História Meu Querido Colega De Quarto - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyung, Byun Baekyung, Chanyeol, Chen, Do Kyung Soo, Do Kyungsoo, Exo, Huang Zitao, Jogin, Kai, Kim Jong Dae, Kim Jongdae, Kim Jun Myeon, Kim Junmyeon, Kim Min Seok, Kim Minseok, Kris, Lay, Luhan, Oh Sehun, Park Chanyeol, Sehun, Suho, Tao, Wu Yi Fan, Xiumin, Yi Fan, Yixing, Zhang Yixing, Zitao
Visualizações 163
Palavras 6.069
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Comédia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui está o próximo capítulo.

Espero que gostem.

😊😊😊

Capítulo 23 - Pra que tudo isso?


Fanfic / Fanfiction Meu Querido Colega De Quarto - Capítulo 23 - Pra que tudo isso?

*Povs ________(S/N)









Uma árvore.









Outra árvore.









Mais uma árvore.









E outra e outra e outra.









Já faz quase meia hora que estamos nesse carro sem ter nenhum tipo de civilização a vista. Só mato, árvores e plantas.



"Quando ele disse que era afastado não estava brincando" penso quase me debruçando na janela do carro enquanto Vivi dormia sossegado no meu colo.



Confesso que é tudo muito lindo. O sol bate nas folhas das plantas e das árvores formando sombras que deixam a paisagem muito bela. O céu está num tom de azul que não consigo cansar de olhar e vários pássaros passam cantando em bando curtindo sua liberdade, mas era realmente necessário ir morar em um lugar tão isolado assim?!



"Bem... ele e sua omma foram ameaçados por pessoas do além... é, acho que esse isolamento todo tem fundamento"



Olho para a frente e acabo arregalando os olhos devido a surpresa já que não é todos os dias que você vê um portão enorme preto com a inscrição "Oh" em dourado.


—Há quanto tempo Sehun... Annyong-haseyo senhorita.

Diz um senhor sorrindo para Sehun e depois me cumprimeta sorrindo ainda mais.


— Olá senhor Shin, tudo bom? Enfim, eu vim trazer minha namorada para vistar minha omma junto comigo.

Fala sorrindo orgulhoso enquanto eu aceno envergonhada para o senhor que parece ser o chefe da segurança.


— Namorada? Finalmente e... B-Bem podem entrar. A senhora Oh disse que estaria esperando vocês no jardim atrás da casa... ABRAM ESSES PORTÕES QUE O PATRÃO CHEGOU.

Parecia que ele iria falar outra coisa, mas se interrompe, avisa que senhora Oh já nos espera e depois manda os outros guardas abrirem os portões.


Sehun apenas solta um riso soprado e balança a cabeça negativamente se divertindo com a cena enquanto eu observava tudo impressionada.


Aquele lugar deixava todos os contos de fadas no chinelo.



"Me iludi feio quando pensei que seria uma casa super discreta" penso olhando para uma mansão cercada por gramado recém aparado com uma picina excessivamente grande na frente.


— Não precisa fazer essa cara. Eu sei que deveria ter avisado, mas não queria que você ficasse nervosa e...

Fala depois de ver minha expressão de puro choque enquanto dirige e estaciona o carro bem em frente a porta.


— Eu só não estou acostumada. Isso é surreal. Não tem como eu me abituar a essa realidade e...

Digo saindo do carro olhando para todos os lado impressionada com tamanha beleza já que Vivi pulou de meu colo assim que abri a porta do carro e correu em direção à porta de entrada.



"Será que dá tempo de correr?".



— Claro que vai. Só não se preocupe com nada.

Fala colocando seu braço ao redor de meus ombros e depositando um leve selar na minha bochecha.



"Como me acostumar com isso?!" penso sentindo minhas bochechas arderem.



Sei que estamos namorando, que moramos sob o mesmo teto e que logo daremos um passo a mais no nosso relacionamente, mas é de Oh Sehun que estamos falando e convenhamos que é difícil acreditar que tudo isso está acontecendo.


— Que saudades de você.

Fala uma senhora de aparentemente 45 à 50 anos abraçando Sehun sem nem mesmo deixa-lo tocar a campainha.



"Que fofa" penso olhando o quanto ela gosta de Sehun pois posso ver isso em seus olhos e, é claro, nos seus gestos afetuosos.



— Também senti sua falta senhora Mi-Ran. Essa daqui é a minha...


— Aigo. Você é a ________(S/N)? A garota que Sehun vive falando e deixa escapar alguns suspiros enquanto fala o quão ela é linda e perfeita para ele? Muito prazer querida. Meu nome é Mi-Ran e eu cuido desse rapaz desde que ele era pequeno.

Fala tudo muito rápido parecendo muito feliz por me conhecer e me dá um abraço caloroso que retribuo de bom grado vendo Sehun totalmente corado olhando para os próprios pés.



