História Meu querido... Meu anjo! - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 34
Palavras 1.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


ARIGATO ❤
Por tudo...

Capítulo 6 - Sixth-6


Yukio P.O.V

Eu estava com dor e novamente sozinho, mas agora no seu quarto e não em uma rua, além de que eu sabia que ele voltaria, foi só pergar os remédios, certo? Não é nada que vá fazer ele sumir e me deixar pra sempre... Minha cabeça doía e senti algo percorrer meu rosto da boca até o queixo, mas não eram lágrimas e sim sangue, minha boca estava sangrando, passei a mão pela mesma  limpando a sujeira do sangue, não limpei muito bem, quem se importa com sangue na boca quando se tem cabeça e barriga em estado críticos de dor? Minha cabeça doía, minha barriga latejava e mesmo que eu estivesse deitado senti minhas pernas fracas, estava com os olhos fechados ofegante pelas dores que sentia quando senti meu corpo ser levantando com calma até que me sentei na cama, era Ameko quem havia me ajudado a levantar, eu nunca teria me levantado sozinho, por mim ficaria encolhido até toda a dor passar... 

-Tire essa blusa agora Yukio -Ele pediu autoritário, mas mesmo assim calmo, como se estivesse falando com um filhotinho ou com uma criança e eu corei de imediato 

-C-Como? -Ele riu fraco e me olhou nos olhos como se quisesse passar confiança, ele estava conseguindo, na verdade ele só me passa isso... Confiança, eu confio plenamente no meu anjo da guarda 

-Não é nada disso que você está pensando, eu sei que eu sou gostoso, mas é só pra ver e cuidar do seus machucados, tolo -Falou em um tom brincalhão mas sem deixar de lado a preocupação 

-Aish, não fale coisas assim, não é como se eu quizesse ter alguma coisa com você por isso baixa a bola e não fica se achando não tá bom Park? 

-Nossa Kim, só você mesmo, estou tentando te ajudar e você me dá foras desenfreados desse jeito? -Corei e me senti culpado, achei que ele fosse me expulsar de lá, ele estava no direito dele, me ajudou e estava cuidando de mim e eu fui grosso daquele jeito? Nossa, que remorso eu senti, será que eu realmente magoei ele? Eu... Eu deveria não dar tantas patadas assim, ele só quer me ajudar, mas agora tenho certeza que não mais... 

-N-Não precisa, eu vou pra casa , estou melhor -Disse me levantando da cama com dificuldade e indo lentamente em direção a porta, eu menti? Menti, mas estava indo bem, até minhas pernas fraquejarem inexplicávelmente, a dor aumentar em meus braços e cabeça e eu cair de joelhos no meio do quarto mas logo sendo auxiliado por ele

-Ah, você não vai mesmo, agora tira essa camisa antes que eu mesmo tire, não me engana mentindo assim,acabou de cair aqui, na minha frente, imagina lá fora? Sozinho! -Como ele me disse aquilo tão calmamente? Como me manda tirar a blusa como se fosse extremamente normal ficar seminu na frente de uma pessoa que conheceu a dois dias e eu? Fiquei corado, DENOVO e pra piorar minha situação, ele estava me segurando por trás me ajudando a levantar e respirava em meu pescoço calmamente... Arrepiei? NADINHA e ele riu de canto me guiando até a cama (Como se eu não soubesse andar sozinho, bem, naquele momento, nem tanto)  pra me sentar por lá denovo

-Então... Você tira? Ou eu mesmo tiro? -Eu ri envergonhado e peguei na bainha da blusa pra puxá-la pra cima e a tirar de meu corpo, mas meus braços não deixaram, a dor neles era grande demais pra que eu os levantasse muito alto, o que fez com que eles "caíssem" cada um de um lado do meu quadril, estavam tão fracos quanto minhas pernas 

-É, eu mesmo tiro! -Ele falou aquilo e veio até mim com um sorriso de canto -Ei ele estava gostando de tirar minha blusa?-Pensei, estava até "divertido" por mais que estivesse mal ficar ao lado dele melhorava bastante, mesmo que pra isso eu tivesse que ficar sem camisa... 

