História Meu Príncipe Mal Encantado - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Avril Lavigne
Exibições 38
Palavras 1.255
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - O Pior Advogado!


Fanfic / Fanfiction Meu Príncipe Mal Encantado - Capítulo 8 - O Pior Advogado!

AVRIL POV 

-Não temos nada pra conversar Brian! - Eu disse pronta pra mandar ele ir embora mas ele me impediu. 

-Lógico que temos! A gente se casou – Ele disse, confesso temos sim o que conversar mas não queria conversar com meu "marido" - E além disso não consigo tirar essa aliança. 

-Eu já desisti de tentar, até na água quente deixei a mão de molho, não sai, mas então diga o que quer conversar. 

-Bem nós nos casamos, bêbados em Las Vegas. 

-Sim e amanhã de manhã o advogado vai vir resolver nossa situação, vai ser como se nada disso tivesse acontecido, era só isso que queria conversar? 

-Na verdade vim aqui pra outra coisa também - Ele disse e começou a se aproximar de mim, aproximação de mais, ele parou a centímetros de distancia. 

-E seria pelo que? 

-Qual é Avril, não seja careta, eu sei que você me quer. 

-Quem te enganou dizendo isso? 

-Você, quando bebeu e se casou comigo. 

-Então parece que você também me quer, já que você também casou comigo. 

 -Acha que vim aqui pra olhar pra essa sua cara? - Ele colocou suas mãos em minha nuca e me puxou pra um beijo, confesso que cheguei e relutar de primeira mas não sabia o que tinha acontecido comigo quando simplesmente me entreguei, me entreguei ao meu "marido". 

Ele me jogou na cama abrindo minha pernas e ficando entre elas me beijando de novo, por algum motivo tinha desligado todo e qualquer tipo de consciência que eu tinha, o beijo não tinha nada de calmo era um beijo urgente, como se estivesse esperando a séculos por aquilo e quisesse tirar o atraso, o beijo tinha gosto de cigarro e menta, ele começou a deslizar as mãos por dentro da minha blusa me apalpando inteira, ele levantou minha blusa devagar deslizando a mesma e tirando do meu corpo, ele tirou a camisa dele logo em seguida e voltou a me beijar, ele desgrudou os lábios dos meus começando a beijar meu pescoço e a descer lentamente até o botão da minha calça, e  aquilo me deu arrepios, ele abriu o botão da minha calça arrancando ela do meu corpo junto com a minha calcinha, ele me beijava e abria a calça dele, tinha certeza que ele estava se desdobrando pra fazer os dois, ele tirou a calça junto com sua cueca e voltou a me beijar, quando paramos ele me olhou nos olhos. 

-Vamos, me peça pra ser seu. 

-Eu não peço nada, eu só sinto. 

-Como quiser, princesa. 

Ele disse me penetrou de um jeito bem bruto, ele estocava forte e eu tentava ser forte e não soltar nenhum gemido, mas estava ficando mais difícil a cada estocada. 

-Eu sei que você quer gemer pra mim. 

-Engano seu. 

-Anda para de se fazer de difícil – Ele disse e começou estocadas mais fortes e mais rápidas e não conseguia mais segurar, meus gemidos preenchiam o silencio que havia na suíte - Não foi tão ruim. 

-Cala a boca! E continua! 

-Já que está pedindo – Ele continuou mesmo depois de ter chegado ao seu topo, continuou até me satisfazer, e quando isso finalmente aconteceu, ele caiu ao meu lado, não fiz absolutamente nada mas estava cansada, então acabei deixando ele ali, e aos poucos fui adormecendo. 

Acordei com o alarme do me celular gritando no meu ouvido, a reunião! Olhei pro lado o cabeçudo ainda estava dormindo, e pra constar do meu lado, na minha suíte. 

-EIIIII – Eu disse sacudindo ele. 

-Meu Deus como você é histérica! - Ele simplesmente me empurro e voltou a dormir. 

