História Meu primeiro amor - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Romance, Yaoi
Exibições 42
Palavras 1.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Demorei demais eu sei, só que eu ia demorar mais ainda pra escrever um capítulo enorme mas decidi postar logo, eu tava em semana de provas e ainda teve o problema com a internet então saiu bem pouco, mas como sempre foi feito com carinho. ❤

Capítulo 13 - Lembranças que deveriam ter sido esquecidas parte 2


Lembranças que deveriam ter sido esquecidas parte 2

(Meu primeiro amor)

🌸🎈✨


– N-NÃO já chega não? – disse Agatta tendo uma hemorragia nasal, nós nos separamos e nos olhamos. A Partir daquele momento começamos a namorar


[No outro dia]


Eu estava animado, eu e o Yuri começamos a ir juntos para a escola. Toquei a campainha e quem atendeu foi a Babi


– O QUE Você tá fazendo aqui Babi que susto! – disse coloando a mão no coração


– A culpa é sua por ser um covarde, essa é a minha casa e a questão é O QUE Você está fazendo aqui tão cedo?


– Eu vim pegar o Yuri, vamos para a escola juntos


– Hmmm…Diz aí vocês estão namorando ou algo assim? – ela cruza os braços fazendo uma cara sarcástica


– Sim, estamos


– Mentira! Quem pediu quem em namoro?


– N-nada acabou rolando sabe?


– Não claro que não conta essa história direito!


– começou assim..


[10 minutos depois]


– Nossa faz sentido, espero que fassa ele feliz


– Eu irei!


– Hm...nesse sábado iremos fazer uma viagem com o resto da família se você quiser pode vir como meu convidado


– Nossa posso mesmo?


– Claro bebê


– Eu te am-


– Se…você levar aquela sua amiga a Agatta


– Parece que alguém está apaixonadinha


– Cala a boca, se quiser vir traga ela aqui no sábado às 8 horas


– E eu aqui achando que você iria me levar para a viagem de graça


– Bebê não existe nada mais caro que alguma coisa de graça.


O Yuri finalmente desceu, quase teve um infarto ao ver a Babi conversando comigo, foi engraçado. O caminho da escola foi tranquilo, mas ele não se acostumou com várias pessoas o olhando, eu era “popular” então todos ficávam me olhando e agora que eu estou com o Yuri eles ficam ainda mais curiosos.


– D-desculpa por lê fazer passar por isso– bagunço os seus cabelos e sorriu tentando fazer ele se acalmar


– Relaxa…é bom que eles saibam que agora você tem dono – fico surpreso com o que ele acaba de dizer e o provoco – Então quem será esse “dono” – ele me olha com uma cara bravinha, que fofinho. Fomos para sala de aula e Agatta já nos olhava com uma cara “pervertida”


– Nossa essa cara logo de manhã


– Que fofinho meus bebês finalmente juntos – Ela sussurra em meus ouvidos


– N-Não diga essas coisas nos ouvidos das pessoas; quer ir em uma viagem comigo e com a Babi?


– Claro! Vai ser legal passar o fim de semana com o casalzinho mais bonito da escola ❤


– Haha esse “casalzinho” não seria você e a Babi? – Ela fica mais vermelha que um pimentão


– Não me diga que eu acertei, você gosta da Babi – Ela permanece em silêncio


– Hahaha eu aprovo esse casal ❤


– Cala Boca não me venha com essa, e se eu gostasse não seria da sua conta seria?


– Nossa ficou bravinha foi? Mas você não pode dizer nada senhora “Shipper”.


Ela ficou resmungando a aula toda tentando fazer eu me esquecer, mas eu descobri um segredinho interessante. Finalmente cheguei em casa, amanhã é a viagem tenho que arrumar minhas coisas, avisei aos meus pais que eu iria viajar com os pais da Babi e passei uma mensagem perguntando se estava tudo “OK”

com a Agatta, os pais da Babi eram clientes dos meus pais então foi mais fácil que eu imaginei, eles aceitaram numa boa. Arrumei minha mala e fui tomar banho, a Agatta respondeu que os pais delas deixaram ela ir milagrosamente, a influência dos pais da Babi me assusta às vezes ela teve a quem puxar. Deitei para dormir mais cedo, não iria perder aquela viagem por nada.


