História Meu Professor De Sexo - Adaptação - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Carlos Sexo
Exibições 413
Palavras 712
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 15 - Capítulo 15


Caiu na cama gargalhando. O corpo pulsando e exausto.

Naquele domingo não faria mais nada além de dormir…Dormir e sonhar.

Amanda estava sentindo-se confusa em relação ao que estava acontecendo entre ela e Carlos. Estavam apenas na terceira semana desde que se encontraram pela primeira vez, e nada era o que ela esperava.

Achou no início que Carlos saíria com ela algumas vezes, ensinaria-lhe algumas coisas, dormiria com ela algumas noites e então ela estaria pronta para sua vingança perfeita.

Mas aquele moreno sexy adentrou sua vida como uma bomba e explodiu todas as suas barreiras e certezas.

Deu a ela mais que algumas dicas especiais, estava despertando nela um instinto sexual que ela não sabia existir.

Havia dois dias que nem ao menos se falavam, ele a estava deixando louca com aquele joguinho.

Primeiro parecia que não sentia nenhuma vontade de estar com ela, apenas enganando-a com passeios e beijos, depois a chamava de namorada e a deixava louca na primeira transa, após isso sumia por dias e sequer dava qualquer sinal de vida, no entanto num outro momento aparecia como um raio em sua vida, reclamando posse sobre ela e tirando seu fôlego mais uma vez.

Estava louca de saudades, louca de desejo e era isso que ele fazia com ela. Simplesmente a deixava maluca.

Ali estava Amanda, deitada em sua cama, exausta do trabalho, precisando dormir e não conseguia. E o único e exclusivo motivo para isso tinha um nome: CARLOS.

Seu corpo vibrava só de pensar nele, só de lembrar do gosto dele, do toque dele.

Como conseguiria dormir com o corpo em chamas como se tivessem lhe atirado numa fogueira? E onde estava aquele desgraçado filho da mãe que não aparecia para aplacar sua fome?

Depois de domingo não vira mais Pablo, apenas mandara que entregassem seus pertences na casa de sua nova namorada.

Descobriu com muita surpresa que não estava nem ai pelo fato de Clara ( namorada de Pablo) ter lhe jogado na cara que Pablo morava com ela, na verdade lembrou-se disso apenas por que viu a caixa das coisas dele no canto que deixou.

Com Maite fora fácil, a morena aceitou com muito entusiasmo o “namoro” de seu irmão e ainda tentou subornar Amanda para que ela a ajudasse com Cristian. “Assim fica tudo em família” disse Maite. 

Mas Amanda não lhe contou os detalhes daquele namoro. Não lhe disse que ele tinha um prazo para acabar.

E de repente pensar naquilo lhe deu uma sensação de vazio e abandono, um “que” de choro lhe veio aos olhos e um bolo se formou em sua garganta.

Estava prestes a se levantar e tomar outra ducha fria afim de aplacar aquela tensão que tomava conta de seu corpo quando o telefone tocou. Ela bufou e esticou a mão para o aparelho, desistiu de pegar o fone e apenas ligou o viva voz.

- Alô.

- Amanda.

Ouvir aquela voz sexy sotaque másculo e recheado de sensualidade mexeu com cada poro seu.

- Oi Carlos.

Ela tentou controlar o tremor na voz.

- Olá pequena, desculpe a demora pra te ligar, andei ocupado.

- Tudo bem, você tem direito a uma vida além de mim.

Ela tentou soar engraçada, mas sua voz saiu cheia de ressentimento.

- Senti sua falta linda. - Ela riu pelo nariz.

- Não precisa mentir pra me fazer sentir bem Carlos.

- Estou falando a verdade. Não fui te ver por que estou fora da cidade, precisei trazer Tia Cássia para casa, ela passou mal durante o jantar.

Maite havia mencionado algo, mas no momento ela mão prestara atenção.

- Oh, Carlos eu sinto muito, como ela está?

- Melhor agora, ela vai ficar bem. Estou de volta amanhã e pensei em curtimos uma saída juntos o que acha?

Ela sentiu-se estranhamente feliz demais com o convite.

- Eu adoraria.

Ela falou com mais empolgação do que gostaria de ter passado. Pôde ouvir o ressonar da risada de Carlos do outro lado da linha.

- Estou mesmo sentindo sua falta. - Ele disse e ela quase derreteu;

- Também estou. - Se pegou dizendo sem querer.

- Mandinha... - Ela o ouviu chamar com aquela típica voz de garoto que vai pedir algo pra mãe. - Não vou suportar esperar até chegar em casa.

Aquilo a atingiu em cheio.

- O que quer dizer com isso Carlos?

- Quero dizer que estou louco demais de saudades de você para aguentar até amanhã.

Amanda engoliu em seco.

- E isso significa que…?

..

....


Notas Finais


Não postei ontem pois não deu. :( mas, tá aí! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...