"Sério que ele dizia isso de mim?!" penso cada vez mais feliz e envergonhada com a situação.



— Por que estamos aqui fora? Vamos entrando porque a senhora Oh já está impaciente com sua demora mocinho. Você sabe como ela gosta de pontualidade, fora que ela, assim como eu, está morrendo de saudades.

Diz nos puxando para dentro sem nos deixar falar mais nada.


— Então querida, como é morar com ele? Sei que ele é muito confuso. Até eu não entendo esse ser as vezes. Lembro quando ele contou do plano de te fazer ciúmes levando uma garota sempre que pudesse para o dormitório de vocês... eu tentei abrir os olhos dele e dizer que isso não daria certo, mas vê se esse ser me escutou?

Fala nos arrastando pela imensa sala, cozinha e corredores da mansão que parecia não ter fim enquanto deixava Sehun quase num tom roxo de vergonha.



"Então era por isso que... " paro de processar as informações quando me toco que Sehun só queria chamar minha atenção o tempo todo enquanto eu tentava fingir que não sentia nada.



— Pronto. Chegamos. Aqui é o jardim querida. Vou leva-los até a senhora Oh e ficar ao lado dela porque felizmente somos amigas já que trabalho para ela há muitos anos então vou poder ficar sabendo de tudo o que esse menino aprontou enquanto estava fora.

Diz risonha nos guiando por um arco coberto de flores até chegarmos a algumas poltronas brancas e encontrarmos um mulher com uma taça de champagne ou coisa do tipo na mão.


Dá para ver que ela tem quase ou a mesma idade que a senhora Mi-Ran, mas ela esbanja muita jovialidade, principalmente, quando sorri abertamente como agora quando viu que seu filho está aqui e de mãos dadas comigo.


— Não creio que estou viva para ver isso. Meu filho trazendo uma garota aqui. Finalmente meu bebê tomou coragem para se declarar. Confesso: estava quase perdendo as esperanças. Mas aquele pedido foi maravilhoso. Quase chorei. E você? ________(S/N) não é?! Muito obrigada por cuidar do meu filho quando eu estava longe. Sou muito grata por isso. Pode ter certeza que eu abençoou o casamente e...

Diz depois de deixar a taça na mesinha de centro e nos abraçar tão apertado que pensei que não sairia viva dessa.


— O-Omma, calma. Você vais assusta-la desse jeito e... como você sabe do pedido?! Eu não contei nada.

Fala confuso e muito corado, certamente, devo estar no mesmo estado.


— Você achou mesmo que eu não iria investigar o que estava acontecendo depois de descobrir que você madou fazerem um anel exclusivo e m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o no começo do ano na nossa maior joalheiria em Seul? Consegui todas as informações possíveis. Desde quando vocês se conheceram até agora. Tive até que mandar um de meus funcionários para roubar uma pasta de informação sobre ________(S/N) na faculdade para saber quem era a garota que finalmente conseguiu fazer meu bebê se apaixonar.

Diz com um sorriso cada vez mais largo.


 

"Será que todo mundo da família Oh é complicado desse jeito" penso sorrindo sem acreditar no que acabei de ouvir.



— Eu tentei convence-la de que isso não seria uma boa ideia, mas ela não me ouviu e...


— Nem vem tentar jogar a bomba para cima de mim Mi-Ran porque você ficou tão euforica quanto eu quando vimos que ela é mais do que digna de ser a futura senhora Oh e assumir os negócios da família junto do Sehun.

Diz senhora Oh interrompendo Mi-Ran que parecia um pouco envergonhada por ter sido entregue.

















Olho para Sehun e ele só observava quieto e com as bochechas rosadas pelas confissões que estavam rolando soltas ali.


— Enfim, prazer. Me chamo Dae e espero que você me chame assim, mas sou conhecida como "a temida senhora Oh" porque tenho que tomar conta da empresa. Fico muito feliz de conhecer minha nora. Espero que goste de nossa família porque com certeza meu filho ainda vai te pedir em casamento. Bebê, leve-a até seu quarto e arrumem suas coisas. Depois quero que descam e vão até a sala de jantar porque precisamos conversar sobre algumas coisas, okay?

Fala olhando em meus olhos e depois dá as ordens a Sehun.



" A palavra casamento está sendo muito utilizada ultimamente" penso um pouco atordoada.



— Sim, mas... digo, claro omma.

Ia contestar, mas resolve obedecer após receber um olhar intimidador da senhor... da Dae.


Sehun segura minha mão e começa a me levar pelo caminho de volta.


— Ela é uma graça não é? Com certeza vai fazer Sehun muito feliz... só espero que ele não fique bravo quando eu o apresentar para o...

Paro de ouvir pois nos afastamos cada vez mais adentrando novamente a mansão.


