História Meu querido... Meu anjo! - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Mpreg, Originais, Yaoi, Yuri
Exibições 59
Palavras 1.629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Orange, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


ARIGATO ❤ Perdoem a demora pra postar...

Capítulo 5 - Fifth-5


Ameko P.O.V

~QUEBRA DE TEMPO~

Voltei para casa e como meus pais estavam de viagem -Como sempre por sinal -Eu passei a maior parte da tarde como passo normalmente, até receber uma ligação que mudou minha tarde por completo, era de Yukio...

-A-Ameko, p-posso ir a sua casa? 

-Onde você está? Está bem? Vou te buscar, Yukio?

-E-Estou na praça a quatro quadras de onde é meu apartamento, p-por favor, venha logo, não me deixe sozinho por mais tempo, e-eu não sei se consigo c-chegar até você 

-Estou indo, Yukio? YUKIO? 

Eu só consegui ouvir soluços e sentir sua voz ofegante até ele desligar sem me responder, eu havia acabado de tomar banho e me vestir, só peguei o celular e fui literalmente correndo ao seu encontro, estava desesperado, o que aconteceu com ele? Ou, o que fizeram a ele? 

-Senhor, onde vai? Não quer que eu lhe leve? 

-Não Rion

Eu sequer agradeci ao meu motorista enquanto eu saia pelo portão desesperado, não era tão longe a praça, eu só queria encontrá-lo e abraçá-lo com toda minha força, meu querido -Não demoro, estou indo te proteger, me espere- Era só o que eu repetia várias vezes em minha mente, como se ela pudesse ouvir e se acalmar com aquilo... Na verdade eu estava tentando manter a minha própria calma, estou com medo do que pode ter acontecido 

Yukio P.O.V

Eu estava em uma rua quase deserta chorando e esperando que o Ameko chegasse logo pra me ajudar, minhas casa não era longe, mas não conseguiria ir até lá sozinho, não naquele estado.. Eu só consegui pensar nele, foi só quem me veio em mente ao sentir medo daquele jeito, precisava do seu abraço, por mais que nunca tivéssemos nos abraçado antes, eu só consegui pensar nos braços dele quando me vi naquela situação, era só ele que eu queria ali comigo... 

-YUKIO? O QUE ACONTECEU? 

-A-Ameko, você veio mesmo! A-Achei que fosse me deixar, você tem coisas importantes pra fazer- Eu disse entre soluços que agora estavam abafados pelo peito de Ameko que me abraçava com toda sua força e mesmo que aquilo me doesse o corpo, não poderia largá-lo ou sair de seu abraço jamais, desde que cheguei aqui a alguns meses e desde que entrei na escola a dois dias (Dois dias com hoje é claro), minha vida vai de mal a pior, mas ele... Minha tábua de salvação esteve ao meu lado me ajudando, pensei isso envolvido naquele abraço... E só tive certeza de que havia encontrado meu anjo, por um momento a dor passou, eu só queria parar aquilo pra sempre, só queria ficar dentro daquele abraço pela eternidade, queria ficar com ele pela eternidade, eu sei que não deveria pensar isso, nos conhecemos a dois dias, eu sou uma aberração, mas ele é a única coisa até agora que me fez sentir melhor em meio a esse caos que eu ouso chamar de vida... Meu anjo estava comigo, isso é o que importa

Myu P.O.V

Liguei várias vezes pro Safaya e nada, pro Ameko e nada, liguei até pro Yukio (Todos nós trocamos os números de celular no intervalo mais cedo) -O que?  NADA DENOVO, CAIXA POSTAL, AFF, SÓ QUERIA ALGUÉM PRA IR AO SHOPPING COMIGO, preciso de roupas novas- Pensei alto, afinal pretendo chamar o Yukio pra sair, sabe? (Claro que se ele aceitasse ir ao shopping comigo eu não ia dizer que as roupas eram pra sair com ele) desde a conversa de mais cedo, por mais que eu goste do Ameko, não paro de pensar nele e... Vai que rola, né?

Safaya P.O.V

Tudo ficou "bem" o resto da manhã aliás a tarde também, recebi umas ligações da Myu mas não atendi, não estou forte o suficiente para falar com a "senpai" do meu "senpai", apesar de ter certeza que agora ela já não é mais sua "amorzinha" e sim o Yukio, dois dias, em dois ele consquistou o Park, meu Park, me confessei a ele, mas parece que ele não curte a mesma fruta que eu, aliás tenho certeza que curte, mas curte ao Yukio, não a mim,Yukio... Estou tentando processar sua chegada, mas não posso continuar a sofrer pelo Ameko, ainda mais quando é ele, o Yukio, que vai competir comigo, porque porra, ele é muito lindo, acho até que se não o odiasse... Eu o amaria, só pela sua beleza que já é suficientemente grande, espero que pra sorte do meu Park (Mesmo que não queira que os dois fiquem juntos)  que outras coisas também sejam, eu não quero que eles fiquem juntos, mas não quero que ele sofra, eu quero que ele fique feliz ao meu lado, será que é tão difícil assim que eu faça ele feliz? 

