História Meu Protetor - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Pattie Mallette
Tags Babá, Drama, Jailey, Luta, Obsessão
Visualizações 39
Palavras 1.740
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Luta, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 2 - Capitulo 2


Fanfic / Fanfiction Meu Protetor - Capítulo 2 - Capitulo 2

 


       Acordo sentindo meu coração acelerando, me sento e quando olho em volta suspiro aliviada, foi só mais um pesadelo. Os homens que abusaram de mim sempre veem me aterrorizar nos meus pesadelos, e neles sempre reproduziam tudo que sofri nas mãos deles, coisas que eu não gosto nem de falar sobre. Me acalmei e me pus de pé indo até o banheiro, me olhei no espelho e percebi o quanto estava assustada, eu soava.

Depois de fazer minhas minhas higienes matinais, saio do banheiro me enrolando na toalha indo até o closet. Coloco minha calça jeans azul, uma bota cano curto preta, e uma regata da mesma cor que bota e pego meu casaco o vestindo. Olho para o relógio que ficava na parede do meu quarto e faltava uns 30 minutos para que eu pudesse sair pro meu primeiro dia de trabalho. Pego meu diário em cima da cama junto com uma caneta azul, sento em cima da cama e começo a escrever.

 

 

" Querido diário, hoje é o meu primeiro dia de trabalho, eu estou um pouco nervosa, eu adoro crianças. E já passou da hora de eu tentar recomeçar, tentar ter uma vida normal. Vai fazer dois meses que eu fui sequestrada, dois meses que todo aquele pesadelo acabou. Eu tenho pesadelos constantemente, tenho ansiedade, as vezes não consigo lidar com toda essa aflição. Moro apenas com minha irmã, e a mesma não para em casa, vive estudando, saindo com as amigas, mas ela quase sempre está presente nos meus momentos mais difíceis. Eu fico aliviada em saber que consegui escapar, fico aliviada em saber que não vou ser mais torturada e nem estuprada quase todos os dias. Eu só não consigo entender por que fizeram isso comigo. Estragaram a minha vida. Não consigo dormir tranquila, não consigo andar normalmente pelas ruas sem ter a sensação de que alguém está me perseguindo, ou se tem algum homem querendo se aproximar de mim com outras intenções. Eu não consigo me aproximar mais de nenhum homem, sinto uma energia negativa de repente, por isso me afasto, pra maioria devo ser considerada uma estranha. "

 

 

 

Após me arrumar, saio de casa encostando a porta. Daqui a pouco Carolyn acorda para ir a escola, ela perdeu a chave dela. Eu estou muito nervosa para o meu primeiro dia de trabalho, eu adoro crianças! Elas são fofas e amigáveis. Bom, a maioria é. Ando normalmente pelas ruas, quando olho para trás vendo um homem andando do outro lado da rua. Ele olha para mim e tento ao máximo ficar tranquila e não ter aquela sensação estranha de que tem alguém me seguindo, só deve ser um homem normal, com problemas normais, vida normal como uma pessoa comum. Olho novamente para ele e o mesmo mantinha olhos presos a mim. Respiro e inspiro. Calma, Katherina. É só um homem. Minhas mãos começaram a soar, e com o nervosismo as esfreguei, tentando parecer um ato normal. Meu coração começa a acelerar, olho novamente para ele e o mesmo continua olhando para mim o que me fez apressar meus passos. As pessoas me olhavam com uma expressão confusa, pois eu não estava nem aí. Eu só não quero que aconteça tudo novamente, isso é tudo o que eu menos quero. Olho para trás e o homem estava sorrindo e logo em seguida se ajoelha no chão, enquanto dois meninos que aparentam ter seis ou cinco anos de idade correm em direção a ele dando-lhe dando um abraço apertado. Paro durante alguns segundos observando aquela cena e sorrio, deve ser tão legal ter um pai. O homem olha para mim com uma expressão confusa e logo sorri, e eu retribuo de forma educada e continuo andando normalmente. Suspiro aliviada.

 

Aquele homem deve me achar uma doente mental! Eu só estou querendo ter uma vida normal como qualquer outra garota, mas isso está se tornando impossível. A Minha mente me mantém presa nas coisas ruins que aconteceram comigo, e a pergunta que não quer calar é: Qual o motivo deles terem feito isso comigo? Eu não consigo entender, sempre fui uma pessoa amigável, divertida e simpática na maior parte do tempo. Agora eu só sou uma garota insegura que se assusta com qualquer coisa, sendo atormentada pelo meu passado miserável. Quando me dou conta já estou na frente do portão da casa da Srta. Mallete, ou melhor, na frente da mansão da Srta. Mallete. A mulher que me contratou para ser babá de seus filhos, ela é muito legal e simpática. Gostei muito dela.

 

O portão foi aberto por uma mulher que aparentava ter um 37 anos, deve ser a empregada da casa, ela estava segurando um regador na mão. Entrei e sorri com o que vi, um jardim lindo, cheio de vida, plantas e todas muito bem cuidadas. Subo as escadas da varanda apertando a campainha. Em cerca de alguns segundos a porta foi aberta pela Senhorita Mallete, ela logo sorri para mim.

 

— Bom dia, querida! Entre por favor. — Ela diz e eu logo entro observando cada canto daquela sala. Tudo era muito luxuoso.

— Olá, senhorita Mallete! — sorrio simpática e logo em seguida nos cumprimentamos com um aperto de mão. — Linda casa a senhora tem. — Disse olhando para todos os cantos da casa, era maravilhoso.