-Aish que vergonha Ameko, te fiz ir me buscar e agora ainda te faço tirar minha blusa pra cuidar dos meus machucados? Me sinto um inútil, eu sou patético, se quer... Se quer consegui me defender- Disse enquanto ele tirava calmamente a camisa do colégio e senti as lágrimas voltaram aos poucos

-Estou fazendo isso porque quero seu bem tá bom? Idiota! -Me irritei, já estava morrendo de dor no corpo e na cabeça e ele me chama de idiota? -Como pode ser tão insensível?- Pensei com lágrimas já escorrendo novamente sobre minhas bochechas 

-Idiota é a sua mãe! -Exclamei com raiva tentando me levantar, mas ele segurou calmamente em meu ombros não permitindo minha saída da cama eu só me sentei novamente com dor, lágrimas nos olhos e agora com raiva enquanto ele tirava por completo minha camiseta

Ameko P.O.V

MEU SENHOR, eu sou hétero (Eu acho, desde que ele chegou estou sem certeza de nada, está tudo muito confuso) mas nossa senhora que corpo definido (Até então como só nos conhecemos a dois dias só havia o visto de camiseta) eu me senti um tanto culpado por chamá-lo de idiota, mas foi o impulso, não admito que ninguem fale mal dele, nem ele mesmo! Mas acabou que eu falei... Eu sou um tapado! 

-Sua sogra se você continuar sendo tão gostoso assim -Soltei sem perceber, e quando notei o que havia dito rezei pra que ele não escutasse, ou que se escutasse não levasse a sério, por que afinal, não era sério... Era? Não, não era! 

Sussurei nervoso -É brincadeira- e ele não ouviu e tentou se levantar, eu deveria tê-lo constrangido por completo, ainda mais em um momento como aquele, com ele todo machucado segurei seus ombros e ele se sentou novamente, mas não como da primeira vez, ele se sentou sem que eu tivesse que forçar seus ombros um pouco para baixo

-Desculpe, só estava brincando -Disse e ele me olhou de canto, muito vermelho, não sei se raiva ou de vergonha 

-E-Está ~Aí~ bem -Ele me respondeu com um semblante de dor talvez seus machucados estivessem doendo, e olha, não eram poucos, o que me deixava muito aflito e triste, extremamente triste por vê-lo sofrer, denovo, e eu não pude fazer nada para impedir seu sofrimento mais uma vez... Eu sou horrível 

-Agora tire suas calças, ah é você, não consegue,desculpe, só se deite e eu as tiro! -Disse e corei com minha própria frase enquanto coçava a nuca pra tentar disfarçar a vergonha, eu não tinha segundas intenções -Ou tinha? -Dó queria cuidar dele -Só cuidar?- Ele me olhou e corou -Muito fofo -Pensei enquanto respondia inutilmente as perguntas feitas por mim mesmo 

-N-Não precisa, das pernas eu mesmo cuido quando chegar em casa -Me disse com o rosto extremamente vermelho, se é que era possível ficar mais vermelho 

-Meu querido, por hoje eu sou seu enfermeiro, POR ISSO DEITA E ME DEIXA TIRAR SUAS CALÇAS! -Disse a última parte "gritando" em um tom brincalhão, ele deu uma pequena risada e se deitou -Finalmente ele sorriu- Eu começei tirando suas calças calmamente para não machucá-lo, ele estava de bruços... SENHOR, PORQUE FAZ ISSO COMIGO HEIN? Que bunda linda, sua pele branca, deu vontade de apertar, assim que tirei suas calças ele puxou o lençol cobrindo sua boxe preta, pensei em tudo, menos naquele bunda dele, queria cuidar dele, se pensasse mais era capaz que eu... Que eu,  ficasse com "problemas" por sua culpa! Ele se sentou com o lençol sobre as pernas eu peguei os remédios e preparei tudo enquanto ele me olhava com cara de cachorrinho machucado, me apertou o coração vê-lo naquela situação! Porque ele realmente estava machucado, muito machucado e era tão fofo quanto um cachorrinho 

Yukio P.O.V

EU ESTAVA SÓ DE CUECA NA CAMA DE UMA PESSOA QUE CONHECI A DOIS DIAS, meu corpo ainda doía quando ele chegou perto de mim se ajoelhando e passando um dos algodões com remédio em um dos muitos machucados

-A-Argh -Arfei com a cabeça pra trás, aquilo ardia muito, e a dor só piorava com aquilo 

-Você está bem? Te machuquei? 