— Eu disse que você não precisava se preocupar com nada. Ela amou você.

Fala me guiando por entre os diversos corredores desse lugar.


— Por que aqui tem tantos quartos?

Pergunto cansada de andar pois já faziam quase 10 minutos que caminhavamos.



"Pra quê tudo isso Deus?!"



— Por que minha omma tem muito dinheiro e se a gente não gastar dinheiro com isso vamos fazer o que com ele?! Claro que nós doamos uma boa quantia em dinheiro para algumas instituições de caridade ao redor do mundo sempre que possível, mas mesmo assim...

Diz dando de ombros e finalmente parando de andar ao chegar em frente a uma porta.


— Bem vinda ao nosso quarto temporário.

Fala abrindo a porta e deixando Vivi, que nos seguia até agora passar.


— Nossa... parece até que quem dorme aqui é um dono de empresa super exigente e, é claro, estiloso.

Digo olhando aquele quarto, que é o maior e mais bonito que eu já vi até hoje.


— Obrigado pela parte do estiloso... bem, já trouxeram nossas malas então vou te ajudar a colocar suas coisas no meu closet.

Diz pegando sua mala enorme e minha mochila como se fossem apenas dois travesseiros de penas.


O sigo durante alguns segundo e me desequilíbro quando vejo o closet a que ele se refere com tanta naturalidade.


Como descrever? Só haviam roupas socias das melhores e mais caras grifs conhecida, sapatos e cintos combricados com os mais finos couros e os ternos. Eu poderia passar o final de semana inteiro só olhando para aqueles ternos e o imaginando usando apenas um deles.



"Acho que seria o meu fim" penso sentindo meus olhos brilharem porque se Sehun já é meu pecado ele viraria minha perdição usando uma dessas peças.



— Vou deixar suas coisas aqui okay? O banheiro fica ali. Se você quiser ter uma vista da área é só ir aquela direção que tem uma sacada e algumas poltronas para você observar tudo o mais confortavelmente possível e se você se sentir entediada tem uma sala de jogos escondida, na verdade, camuflada na parte mais escura do quarto porque quando meus primos vinham aqui quase quebravam meus consoles e...


— Calma, acho que é muita informação para absorver. Esse lugar parece um sonho. Olha essa cama. Está tão reta e lisa que eu teria que ficar um dia inteiro passando o ferro para deixa-la desse jeito.

Estava tão atonita com a situação que fui reparar na cama.


— Para falar a verdade nem mesmo eu sei como fazem isso. Sempre que acordo vou para o banheiro tomar banho e escovar os dentes e quando volto já está tudo assim.

Fala rindo das minhas reações enquanto Vivi nos observava deitado bem no meio da cama de seu dono.


— V-Vamos logo ver descer e ver o que a senhora Oh quer antes que eu acabe morrendo de vergonha aqui.

Digo corando e desviando o olhar.



"Não tem como me acostumar com tudo isso"



— Não precisa fazer essa carinha triste. Sei que vai se acostumar. É só uma questão de tempo.

Fala segurando delicadamente cada lado de meu rosto e aproximando seu rosto do meu.


Meus olhos acabam tomando um rumo que não deveriam e descem até chegar em sua boca rosada. Acho que o mesmo percebeu já que passou sua língua lentamente sob seu lábio inferior e começou a rocar sua boca na minha com um sorriso ladino travesso.


Apenas coloco meus braços ao redor de seu pescoço e subitamente o puxo para acabar logo com a tortura que ele estava fazendo.



Estamos namorando, certo? Certo



Namorados se beijam sempre que querem, correto? Correto.



E a senhora Dae deixou mais do que claro que aprova nosso relacionamente então não vejo o porque de tentar me controlar.


Levo minhas mãos em direção ao seu pescoço e subo uma bem devagar até seus cabelos pois adoro bagunça-los e Sehun fez a pior (ou melhor coisa) que poderia fazer naquele momento.


—Hum…________(S/N)…eu

Começou a falar rouco e quase sussurando entre gemidos tímidos.









…gemidos...









Sinto que a pouca sanidade que ainda possuia havia ido embora naquele exato momento e quando eu estava quase quase desaboando o primeiro dos 20 botões de sua blusa branca vejo um flash invadir o quarto e acabo me afastando de Sehun assustada.


Olho em direção a porta e encontro senhora Dae e senhora Mi-Ran com sorrisos sem graça estampados na cara e com minha agora sogra segurando uma câmera profissional de última geração.

















— E-Eu disse que era melhor não virmos espiona-los.

Se pronuncia senhora Mi-Ran depois de nós quatro passarmos um tempo nos encarando.


— Disse, mas quando eu falei que eles nem perceberiam só faltou você começar a correr para chegar antes de mim.

Rebateu senhora Dae com um sorriso vitorioso por acabar com os argumentos de senhora Mi-Ran.