-Acorda e vaza da minha suíte! 

-Me obriga. 

-Se você esqueceu temos uma reunião agora cedo pra resolver essa situação então se você não quiser ir eu vou sozinha MAS SAI DA MINHA SUÍTE. 

-Sabe – Ele disse levantando e colocando roupa - Só vou nessa porra porque você é insuportável, e como todo homem do mundo eu não suportaria a ideia de ficar casado com você a vida toda - Me levantei abrindo a porta e segurando pra ele sair, se aquilo me doeu? Um pouco. 

-Te vejo na reunião - Eu disse quando ele passou pela porta e fechei a mesma.  

Fui direto pro banho, eu confesso que muitas vezes odiava a hora do banho porque era a hora em que as memórias vinham a tona e começava a pensar, e minhas memórias vocês devem imaginar do que seja, sim fui fraca, não resisti, mas era porque não consegui, sai do banho ainda pensando em tudo, fui até a mala pegando um jeans azul claro com alguns rasgados, uma blusa preta básica e meu tênis, arrumei o cabelo, passei a maquiagem de sempre e sai do quarto chamando o elevador, meu advogado já tinha mandado uma mensagem que tinha chegado e só estava a nossa espera, cheguei no térreo e pedi informações antes de me perder pra fazer isso, cheguei até a pequena sala e estava meu advogado e o insuportável. 

-Que bonito, a princesa me expulsa e ainda chega atrasada. 

-Por que você não cala a boca? Você é mais bonito de boca fechada. 

-Você é mais bonita sem roupa, mas não é por isso que fico pedindo pra você tirar a roupa toda hora – Acabei ignorando o idiota e dirigindo minha atenção ao advogado. 

-Então como vamos resolver isso?  

-Receio que não possam resolver isso agora – Ele disse. 

-O que? Quer dizer que não posso me separar desse babaca – Disse apontando pro idiota. 

-Agora é babaca né, não preciso nem falar nada pra você. 

-No momento seria impossível separar vocês por alguns motivos. 

-E quais os motivos que prendem a essa nojenta – A troca de elogios tinha que ser reciproca não é mesmo?! 

-Primeiro motivo, vocês perderam a certidão de casamento, segundo motivo, isso afetou diretamente a reputação dos dois e da banda, os fãs estão tendo uma resposta positiva em relação ao casamento, ainda mais por parte da Avril, terceiro motivo e final, vocês jogaram no casino aquela noite e foi estipulado que ganharam um valor de 1000 mil naquela noite. 

-100 MIL? - A ultima coisa foi a que chocou de verdade. 

-Então como o dinheiro é dos dois, e não temos certidão de casamento não conseguimos o divórcio e nem separar esse dinheiro, receio que terão que continuar casados, e com a repercussão dos fãs, como diz minha vó, aconselho vocês a "juntares seus trapos". 

-Tipo morar na mesma casa? - O cabeçudo disse fazendo uma careta. 

-Se quiserem usar o dinheiro ficando um de olho no outro e ainda agrada os fãs, é o que resta, não posso fazer mais nada por vocês dois – Ele disse se levantando da cadeira - Vou deixar vocês sozinhos pra que possam resolver isso – Ele saiu a sala deixando só eu e o cabeçudo. 

-Bem princesa não temos o que falar, só que não traga muitas tralhas pra minha casa. 

-O que te faz pensar que vou morar com você? 

-E o que faz você pensar que vou morar com seu irmão de novo? Tenho minha casa, você que se mude. 

-Estou vendo que não vou ter muita opção - Ele levantou e foi até a porta. 

-Se lembre sempre que você vai ter que conviver comigo, mas eu também vou ter que conviver com você - Ele disse e saiu da sala. 

Ótimo, tudo que queria da minha vida, casar com o Brian e agora ter que morar com ele, porque o imbecil não consegue guardar uma certidão de casamento. 


Notas Finais


Peço perdão pela demora é que estuda a noite, fica complicado sair mais cedo kk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...