História Meu Príncipe Mal Encantado - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Avril Lavigne
Exibições 39
Palavras 1.477
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Temos motivos pra comemorar


Fanfic / Fanfiction Meu Príncipe Mal Encantado - Capítulo 3 - Temos motivos pra comemorar

AVRIL POV 

Fui até a cidade para fazer umas compras e ver se me animava um pouco mas fiquei um pouco mais chateada ao passar na frente de uma pequena banca de jornais e ver na capa de uma revista "A queda do Avenged Sevenfold", e você com certeza não deve ter entendido essa noticia, então deixe eu explicar, a mais ou menos 6 ou 7 meses atrás meu irmão veio com algumas ideias malucas que a gravadora que até então estava com eles a anos Warner Bros, reprimia a criatividade deles então depois de chegar de uma turnê ele resolveu que iria acabar com isso, quebrando o contrato com a gravadora, ele tinha total certeza que o dinheiro da turnê pagaria a multa e sobraria, ele não sabe fazer contas... então ele fez, junto com os outros meninos quebraram o contrato e se livraram da gravadora, alguns dias depois o advogado que estava cuidando do caso ligou para o Matt pra informar que a quantia ganha não cobria toda a multa, resultado, todos moravam em um condomínio de luxo e tinham vidas perfeitas na medida do possível. 

Johnny vendeu sua casa assim como Matt, a diferença é que Johnny foi morar de novo com sua mãe e com meu dinheiro eu e Matt alugamos uma casa no subúrbio da cidade, Zacky parou de comer no McDonnald's todos os dias, ele ainda tinha sua marca de roupas que não deixou ele descer tanto o padrão de vida, Arin vendeu seu carro e alugou uma casa perto da nossa, e o cabeçudo do Brian foi o único que se recusou a descer o nível de vida, mesmo sabendo que a banda estava passando por momentos difíceis e que só poderiam assinar com outra quando o processo fosse finalizado, e a conclusão da irresponsabilidade do senhor egocêntrico, o dinheiro acabou as contas apertaram e a casa foi a leilão e agora ele está aqui morando no quarto ao lado do meu. Matt me contou das contas do cabeçudo no dia que ele veio me contar que o insuportável iria morar com a gente, mas enfim, semana passada o pesadelo acabou, o processo foi encerrado e a multa quitada e enfim eles estavam livres pra procurar outra gravadora pra continuar o serviço. 

Mas voltando no meu dia, sai da loja de roupas e decidi que iria voltar pra casa, rodei varias lojas e não achei nada que me agradasse então decidi que teria que ir com uma roupa que já tinha, refiz meu caminho até em casa e logo que entrei Matt veio correndo me abraçando e girando. 

-Meu Deus Matt me solta!  

-Desculpe maninha, mas eu estou feliz, tenho boas noticias. 

-Era só falar não precisava disso – Eu disse enquanto ele me colocava no chão - O que é a notícia? 

-Conseguimos uma gravadora nova. 

-NÃO BRINCA! - Eu tinha certeza que estava sorrindo igual uma menina boba. 

-SIM! - Ele disse animada e agora foi minha vez de abraçar ele. 

-Fico tão feliz com essa noticia. 

-E tem mais! 

-Mais? Nossa o dia parece que foi bom. 

-Foi maravilhoso, eles fizeram uma proposta pra banda, um show em Las Vegas pra anunciar a nova gravadora oficial do Avenged Sevenfold. 

-A GENTE VAI PRA LAS VEGAS? NÃO BRINCA COMIGO!  

-Nós vamos pra Las Vegas. 

-Isso é maravilhoso! Agora o insuportável do seu amigo pode pagar as contas dele e sair do nosso teto! 

-Eu prometi que ele não ficaria muito, agora não precisamos mais ensaiar na garagem! Sinto como se tivesse tirado um peso gigante das costas. 

-Eu imagino, e falando em cabeçudo, ele está? 

-Não, ele foi resolver as coisas da casa dele, já recebemos o cheque adiantado, e vou te contar que amanhã cedinho vamos comprar nossa casa de volta! 

-Essa realmente é a gravadora dos sonhos! Pagando adiantado por um show, eles devem por bastante fé em vocês. 

-Por isso não podemos desaponta-los, mas bem aproveitando a ocasião já que temos tantos motivos pra comemorar, sugiro que você vá se arrumar temos uma festa pra ir – Olhei no relógio 6:40 a festa seria as 8:00. 