— O-Omma o que está fazendo aqui?!

Pergunta Sehun bravo, sério, com os cabelos levemente bangunçados, a boca vermelha e com a respiração ofegante e totalmente desregulada.



"Acho que entendi o porque da foto" penso igualmente ofegante e com o coração cada vez mais acelerado.



— Não é óbvio? Já faz quase duas horas que estou esperando vocês lá em baixo então pensei "eles devem estar encomendando meus futuros netos". Aí eu vim aqui para tirar algumas fotos para mandar fazer um quadro que seria considerado a maior obra de arte de todos os tempos. Só não contava que meu plano iria por água a baixo por causa dessa droga de aparelho com essa merda de flash.

Diz em um tom revoltado olhando para a câmera em suas mãos como se ela fosse a culpada pelo flagra.


Olho novamente para Sehun e ele parece indignado com a situação. Vivi que se manteve calado apenas encara as duas senhora na porta com a mesma poker face que o dono e eu?


— Hahahaha.

Começo a rir de tudo porque querendo ou não tudo isso é muito cômico.


— Já disse que adorei essa garota? Tenho certeza que se você tivesse escolhido alguma daquelas garotas que levava para seu dormitório fariam o maior escândalo aqui com direito a choro e quase desmaio.

Fala senhora Dae sorrindo para mim e revirando os olhos no final com um tom de desgosto.


— Senhora Dae... Não se esqueça dos assuntos pendentes.

Sussurra senhora Mi-Ran alto o suficiente para que eu possa ouvir.


— Há! Claro. Então... Vamos?

Pergunta abrindo passagem para que todos nós a acompanhemos para termos a tal conversa.

















— Do que se trata mesmo?

Pergunta Sehun depois de alguns segundos andando.


— Se você esperar até chegarmos lá eu digo o que é com muito prazer.

Responde senhora Dae tirando uma com a cara do filho que depois dessa fez um biquinho super fofo e segurou minha mão como se fosse um consolo.



"Agora só resta andar quase um quilômetro dentro desse lugar até chegar onde quer que seja" penso achando essa vida de milhonário muito difícil.




*Povs Sehun




Passei a viagem inteira tentando imaginar o que minha omma queria. Ela nunca me chama por nada. Da última vez que fez isso foi há quatro anos atrás para me dizer que ela e eu recebiamos ameaças já que escondeu tudo o que acontecia de mim para não me preocupar com isso.



"Será que é muito grave? " penso ficando um pouco tenso mas logo me acalmo quando volto a ouvir a respiração calma da minha pequena.



"Tenho certeza que a omma vai adora-la" penso feliz e acabo sorrindo quando vejo o portão de casa.



—Há quanto tempo Sehun... Annyong-haseyo senhorita.

Diz senhor Shin sorrindo para mim e ficando surpreso ao ver a bela garota ao meu lado assim que paro o carro para ele poder liberar minha entrada.


— Olá senhor Shin, tudo bom? Enfim, eu vim trazer minha namorada para vistar minha omma junto comigo.

Falo orgulhoso pois agora ninguém vai poder dar em cima dela já que estarei sempre por perto e porque foi muito difícil conseguir isso.


— Namorada? Finalmente e... B-Bem podem entrar. A senhora Oh disse que estaria esperando vocês no jardim atrás da casa... ABRAM ESSES PORTÕES QUE O PATRÃO CHEGOU.

Iria falar outra coisa, mas se recompos e gritou para os rapazes abrirem os portões para mim.



"Abram esses portões que o patrão chegou" acabor soltando um riso soprado e balançado a cabeça negativamente pois senhor Shin insiste em me chamar assim desde que me conheceu aos 10 anos de idade.



— Não precisa fazer essa cara. Eu sei que deveria ter avisado, mas não queria que você ficasse nervosa e...

Falo olhando para sua minha pequena e vendo sua expressão de incredulidade quando termino de estacionar meu carro em frente a porta de entrada da casa.


— Eu só não estou acostumada. Isso é surreal. Não tem como eu me abituar a essa realidade e...

Diz saindo do carro olhando para todos os lado parecendo impressionada e quase entrando no carro de novo para tentar de esconder.


— Claro que vai. Só não se preocupe com nada.

Falo colocando meu braço ao redor de seus ombros e depositando um leve selar na sua bochecha para tranquiliza-la e evitar que ela caia ou tente fugir de mim.



"Como consegui ter uma namorada incrível como essa ao meu lado mesmo?" me perguntava a observando ganhar um tom levemente rosado nas bochechas.



— Que saudades de você.

Fala senhora Mi-Ran abrindo a porta sem nem ao menos eu ter chegado perto de encostar na campainha e se jogando em cima de mim quase me fazendo ir de encontro ao chão.

Após minha quase queda a abraço forte devido a saudade de ter ficado quase um ano sem ve-la.