-Está tudo bem só ardeu um pouco -Disse e ele continuou passando o remédio por meus machucados, limpando o sangue e fazendo curativos onde era necessário -Ou seja fiquei com a barriga toda enfaixada, aliás ela ainda doía muito, só que agora por dentro- Ele começou a passar o remédio por meus braços e quando ele passou remédio e fez curativos em toda minha parte superior do corpo olhou pra mim com uma cara sujestiva, era hora dele passar o remédio por minhas pernas...

Ameko P.O.V

Meu senhor me ajuda, preciso aguentar passar os remédios nele sem que "nada" aconteça, ele tirou o lençol de si e deitou de bruços sobre a cama (Novamente, pois ele havia saído daquela posição para que eu fizesse os curativos em seu abdômen) me dando uma belíssima visão, eu passei os remédios e pomadas por toda uma perna, quando estava passando remédio na outra

-A-Ai Ameko, e-está d-doendo muito por favor p-para, só um pouco -Ele falou quase que como um "gemido" só que de dor, NUNCA PENSEI COISAS TÃO IMPURAS COM RELAÇÃO A OUTRO GAROTO NA MINHA VIDA INTEIRA, me perdoa omma... Eu parei rapidamente de espalhar o remédio e ele sorriu agradecido, enquanto isso na minha calça senti meu membro pulsar forte, não é possível que isso esteja acontecendo

-P-Pode continuar -Ele disse se virando de bruços novamente eu continuei passando o remédio tentendo me distrair para que "aquilo" que estava nas minhas calças passasse rápido, e passou, eu terminei de passar os remédios e fazer curativos por seu corpo e ele me pediu suas roupas, mas o uniforme era... Apertado, não tanto quanto a calça que ele vestiu no primeiro dia de aula, mas ainda sim era, além de que ele estava todo sujo, poderia infeccionar as feridas que estavam sem curativo por não "precisar" 

-Não, vou pegar alguma roupa minha pra te emprestar, se vista enquanto eu tomo banho está bem? 

-Está bem -Eu sei que ele ficou envergonhado, mesmo que ele não tenha corado deu pra sentir a vergonha dele em relação as minhas palavras, eu fui tomar banho e deixei ele se trocando no meu quarto, ao tirar minhas roupas e entrar no box enquanto a água gelada descia sobre meu corpo começei a me lembrar dos gemidos de dor dele, no táxi, na minha cama de costas pra mim em uma posição completamente fodível quando senti meu membro ficar ereto

-Será possível Yukio? -Eu falei comigo mesmo pensando sobre o que havia acontecido, não aguentei meu membro já latejava entre minhas pernas, doía, e tudo isso "graças" a aquele ser fofo que estava na minha cama minutos atrás, eu sabia que era errado fazer aquilo pensando nele, com ele naquela situação e NO MEU QUARTO, mas foi inevitável... 

-Y-Yukio - Gemi enquanto movimentava lentamente minha mão sobre meu membro e quanto mais eu pensava nele, em seus gemido, seu semblante, ficava mais exitado, aumentei a velocidade dos movimentos vai e vem quando senti um líquido escorrer por minhas pernas 

-Aah Yukio -Gemi baixo terminado de tomar meu banho rapidamente e voltando para o quarto onde Yukio já trocado estava deitado sobre minha cama, denovo chorando

*CONTINUA?*...


Notas Finais


Perdoem esse finalzinho escroto do Ameko, minha primeira fanfic, não sei bem o que fazer mas estou tentando!
Obrigada por ler até aqui ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...