Narradora P.O.V

Yukio ficou abraçado a Ameko que o envolvia em seus braços por no mínimo 10 minutos, quando Park disse para que fossem até sua casa, Yukio assentiu e saiu do abraço cambaleando, até que sentiu seu corpo doer, princialmente seu abdômen, haviam o chutado muito, ele ia cair de rosto colado com o chão quando antes que isso acontecesse Ameko o pegou no colo (Como uma princesinha, sabe) ele ligou pra um táxi os buscar, porque por mais que não fosse tão longe sua casa Yukio não estava em condições físicas de andar, e nem ele psicolgicas para ter que levar até em casa nos seus braços aquele ser tão frágil que estava todo machucado no momento... Quando entraram no táxi Yukio tremia de medo e chorava em seu colo, ele não disse nada sobre porque estava assim, afinal não seria apropriado e nem ele se sentiria bem falando aquilo que havia acontecido a pouco tempo consigo a Ameko dentro do táxi então o caminho todo se fez silencioso, não um silêncio afobado e sim um silêncio calmo, por mais que Ameko de calmo no momento não tivesse nada, isso só  piorou ao perceber o pequeno gemido de dor de Yukio ao envolvê-lo em seus braços um pouco mais forte o abraçando, afinal ele já estava em seu colo com a cabeça em seu peito, que mal havia abraçá-lo ? Ele viu que o que tinha de mal naquilo ao ver seu semblante de dor e folgou um pouco mais o abraço que antes era apertado na tentativa de fazê-lo sentir um pouco melhor... Pouco antes de o táxi chegar ele viu a sua boca que já estava um pouco inchada ameaçava sangrar, aliás, porque Yukio ainda estava com o uniforme do colégio se já passava das 15:00 horas? Dúvidas e culpa (Por tê-lo deixado voltar pra casa sozinho rondavam sua cabeça ) quando o táxi chegou em sua casa, ele pagou o taxista deixando que ele ficasse com o troco, não se importava com o dinheiro, só com Yukio, queria levá-lo pra dentro e saber o que havia acontecido, assim o fez, subiu as escadas com Yukio em seus braços ainda soluçando (Havia chorado muito o caminho todo) até chegar em seu quarto, onde abriu a porta e deixou-o calmamente sobre a cama, mas mesmo assim Yukio ainda estava com um semblante de dor e agora estava abraçado a sua barriga, Ameko não aguentou, trancou a porta, sim trancou e foi em direção a cama onde Yukio já começara a chorar novamente

Yukio P.O.V

-O que aconteceu? Porque está assim? O que te fizeram? - Ameko disse se sentando na cama ao meu lado de virado de frente pra o meu rosto, meu corpo doía muito, principalmente minha barriga, era como se ainda estivessem lá... Me chutando, mas fui tirado de minhas lembranças por um Ameko desesperado 

-YUKIO? YUKIO? O QUE ACONTECEU? ME DIZ! -Me assustei um pouco quando ele gritou daquele jeito, ele parecia muito preocupado comigo, mas eu não conseguia dizer nada, minha boca abria e fechava, mas não saia uma palavra se quer de lá, espera, isso são lágrimas nos olhos dele? 

-M-Me desculpa se te assustei, mas por favor me fala meu querido, o que aconteceu? O que te fizeram? Eles, eles... -Cortou a própria frase suspirando alto e passou a parte traseira da mão nos olhos, ele estava chorando... 

-M-Me b-bateram, ei, n-não chora, v-você não tem culpa de nada -Falei entre soluços, estava todo dolorido e a dor só piorava ao me lembrar daqueles momentos horríveis, chutes, socos e murros, todos aos mesmo tempo, tudo tão horrível, tão doloroso.. 

-Vem cá, prometo não te deixar sozinho nunca mais, vou pegar remédios e curativos pra cuidar de você e eu não estou chorando! -Ele disse me pegando no colo, não aguentei a dor em meu braços e abdômen e soltei um leve gemido me abraçando a ele com toda a força, como se aquilo pudesse passar minha dor... Abraçá-lo 

Ameko P.O.V

Quando ouvi aquele gemido vindo dele confesso que não pensei em coisas nada puras, mas porque eu pensei naquilo justo naquele momento? Justo com ele? E naquela situação principalmente! Eu sou um amigo muito filho da puta  de pensar isso com ele em uma situação dessas, além do mais ele é muito novo pra mim, só tem 15 anos enquanto eu já tenho 17 (Sim eu já reprovei) e porque estou comparando nossas idades? Estou enlouquecendo -Eu gosto da Myu, MYU- pensei um pouco alto e vi ele me olhar como se não tivesse entendido, dei graças a Deus por isso e saí de meus pensamentos quando lembrei que deveria pegar os remédios para cuidar dele, aquele ser tão frágil que agora estava abraçado a si mesmo deitado em minha cama, leventei e fui até a pequena "farmácia" da casa pegando o que precisaria para cuidar dele, de seus ferimentos que estavam extremamente visíveis, mas tarde ele me conta o que aconteceu, não vou insistir com isso, pelo menos, agora não

*CONTINUA?*...


Notas Finais


Obrigada por ler até aqui ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...