— Também senti sua falta senhora Mi-Ran. Essa daqui é a minha...

Tento apresentar minha namorada mas logo sou interrompido.


— Aigo. Você é a ________(S/N)? A garota que Sehun vive falando e deixa escapar alguns suspiros enquanto fala o quão ela é linda e perfeita para ele? Muito prazer querida. Meu nome é Mi-Ran e eu cuido desse rapaz desde que ele era pequeno.

Fala tudo muito rápido parecendo muito feliz por conhecer a tão falada ________(S/N) e a recepciona com um abraço caloroso que é retribuído de bom grado enquanto eu olhava para meus próprios pés.



" Já estou até vendo quando senhora Mi-Ran e minha omma se juntarem" penso imaginando todos meus segredos vergonhosos sendo revelados.



"Tô ferrado"



— Por que estamos aqui fora? Vamos entrando porque a senhora Oh já está impaciente com sua demora mocinho. Você sabe como ela gosta de pontualidade, fora que ela, assim como eu, está morrendo de saudades.

Diz nos puxando para dentro sem nos deixar falar mais nada.


— Então querida, como é morar com Sehun? Sei que ele é muito confuso. Até eu não entendo esse ser as vezes. Lembro quando ele contou do plano de te fazer ciúmes levando uma garota sempre que pudesse para o dormitório de vocês... eu tentei abrir os olhos dele e dizer que isso não daria certo, mas vê se esse ser me escutou?

Fala nos arrastando pela sala, cozinha e corredores me deixando quase roxo pois esse era um assunto que eu não queria trazer a tona agora.



"Mal chegamos e já estou pagando todos esses micos"



— Pronto. Chegamos. Aqui é o jardim querida. Vou leva-los até a senhora Oh e ficar ao lado dela porque felizmente somos amigas já que trabalho para ela há muitos anos então vou poder ficar sabendo de tudo o que esse menino aprontou enquanto estava fora.

Diz risonha nos guiando pelo jardim até chegarmos a um dos lugares preferidos de minha omma a encontrando sentada e fazendo pose com uma taça de champagne em uma das poltronas.



"Ela nunca vai mudar isso" penso lembrando de todas as vezes que convidava alguém para nos visitar e recebia todos do mesmo modo.



Assim que me vê deixa a sua taça na mesinha de centro e se levanta devagar mantendo sua compostura, mas deixa todo a encenação que adora fazer de lado quando encontra minhas mãos e as de ________(S/N) juntas.


— Não creio que estou viva para ver isso. Meu filho trazendo uma garota aqui. Finalmente meu bebê tomou coragem para se declarar. Confesso: estava quase perdendo as esperanças. Mas aquele pedido foi lindo. Quase chorei. E você? ________(S/N) não é?! Muito obrigada por cuidar do meu filho quando eu estava longe. Sou muito grata por isso. Pode ter certeza que eu abençoou o casamente e...

Diz quase matando a mim e ________(S/N) sufocados em seu abraço apertado pro estar muitão eufórica.


— O-Omma, calma. Você vais assusta-la desse jeito e... como você sabe do pedido?! Eu não contei nada.

Falo confuso e muito corado.



"Me recuso a crer que ela me espionou" penso incrédulo.



— Você achou mesmo que eu não iria investigar o que estava acontecendo depois de descobrir que você encomendou um anel m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o no começo do ano na nossa maior joalheiria em Seul? Consegui todas as informações possíveis. Desde quando vocês se conheceram até agora. Tive até que mandar um de meus funcionários roubar uma pasta de informação sobre ________(S/N) na faculdade para saber quem era a garota que finalmente conseguiu fazer meu bebê se apaixonar.

Diz com um sorriso cada vez mais largo.



Aish.



"Desse jeito minha pequena vai pensar que eu e minha família somos um bando de loucos".



— Eu tentei convence-la de que isso não seria uma boa ideia, mas ela não me ouviu e...

 

— Nem vem tentar jogar a bomba para cima de mim Mi-Ran porque você ficou tão eufórica quanto eu quando vimos que ela é mais do que digna de ser a futura senhora Oh e assumir os negócios da família junto do Sehun.

Diz minha omma interrompendo Mi-Ran que parecia um pouco envergonhada por ter sido entregue.



"Essas duas juntas não prestam, não sei qual é a pior" penso tentando parecer bravo, mas quase não consigo segurar o riso ao me dar conta que as três mulheres da minha vida estão reunidas no mesmo lugar e se dando bem como se conhecessem uma a outra há anos. 


— Enfim, prazer. Me chamo Dae e espero que você me chame assim, mas sou conhevida com "a temida senhora Oh" porque tenho que tomar conta da empresa. Fico muito feliz de conhecer minha nora. Espero que goste de nossa família porque com certeza meu filho ainda vai te pedir em casamento. Bebê, leve-a até seu quarto e arrumem suas coisas. Depois quero que descam e vão até a sala de jantar porque precisamos conversar sobre algumas coisas, okay?