-Nossa já esta ficando tarde, vai se arrumar também hei! - Disse pra ele e corri subindo as escadas e entrando no banheiro, tirei minha roupa liguei o chuveiro e entrei, eu estava tão feliz com aquela noticia a vida finalmente estava voltando ao seu normal - I don't care about my makeup I like it better with my jeans all ripped up - Eu gostava de cantar em qualquer situação e logicamente que no chuveiro não seria diferente ainda mais quando estou fodidamente feliz - Don't know how to keep my mouth shut you say so what  - Terminei meu banho e sai do chuveiro, me enrolei na toalha continuando na mesma vibe - I don' t care if I'm misfit I like it better than the hipster bull shit, I am the mother fucking princess you still love me. 

-Parece que alguém recebeu boas noticias – Abri a porta do banheiro e dei de cara com o insuportavel. 

-E você tava me espiando? 

-Te espiar? Era mais fácil ver um filme de terror. 

-Então o que está fazendo ai parado obstruindo a passagem? 

-Eu estou esperando você sair pra mim poder entrar e mijar – Me virei de lado dando passagem pra ele entrar no banheiro e eu conseguir sair – Eu disse que só vou entrar a hora que você sair – Revirei meu olhos e sai empurrando ele pra conseguir passar pela porta – Obrigado retardada. 

-De nada imbecil – Quando a pessoa tem o dom de estragar seu dia ela vai estragar. 

Entrei no meu quarto e comecei a revirar tudo atrás de uma roupa descente pra ir na festa da minha amiga, quando alguém bateu na porta. 

-Entra – Provavelmente era meu irmão. 

-Esqueci de te avisar, vamos amanha pra Las Vegas depois de resolver o esquema da casa então faça suas malas! - Matt só colocou sua cabeça na porta entre aberta disse o que precisava e saiu deixando a porta aberta, revirei meus olhos odiava gente que não sabia fechar a porta que abriu. 

Voltei a minha busca pela roupa adequada pra festa da minha amiga, optei por um corpete preto com um jeans preto  que tinha alguns rasgos, meu tênis adidas superstar e uma jaqueta preta que por mais que fosse de couro não era quente, fiz a maquiagem preta de sempre, decidi não passar nenhum batom e passei uma chapinha de leve no cabelo que estava ondulado, passei meu perfume e eu tinha uma mania meio estranha mas foda-se, eu escovava os dentes depois de me maquiar só pra passar base nos lugares que saiu, depois de fazer isso abri a porta do quarto e por coincidência maldita o cabeçudo saiu do dele. 

-Santa mãe do amplificador – Ele disse me olhando. 

-O que foi perdeu alguma coisa aqui? - Eu disse cruzando os braços. 

-Você tem que parar de me amar agora se veste até igual a mim – Eu não tinha reparado na roupa que ele usava, era uma calça preta com alguns rasgos, um camisa gola V preta junto com uma jaqueta também preta e um sapato de palhaço preto e branco. 

-Eu não to acreditando que isso ta acontecendo comigo! - Eu disse e eu tinha certeza que estava parecendo uma menina cheliquenta. 

-Calma pequena Sanders vamos fazer sucesso de par de vaso. 

-Tenho certeza – Disse jogando um olhar homicida pra ele. 

-As duas crianças vão demor... - Matt não conseguiu terminar a frase quando nos viu, e caiu na gargalhada – Vocês tão parecendo aqueles casais de gêmeos sabe – Ele riu de novo – Que veste os filhos iguais – Ele voltou a rir – Ai ai, mas vocês estão bem, vamos partir – Ele deu as costas e voltou a rir e o cabeçudo mostrou a língua pra mim. 

Quando chegamos na festa era obvio que os olhares vinha diretamente pra mim e pro insuportável, eu só queria que aquilo tudo fosse um sonho ruim, daqueles bem lixo e que eu ia acordar e nada disso ia estar acontecendo, é tudo um pesadelo. 

-Família prodígio! - O irmão de Taylor chegou e entrou na nossa frente, ele costumava chamar eu e meu irmão assim pelo fato dos dois terem herdado o mesmo dom – Que bom que vieram Avril minha irmã está lá dentro te esperando – Obrigado Taylor, sai praticamente correndo dali qualquer chance que eu tivesse de sair de perto do cabeçudo pode ter certeza que iria usar. 

Entrei na casa procurando a Taylor e nada de achar essa mulher, a casa estava lotada tinha gente na sala, na piscina, jogando beerpong na mesa da cozinha, gente sentada nas escadas dando uns beijos quase sex alert e bem possível no quarto fazendo sexo, fui em direção a cozinha e algo me impediu, mais precisamente alguém. 

-Avril quanto tempo. 

-Dave?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...