[Sabado - 9:00]


Acordo e quando olho o celular 27 chamadas perdidas, retornei a ligação e a Babi começou a gritar que nem louca, olhei para o horário e pulei da cama, tomei um banho rápido e desci as escadas com as minhas coisas, pedi para o motorista dirigir o mais rápido que podia para a casa da Babi. Cheguei lá em menos de 10 minutos, Mãe dela quase estava dando um ataque de raiva. Coloquei minha mala no porta malas e que quase não coube e entrei no carro de cabeça baixa, no banco de trás estava a Babi a Agatta e o Yuri, e não tinha espaço para eu entrar


– Yuri sente no colo do seu dele – Diz a mãe dele olhando para nós dois


– Mas M-Mãe


– NADA DE MAIS! ELE JÁ NOS ATRASOU DEMAIS!


– Sim senhora! – Ele se levanta ficando em uma posição desconfortável, então eu me sento e ele logo em seguida.


A viagem foi longa mas um joguinho que eu tinha no celular salvou a minha vida, para ser franco eu não conseguia me concentrar com ele bem em cima do meu pênis, tentava o máximo não pensar em nada que o deixa-se descontrolado, mas meio que tava IMPOSSÍVEL. Chegamos em um hotel, Babi sai dando espaço para a Agatta sair também, então o Yuri se levanta rápido com as mãos nas calças, eu não entendi no começo mas depois eu entendi tudo…ele estava apertado. A Agatta estava adorando ver o Yuri daquele jeito, “envergonhado”, eu também não vou mentir ele era tão fofo. Pegamos as nossas malas no carro e subimos com a Babi, os pais do Yuri saíram e foram para as montanhas e nós ficamos lá sentados no sofá.


– Eii Frank, eu sei que você quer ficar sozinho com o Yuri, então porque não chama ele para o seu quarto? – diz a Babi com uma cara de tédio


– Não me venha com essa, você só quer ficar sozinha com a Agatta


– Fala baixo ou eu vou te matar!


– Está bem, está bem mas só se você falar com ele – digo vermelho


– Ta com vergonha agora é? Está bem mas não saia de lá tão cedo.


Fui para o quarto do Yuri e fiquei a sua espera, depois de um tempinho ele chega com a mão no mesmo lugar que estava no carro


– Ei você está com algum problema? – digo me aproximando do menor


– Não! Eu estou bem apenas se afaste.


Aquelas palavras não me abalaram e eu continuei indo em sua direção peguei as suas mãos e a tirei das calças, ele estava muito excitado


– Posso ver?


– Não pergunte coisas embaraçosas como essas!


retirei as suas calças e agarrei o seu pênis, ele era tão pequeno que chegava a ser fofo, ou era o meu que era muito grande? Não sei mas estava com vontade de chupa-lo, e assim fiz, ele estava gemendo feito uma mocinha era tão divertido a cara que ele fazia.


– E-Eu pesquisei um pouco...você vai me penetrar – Ele disse olhando para mim com uma cara tão fofa


– Haha olha quem fala, não fique fazendo essas perguntas embaraçosas, não sem preservativo irá doer e eu não quero te machucar – disse acariciando seu rosto.


Ele acaba gozando sem aviso em meu rosto, isso deixa ele esgotado que acaba deitando na sua cama. Ele já estava dormindo, ia beijar ele o dia todo mas como ele dormiu vou ver como estão as coisas com a Babi, olhei pela fechadura da porta e elas estavam vendo um filme, deitei ao lado do Yuri e acabei caindo no sono. Quando eu acordei o Yuri estava me olhando, eu me levantei e dei um beijo no seu nariz



– Quer fazer alguma coisa?


– Vamos assistir algum filme? Tem um ótimo passando na TV


– Então vamos


Era um filme de terror, ele não aparentava gostar desses tipos de filmes. Já era noite e seus pais não chegaram, ele já estava com cara de sono então o coloquei na cama, Babi e Agatta já estavam nas suas camas. ouço a campainha tocar e vou verificar, eram os seus pais. abri a porta para eles que estavam ensopados, peguei uma toalha e entreguei a “Sogra”


– Você é um menino tão gentil, adoraria que você se casar-se com a minha filha!


– Ou com o seu filho não? – Acabei pensando alto demais, e a sua reação foi uma surpresa.



Notas Finais


PESSOAL ME PERDOEM e Comentem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...