Fala olhando ternamente para minha jagiya e em seguida desvia seu olhara para mim como se estivesse mandando eu seguir suas ordens.


E com certeza ela estava.


— Sim, mas... digo, claro omma.

Ia contestar, mas resolvo obedecer após receber um olhar intimidador da senhora Oh.


Aprendi muitas coisas com minha omma e a mais importante delas foi: nunca a desobedeça.


Seguro a mão de minha pequena e a puxo sem força para não machuca-la já que ela parecia estar em um transe desde que citaram a palavra casamento.



"Se eu consegui fazer de ________(S/N) minha namorada com certeza vou conseguir torna-la a nova senhora Oh... é so questão de tempo" penso absorto em pensamentos.



— Ela é uma graça não é? Com certeza vai fazer Sehun muito feliz... só espero que ele não fique bravo quando eu o apresentar para o...

Paro de ouvir pois nos afastamos cada vez mais adentrando novamente a mansão.


— Eu disse que você não precisava se preocupar com nada. Ela amou você.

Falo a guiando por entre os diversos corredores da minha casa.


— Por que aqui tem tantos quartos?

Pergunta aparentemente cansada de andar.



"Por que será que ela já está cansada? Não faz nem 15 minutos que estamos andando" me perguntava confuso.



— Por que minha omma tem muito dinheiro e se a gente não gastar dinheiro com isso vamos fazer o que com ele?! Claro que nós doamos uma boa quantia em dinheiro para algumas instituições de caridade ao redor do mumdo, mas mesmo assim.

Digo dando de ombros e parando de andar ao chegar em frente a porta de meu quarto.


— Bem vinda ao nosso quarto temporário.

Falo abrindo a porta e deixando Vivi, que nos seguia até agora passar.


— Nossa... parece até que quem dorme aqui é um dono de empresa super exigente e, é claro, estiloso.

Diz olhando meu quarto como se fosse um lugar lindo e maravolhoso sendo que é só... um quarto.


— Obrigado pela parte do estiloso... bem, já trouxeram nossas malas então vou te ajudar a colocar suas coisas no meu closet.

Digo pegando minha mala e que parecia cada vez maior e sua mochila que reparando bem não era nada pequena.


Vou em direção ao meu closet e coloco sua mochila em uma parte vazia que pedi para Mi-Ran separar para quando eu fosse trazer ________(S/N) no começo do ano.



Sim, sempre mentive minhas esperanças vivas de que um dia iria traze-la para conhecer todo mundo e contei quase todos os detalhes para a senhora Mi-Ran pois se eu contasse para minha omma ela não teria só espionado.


Olho na direção de minha pequena, que ainda se encontrava na porta do closet, com os ohos brilhando olhando minhas roupas sociais compradas pela senhora Oh pois ela sempre diz que fico muito parecido com meu appa mesmo sendo quase que sua cópia só que em uma versão masculina.


— Vou deixar suas coisas aqui okay? O banheiro fica ali. Se você quiser ter uma vista da área é só ir aquela direção que tem uma sacada e algumas poltronas para você observar tudo o mais confortavelmente possível e se você se sentir entediada tem uma sala de jogos escondida, na verdade, camuflada na parte mais escura do quarto porque quando meus primos vinham aqui quase quebravam meus consoles e...


— Calma, acho que é muita informação para absorver. Esse lugar parece um sonho. Olha essa cama. Está tão reta e lisa que eu teria que ficar um dia inteiro passando o ferro para deixa-la desse jeito.

Parecia tão impressionada com tudo que reparou até na minha cama.


— Para falar a verdade nem mesmo eu sei como fazem isso. Sempre que acordo vou para o banheiro tomar banho e escovar os dentes e quando volto já está tudo assim.

Falo rindo de suas reações enqunto Vivi se espriguiçava e tomava posse da nossa cama.


— V-Vamos logo descer e ver o que a senhora Oh quer antes que eu acabe morrendo de vergonha aqui.

Diz corando e desviando o olhar.



"Por quê tão adorável? " me pergunto hipnotizado olhando aquela cena fofa.



— Não precisa fazer essa carinha trite. Sei que vai se acostumar. É só uma questão de tempo.

Fala segurando delicadamente cada lado de seu rosto e me aproximando cada vez mais.


Percebo que seus olhos acabam descem até chegar em minha boca rosada.



"Acho que minha omma não vai se importar se demorarmos um pouquinho para descer" penso decidindo provoca-la um pouco e consequentemente me torturar.



Passo minha língua lentamente sob meu lábio inferior e começou a rocar minha boca na sua com um sorriso ladino travesso. Mesmo querendo aprofundar o contato não iria perder a chance de faze-la perder um pouco do contole como da última vez.