— Obrigada, querida! — Ela sorri de lado e logo a empregada entra. — Pode me chamar de Pattie. — Diz ela simpática. — Daniele, por favor. Vá chamar Justin, Jazmyn e Jaxon. — A encaro com uma expressão confusa, quem é Justin? Ela só me falou de Jazmyn e Jaxon. 

— O Senhor Justin não está. — A empregada diz e Patricia revira os olhos, ela parecia impaciente.

— Então chame as crianças. — Patricia ordena e assim a empregada fez.

— Então senhorita Pattie, quem é Justin? — Pergunto confusa. 

— Ah! Justin é o meu filho mais velho. — Disse ela sorrindo e depois de alguns minutos a empregada veio com Jazmyn e Jaxon, e apenas sorri para eles.


— Então crianças, esta é Katherina. A nova babá de vocês. — Pattie me apresenta as crianças, Jazmyn parecia ter quatro anos de idade e já Jaxon parecia ter sete. A pequena Jazmyn se escondia em uma das pernas de Pattie. Sorri vendo os dois, duas crianças lindas. Com cabelos loiros e feições finas, e parecidos. Me abaixei e me aproximei.


— Oi meus amores, meu nome é Katherina, eu vou amar cuidar vocês! — Peguei a mão dos dois e sorri, na hora os peguei e lhe dei um abraço nos dois de uma vez só. Eles sorriram para mim e logo em seguida levanto olhando para Pattie e ela me entrega o cronograma de tudo que as crianças tem que fazer durante o dia.

— Então, está tudo no cronograma, você só não precisa leva-los para a escola porque temos motorista. E você pode ficar vendo televisão ou sair um pouco enquanto eles estiverem na escola, mas não demore ok? — Disse ela e eu assenti, cruzei os braços a vendo depositar um beijo na testa de Jazmyn e Jaxon. Ela caminha até a porta girando a maçaneta e logo fala:

— Comportem-se crianças e obedeçam a Katherina. — Disse saindo e dou uma olhada no cronograma vendo o horário que as crianças vão para a escola.

 

Jaxon corre em direção ao sofá se sentando no mesmo ligando a tv, e Jazmyn continua parada olhando para mim.

 

 

— Quer brincar comigo? — Ela disse e eu assenti sorrindo. Sentamos no chão da sala e tiramos as bonecas caixa de brinquedos. Ficamos brincando por alguns minutos e Jazmyn era menina tão doce e divertida, nós riamos, e colocávamos as bonecas pra dormir, depois elas acordavam para pomar chá. Enquanto as bonecas dormiam nós começamos a brincar de quebra-cabeça junto com Jaxon.

 

Depois de alguns minutos brincando com aquelas adoráveis crianças está de hora que arruma-las para escola. Subi até seus quarto e tudo era tão lindo, seus brinquedos arrumados e tudo muito grande. Peguei o uniforme dos dois e botei esticados em cima da cama dos dois, voltei e os peguei.

 

— Vou dar banho em um de cada vez, quem quer primeiro? — me abaixei e sorri para eles, na hora Jaxon negou com a cabeça me fazendo rir. — Vamos lá, você vai ficar muito cheirosa! — ela sorriu e eu lhe dei um banho rápido, logo penteei seus lindos cabelos loiros e lisos, como essa menina pode ser tão linda e adorável??

 


     Voltei para o quarto e a deixei toda arrumada brincando com suas bonecas e peguei Jaxon, tirei sua roupa e o botei dentro do boxe.

 

 

— Posso tomar banho com o meu boneco? — ele disse todo angelical.

— Claro que pode, seu fedorentinho! — Depositei um beijo em sua testa e lhe dei banho, que foi um pouco mais difícil que Jazmyn porque Jaxon não parava um minuto. Descemos e a comida deles estavam prontas, lhes dei a comida e brincamos comendo, são crianças tão adoráveis que vai ser o melhor trabalho do mundo pra mim.

 


      O motorista entrou na cozinha dizendo já estar na hora de leva-los. Peguei suas mochilas e os botei dentro do carro.

 

 

— Se comportem e estudem muito, ok? — os dois concordaram sorrindo e eu vi o caro sair pelos portões da casa. Voltei para dentro e pensei, o que eu vou fazer dentro dessa casa a tarde inteira? Vi algumas coisas das crianças no chão e isso, é isso que eu vou fazer. Comecei a pegar alguns brinquedos do chão quando ouço a porta abrir, termino de colocar as coisas em seu devido lugar quando escuto uma voz rouca e grossa.


— Temos empregada para isso, não precisa fazer. — Na hora me viro e lá está ele com os braços cruzados, ele me encara. Um arrepio percorre todo o meu corpo, até o olhar de um homem me assusta.

— Pode deixar, eu gosto. — Disse simpática e sorri de lado — Você deve ser o Justin, irmão mais velho das crianças. Eu sou Katherina Grey, a nova babá deles.

— Eu sei quem você é, seja bem-vinda. — Ele disse de uma forma e senti algo estranho, ele tem um olhar muito sombrio e ao mesmo tempo convidativo.

 

Ele deve me achar uma mal educada por não pelo menos apertar a sua mão, mas eu não consigo, até isso já me apavora. Acho que vai ser um pouco difícil ficar perto de um homem depois de tudo, e como vai ser com Justin? Eu não sei, só sei que vou ter que aprender a lidar com isso, trabalhar na mesma casa de um homem.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Continuo??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...