muito de verdade, eu não quis dizer aquelas coisas. Eu fiquei mesmo aborrecida por você ter falado com aquela garota, mas eu sou assim.

Eu sorri para ela. Fico feliz por ela sentir ciúmes de mim, talvez eu signifique algo para ela.

― Tudo bem eu entendo você ― eu disse me inclinando e dando um beijo em sua testa ― Mas só para que você fique sabendo, de todas as garotas que eu já conheci... Bom... Você é minha preferida!  

Ela ficou extremamente envergonhada, pude ver que suas bochechas ficaram totalmente coradas. Depois daquilo eu decidi, quando eu estava com a maçaneta na porta Nana me chamou.

― Sim? ― eu disse.

― V... Você também é meu preferido!

 Eu sorri um pouco sem graça e finalmente sai. Eu respirei fundo e dei um suspiro, ela é tão lindo e tão fofa. Quero logo poder me declarar para ela, e dizer como me sinto.

 


Notas Finais


E ai gostaram?
Espero que sim....
Ah e já ia me esquecendo, muito obrigada por favoritarem e comentarem me da muito animo de continuar a fic :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...