Vejo que estou conseguindo o que quero quando seus olhos começam a ficar em um tom mais escuro.


Ela não fala nada apenas coloca seus braços ao redor de meu pescoço e inesperadamente me puxa acabando com o espaço entre nós.



"Acho que nunca vou me acostumar com isso" penso inebriado pelo sabor doce invadindo minha boca.



"É. A senhora Oh com certeza não vai perceber se demorarmos mais uns 20 minutinhos"


Sinto ________(S/N) levar suas mãos em direção ao meu pescoço e sobe uma delas bem devagar até meus cabelos os bagunçando e me deixando cada vez mais arrepiados com seus toques.


—Hum…________(S/N)… eu

Começou a falar rouco e quase sussurando entre gemidos que não consegui conter.


Perco um pouco dos meus sentidos e do meu raciocínio lógico quando ela começa a desabotoar o primeiro botão da minha blusa, mas se afasta rapidamente quando um clarão invade o quarto nos assustando.


Olho confuso para a porta e vejo senhora Dae e senhora Mi-Ran com sorrisos sem graça estampados na cara e com minha omma segurando uma câmera profissional de última geração.

















— E-Eu disse que era melhor não virmos espiona-los.

Se pronuncia senhora Mi-Ran depois de nós quatro passarmos um tempo nos encarando.


— Disse, mas quando eu falei que eles nem perceberiam só faltou você começar a correr para chegar antes de mim.

Rebateu senhora Oh com um sorriso vitorioso por acabar com os argumentos de senhora Mi-Ran.


— O-Omma o que está fazendo aqui?!

Pergunto extremamente bravo.


Como é que um ser nos interrompe num momento como esses?! Eu sei que queria planejar tudo mas sempre paro de pensar quando me aproximei demais da minha jagiya.



"Tenho que aprender a me controlar se não vai deixar de ser especial" penso me repreendendo por me deixar levar tão facilmente.



— Não é óbvio? Já faz quase duas horas que estou esperando vocês lá em baixo então pensei "eles devem estar encomendando meus futuros netos". Aí eu vim aqui para tirar algumas fotos para mandar fazer um quadro que seria considerado a maior obra de arte de todos os tempos. Só não contava que meu plano iria por água a baixo por causa dessa droga de aparelho com essa merda de flash.

Diz em um tom revoltado olhando para a câmera em suas mãos como se ela fosse a culpada pelo flagra.



"ELA QUERIA TIRAR FOTOS NOSSA FAZENDO..." paro de pensar nisso antes que tenha um surto.



Vivi que se manteve calado apenas encara as duas senhoras na porta com a mesma poker face que eu.



" Pelo menos alguém me entende"



— Hahahaha.

________(S/N) começa a rir depois de perceber o quão cômica a situação é e se eu não estivesse tão indignado provavelmente faria o mesmo.


— Já disse que adorei essa garota? Tenho certeza que se você tivesse escolhido alguma daquelas garotas que levava para seu dormitório fariam o maior escândalo aqui com direito a choro e quase desmaio.

Fala senhora Dae sorrindo para ________(S/N) e revirando os olhos no final com um tom de desgosto.


— Senhora Dae... Não se esqueça dos assuntos pendentes.

Sussurra Mi-Ran alto o suficiente para que eu possa ouvir.


— Há! Claro. Então... Vamos?

Pergunta abrindo passagem para que todos nós a acompanhemos para termos a tal conversa.

















— Do que se trata mesmo?

Pergunto depois de alguns segundos andando.


— Se você esperar até chegarmos lá eu digo o que é com muito prazer.

Responde tirando uma com a minha cara.



"Como pode interromper o clima que tinha se instalado no meu quarto entre mim e minha jagiya e ainda por cima zoa comigo?! " penso fazendo bico como uma criança e segurando a mão da minha pequena como consolo depois de tudo isso.



"Só falta descobrir qual é a grande notícia para acabar com tudo de uma vez"



Povs Autora




Ótimo.


Senhora Oh já está quase revelando o porque da visita enquanto meu casal se lamenta pela interrupção que tiveram no quarto.


Mas é a vida.


Não posso jogar todos os tiros de uma vez não é mesmo?!


Enfim, vou contar o que aconteceu com os 11 meninos nesse meio tempo já que ficaram sem seu refúgio nos finais de semana pois os proprietários da chave do local resolveram ir viajar.


— Vou te falar, acho melhor pedirmos para ir morarmos sozinhos porque assim não dá.

Diz Baek indignado por todas as suas colegas terem os expulsado por levar os amigos para seus dormitórios.


— Não sei se a pior foi a de D.O ou a do Xiumin.

Fala Tao indeciso.


— Com certeza foi a de D.O... acho que ela aprendeu bastante coisas com ele já que nos ameaçou com uma faca.

