História Meu Professor De Sexo - Adaptação - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Carlos Sexo
Exibições 428
Palavras 768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hiiiii☀☀☀💕❤

Capítulo 17 - Capítulo 17



Ele sorriu de leve.


- Academicamente falando, seria estimular você a conhecer seu próprio corpo, e também mostrar a você que mesmo que estejamos longe um do outro podemos nos satisfazer.


- Conheço meu corpo Carlos Santana.


Ele iniciou uma gargalhada, mas sua voz foi imediatamente abafada, no que ela supôs que ele mesmo a abafou com a mão.


- Você não é tão inocente ao ponto de não ter entendido o que eu quis dizer Amanda - Ele disse com tom de riso - Aceita ou não?


- Tudo bem - ela disse depois de um tempo em silêncio. - Vamos ver como isso se desenrola.


- Tão fria assim senhorita Amanda? Nem de longe me lembra aquela mulher quente que eu tive em meus braços à alguns dias.


Ela enrubesceu na hora.


- Isto inclui deixar-me envergonhada Carlos?


- Não, isto inclui apenas ajudá-la a desenvolver suas fantasias mais insanas através da minha voz. - ela estremeceu - Você é linda Amanda. Sabia disso? É linda, quente e excitante. E se eu estou aqui, pendurado neste telefone sem conseguir conter esse desejo louco a culpa é estritamente sua.


- M-Minha?


- Sim, sua. Você é inacreditavelmente sexy.


- Carlos… - ela sibilou fraco, seus desejos tomando o controle de suas ações lentamente.


Ela sentiu quase que imediatamente os bicos dos seios ficarem rígidos e um ardor insuportável habitava seu ventre.


- Tudo o que eu desejei nestes dias longe de você foi tocar sua pele de novo. Sua pele quente e deliciosa, completamente despida sob meus dedos. Você está vestida Amanda?


Ela perdeu mais um pouco dos sentido.


- Parcialmente. - ela disse já rouca.


Ele sorriu imaginando como seria o parcialmente. Ele não precisaria de muito incentivo da parte dela para conseguir seu próprio clímax, já esta duro como um pedra e pronto, precisa apenas de alguns segundos de uma manobra frenética que ele conhecia muito bem, porém era nela que pensava. Libertaria Amanda dos medos e pudores, um a um, até que não restasse mais nada que a impedisse de ser sexualmente livre.


- Dispa-se, Amanda.


Ela sentiu-se tremer sob a ordem que ele lhe deu. Sentiu vontade de controlar seus atos, mas não pôde, foi automático, simplesmente levou as mãos ao nó do robe que vestia e o retirou, depois num único puxão fez a camisola deslizar para o chão.


- E então?


- Estou… despida.- ela disse com dificuldade.


- Boa menina, - ele disse com tom safado na voz. - Posso imaginar Amanda, posso ver você, consegue sentir minhas mãos sob sua pele? Explorando-a? Vamos pequena, sinta, copie meus movimentos.


Ela instintivamente levou a mão ao pescoço.


- Onde você está se tocando?


- No meu pescoço. - ela disse fraco.


- Desça as mãos querida, faça o caminho que eu faria. Eu tocaria seus seios com gentileza, como eles merecem ser tocados.


Ela seguiu as ordens dele e sentiu um arrepio frio cortar-lhe o dorso quando tocou o bico túrgido do seio direito.


Repetiu o gesto com a outra mão e deixou um gemido rouco escapar.


- Isso minha menina - ele disse com a voz cada vez mais carregada - Agora sinta-se, sinta como sua anatomia é perfeita, como sua pele é macia, eu gostaria de prová-la Amanda, inteira. Gostaria de deslizar minha língua nos seus seios perfeitos.


Ela roçou as coxas numa agonia delirante.


- Carlos…


- Está gostando Amanda


- S-sim… - estava cada vez mais difícil falar.


- Minha nossa, você é deliciosa Amanda, sabia disso? Eu fico louco só de me imaginar deslizando para dentro de você. Você consegue ver? Consegue sentir? Estou ai Amanda estou sobre você. Faça o caminho com suas mãos querida, faça por mim.


Sem conseguir se conter ela o fez.


Desceu o dedo indicador lentamente pelo ventre e tocou seu próprio sexo com cuidado, como se apenas o estivesse conhecendo agora. Forçou um pouco o clitóris, pressionando-o e arfou.


- Ah… Carlos…


- Sim Amanda sou eu… Mesmo distante, eu estou ai. Estou com você. Toque-se e será como se eu estivesse te tocando, por que eu estou nos seus pensamentos e não há nada de errado nisto. Experimente o que eu experimento minha querida, por que eu também me deixo dominar por você, mesmo quando estou sozinho. Agora curta-se Amanda.


Ela deslizou o dedo nos lábios do seu sexo, estava inteiramente molhada, o que fez com que o deslize dos dedos ficasse ainda mais delicioso.


Sua intimidade pulsava, pedindo que seus dedos afundassem mais, mas ela se conteve em manter o passeio.


- Onde você está se tocando minha linda?


- Você… você deve fazer… uma idéia.


Ele sorriu.


- Isso Amnada, conheça seu corpo. Tenha domínio sobre ele. Ele lhe pertence, e você faz com ele o que quiser.


- Quero que sinta prazer Amanda, está sentindo? Quero te dar prazer.


- Meu Deus…

...

...


Notas Finais


Haha! Disse que iria postar, e postei! ❤ 😹😏 bom amores, é isso! Bjs❤ até amanhã !👋💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...