Lembra Chanyeol se arrepiando com medo da garota.


— Eu até ficaria orgulhoso se ela não fosse um dos seres mais chatos que conheço e se não tivesse me expulsado também.

Fala Kyung revirando os olhos.


— Tá. E agora?

Pergunta Chen querendo saber para onde eles iriram.

















Ficaram alguns minutos em silêncio encarando o teto, o chão, as paredes e os rostos uns dos outros em busca de uma solução ou esperando que ela aparecesse naquele imenso corredor.


— Nós... não podemos ir para a sala em que desenvolvem e testam os jogos?

Pergunta Kai tendo a melhor ideia do dia.


— Não acredito que não pensamos nisso antes.

Fala Luhan decepcionado com sigo mesmo, mas logo se animando por finalmente terem achado um lugar para se divertirem juntos.


— Mas eu não tenho a chave.

Se pronúncia Suho chamando toda a atenção para si.


— Temos duas opções: a primeira é arrombar a porta e depois fingir que nada aconteceu e a segunda é ir pedir a chave para o diretor. Qual você preferem?

Pergunta Kris sorrindo de lado.


— A segunda opção.

Falam todos em unissóro... menos um certo chinês.


—… Qual era a primeira opção mesmo?

Pergunta Lay confuso.


— Aish. Só vamos logo com isso.

Diz Baozi afundando o rosto nas próprias mãos e seguindo em direção a sala do diretor.


Os garotos são tão discretos que o senhor Min-Kyung conseguiu ouvi-los berrando uns cinco minutos antes deles chegarem a frente de sua porta e começarem a empurrar um ao outro para ver  quem iria encarar o diretor. 

















— Por quê o silêncio agora? Podem entrar. Já sei que estão ai.

Diz o diretor se divertindo com a situação.


Na verdade ele sempre se divertia com esses meninos por perto.


— Oi pai. Então é que...


— Queremos a chave da sala de jogos porque nosso casal favorito foi curtir a vida enquanto nossas "amáveis" colegas de quarto nos expulsaram por não permitir que todos nós nos reunamos em nossos próprios dormitórios.

Byun interrompe Suho indignado.


— Eu libero a entrada de vocês desde que não danifiquem nada e deixem o lugar do jeito que o encontraram.

Fala o bondoso diretor salvando o dia dos garotos lhes entregando a chave da simulação de paraíso.


— Obrigado diretor.

Agradecem e se curvam em uma sincronia perfeita quase saido do lugar.




Quase




— Esperem garotos. Recebi essas cartas mais cedo e elas estão endereçadas à você.

Diz senhor Min-Kyung se lembrando de um senhor que mais parecia um chofer de carros luxuosos entregando os envelopes vermelhos fechados por uma fita branca de seda e dizendo que deveriam ser entregues o mais rápido possível.


— Devem ser de minhas admiradoras secretas.

Fala Tao sorrindo empolgado.


— Suas? Eu sou o mais viril dessa sala. É obvio que são para mim.

Diz Luhan fazendo pose de... gente muito.... viril.


— Não se iludam crianças. Se eu estou aqui para que as garotas iriam mandar cartas para vocês?

Pergunta Kris piscando deixando os garotos vermelhos de raiva.


— Garotos, são uma carta para cada um e elas são todas iguais.

Fala o diretor quase chorando de rir entregando as cartas e vendo as caras de decepção dos 11 meninos a sua frente.


— Por que são todas iguais?

Pergunta Xiumin desconfiado.


— Não sei. Abram e descubram.

Fala o senhor com os olhos transbordando curiosidade.


E assim todos abrem os envelopes levemente perfumados e leem o que está escrito.


Alguns ficaram em choque, outros atordoados e um confuso.


— Não creio. Por que o Sehun não nos contou?

Pergunta Chanyeol com os olhos arregalados.



"Acho que é porque nem mesmo ele sabia" penso comigo mesma parando de escrever e imaginando o circo pegando fogo no próximo capítulo.


Notas Finais


Bem... é isso.

Percebi que o último capítulo teve menos comentários que alguns anteriores então me desculpe se acabei os decepcionando.

Vou tentar melhorar okay?



E vou deixar o link de algumas fanfic maravilhosas de algumas amigas minhas.



https://spiritfanfics.com/historia/one-shot-imagine-devorados-9166813

Essa fic ☝☝☝ é da FefeLivros




https://spiritfanfics.com/historia/amor-ou-odio-chanyeol-imagine-9908192

Essa ☝☝☝ é da linana07



https://spiritfanfics.com/historia/nevando-em-seul-9378239

E por fim essa ☝☝☝ é a da SelseAlves



Amei todas elas de paixão. Vou panfletar mais algumas amanhã (para quem quiser, claro)



Até o próximo capítulo.

Bjus e annyeong!

❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...